Buscar

Fibromialgia- INTERNATO

Prévia do material em texto

Quadro clinico: FIBROMIALGIA
· Dor difusa e crônica 
· Fadiga
· Rigidez matinal 
· Sono não reparador 
· Alterações cognitivas 
· Distúrbio temporomandibular (menos comum)
· Cafelia (menos comum)
· Ansiedade e depressão
· Alterações intestinais
Diagnóstico:
· Índice de dor generalizada (Widespread Pain Index – WPI) maior ou igual a 7 e pontuação da escala de severidade dos sintomas (Symptom Severity – SS) maior ou igual a 5 OU WPI entre 3 a 6 e pontuação da escala de SS maior ou igual a 9;
· Os sintomas devem estar presentes em um nível similar por no mínimo 3 meses;
· Dor difusa em pelo menos 4 das 5 regiões, não valendo dor na mandíbula, no toirax e abdome. 
· O paciente não deve ter outra condição de saúde que explicaria a dor.
WPI:
Índice que avalia a dor generalizada nos últimos 7 dias do paciente, varia entre 0-19, apara haver relevância no diagnostico tem que estar maior que 7. 
Escala de Severidade dos Sintomas (SS)
            A Escala de Severidade dos Sintomas resulta em uma pontuação que é obtida pela soma da gravidade dos três sintomas principais: fadiga, sono não reparador e sintomas cognitivos e da gravidade dos sintomas somáticos gerais. Para haver relevância no diagnostico deve ser maior ou igual a 5. 
Além disso, pode averiguar sintomas somáticos gerais, como: dor muscular, síndrome do intestino irritável, cansaço, problemas de pensamento ou memória, fraqueza, entre outros. Os mais avaliados durante os últimos 6 meses são:
Alguns instrumentos podem ser utilizados para diagnosticar a fibromialgia, são estes:
· FIQR: avalia o quanto a doença impacta na realização de funções no dia a dia, impacto global e sintomas 
· Escala polis sintomática de angustia: é calculado através da soma do WPI e SS para classificar o paciente com a doença, sendo: NENHUM (0-3); LEVE (4-7); MODERADA (8-11); GRAVE (12-19); MUITO GRAVE (20-31)
· Eva: escala de intensidade da dor de 0-10 
· HAS: desenvolvida para encontrar sintomas de ansiedade e depressão, possuindo 14 itens para avaliando, quando encontramos pontuações de: 0-7 IMPROVAVÉL; 8-11 POSSÍVEL; MAIOR QUE 12 CASOS PROVAVÉIS. 
TRATAMENTO:
Não farmacológico: atividade física de baixa intensidade (caminhada); TCC em casos de paciente com ansiedade e depressão, acupuntura, liberação miofacial e yoga. 
Farmacológica: 
· Antidepressivos tricíclicos (amitriptilina 10-50mg e nortripitilina): em pacientes que tem dificuldades para dormir. 
· Relaxante muscular (ciclobenzaprina 10-30mg): em pacientes que tem dificuldades para dormir. 
· Inibidores seletivos de receptação da serotonina (fluoxetina): melhora da dor associado a sintomas ansiosos e depressivos 
· Antidepressivos duais (duloxetina e venvalexia): melhora da dor crônica 
· Anticonvulsivante (pregabalina e gabapentina): devido a atividade cerebral mais fortes e maiores reações ao estimulo da dor. 
· Opioides (tramadol): alivio de dor intensa moderada e grave, possui ação central.