Buscar

FREUD o ENSINO e APRENDIZAGEM texto

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

Construa um texto embasado na teoria de Freud, sobre quais os aspectos 
que também devem ser levados em consideração na construção do 
conhecimento no ser humano. 
 
 
Segundo a teoria de Sigmund Freud, a construção do conhecimento 
humano ocorre por meio do funcionamento da sua cognição, a exemplo das 
linguagens, visto que lê, ouve, fala e pensa continuamente, sempre extraindo 
algo importante e aplicável em sua vida. 
O nível da mente consciente é tudo aquilo do que estamos percebendo 
racionalmente e intencionalmente no momento, no agora. 
Sobre as Estruturas da personalidade humana o Id, o Ego e o Superego 
são os três componentes da formação da personalidade. De forma bem 
resumida, se faz necessário destacar este contexto: 
ID é a fonte de energia psíquica e o aspecto da personalidade relacionado 
aos instintos, é tendo a estrutura da psique humana que fica na superfície. É a 
primeira que aparece na nossa vida e que rege nosso comportamento na 
primeira infância, buscando o prazer imediato, sendo guiado pelo instinto, e os 
impulsos mais primitivos da nossa essência, impulsos com os quais costumamos 
lutar todos os dias. 
EGO é o aspecto racional da personalidade responsável pelo controle dos 
instintos. 
Ao crescermos na fase entre 3 ou 4 anos, o conceito de realidade e nossa 
necessidade de sobreviver no meio que nos cerca vão aparecendo de forma 
gradativa, portanto, com o aumento desse “Ego” também aparece uma 
obrigação: de controlar diariamente o “Id” ou a realização de ações para 
satisfazer os impulsos de um modo aceitável e apropriado dentro da sociedade 
que estamos inseridos. 
SUPEREGO que é o aspecto moral da personalidade, produto das 
atitudes, dos valores e padrões recebidos dos pais e da sociedade. Superego é 
uma entidade psíquica que surge a partir da socialização, da pressão dos nossos 
pais, dos esquemas do contexto social que nos transmitem normas, padrões, 
guias de comportamento, pois ele tem um fim último muito específico: zelar pelo 
cumprimento das regras morais, propósito esse que não é fácil de realizar, 
devido aos impulsos do Id, que desconsidera a moral e que deseja satisfazer 
seus impulsos. 
 
Neste contexto, o conhecimento e a teoria freudiana mesmo com o 
notável esforço e espontaneidade devem ser levados em consideração, pois 
algumas vezes se aprende mesmo sem se desejar ou querer aprender, Freud 
defendia que o homem nunca alcançaria a totalidade de seus conhecimentos, 
sabendo de tudo, do meio interno ou externo, visto que o caráter constante do 
processo não permite isso. Segundo a psicanálise, ele corresponderia à menor 
parte da mente humana. Neste consciente está tudo aquilo que podemos 
perceber e acessar de forma intencional, sendo assim, um outro aspecto 
importante é que o consciente funciona de acordo com as regras sociais, 
respeitando tempo e espaço. Significando que é por meio dele que se dá a nossa 
relação com o mundo externo. 
Quando falamos sobre os estudos de Freud percebemos várias 
particularidades do mesmo, era judeu e ateu, é considerado o pai da psicanalise, 
e estabeleceu teorias como: 
✓ A existência do inconsciente e a influência deste sobre as ações humanas; 
o id, ego e superego, o desenvolvimento psicossexual e a ligação dos 
impulsos sexuais com as neuroses. 
✓ Também desenvolveu técnicas como interpretação dos sonhos e a fala, 
transferência e contratransferência como processo psicoterapêutico. 
Suas pesquisas trouxeram à luz a teoria psicanalítica, baseada em duas 
hipóteses: o inconsciente atua em nossa percepção consciente e muitas 
experiências passadas, principalmente as da infância, e que determinarão o 
padrão comportamental que a pessoa terá na vida adulta. 
As contribuições de Freud para os estudos acerca da compreensão 
humana são diversas e refletem no trabalho de muitos pensadores. 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 
JORGE, Marco Antonio Coutinho. Fundamentos da psicanálise de Freud a 
Lacan–Vol. 4: O laboratório do analista. Editora Schwarcz-Companhia das 
Letras, 2022. 
 
CARVALHO, Alexandre. Freud sem traumas. BOD GmbH DE, 2021.

Continue navegando

Outros materiais