Buscar

Delirium

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

Delirium
INTRODUÇÃO ……………………………………………..
→ Diagnóstico sindrômico que caracteriza um
início agudo de disfunção cerebral com
mudança ou flutuação no estado mental
inicial, falta de atenção e pensamento
desorganizado ou um nível de consciência
alterado
→ Está associado a maior mortalidade e
acontece principalmente em idosos
→ Estima-se que 29-64% dos pacientes idosos
internados apresentam delirium, chegando a
87% nos pacientes em UTI
→ Está associado também àmaior morbidade
(mais tempo de internação, mais tempo de
ventilação mecânica, pior comprometimento
cognitivo)
→ Muitas vezes o delirium é a única
manifestação de uma situação patológica
grave
FISIOPATOLOGIA …………….………………………..
→ A fisiopatologia do delirium ainda é
complexa e pouco compreendida, mas
sabe-se que é pautada na manifestação
cerebral de uma doença sistêmica
Ocorre insulto isquêmico
↓
Gera inflamação
↓
Liberação de citocinas
↓
Gera disfunção endotelial
↓
Culminam com neuroinflamação
↓
Desorganizam a neurotransmissão cerebral
→ A diminuição do metabolismo oxidativo
cerebral e a ativação colinérgica disfuncional
induzem ao declínio da atividade cortical do
cérebro pelo estado inflamatório causador
→ Os neurotransmissores responsáveis pelas
alterações do delirium são acetilcolina e
dopamina:
FATORES DE RISCO …………….…………………..
Idade avançada
Demência
Delirium prévio
Debilidade cognitiva, auditiva ou visual
Grande quantidade de comorbidades
Drogas e alcoolismo
Paciente em polifarmácia
→ Pacientes com demência, por terem níveis
mais baixos de acetilcolina
→ Pacientes em polifarmácia, como:
- Uso de anticolinérgicos (dramin, buscopan,
antidepressivos), pois reduzem acetilcolina
cerebral
- Uso de medicamento para Parkinson
(drogas dopaminérgicas)
- Uso de diazepínicos, principalmente em
infusão contínua utilizado em sedação de
pacientes em UTI
- Opióides
FATORES PREDISPONENTES……………..
→ Paciente pós-operatório ou em internação
hospitalar podem predispor ao
desenvolvimento de delirium
→ Infecções é o principal fator predisponente
de delirium no paciente idoso
→ Alterações metabólicas como
hipo/hiperglicemia, hipo/hipernatremia,
também podem predispor ao quadro
→ Alteração do sono, muito comum na
internação
→ Imobilização
CLASSIFICAÇÃO …………….…………..……………..
DELIRIUM HIPERATIVO: cursa com agitação,
agressividade, hiperalerta, impaciência
DELIRIUM HIPOATIVO: letargia, sonolência,
apáticos
DELIRIUM MISTO: é a forma mais comum de
apresentação (ora hipoativo ora hiperativo)
QUADRO CLÍNICO ……………………………..…….
Alteração aguda do
estado mental
Períodos de melhora e
piora dos sintomas
Paciente desatento Pensamento
desorganizado
Alteração de memória Despertáveis pela voz
→ Alteração aguda do estado mental, ou seja,
horas a dias
→ Flutuação do estado mental (períodos de
melhora e períodos de intensificação dos
sintomas)
→ Déficit de atenção (paciente desatento,
dificuldade em estabelecer uma conversa)
→ Pensamento desorganizado
→ Alteração de memória
→ Alteração do nível de consciência
→ Os pacientes costumam encontrar-se
sonolentos e despertar ao chamado
→ Alucinações podem estar presentes, mas
não é um sintoma tão frequente
DIAGNÓSTICO ……………………………..…,..........….
→ É clínico! (anamnese e exame físico)
OBS.: como o paciente em delirium não é bom
informante, a conversa com o familiar ou
acompanhante é de extrema importância para
questionar como é o seu estado cognitivo e mental
basal, e se as alterações são mesmo agudas.
→ Exame físico: deve ser completo, focado no
neurológico para identificar alguma causa e
diagnóstico diferencial
→ Instrumentos validados:
- CAM-ICU* - mais utilizado
- DSM V
- ICDSC
- Cognitive Test For Delirium
- Delirium Symptom Interview
CONFUSION ASSESMENT METHOD
CAM-ICU
1- Alteração aguda
ou flutuação no
estado mental
Houve algumamudança
no estado mental basal
OU houve alguma
flutuação no estado
mental nas últimas 24
horas?
Se não = não é delirium!
Se sim = análise o critério 2
2- Desatenção Solicitar ao paciente
“Aperte minha mão
quando eu disser a letra
A” e ler a sequência de
letras S A V E H A A R T
ERRO: não apertou a mão na
letra A ou apertar em outra
letra
Se errar até 2 vezes = não é
delirium!
Se errar 3 vezes ou mais =
análise os próximos
critérios
3- Alteração no
nível de
consciência
RASS atual (-5 a +4)
4- Pensamento
desorganizado
Faça perguntas sem
sentido e veja a resposta
do paciente ou
Peça para ele repetir
alguns comandos como
levantar os dedos das
mãos
Diagnóstico: critério 1 e 2 obrigatórios +
critério 3 OU 4
INVESTIGAR A CAUSA ………………..........….
→ A causa mais comum é a infecção:
- Devemos realizar screening infeccioso
com exame de urina, radiografia de
tórax, hemograma, PCR, etc
→ Pesquisar distúrbios hidroeletrolíticos:
- Hipo/hipernatremia
- Hipercalcemia
- Hipo/hiperglicemia
→ Pesquisar disfunção orgânica:
- Disfunção renal (Ur, Cr, TFG)
- Disfunção hepática (BD, TGO, TGP, Alb)
→ Uso de drogas:
- Anticolinérgicos
- Dopaminérgicas
→ Neuroimagem:
- Se faz desnecessária na rotina para
diagnosticar causa do delirium
- Está indicada quando:
1) Quando não encontrou outra causa
para o delirium
2) Se tratar a causa encontrada e o
paciente não melhorou
3) Paciente apresenta outros
sintomas neurológicos como déficit
focal, convulsões, rigidez de nuca
DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS ......….
→ Importante excluir os diagnósticos
diferenciais de delirium como demência e
depressão ou psicose
DELIRIUM DEMÊNCIA DEPRESSÃO
OU PSICOSE
Início agudo insidioso agudo ou
insidioso
Curso flutuante crônico
progressivo
pode ser
crônico
Duração dias a
semanas
meses a
anos
semanas a
meses
Atenção prejudicada usualmente
preservada
pode estar
prejudicada
TRATAMENTO ……………………………..…,..........…..
Bases do tratamento:
Controle dos fatores de risco
Correção da etiologia = tratar a causa
Controle sintomático
→ Medidas não farmacológicas:
- Corrigir distúrbio do sono
- Tirar o paciente precocemente do leito
(reduzir imobilização)
- Orientar o uso de prótese auditiva e
ocular caso necessite
- Evitar uso de drogas que aumentam o
estado de delirium
- Controle da dor
→ Controle dos sintomas:
- Antipsicóticos para controle da
agitação
ANTIPSICÓTICOS:
Haloperidol 0,5-2mg
8/8h ou 12/12h
Quetiapina 25-50mg
1 vez ao dia
PREVENÇÃO .....................................................….
→ ABCDEF para prevenção de delirium na
internação:
A Avalie e previna a dor, trate ativamente
B Faça teste de respiração espontânea e
despertar diário da sedação
C Escolha correta da medicação
D Monitore o delirium diariamente com
alguma ferramenta
E Mobilização precoce
F Aproxime os familiares com o paciente
@futuradraminghe - Laura Minghe - TXXIX

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes