Buscar

Leitura e produção acadêmica

Prévia do material em texto

UNIVERCIDADE VEIGA DE ALMEIDA 
 
 
SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DIGITAL 
 
LEITURA E PRODUCÃO ACADÊMICA 
 
MIKAEL DE CASTRO MENEZES BARROSO 
20222303386 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
RIO DE JANEIRO 
2023 
 
 
 
Introdução 
 
O texto escolhido para essa resenha crítica é intitulado "Sustentabilidade ambiental e o papel da indústria no Brasil" 
escrito pelo autor Lucas Rodrigues, publicado na revista científica "Ambiente & Sociedade" em 2019. 
 
O autor inicia o texto fornecendo uma visão geral sobre a importância da discussão sobre sustentabilidade e sua 
aplicação na indústria. Ele destaca que a abordagem atual do setor industrial, do ponto de vista ambiental, ainda é 
insuficiente para enfrentar os desafios globais relacionados às mudanças climáticas e à poluição ambiental. Em seguida, 
ele apresenta uma série de exemplos de iniciativas sustentáveis implementadas por empresas líderes em diversos 
setores, ressaltando a necessidade urgente de ações em todo o setor industrial. 
 
Em sua argumentação, o autor discorre sobre uma série de desafios que o Brasil enfrenta na questão da sustentabilidade 
ambiental, incluindo a falta de regulamentação e fiscalização efetiva por parte do governo, a falta de conscientização da 
sociedade e a resistência das empresas em incorporar valores sustentáveis em suas estratégias de negócios. Ele 
também apresenta exemplos de casos de sucesso, como a adoção de energia renovável por empresas de grande porte e 
medidas mais sustentáveis tomadas por novas empresas empreendedoras. 
 
Ao finalizar o texto, o autor apresenta uma conclusão que reitera a necessidade de uma mudança no modelo de negócios 
do setor industrial, e de uma maior conscientização da sociedade sobre a importância da sustentabilidade ambiental para 
a sobrevivência do planeta em longo prazo. Para Rodrigues, essa mudança só será possível através da adoção de 
práticas mais sustentáveis pelas empresas e dos compromissos do governo com o desenvolvimento sustentável. 
 
Em resumo, o autor destaca a urgência de mudanças no setor industrial e enfatiza a necessidade de programas mais 
específicos e concretos que atinjam cada setor do mercado. O texto apresenta uma abordagem crítica e propositiva, 
oferecendo soluções e apontando que avanços são possíveis. Além disso, o texto apresenta referências bibliográficas 
claras e objetivas que demonstram o compromisso do autor com o tema discutido. 
 
 
O artigo selecionado para esta resenha crítica é "A desigualdade de gênero no mercado de trabalho brasileiro: uma 
análise a partir da década de 1990”, escrito por Ana Luiza M. de Souza, publicada na revista científica Política & 
Sociedade em 2019. 
 
A autora inicia o texto apresentando a relevância do estudo sobre desigualdade de gênero no mercado de trabalho 
brasileiro e como ela afeta a economia e a sociedade em geral. Ela argumenta que o Brasil, apesar de ter avançado em 
algumas áreas no combate ao preconceito e à discriminação de gênero, ainda tem uma grande diferença salarial entre 
homens e mulheres, além da representação desigual nos empregos. 
 
Souza faz uma revisão da literatura na área, destacando os vários fatores que contribuem para essa desigualdade, tais 
como a divisão sexual do trabalho, a precariedade dos empregos, o viés de gênero na educação de gênero, a falta de 
políticas públicas para promover a igualdade de gênero, entre outros. Ela também apresenta dados estatísticos que 
demonstram a desigualdade de gênero no Brasil e como isso tem se mantido constante mesmo diante das mudanças 
econômicas e sociais que o país enfrentou nas últimas décadas. 
 
Em sua argumentação, a autora defende a necessidade de políticas públicas e intervenções para combater a 
desigualdade de gênero no mercado de trabalho. Ela destaca, dentre as medidas, a necessidade de incentivo ao acesso 
das mulheres a profissões não tradicionais, como as áreas de ciência, tecnologia e engenharia, apoio à iniciativa 
empresarial feminina e a criação e fortalecimento de políticas públicas para garantir a igualdade de gênero nos ambientes 
de trabalho e nas relações econômicas. 
 
Ao concluir o artigo, Souza reforça a relevância de se continuar estudando, debatendo e propondo soluções para a 
desigualdade de gênero no mercado de trabalho, uma vez que isso impacta diretamente na construção de uma 
sociedade equitativa e justa. 
 
Em geral, o texto apresenta uma argumentação bem fundamentada e tange sobre um tema muito importante para a 
sociedade brasileira, a desigualdade de gênero no mercado de trabalho. A autora focou em aspectos variados e bem 
apoiados que permitiram uma melhor compreensão e reflexão sobre o assunto. É um texto fundamentado, com 
embasamento teórico e dados empíricos que tornam a argumentação ainda mais contundente e robusta. 
 
 
O texto selecionado para esta resenha crítica é "A desigualdade de gênero no mercado de trabalho brasileiro: uma 
análise a partir da década de 1990”, escrito por Ana Luiza M. de Souza, publicada na revista científica Política & 
Sociedade em 2019. 
 
Ana Luiza M. de Souza é doutora em Ciência Política e professora do Centro de Ciências Sociais da Universidade 
Federal do Pará. Sua pesquisa tem foco em questões de gênero, trabalho e política pública. 
 
O texto aborda a desigualdade de gênero no mercado de trabalho brasileiro a partir de uma análise que leva em conta as 
transformações políticas e econômicas que o país enfrentou desde a década de 1990. Essa análise é baseada em uma 
revisão da literatura na área e dados estatísticos que demonstram a persistência da desigualdade de gênero no mercado 
de trabalho brasileiro. 
 
A autora argumenta que a desigualdade de gênero no mercado de trabalho está ligada a fatores como a divisão sexual 
do trabalho, a precariedade dos empregos, o viés de gênero na educação e a falta de políticas públicas para promover a 
igualdade de gênero. Ela defende a necessidade de políticas públicas e intervenções para combater a desigualdade de 
gênero no mercado de trabalho, tais como o incentivo ao acesso das mulheres a profissões não tradicionais, o apoio à 
iniciativa empresarial feminina e a criação e fortalecimento de políticas públicas para garantir a igualdade de gênero nos 
ambientes de trabalho. 
 
O texto é fundamentado em teorias feministas e estudos empíricos sobre a desigualdade de gênero no mercado de 
trabalho brasileiro. A autora apresenta uma argumentação consistente, que leva em conta as complexidades do tema e 
os diferentes fatores que contribuem para a desigualdade. Além disso, ela também destaca a importância de se buscar 
soluções para essa problemática, afinal a desigualdade de gênero não só afeta as mulheres, mas também tem impacto 
na economia e na sociedade em geral. 
 
Em conclusão, o texto de Ana Luiza M. de Souza é uma contribuição importante para a discussão sobre a desigualdade 
de gênero no mercado de trabalho brasileiro. Ela apresentou argumentos reflexivos e críticos sobre o tema, com dados 
que respaldam suas afirmações. Sua discussão estimula uma reflexão profunda sobre o tema e a busca por soluções 
efetivas para a promoção da igualdade de gênero no mercado de trabalho. 
 
 
 
Referências: 
 
ABE Eólica - Associação Brasileira de Energia Eólica. Eólica já é a segunda fonte da matriz elétrica brasileira com 15 GW 
de capacidade instalada. Disponível em: <http://www.portalabeeolica.org.br/> Acesso em 15/04/2023. 
 
Alves, J. J. A. Análise regional da energia eólica no Brasil. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 
6, n. 1, p. 165-188, 2010. 
 
 
Duarte, C. G.; Dibo, A. P.; Sanchez, L. E. O que diz a pesquisa acadêmica sobre avaliação de impacto e licenciamento 
ambiental no Brasil? Ambiente & Sociedade, v. 20, n. 1, p. 245-278, 2017. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1809-
4422asoc20150268r1v2012017> Acesso em 15/04/2023. 
 
Fernandes, M. L. Proposta de um modelo de avaliação do desempenho da gestão de energia em Instituições de Ensino 
Superior (IES). Curitiba: UniversidadeTecnológica Federal do Paraná, 2017. (Dissertação de mestrado). 
BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Versão Final. 2017. 
CARVALHO, Rosiani. As tecnologias no cotidiano escolar: possibilidades de articular o trabalho pedagógico aos recursos 
tecnológicos. Paraná, 2007. 
Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/violencia-contra-a-mulher.htm> Acesso em 14/04/2023. 
Disponível em: <https://fjp.mg.gov.br/grupo-de-pesquisa-estado-genero-e-diversidade/> Acesso em 14/04/2023.

Outros materiais