A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
A01a04_GovTI_WebAulas

Pré-visualização | Página 2 de 7

como as 
empresas estrangeiras com ações (American Depositary Receipt - ADR), negociados em bolsas norte-
americanas. 
O CEO e o CFO estão sujeitos a sanções pecuniárias de US$ 1.000.000 a US$ 5.000.000 e/ou 10 a 20 anos de 
reclusão, caso não atendam aos requisitos da Securities and Exchange Commission (SEC). 
Verifica-se na lei que as seções 302 e 404 são de especial importância para a área de TI. 
 
 
 
Como as informações financeiras e de resultados vêm de processos de negócio que geram fatos contábeis e 
financeiros para a empresa, praticamente todos os sistemas transacionais devem ser considerados quando se trata 
de SOX. 
Como já foi visto, existem algumas exigências legais e regulatórias que devem ser cumpridas para se obter uma 
boa governança corporativa. A ideia é criar um conjunto de mecanismos internos e externos eficientes, para 
assegurar que o comportamento dos executivos esteja sempre alinhado com o interesse dos acionistas. 
Como exemplo de mecanismos internos, cita-se: conselho de administração, sistema de remuneração, concentração 
acionária e atuação de investidores institucionais. E, para os mecanismos externos: proteção legal aos investidores, 
possibilidade de aquisição hostil e grau de competição no mercado, fiscalização dos agentes do mercado e estrutura 
de capital. 
 Dada a relevância do conselho de administração no processo de governança corporativa, segue a imagem como 
exemplo do modelo de governança do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), segundo Lodi (2000, 
p.25) citado por Albertin & Albertin (2010, p. 37). 
 
A empresa que utiliza as boas práticas de governança corporativa tem como referências a transparência, a prestação 
de contas, a equidade e a responsabilidade corporativa. Para tanto, o conselho de administração deve exercer seu 
papel, estabelecendo estratégias para a empresa, elegendo e destituindo o principal executivo, fiscalizando e 
avaliando o desempenho da gestão e escolhendo a auditoria independente. 
A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) desenvolveu uma lista de princípios de 
Governança Corporativa para promover periodicamente, em diversos países, mesas de discussão e avaliação dessas 
práticas. 
Como apoio para melhoria dos relatórios financeiros também existe o Committee of Sponsoring Organizations of the 
Treadway Commission (COSO), uma organização voluntária do setor privado que se dedica a orientar operações de 
negócios mais eficazes, eficientes e éticas. 
Para suportar tudo o que foi apresentado é fácil perceber o quanto a tecnologia da informação se tornou importante 
para a organização nas últimas décadas. TI passou a ser um elemento crítico como fonte de risco para a 
continuidade do negócio e teve que se reestruturar com um complemento de requisitos, criando seu modelo de 
governança alinhado ao negócio, podendo assim atender aos novos desafios de mercado e à legislação regulatória 
como, por exemplo, a lei SOX. 
Nesta aula, você: 
 Aprendeu o que é governança corporativa. 
 Conheceu a teoria do agente-principal. 
 Soube por que a governança corporativa está sendo cada vez mais utilizada nas empresas. 
 Conheceu a Lei Sabarnes-Oxley (SOX) e seus impactos na área de TI. 
 Aprendeu a identificar os mecanismos da boa governança corporativa. 
 Aprendeu a relacionar a governança de TI com a governança corporativa. 
 
Na próxima aula iremos abordar a importância da Tecnologia da Informação (TI) alinhada à Governança 
Corporativa. Saberemos o que é alinhamento estratégico e iremos conhecer os fatores críticos de sucesso para a TI 
manter o foco no negócio da empresa. 
 
Questões – Exercícios 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aula 2: Alinhamento de TI à Governança Corporativa 
Nesta aula, você irá: 
1. Saber a importância do alinhamento entre estratégia corporativa e TI. 
2. Conhecer a técnica do Balanced Scorecard (BSC). 
3. Saber o que é Governança de TI. 
4. Identificar as responsabilidades da Governança de TI. 
5. Relacionar a Governança de TI com modelos e ferramentas utilizadas. 
A importância do alinhamento entre estratégia corporativa e TI 
O fato de as organizações estarem enfrentando um mercado cada vez mais competitivo e globalizado vem fazendo 
com que necessitem de informações sob demanda e personalizadas, para ajudar na sua gestão de forma mais 
inteligente. No entanto, para que isto se torne uma realidade é necessário que o planejamento estratégico da área 
de Tecnologia da Informação esteja alinhado ao planejamento estratégico do negócio de forma coerente. A área de 
TI deve trabalhar com seus esforços voltados para as ações que possam agregar valor ao negócio da empresa, sendo 
flexível para acomodar as frequentes mudanças, antecipar informações, simular cenários e avaliar tendências. 
O alinhamento da área de TI com a área de negócio é o ingrediente principal para a criação da governança de TI sob 
a guarda da governança corporativa. 
 
Gestão estratégica baseada no Balanced Scorecard (BSC) 
Uma das técnicas utilizadas pelas empresas durante a criação de sua estratégia é o Balanced Scorecard (BSC). 
Através dele é possível criar um mapa estratégico para traduzir sua missão e visão, criando um conjunto abrangente 
de medidores de desempenho que serve de ajuda na gestão estratégica. Segundo Kaplan e Norton (2000), o foco 
fundamental do BSC é a medição de quatro perspectivas, conforme a imagem, onde qualquer medida selecionada 
deve fazer parte de uma cadeia de relações de causa e efeito que proporcione melhoria no desempenho 
financeiro. 
 
Na perspectiva Financeira o que normalmente se vê é a estratégia de crescimento, rentabilidade e risco do negócio. 
Os objetivos financeiros servem de foco para as perspectivas seguintes do BSC. Na perspectiva do Cliente, busca-se 
alinhamento de resultados, proporcionando satisfação, fidelidade, captação e lucratividade. Já na terceira 
perspectiva vem os Processos Internos, onde ocorre uma análise dos processos mais críticos, levando em 
consideração as duas primeiras perspectivas. A última perspectiva, denominada Aprendizado e Crescimento, oferece 
sustentação, suporte à mudança e inovação e o crescimento organizacional para as três primeiras perspectivas 
alcançarem seus objetivos. 
Na pasta de arquivos veremos um exemplo de aplicação do BSC através do mapa estratégico da empresa Xpto. 
 
O Que é Governança de TI 
 
 
 
De acordo com Weill & Ross (2006) uma boa governança de TI deve abordar as seguintes questões: 
Quais decisões devem ser tomadas para garantir a gestão e o uso eficazes de TI? 
Quem deve tomar essas decisões? 
Como essas decisões serão tomadas e monitoradas? 
O ITGI (2007) descreve a governança de TI como “responsabilidade dos executivos e da alta direção, consistindo em 
aspectos de liderança, estrutura organizacional e processos que garantam que a área de TI da organização suporte e 
aprimore os objetivos e as estratégias da organização”. 
Como a empresa consegue implementar controles na área de TI de forma que TI entregue as informações que a 
empresa precisa? 
Como a empresa gerencia os riscos e garante a segurança dos recursos de TI dos quais é tão dependente? 
Como a empresa assegura que a área de TI atinja os seus objetivos e atenda ao negócio? 
Ainda neste contexto, a governança de TI deve também: 
Manter TI alinhado ao negócio. 
Contemplar a continuidade do negócio contra interrupções e falhas. 
A governança de TI deve ser vista como parte da governança corporativa, de tal forma que agregue valor ao negócio, 
não permita investimento em projetos desalinhados com os objetivos da empresa e mantenha mecanismos de 
controle e gestão adequados. 
Responsabilidades da Governança de TI 
A implementação de uma governança de TI precisa ser estruturada de uma forma que facilite a definição dos papéis 
dos envolvidos e de suas responsabilidades. Com relação ao lado comportamental, deve