PROCESSUAL_CIVIL
7 pág.

PROCESSUAL_CIVIL


DisciplinaDireito Processual Civil II5.360 materiais125.070 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Dicas de estudo 
 
DDIIRREEIITTOO  PPRROOCCEESSSSUUAALL  CCIIVVIILL  
Prof. Vicente de Paula Ataíde Junior 
 
 
50 LEMBRETES DE VÉSPERA 
 
1. Não se pode confundir as condições da ação \u2013 possibilidade jurídica do pedido, interesse 
processual e legitimidade das partes \u2013 com os elementos da causa \u2013 partes, causa de pedir e pedido. 
2. Competência é a \u201cmedida da jurisdição\u201d; competência absoluta é aquela que não pode ser 
modificada pela vontade da partes; por se tratar de matéria de ordem pública, a incompetência absoluta 
pode ser conhecida de ofício pelo juiz, a qualquer tempo, sendo fundamento, inclusive, para a ação 
rescisória; alega-se a incompetência absoluta por preliminar de contestação; competência relativa é 
aquela que pode ser modificada pela vontade das partes, pelo que o juiz não pode declarar, de ofício, a 
incompetência relativa (súmula 33 STJ); compete ao réu alegar, por meio de exceção, a incompetência 
relativa do juízo; caso a exceção de incompetência relativa não seja interposta no prazo legal, ocorre a 
prorrogação de competência. 
3. São critérios de competência absoluta: em razão da matéria, em razão da pessoa e a competência 
funcional; são critérios de competência relativa: territorial e valor da causa. 
4. A nulidade da cláusula de eleição do foro, em contrato de adesão, pode ser declarada de ofício pelo 
juiz, que declinará de competência para o juízo de domicílio do réu (art. 112, parágrafo único, CPC). 
5. Será competente a Justiça Federal nas causas em que a União, entidade autárquica federal ou 
empresa pública federal forem interessadas na condição de autoras, rés, assistentes ou opoentes, exceto 
as de falência, as de acidente de trabalho e as sujeitas à Justiça Eleitoral ou do Trabalho (art. 109, I, 
CF). 
6. É absoluta a competência dos Juizados Especiais Federais (60 salários-mínimos). 
7. É absolutamente competente o foro da situação da coisa, quando se tratar de ação real imobiliária 
(posse e propriedade de bens imóveis, como usucapião e ação reivindicatória) \u2013 art. 95 CPC. 
8. Legitimação ordinária: defender em nome próprio, interesse próprio; legitimação extraordinária 
(substituição processual): defender em nome próprio, interesse alheio (ex. sindicatos); representação: 
defender em nome alheio, interesse alheio (ex. tutor, pais no poder familiar). O representante não é parte. 
9. O rito sumário deve ser aplicado nas causas até 60 salários-mínimos ou cuja matéria esteja prevista 
no art. 275, II, CPC (ex. indenizações por acidente de trânsito em via terrestre). 
10. No rito sumário: (a) deve-se juntar o rol de testemunhas na petição inicial ou na contestação; se 
requerer perícia, deve-se indicar o nome do assistente técnico e os quesitos na petição inicial ou na 
contestação; (b) o réu é citado para comparecer à audiência de conciliação; entre a data da juntada aos 
autos do mandado de citação cumprido e a data da audiência deve haver o prazo mínimo de dez dias, 
dobrado para a Fazenda Pública; (c) a contestação será apresentada, inclusive na forma oral, na audiência; 
se o réu não comparecer à audiência será revel; na contestação pode haver pedido contraposto, pelo que 
não cabe reconvenção no rito sumário; (d) não cabe no rito sumário: ação declaratória incidental e 
intervenção de terceiros, salvo assistência, recurso de terceiro prejudicado e intervenção fundada em 
contrato de seguro (art. 280, CPC). 
11. Efeitos materiais da citação: constitui o devedor em mora e interrompe a prescrição; efeitos 
processuais da citação: torna prevento o juízo, induz litispendência e faz litigiosa a coisa (art. 219, 
CPC). A interrupção da prescrição retroagirá à data da propositura da ação. 
12. Meios de citação: correio, oficial de justiça, edital e meios eletrônicos. A citação por hora certa é 
forma de citação por oficial de justiça. 
13. Citação pessoal: correio, oficial de justiça e meios eletrônicos; citação presumida: hora certa e 
edital. Para o réu revel citado por edital ou por hora certa o juiz dará curador especial. 
Dicas de estudo 
 
14. Ocorrerá revelia quando o réu, devidamente citado, não contestar a ação; o efeito material da revelia 
é a presunção de veracidade dos fatos (art. 319, CPC); esse efeito não se aplica a direitos indisponíveis. 
15. Contra o revel que não tenha patrono nos autos, correrão os prazos independentemente de 
intimação, a partir da publicação de cada ato decisório. 
16. O Ministério Público e a Fazenda Pública têm prazo em dobro para recorrer e em quádruplo para 
contestar. 
17. Quando os litisconsortes tiverem diferentes procuradores, ser-lhes-ão contados em dobro os prazos 
para contestar, para recorrer e, de um modo geral, para falar nos autos. Mas, não se conta em dobro o 
prazo para recorrer, quando um só dos litisconsortes haja sucumbido (sum. 641 STF). 
18. São respostas do réu: exceções (incompetência relativa, impedimento e suspeição), contestação e 
reconvenção. As exceções de impedimento e suspeição também podem ser apresentadas pelo autor. As 
exceções suspendem o processo. 
19. A contestação e a reconvenção devem ser apresentadas simultaneamente, em peças separadas, 
juntadas nos mesmos autos e julgadas pela mesma sentença. Enquanto que a contestação é peça de defesa, 
a reconvenção é nova ação de conhecimento, conexa com a ação principal, proposta pelo réu contra o 
autor. 
20. A reconvenção é autônoma, pelo que se for extinto o processo principal, a reconvenção prossegue e 
será julgada sozinha. Não cabe reconvenção no rito sumário, nos juizados especiais, no processo cautelar 
e nas ações dúplices, como as possessórias. 
21. A ação declaratória incidental pode ser proposta pelo autor ou pelo réu e objetiva ampliar os limites 
objetivos da coisa julgada; não cabe no rito sumário; se extinta a ação principal, também é extinta a ação 
declaratória incidental. 
22. Cabe julgamento antecipado da lide quando houver revelia com efeito material (presunção de 
veracidade) ou quando não houver necessidade de produzir provas em audiência. 
23. A audiência preliminar visa à conciliação, saneamento do processo, fixação dos pontos 
controvertidos e deferimento das provas. É dispensável quando os direitos não admitirem transação ou 
quando esta for improvável. 
24. Quando a matéria controvertida for unicamente de direito e no juízo já houver sido proferida 
sentença de total improcedência em casos idênticos, poderá ser dispensada a citação e proferida 
sentença, reproduzindo-se o teor da anteriormente prolatada (art. 285-A, CPC). 
25. Sentença é o ato do juiz que implica alguma das situações dos arts. 267 (sentença terminativa) ou 
269 (sentença de mérito). Decisão interlocutória é o ato do juiz que resolve questão incidental, no curso 
do processo. Contra sentença cabe apelação, contra decisão interlocutória cabe agravo. 
26. São irrecorríveis as decisões do relator que, no agravo de instrumento, (a) converte-o em agravo 
retido ou (b) aprecia o efeito suspensivo ou a antecipação da tutela recursal. 
27. Das decisões interlocutórias proferidas na audiência de instrução e julgamento caberá agravo retido 
oral e imediato. 
28. O juiz não receberá a apelação quando a sentença estiver em conformidade com súmula do STF e 
STJ. Dessa decisão cabe agravo de instrumento. 
29. Constatando a ocorrência de nulidade sanável, o tribunal poderá determinar a realização ou 
renovação do ato processual, intimadas as partes; sempre que possível prosseguirá o julgamento da 
apelação. 
30. Cabem embargos infringentes quando o acórdão não unânime houver (a) reformado, em grau de 
apelação, a sentença de mérito, ou (b) julgado procedente a ação rescisória. 
31. O STF, em decisão irrecorrível, não conhecerá do recurso extraordinário, quando a questão 
constitucional nele versada não oferecer repercussão geral. Não há o pressuposto da repercussão geral 
no recurso especial (STJ). 
32. A prescrição será pronunciada de ofício pelo juiz. A decadência convencional não pode ser 
pronunciada de ofício. Prescrição