Carlos Alberto Marchi de Queiroz - Prática do Inquérito Policial
390 pág.

Carlos Alberto Marchi de Queiroz - Prática do Inquérito Policial


DisciplinaDireito Processual Penal I18.660 materiais138.274 seguidores
Pré-visualização50 páginas
ou deputado federal), por cometimento de infra-
ção penal inafiançável prevista no artigo ....... do Código Penal (ou lei espe-
cial), consoante cópia da peça flagrancial e demais documentos a este
encartados.
Reitero a Vossa Excelência os meus protestos de elevada estima e
distinto apreço.
.......................................
Delegado de Polícia
À Sua Excelência o Senhor Senador (ou Deputado Federal) ........................
Ilustre Presidente do Senado Federal (ou da Câmara dos Deputados) ..........
(local) ............................................................................................................
Brasília \u2013 DF.
\u2022 A comunicação de prisão em flagrante delito de parlamentares, v.g.,
deputados federais e senadores da República, dever da autoridade poli-
cial previsto pelo art. 53, § 1º, da Constituição Federal, materializa-se
através de ofício endereçado ao parlamentar presidente da respectiva
Casa, i. e., Câmara dos Deputados ou Senado Federal.
PRÁTICA DO INQUÉRITO POLICIAL 223
EXAME DE CORPO DE DELITO EM ESTADO DE DEFESA
(Art. 136, § 3º, I, da Constituição Federal)
Nome ............................................................................................................
Filiação .........................................................................................................
Doc. Ident. ....................... RG ........................................ Idade ....................
Est. Civil .................................... Sexo .............................. Cor ....................
Profissão .............................. Natural de .................... Estado ou País ..........
Resid. . ...........................................................................................................
Natureza do exame: exame de corpo de delito ..............................................
Flagrante? ........................................ Passou p/ PS ........................................
em ..... / ..... / ..... Internado em ......................................................................
em ..... / ..... / ..... Local de encontro do corpo ...............................................
Data ..... / ..... / ..... Hora ..... Remeter p/ ........................................................
........................................................................................................................
Cópia p/ ............................................................ BO ............... Inq. ...............
Delegacia de Polícia ......................................................................................
Obs. Histórico ou Material ...........................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
Data ..... / ..... / ..... Nome da autoridade ........................................................
........................................................................................................................
\u2022 O exame de corpo de delito em estado de defesa, previsto pelo art. 136,
§ 3º, I, da Constituição Federal, realiza-se através de requisição firmada
pela autoridade policial, endereçada ao Instituto Médico Legal, objeti-
vando a obtenção de resultados próprios de Medicina Forense.
PRÁTICA DO INQUÉRITO POLICIAL 225
A Autoridade Policial
e a Lei Antitóxicos
PRÁTICA DO INQUÉRITO POLICIAL 227
RELATÓRIO ANTITÓXICOS
(Art. 20 da Lei nº 6.368/76)
RELATÓRIO
Versam os presentes autos de inquérito policial sobre crime previsto
no artigo ....... (12 usque 17) da Lei nº 6.368/76, ocorrido em ....................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
........................................................................................................................
...................................................................................................... (histórico).
É o relatório, nos exatos termos do artigo 20 da Lei nº 6.368/76
combinado com o artigo 10, § 1º , do Código de Processo Penal.
...................., ..... de .................... de .....
........................................
Delegado de Polícia
\u2022 O relatório antitóxicos, peça procedimental de natureza processual penal
que encerra o inquérito policial, iniciado mediante portaria, ou auto de
prisão em flagrante delito, destina-se a apurar ilícitos penais tipificados
na Lei nº 6.368/76.
228 CARLOS ALBERTO MARCHI DE QUEIROZ
AUTO DE CONSTATAÇÃO DE SUBSTÂNCIA
DE NATUREZA TÓXICA
(Art. 22, § 1º, da Lei nº 6.368/76)
AUTO DE CONSTATAÇÃO
Aos ..... dias do mês de .............. do ano de ........., nesta cidade de
..................., na Delegacia de Polícia do ..............., à rua ...................., onde
se encontrava presente o Dr. ............., comigo, Escrivão de seu cargo, ao
final assinado, CONSIDERANDO o que determina o § 1º do art. 22 da Lei
nº 6.368/76, a fim de que se procedesse a exame de constatação de subs-
tância tóxica do material apreendido nesta data, por volta das ........ horas, à
.............., nesta cidade, a autoridade policial nomeou peritos os Srs.
.................... e .................., deferindo-lhes o compromisso de bem e fiel-
mente desempenharem a missão, determinando os exames necessários em
(descrever o produto da apreensão) e que respondessem aos quesitos
seguintes: AO PRIMEIRO \u2013 Qual a substância apresentada para exame?
AO SEGUNDO \u2013 Qual seu peso e características? AO TERCEIRO \u2013 Pelo
odor, cor e aparência, trata-se de substância entorpecente? Após os exames
realizados, passaram os srs. peritos a responder aos quesitos, como segue:
AO PRIMEIRO .................... AO SEGUNDO ................. AO TERCEIRO
.................. E, nada mais havendo, determinou a autoridade que se encer-
rasse o presente auto, que assina com os srs. peritos e comigo, ....................,
Escrivão que o datilografei.
Autoridade ..............................
1º Perito ..............................
2º Perito ..............................
Escrivão ..............................
\u2022 O auto de constatação de substância entorpecente, presidido pela autori-
dade policial, visa, obedecidas as cautelas legais, constatar a natureza do
entorpecente que determine dependência física ou psíquica do indiví-
duo, através de peritos não oficiais.
PRÁTICA DO INQUÉRITO POLICIAL 229
LAUDO DE CONSTATAÇÃO DE SUBSTÂNCIA
ENTORPECENTE
(Art. 22, § 1º, da Lei nº 6.368/76)
LAUDO DE CONSTATAÇÃO
Aos ..... dias do mês ........... do ano de ......, nesta cidade de ...............,
Estado
Oberdan
Oberdan fez um comentário
Obrigado
0 aprovações
Carregar mais