Freitas do Amaral - CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO
832 pág.

Freitas do Amaral - CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO


DisciplinaDireito Administrativo I50.044 materiais958.454 seguidores
Pré-visualização50 páginas
säo nomeados ou, entäo, eleitos por colégios eleitorais restri
itos
(locais, ou sectoriais). Quanto ao Governo - que, como vere-
mos, é simultaneamente um órgäo político e administrativo - é
nomeado, mas só pode imiciar as suas funçöes e manter-se nelas
se
a isso se näo opuser a Assembleia da República (CRP, arts.
193.'
e 198.').
 Mas a política e a administraçäo pública näo säo actividades
insensíveis urna à outra. Desde logo, a administraçäo pública
- em
qualquer regime e em qualquer época - sofre a influência
directa
47
da política: a administraçäo pública em democracia näo é
idêntica à
administraçäo pública em ditadura; e o âmbito, as funçöes e os
meios da administraçäo pública variam grandemente conforme a
opçäo política fundamental for de tipo liberal ou socialista.
 Em regra, toda a administraçäo pública, além de actividade
administrativa, é também execuçäo ou desenvolvimento de uma
política. Mas por vezes é a própria administraçäo, com o seu
espí-
rito, com os seus homens e com os seus métodos, que se impöe e
sobrepöe à autoridade política, por qualquer razäo
enfraquecido ou
incapaz, camído-se entäo no exercício do poder pelos
finícionários
 sítuaçäo a que Max Weber chamou burocracia (o governo dos
«bureaus») e J. K. Galbraith tecnocracia (o governo dos
técnicos).
 De resto, a distinçäo entre política e administraçäo pública,
se é clara e compreensível no plano das ideias, nem sempre é
fácil
de traçar no plano dos factos quotidianos: já porque o órgäo
supremo da adn-únistraçao e simultaneamente um orgäo político
fundamental - o Governo -, já porque os actos praticados no
exercício de ambas as actividades muitas vezes se confundem.
Pode, com efeito, haver actos políticos com mero significado
administrativo (por ex., a marcaçäo de uma eleiçäo na data de
há
muito habitual) e, ao invés, actos administrativos com alto
signifi-
cado político (por ex., a nomeaçäo de um novo governador civil
para um distrito politicamente perturbado)
 b) Legislaçäo e administraçäo pública
 Em nossa opiniäo, a funçäo legislativa encontra-se no
mesmo plano, ou ao mesmo nível, que a funçäo política @). De
 (1) Sobre política e administraçäo, cfr. PAOLO URio, Le role
politíque de
l'Administration Publique, Lausanne, 1984; W. THIEMIE,
Venvaltungslehre, p. 82;
C. DEBBASCH, Science administrativa, p. 52 a 54; e M@ BAENA
DEL ALcAzAR,
Curso de Gencia de Ia Administracion, 1, p. 23 e 362 e segs.
 (2) V, neste sentido AFONSO QUEIRó, «Actos de govemo» e
cotitencioso de
48
modo que as características apontadas há pouco para distinguir
esta última da administraçäo pública servem igualmente para
fir-
mar a distinçäo entre a administraçäo pública e a legislaçäo.
Na
verdade, também a legislaçäo define opçöes, objectivos, normas
abstractas, enquanto a administraçäo executa, aplica e pöe em
prática o que lhe é superiormente determinado.
 A diferença principal entre legislaçäo e administraçäo está
em que, nos dias de hoje, a administraçäo pública é uma
activi-
dade totalmente subordinada à lei: a lei é afundamento, o
critério e o
limite de toda a actividade administrativa.
 Há, no entanto, pontos de contacto ou de cruzamento entre
as duas actividades que convém desde já sublinhar brevemente.
 De uma parte, podem citar-se casos de leis que material-
mente contêm decisöes de carácter administrativo (por ex., uma
lei que concede uma pensäo de sangue extraordinária à viúva de
um militar morto em combate).
 De outra parte, há actos de administraçäo que material-
mente revestem todos os caracteres de uma lei, faltando-lhes
ape-
nas a forma e a eficácia da lei (por ex., os regulamentos
autó-
nomos), para 'à näo falar dos casos em que a própria lei se
deixa
completar por actos da Administraçäo (1).
 c) justiça e administraçäo pública
 Estas duas actividades têm importantes traços comuns:
ambas säo secundárias, executivas, subordinadas à lei. Mais
rele-
vantes, porém, säo os traços que as distinguem: uma consiste
em
julgar, a outra em gerir.
 A justiça visa aplicar o direito aos casos concretos, a
adrm'-
nistraçäo pública visa prosseguir interesses gerais da
colectividade,
anulaçäo, Coimbra, 1970, p. 18: «A funçäo legislativa e a
funçäo govemamen-
tal säo funçöes irmäs».
 (1) V. adiante a teoria do regulamento administrativo (Parte
11, Cap. 11).
49
 A justiça aguarda passivamente que lhe tragam os conflitos
so bre que tem de pronunciar-se; a admiruístraçäo pública toma
a
iniciativa de satisfazer as necessidades colectivas que lhe
estäo
confiadas. Ajustiça está acima dos interesses, é
desinteressada, näo
é parte nos conflitos que decide; a administraçäo pública
defende
e prossegue os interesses colectivos a seu cargo, é parte
interessada.
 Consequentemente, a justiça é assegurada por tribunais cujos
juizes säo independentes no seu julgamento e inamoviveis no
seu
cargo; pelo contrário, a administraçäo pública é exercida por
órgäos e agentes hierarquizados, de modo que em regra os
subal-
ternos dependem dos seus superiores, devendo-lhes obediência
nas decisöes que tomam e podendo ser transferidos ou removidos
livremente para lugar diverso.
 Também aqui as actividades frequentemente se entrecruzam,
a ponto de ser por vezes difícil distingui-Ias: a
administraçäo
pública pode em certos casos praticar actos
jurisdicionalizados
(por ex., certas decisöes punitivas, sancionatórias ou de
julga-
mento de recursos), assim como os tribunais comuns podem
praticar actos materialmente administrativos (por ex.,
processos de
«Jurisdiçäo voluntárias). Mas desde que se mantenha sempre
pre-
sente qual o critério a utilizar - material, orgânico ou
formal
a distinçäo subsiste e continua possível.
 Cumpre por último acentuar que do princípio da submissäo
da adrru'm'straçäo pública à lei, atrás referido, decorre um
outro
princípio, näo menos importante - o da subnuíssäo da adn-únis-
traçäo pública aos tribunais, para apreciaçäo e fiscalizaçäo
dos seus
actos e comportamentos. Voltaremos a este ponto um pouco mais
adiante.
 d) Conclusäo
 Se agora quisermos reformular e completar, à luz das últimas
consideraçöes expandidas, a definiçäo que acuina demos de
«admi-
 50
mstraçäo pública em sentido material ou objectivo», podemos
dizer
que ela é a actividade tI@íca dos organismos e indivíduos que,
sob a direc@äó
ou fiscalizaçäo do poder político, desempenham em nome da
colectividade a
tarefa de prover à satisf4äo regular e contínua das
necessidades colectivas de
segurança, cultura e bem-estar económico e social, nos termos
estabelecidos
pela legislaçäo aplicável e sob o controle dos tribunais
competentes.
 EVOLUÇÄO HISTóRICA
 DA
 ADMINISTP_AÇÄO PúBLICA
 7. Generalidades
 Como evoluiu, ao longo da história, a estrutura da Admi-
 Mstraçäo Pública e o conteúdo da actividade administrativa?
 Do ponto de vista estrutural, há quem apresente uma visäo
 símplificada das coisas afirmando que a evoluçäo histórica se
enca-
 nunhou do pequeno para o grande, do mirilimo para o ma3amo,
 de uma Admimistraçäo rudimentar para uma Administraçäo ten-
 tacular. A evoluçäo, numa palavra, teria sido linear,
constante e
 de tipo quantitativo - do menos para o mais, sempre a
 crescer (1).
 Do ponto de vista funcional, muitos autores há que, aposta-
 dos em sublinhar o contraste entre o século XIX e o século
XX,
 consideram que a evoluçäo se fez do liberal para o social, do
abs~
 tencionismo para o intervencionismo económico, do Estado-
 ~autoridade para o Estado-protecçäo, da Administraçäo como
 (1) Concepçäo citada por M. S. GIANNINI, Amministrazíone
Pubblica
 Premessa storica, in EdD, II, p. 231.
52
mero aparelho incumbido da execuçäo da lei para a Adminis-
traçäo como conjunto de entidades promotoras do bem-estar, do
Estado-guarda-nocturno para o Estado-providência
 Contudo, näo nos parece possível subscrever, pelo menos na
íntegra, semelhantes
Guilherme
Guilherme fez um comentário
Para quem não sabe, o Dr. Freitas do Amaral é um doutrinador português, pelo que, talvez, não possa ajudar muito aos colegas brasileiros (embora acredite que o bom estudante saberá sempre apreciar o conhecimento, especialmente vindo de um autor tão distinto). Abraço, bons estudos!
0 aprovações
Lara
Lara fez um comentário
É de que ano?
0 aprovações
Lara
Lara fez um comentário
Livro estranho...
0 aprovações
Hélder
Hélder fez um comentário
Não consigo baixar o livro de Curso de Direito Administrativo do Prof. Dr. Freitas do Amaral O que faço
2 aprovações
Carregar mais