Buscar

PEÇA TRABALHISTA MODELO

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Peça 2
O empregado Darcy, brasileiro, casado, contador, CTPS nº 00020, Série 0042-MA, residente em 
São Paulo, trabalha na empresa Feitoria Ltda., com sede em Campinas-SP. Admitido no dia 
20/08/2019, somente foi registrado no dia 02/02/2020. Presta serviços de segunda a sábado, das 
8h00 às 18h00, com uma hora de intervalo para refeição e descanso. Darcy está com quatro 
meses de salários atrasados.
Questão: Como advogado de Darcy, promova a medida judicial cabível perante o foro 
competente, pleiteando o que de direito para o seu cliente.
AO JUÍZO DA ....VARA DE TRABALHO DE CAMPINAS-SP
Darcy, brasileiro, casado, contador, data de nascimento, nome da mãe, RG , CPF, CTPS nº 
00020, Série 0042-MA, PIS, residente na cidade de São Paulo, CEP, por seu advogado que esta 
subscreve procuração anexa, endereço completo/CEP, vem, à presença de Vossa Excelência, 
com fulcro no art. 840, § 1º, da CLT, c/c o art. 319 do CPC, propor a presente RECLAMAÇÃO 
TRABALHISTA, pelo procedimento ..................., em face de Feitoria Ltda., pessoa jurídica de 
direito privado, CNPJ, com sede na cidade de Campinas-SP, CEP, pelos fundamentos de fato e 
de direito a seguir explanados:
DOS FATOS
O Reclamante foi contratado pela Reclamada em 20/08/2019 para exercer a função de 
contador. Trabalhava de segunda a sábado, das 8h00 às 18h00, com uma hora de intervalo para 
descanso e refeições. No entanto, o Reclamante somente foi registrado em 02/02/2020 e, 
atualmente, está com 4 (quatro) meses de salários atrasados.
DO PERÍODO TRABALHADO SEM REGISTRO NA CARTEIRA DE TRABALHO
Como relatado, o Reclamante foi contratado pela Reclamada em 20/08/2019 e 
somente houve registro em sua CTPS no dia 02/02/2020. Nessa temática, o art. 29, caput, do 
Diploma Consolidado vaticina que a CTPS será obrigatoriamente apresentada, contra recibo, pelo 
trabalhador ao empregador que o admitir, o qual terá o prazo de 05 (cinco) dias para nela anotar, 
especificadamente, a data de admissão, a remuneração e as condições especiais, se houver, 
sendo facultada a adoção de sistema manual, mecânico ou eletrônico, conforme instruções a 
serem expedidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego.
Durante o aludido período sem registro, nos termos dos arts. 2º, caput, e 3º, caput, da 
CLT, estavam preenchidos todos os requisitos caracterizadores (elementos fático-jurídicos ou 
pressupostos) da relação de emprego. 
Desse modo, requer o Reclamante que a Reclamada seja condenada à retificação da 
data de admissão em sua CTPS, passando a ser considerado o dia 20/08/2019 para todos os fins 
de direito, sob pena de ser efetuada pela Secretaria da Vara, conforme art. 39 da CLT. Requer 
ainda, os depósitos fundiários e as contribuições previdenciárias.
DOS SALÁRIOS ATRASADOS E DA RESCISÃO/DESPEDIDA INDIRETA
Como relatado, há quatro meses a Reclamada não efetua o pagamento dos salários 
dos funcionários. Dessa forma, a empresa Reclamada, encontra-se em mora, constituindo 
inequívoco descumprimento do contrato individual de trabalho.
Não há dúvidas de que o salário do empregado é considerado uma verba alimentar, 
sendo de fundamental importância na vida do trabalhador. Tendo em vista a natureza alimentar 
dos salários, o art. 483, “d”, da CLT estabelece que, nas hipóteses de descumprimento das 
obrigações contratuais por parte do empregador, o empregado poderá ajuizar reclamação 
trabalhista pleiteando a rescisão indireta do contrato de trabalho com fundamento na mencionada 
falta grave/justa causa patronal.
Outrossim, o art. 2º, § 1º, do Dec.-lei n. 368/1968 prevê a mora contumaz, que é o 
atraso ou a sonegação de salários devidos aos empregados, por período igual ou superior a 3 
(três) meses, sem motivo grave e relevante, excluídas as causas pertinentes ao risco do 
empreendimento.
Com efeito, prevalece o entendimento na doutrina e na jurisprudência de que a mora 
contumaz consubstancia uma das hipóteses de descumprimento do contrato individual de 
trabalho, ensejando a possibilidade de despedida indireta.
Portanto, requer o Reclamante seja reconhecida a rescisão indireta do contrato de 
trabalho com a condenação da Reclamada ao pagamento de todas as verbas rescisórias (saldo 
de salário, incluindo os 4 meses em atraso, aviso prévio indenizado, décimo terceiro, férias 
proporcionais + 1/3, multa 40% sobre o FGTS). Requer ainda, a liberação das guias SD (seguro 
desemprego) e TRCT (Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho).
DO CABIMENTO DAS HORAS EXTRAS E REFLEXOS
O Reclamante trabalhava de segunda a sábado, das 8h00 às 18h00, com uma hora de 
intervalo para descanso e refeição, perfazendo um total de 54 (cinquenta e quatro) horas 
semanais.
O art. 7º, XIII, da CF determina que a duração do trabalho normal não poderá exceder 
a 8 (oito) horas diárias e 44 (quarenta e quatro) horas semanais. Ademais, o mesmo art. 7º, em 
seu inc. XVI, prevê o adicional de hora extra de, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) sobre a 
hora normal. No caso em tela, o Reclamante ultrapassava a duração de trabalho semanal em 10 
(dez) horas extras, sem o respectivo pagamento.
Pelo exposto, requer seja a Reclamada condenada ao pagamento de 10 (dez) horas 
extras semanais com os devidos reflexos em saldo de salário, aviso-prévio, 13º salário, descanso 
semanal remunerado, férias acrescidas do terço constitucional e FGTS com a indenização 
compensatória de 40% (quarenta por cento).
III – DOS PEDIDOS
Por todo o exposto, requer o Reclamante a procedência dos pedidos abaixo elencados:
a) a condenação da Reclamada ao pagamento de 4 (quatro) salários atrasados;
b) que seja reconhecida a rescisão indireta do contrato individual de trabalho com a condenação 
da Reclamada ao pagamento das respectivas verbas salariais e rescisórias, quais sejam:
b.1 – Saldo de salário
b.2 – Aviso-prévio indenizado
b.3 – 13º salário proporcional
b.4 – Férias proporcionais acrescidas do 1/3 constitucional
b.5 – FGTS de 8% sobre período sem registro
b.6 – Multa de 40% sobre saldo depositado no FGTS
b.7 – Entrega das guias SD e TRCT sob pena de conversão em indenização substitutiva, nos 
termos da Súmula 389 do TST
b.8 – Multa do art. 467 da CLT
c) a condenação da Reclamada na retificação da CTPS do Reclamante, alterando sua data de 
admissão para 20/08/2019, sob pena de ser executada pela Secretaria da Vara;
d) a condenação da Reclamada ao pagamento das horas extras decorrentes do excesso da 
duração do trabalho semanal e seus reflexos.
Requer, também, a notificação da Reclamada para que, querendo, compareça em 
audiência e apresente sua defesa, sendo que o não comparecimento importará na revelia e 
confissão quanto à matéria de fato.
Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos, em 
especial prova documental, testemunhal, pericial e outras mais que se fizerem necessárias e que 
desde já ficam requeridas.
Requer, ainda, a condenação da Reclamada em Honorários Advocatícios 
Sucumbenciais, nos termos do art. 791-A da CLT, fruto da Reforma Trabalhista (Lei n. 
13.467/2017).
Por fim, requer a concessão do Benefício da Justiça Gratuita, nos termos do art. 790, § 
3º, da CLT, declarando não estar em condições de arcar com custas e despesas processuais 
sem prejuízo próprio e de sua família (fazer este pedido apenas se o problema trouxer dados, por 
exemplo, que o empregado está desempregado e/ou passando por dificuldades financeiras).
Dá-se à causa o valor de R$ _______
Nestes termos,
pede deferimento.
Local e data.
Advogado
OAB n.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes