CEL0014-WL-LC-Verbos  Nomes e Transitividade
7 pág.

CEL0014-WL-LC-Verbos Nomes e Transitividade


DisciplinaAnálise Textual9.341 materiais293.682 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1
 
ANÁLISE TEXTUAL \u2013 VERBOS, NOMES E TRANSITIVIDADE 
 
REGÊNCIA NOMINAL 
 
 
A seguir alguns substantivos e adjetivos cujas regências merecem atenção: 
 
Acessível a 
Acostumado a ou com 
Adequado a 
Alheio a 
Alusão a 
Análogo a 
Ansioso por 
Apologia de 
Apto a ou para 
Atenção a ou para 
Atento a ou em 
Ávido por 
Benéfico a 
Compatível com 
Consulta a 
Curioso de 
Desacostumado a ou 
com 
Desatento a 
Desejoso de 
Desfavorável a 
Desrespeito a 
Equivalente a 
Falta a 
Favorável a 
Fiel a 
Grato a 
Grudado a 
Guerra a 
Hábil em 
Habituado a 
Hostil a 
Ida a 
Impotente para ou 
contra 
Impróprio para 
Inábil para 
Inacessível a 
Incapaz de ou para 
Incompatível com 
Ingrato com 
Intolerante com 
Invasão de 
Junto a ou de 
Leal a 
Maior de 
Morador em 
Natural de 
Necessário a 
Necessidade de 
Nocivo a 
Obediente a 
Ódio a ou contra 
Odioso a ou para 
Oposto a 
Parecido a ou com 
Paralelo a 
Passível de 
Preferência a ou por 
Preferível a 
Prestes a ou para 
Pronto para ou em 
Propensão para 
Próprio de ou para 
Próximo a ou de 
Querido de ou por 
Residente em 
Respeito a ou por 
Semelhante a 
Simpatia por 
Simpático a 
Sito em 
Situado em 
Superior a 
União com ou entre 
Útil a ou para 
 
 
REGÊNCIA VERBAL 
 
 
ABDICAR. Pode significar renunciar, desistir. Pode ser um verbo intransitivo, transitivo direto ou 
transitivo indireto. 
 
Exemplos: 
O rei abdicou. (verbo intransitivo) 
Não abdicarei dos meus direitos. (verbo transitivo indireto) 
 
 
 
 
2
AGRADAR. No sentido de contentar, satisfazer é transitivo indireto. 
 
Exemplos: 
O jogo não agradou ao técnico da Seleção Brasileira. 
O convite não lhe agradou. 
 
 
AGRADECER. Pode aparecer como transitivo direto (\u2018agradecer\u2019 algo), transitivo indireto 
(\u2018agradecer\u2019 a alguém\u2019) e transitivo direto e indireto (\u2018agradecer\u2019 algo a alguém). 
 
Exemplos: 
 
Agradeci as flores. (verbo transitivo direto) 
 
Agradeci aos diretores. (verbo transitivo indireto) 
 
Agradeci o presente ao amigo. (verbo transitivo direto e indireto) 
 
 
AJUDAR. Aparece como transitivo direto (\u2018ajudar\u2019 alguém) e transitivo direto e indireto (\u2018ajudar\u2019 
alguém em algo; \u2018ajudar\u2019 alguém a fazer algo). 
 
Exemplos: 
 
Ela ajudava a meu pai. (verbo transitivo direto) 
 
Nós ajudávamos mamãe a arrumar a casa. (verbo transitivo direto e indireto) 
 
 
ASPIRAR. Será transitivo direto quando significar respirar e transitivo indireto no sentido de 
almejar, pretender, desejar ardentemente. 
 
Exemplos: 
Aspirou gás carbônico. 
Muitos aspiram a um mundo melhor. 
 
 
ASSISTIR. 
 
Transitivo direto com o significado de prestar assistência, ajudar, acompanhar um doente. 
 
Transitivo indireto com o significado de: 
 
a) presenciar, ver 
b) caber, pertencer. 
 
Intransitivo com o significado de morar, residir \u2013 pouco utilizado atualmente. 
 
Exemplos: 
 
O médico assistiu o doente. 
 
 
 
3
Nós assistimos ao jogo da seleção. 
 
Assiste aos políticos o bem-estar social. 
 
Paulo assiste no Recife desde 2005. 
 
 
 
CHAMAR. Será transitivo direto no sentido de convidar, convocar. 
 
Exemplo: Chamei o professor de matemática. 
 
Será transitivo indireto com a preposição \u2018por\u2019 com o sentido de \u2018invocar\u2019. 
 
Exemplo. Sua mãe chamou por Nossa Senhora naquele momento difícil. 
 Chamei por seu pai. 
 
No sentido de \u2018denominar\u2019 há construções como1: 
 
a) Chamei João de bobo. (Transitivo direto + predicativo do objeto) 
b) Chamei a João de bobo. (Transitivo indireto + predicativo do objeto) 
 
 
Caso o complemento (objeto direto ou indireto) esteja representado por um pronome oblíquo átono, 
teremos as seguintes construções: 
 
Chamei-o de bobo. (\u2018O\u2019 é o objeto direto; \u2018de bobo\u2019 é o predicativo desse objeto) 
 
Chamei-lhe de bobo. (\u2018Lhe\u2019 é o objeto indireto; \u2018de bobo\u2019 é o predicativo desse objeto) 
 
Chamei-o covarde. Chamei-lhe bobo. 
 
 
 
 
 
CHEGAR, IR, VIR, SAIR. São intransitivos quando seguidos de lugar com a preposição \u2018a\u2019 (e não 
em) na indicação de destino e \u2018de\u2019 na indicação de procedência. 
 
Pedem objeto indireto quando significam \u2018chegar, ir, vir, sair\u2019 de um lugar a, para, até outro lugar. 
 
Exemplos: 
 
Eles chegaram cedo. 
Ele ainda não chegou. 
Ele chegou de Brasília. (Transitivo indireto) 
 
1 É curioso que a sintaxe original seja \u2018Chamei João bobo\u2019 e \u2018Chamei a João bobo\u2019. No entanto, o português culto do 
Brasil prefere as formas presentes nas letras (a) e (b). 
 
 
 
4
 
 
 
Vou a São Paulo. 
Fui de São Paulo para a França. (Transitivo indireto) 
 
 
 
CUSTAR. Quando significa \u2018ser custoso, ser difícil\u2019 é transitivo indireto com a preposição \u2018a\u2019. No 
sentido de acarretar será transitivo direto e indireto. 
 
Exemplos: 
Aquele novo escândalo custou ao político. (\u2018Custar\u2019 a alguém) 
 
O escândalo custou-lhe a carreira. 
 
 
ENCONTRAR. 
a) É transitivo direto quando significa "achar, avistar". 
Exemplos: Ele encontrou a casa que tanto procurava. 
 Encontrei uma solução para o seu problema. 
 
b) É transitivo indireto, regido pela preposição \u2018com\u2019, no sentido de "deparar com alguém, ter 
ou marcar um encontro". 
Exemplo: Encontramos com ele no cinema. 
 
c) É pronominal com o sentido de "estar, achar-se em"; 
c1) Também é pronominal, mas com complemento preposicionado com o sentido de \u201creunir-se 
com alguém\u201d. 
Exemplos: O gerente disse que se encontrava em reunião. 
 Ele vai se encontrar com o diretor amanhã. 
 
 
ENSINAR. Na norma culta, esse verbo é considerado transitivo direto e indireto, regido pela 
preposição \u2018a\u2019. 
 
Exemplo: Ensinei português aos alunos. 
 
 
 
ESQUECER/ LEMBRAR. São transitivos diretos quando não são pronominais e aparecerem nos 
sentidos de cair no esquecimento e vir à lembrança. 
 
Exemplos: 
 
Ele esqueceu a carteira. 
Ele esqueceu que tinha trabalho. / Ele lembrou que tinha trabalho. 
 
A casa lembrava uma casa de campo. 
 
 
Serão transitivos indiretos se forem pronominais. 
 
 
5
 
Exemplos: 
Esqueci o nome da rua. / Esqueci-me do nome da rua. 
Lembrei um caso antigo. / Lembrei-me de um caso antigo. / 
Esqueceu-se de que tinha um livro em casa. 
Lembrou-me de que tinha um caso antigo. 
 
Cunha e Cintra (1985:514) afirmam que do cruzamento da estrutura do verbo transitivo indireto 
com o verbo pronominal, transitivo indireto, surgiu uma terceira construção, condenada pela norma 
culta. 
 
\u2018Ele esqueceu a carteira\u2019 + \u2018Ele se esqueceu da carteira\u2019= \u2018Ele esqueceu da carteira.\u2019 
 
 
 
IMPLICAR. 
a) Transitivo direto no sentido de 'trazer como consequência', 'acarretar'; 
b) Transitivo indireto com o sentido de 'mostrar-se impaciente', 'demonstrar antipatia'. 
c) Com o sentido de "comprometer" ou "envolver", é transitivo direto e indireto com a 
preposição \u2018em\u2019. 
 
Exemplos: 
 
Sua decisão implicou mudanças no texto final do trabalho. 
Ele implicava com todas as crianças. 
O senador implicou o empresário no crime. (Implicar alguém em alguma coisa) 
 
 
INFORMAR. Normalmente, é usado com dois complementos: um sem preposição (objeto direto) e 
outro com preposição (objeto indireto). Admite duas construções: informar alguma coisa \u2018a\u2019 alguém 
ou informar alguém \u2018de\u2019 (ou \u2018sobre\u2019) alguma coisa. 
 
Exemplos: 
 
Eles informaram o preço do carro ao cliente. 
Eles informaram o cliente sobre o preço do carro. 
 
Esta regra a respeito do verbo INFORMAR aplica-se também aos verbos AVISAR, CERTIFICAR, 
CIENTIFICAR, NOTIFICAR e PREVENIR. 
 
 
OBEDECER / DESOBEDECER. São transitivos indiretos e regidos pela preposição \u2018a\u2019. 
 
Exemplos: 
 
O motorista desobedeceu ao regulamento. 
 
Os juristas obedecem ao Código Civil. 
 
 
Apesar de serem verbos transitivos indiretos, segundo Cunha e Cintra (idem: 520). 
 
 
6
Exemplo. As leis são obedecidas. 
 
 
PAGAR / PERDOAR. Se o complemento denota coisa, deve ir sem preposição (objeto direto); mas 
se o complemento denota pessoa, deve
Maria
Maria fez um comentário
muito legal
0 aprovações
Carregar mais