Buscar

Mudanças no Financiamento do SUS

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Mudanças no Financiamento do SUS
Questão 1
Correto
Atingiu 20.00 de 20.00 ponto(s)
A partir da Constituição Federal de 1988 (CF/88), instaura-se o acesso à saúde integral como um direito social a todo cidadão e cidadã, devendo esse direito ser concretizado por meio do Estado. No âmbito do financiamento da saúde pública, houve mudanças importantes. Marque, a seguir, a opção que apresenta aspectos centrais do financiamento introduzidas pela criação do SUS na CF/88.
O financiamento das ações e serviços públicos de saúde passou a ter recursos oriundos das Caixas de Aposentadoria e Pensão (CAP) dos empregados formais, do Tesouro dos estados e do Orçamento da Seguridade Social (OSS).
O financiamento das ações e serviços públicos de saúde foi definido pela CF/88 como tripartite, sendo custeado pela arrecadação de impostos da União, estados e municípios, passando a integrar o Orçamento da Seguridade Social (OSS).
Com o SUS, o financiamento da saúde pública no Brasil passou a ser realizado com recursos oriundos das folhas de pagamento. Isso demarca o princípio solidário do sistema, que é sustentado por contribuições de empregados e empregadores.
A CF/88, ao criar o SUS, definiu que 30% de todos os impostos federais passariam a financiar a saúde pública no Brasil até a publicação da LOA. Estabeleceu ainda que, desse percentual, 10% poderia ser desvinculado para fins de manutenção do equilíbrio fiscal no país.
Sua resposta está correta.
Feedback:
Antes do SUS, quando o direito à saúde estava vinculado à inserção no mercado formal de trabalho, as ações e serviços de saúde eram financiadas com recursos oriundos das contribuições individuais nas folhas de pagamento. Com a criação do SUS, esse financiamento passou a ser tripartite, custeado pela arrecadação de impostos da União, estados e municípios, passando a integrar o Orçamento da Seguridade Social (OSS).
Questão 2
Correto
Atingiu 20.00 de 20.00 ponto(s)
O SUS tem 32 anos de existência marcados por inúmeros avanços, mas também muitos desafios a superar. Para entender a complexidade desse sistema, que é um dos maiores do mundo, é fundamental reconhecer importantes marcos regulatórios do seu financiamento, tal como a Lei n. 141/2012. De acordo com essa lei, ficou estabelecido que:
Municípios, estados e a União ajustarão os valores mínimos a serem aplicados anualmente no SUS ao no Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), a fim de atender ao Novo Regime Fiscal do país por vinte exercícios financeiros.
Municípios aplicarão anualmente, no mínimo, o correspondente a 15% da arrecadação de impostos, os estados 12% e a União 20%, a partir de acréscimos progressivos, considerando o exercício anterior e a variação da Receita Corrente Líquida (RCL) do país.
Municípios aplicarão anualmente, no mínimo, o correspondente a 15% da arrecadação de impostos e os estados 12%, mas não foi estabelecido piso para a União, deixando, mais uma vez, em aberto a participação federal no financiamento do SUS.
A participação da União no financiamento é determinada pela variação do PIB. Contudo, essa definição foi alterada pela EC-86 e, posteriormente, pela 95/2016, atrelando a variação ao Índice de Preços ao Consumidor (IPCA).
Sua resposta está correta.
Feedback:
O mínimo a ser aplicado anualmente por estados e municípios segue sendo regulamentado pela Lei 141/2012. Contudo, com a EC-95, o financiamento federal não está mais vinculado ao crescimento do PIB, como previa a Lei 141/2012. Assim, mesmo que haja crescimento econômico, isso não implicará mais recursos para a saúde.
Questão 3
Correto
Atingiu 20.00 de 20.00 ponto(s)
Leia a situação a seguir:
O Plano de Saúde do município Crajaú irá prever a realização de melhorias na estrutura física da rede básica de saúde. Ao todo, 13 Unidades de Saúde da Família serão reformadas sem que sejam ampliadas. Para tanto, a equipe de gestão da secretaria de saúde está considerando que esse gasto será identificado no orçamento do município como Estruturação da Rede de Serviços de Saúde, identificado para a Área da Atenção Primária. Sobre essa decisão que a equipe está prestes a tomar, à luz da Portaria 828/2020, pode-se afirmar que:
Está inadequada, pois reformas, ampliações e adequações de estruturas físicas em unidades já existentes enquadram-se no bloco de financiamento específico da AB, componente PAB-Fixo.
Está inadequada, pois no Bloco de Estruturação da Rede de Serviços de Saúde até podem ser enquadradas despesas de reforma, desde que ocorra ampliação do imóvel, o que não é o caso.
Está adequada, pois reformas e adequações de estruturas físicas em unidades já existentes enquadram-se no Bloco de Estruturação.
Está adequada, pois a identificação no orçamento para a Área da Atenção Primária condiz com a natureza da ação que será realizada (reforma de Unidades de Saúde da Família).
Sua resposta está correta.
Feedback:
A equipe deve prever o gasto com as reformas no orçamento referente ao Bloco de Manutenção das Ações e Serviços Públicos de Saúde, destinado exclusivamente à manutenção das condições de oferta e continuidade da prestação das ações e serviços públicos de saúde, inclusive para financiar despesas com reparos e adaptações, como consertos, revisões, pinturas, instalações elétricas e hidráulicas, reformas e adaptações de bens imóveis etc., sem que ocorra a ampliação do imóvel.
Questão 4
Correto
Atingiu 20.00 de 20.00 ponto(s)
A organização dos repasses financeiros do Fundo Nacional de Saúde, a serem transferidos fundo a fundo em dois blocos de financiamento, separou o fluxo orçamentário do fluxo financeiro. Isso permite que os gestores tenham maior flexibilidade na aplicação dos recursos disponíveis para a saúde.
Sobre a aplicação dos recursos transferidos por meio do Bloco de Manutenção das Ações e Serviços Públicos de Saúde e do Bloco de Estruturação da Rede de Serviços de Saúde, à luz da Portaria 828/2020, pode-se afirmar que:
Os seis blocos de financiamento anteriores engessavam a tomada de decisão da gestão local. Com os novos blocos, os gestores podem definir as áreas de aplicação dos recursos, livres da obrigação de identificação das áreas e dos níveis de atenção priorizados.
Ainda que os municípios não precisem vincular seus orçamentos às áreas, garantindo maior flexibilidade da aplicação dos recursos, para fins de transparência, as transferências federais serão identificadas por nível de atenção ou área de aplicação.
Ainda que os municípios não precisem vincular seus orçamentos às áreas, garantindo maior flexibilidade à gestão, as transferências federais serão divulgadas no sítio eletrônico do Conselho Nacional de Saúde (CNS), para fins de transparência e monitoramento.
A aplicação dos recursos a partir dos novos blocos, de modo flexível, fica condicionada a um maior detalhamento do orçamento dos municípios do que o que era realizado anteriormente, com identificação de Programas de Trabalho mais específicos.
Sua resposta está correta.
Feedback:
Para fins de transparência, registro de série histórica e monitoramento, as informações sobre as transferências de recursos federais aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios para o custeio e investimento em ações e serviços públicos de saúde serão divulgadas no sítio eletrônico do FNS/SE/MS, sendo organizadas e identificadas por grupos relacionados ao nível de atenção ou à área de atuação.
Questão 5
Correto
Atingiu 20.00 de 20.00 ponto(s)
A partir do Previne Brasil, o cadastro do usuário passa a ser o elemento fundamental para a realização do componente capitação ponderada. Entre os aspectos a serem considerados, está o elemento vulnerabilidade socioeconômica. Dentro dos critérios de vulnerabilidade apontados no Previne Brasil estão:
Pessoas que somente recebam benefício previdenciário no valor de até três salários-mínimos, independente do cadastramento em programas sociais.
Pessoas cadastradas e beneficiárias somente do Benefício de Prestação Continuada (BPC) que recebam benefício previdenciário no valor de até dois salários-mínimos.
Pessoas cadastradase beneficiárias do BPC, do Programa Bolsa Família ou que recebam benefício previdenciário no valor de até dois salários mínimos.
Pessoas cadastradas e beneficiárias apenas do Programa Bolsa Família (PBF) e que recebam benefício previdenciário no valor de até dois salários-mínimos.
Sua resposta está correta.
Feedback:
Os elementos que compõem a vulnerabilidade socioeconômica da população cadastrada na equipe de Saúde da Família (eSF) e na equipe de Atenção Primária (eAP) são os três apontados: pessoas cadastradas e beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada, do Programa Bolsa Família ou que recebam benefício previdenciário no valor de até dois salários mínimos.

Outros materiais