Buscar

321423820-Livro-eBook-Completo-70-410

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 344 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 344 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 344 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Microsoft, Active Directory, AppLocker, Bing, BitLocker, DreamSpark, Hyper-V, Internet Explorer, 
SQL Server, Visual Studio, Win32, Windows Azure, Windows, Windows PowerShell, Windows 
Server, and Windows Vista são marcas registradas ou marcas da Microsoft Corporation nos 
Estados Unidos e/ou em outros países. 
Outros nomes de produtos e de empresas mencionados no livro podem ser marcas registradas 
de seus respectivos donos. 
Os nomes de empresas, organizações, produtos, nomes de domínio, endereços de e-mail, logos, 
pessoas, lugares e eventos retratados aqui são fictícios. Nenhuma associação com empresa, 
organização, produto, nome de domínio, endereço de e-mail, logo, pessoa, lugar ou evento é 
intencional ou deve ser inferido. Qualquer semelhança é mera coincidência. 
O livro expressa as opiniões e pontos de vista do autor. A informação contida nesse livro é 
provida sem nenhuma garantia expressa, estatutária ou implícita. Nem o autor nem a Microsoft 
Corporation serão responsabilizados por quaisquer danos causados ou alegados de terem sido 
causados diretamente ou indiretamente por este livro.
 3 
Índice 
1- Instalar e Configurar Servidores ..................................................................................... 4 
1.1 - Instalando Servidores .................................................................................................... 4 
1.2- Configurar Servidores ................................................................................................... 20 
1.3- Configurar armazenamento local ............................................................................... 39 
2 – Configurando Funções e Recursos de Servidor ..................................................... 69 
2.1 - Configurar acesso a arquivos e compartilhamentos .......................................... 69 
2.2 – Configurar serviços de impressão e documentos .............................................. 91 
2.3 – Configurar Servidores para Gerenciamento Remoto ....................................... 112 
3 – Configurar o Hyper-V .................................................................................................... 125 
3.1- Criar e configurar máquinas virtuais ...................................................................... 125 
3.2 – Criar e Configurar Armazenamento de Máquina Virtual .................................. 149 
3.3 – Criar e Configurar Redes Virtuais .......................................................................... 165 
4- Implantar e Configurar Serviços de Rede Essenciais ........................................... 183 
4.1 – Configurar endereçamento IPv4 e IPv6 ................................................................ 183 
4.2 – Configurar Servidores ............................................................................................... 203 
4.3 – Instalar e Configurar o serviço DNS ...................................................................... 220 
5 – Instalar e Administrar o Active Directory. ............................................................... 240 
5.1 – Instalar Controladores de Domínio ....................................................................... 240 
5.2 – Criar e Gerenciar Usuários e Computadores do Active Directory ................ 258 
5.3 – Criar e Gerenciar Grupos e Unidades Organizacionais (OU) do Active 
Directory ............................................................................................................................. 277 
6 – Criar e Gerenciar Políticas de Grupo ....................................................................... 294 
6.1 – Criar Objetos de Políticas de Grupo ..................................................................... 294 
6.2 – Configurar Políticas de Segurança ........................................................................ 305 
6.3 - Configurar políticas de restrição de aplicação .................................................. 321 
6.4 – Configurar o Firewall do Windows ........................................................................ 331 
 
 4 
1- Instalar e Configurar Servidores 
Instalar novos servidores Windows na sua rede não deve ser algo feito por 
acaso, você deve planejar a instalação com antecedência. Entre outras coisas 
você deve decidir se vai instalar a interface gráfica (GUI) completa ou se vai 
usar a opção Server Core (pode ser traduzida aproximadamente como 
somente linha de comando), qual será a sua estratégia de virtualização, e quais 
funções você pretende implementar no servidor. Se você está instalando o 
Windows Server 2012 R2 pela primeira vez num hardware, você também 
precisa decidir se vai colocá-lo no seu ambiente de produção ou em um 
ambiente de testes. 
Este artigo discute o processo de instalação do Windows Server 2012 R2 
usando a opção de nova instalação e de atualização além das configurações 
que você vai precisar fazer logo após a instalação. Por fim, considera a 
configuração de vários tipos de diferentes tecnologias de discos (HD’s) usados 
para armazenamento local e a implementação de funções em servidores por 
todo o seu ambiente. 
Objetivos deste capítulo: 
1. Instalar Servidores 
2. Configurar Servidores 
3. Configurar armazenamento local 
 
1.1 - Instalando Servidores 
Instalação é um tópico chave e sempre foi muito testado em exames anteriores 
do Windows Server. O que continua no exame 70-410. Este item discute o 
planejamento da instalação do Windows Server 2012 R2. Aborda os requisitos 
de pré-instalação e como você pode preparar seu hardware para instalação. 
Também considera as funções de servidor que você pode implementar durante 
a instalação. 
Para revisar os tópicos deste item, esta seção irá passar por uma instalação do 
Windows Server 2012 R2 com a opção Server Core e descreverá como os 
Recursos sob Demanda (em inglês Features on Demand) te permite otimizar 
recursos removendo todos os arquivos relacionados com funções e recursos 
de servidor. Este item também aborda as opções existentes para atualizar um 
servidor rodando o Windows Server 2008 ou Windows Server 2008 R2 para o 
Windows Server 2012 R2 e como migrar funções em um servidor em produção 
para um servidor novo. 
 
 5 
 
Planejando uma instalação de servidor 
Em versões anteriores ao Windows Server 2008 R2, o planejamento de uma 
instalação podia ser uma tarefa bem complexa. Você tinha que decidir 
intuitivamente qual edição do sistema operacional instalar, se iria usar a versão 
32 ou 64 bits, e se iria instalar o servidor no modo Server Core ou se usaria a 
interface gráfica completa. Todas essas decisões afetavam os requisitos de 
hardware e cada uma delas era irrevogável. Para mudar a edição, a plataforma 
ou a interface, você tinha que reinstalar o servidor do zero. 
Com o Windows Server 2012, você tem bem menos opções para escolher e 
bem menos decisões de instalação para fazer. Desde o Windows Server 2008 
R2, não existe mais a opção 32 bits; apenas a versão 64 bits está disponível, 
refletindo o fato de que a maioria das aplicações mais populares são 64 bits e 
que as configurações de servidores modernos estão em hardware que requer 
64 bits. Existem 4 opções do Windows Server 2012 R2 para escolher, duas a 
menos que o Windows Server 2008 R2. As opções Server Core e Interface 
gráfica completa (full GUI) permanecem, junto com uma terceira opção 
chamada Interface Mínima de Servidor. Entretanto, agora é possível trocar 
entre essas opções sem ter que reinstalar o servidor em cada vez. 
Selecionando uma edição do Windows Server 2012 R2 
A Microsoft lança todos os seus sistemas operacionais em várias versões, que 
entregam aos clientes várias opções de preços com diferentes conjuntos de 
recursos. Quando estiver planejando uma implementação de servidor, a edição 
do sistema operacional que você escolher deve se basear em diversos pontos, 
incluindo os seguintes: 
 As funções que você pretende instalar; A estratégia de virtualização que você pretende implementar; 
 A estratégia de licenciamento que você planeja usar. 
Comparado ao Windows Server 2008, a Microsoft simplificou o processo de 
escolha de uma edição de servidor reduzindo o número de produtos 
disponíveis. Assim como o Windows Server 2008 R2, o Windows Server 2012 
R2 requer um processador com arquitetura de 64 bits. Todas as versões 32 bits 
foram eliminadas e os processadores Itanium não são mais suportados. Isto 
deixa o Windows Server 2012 R2 com as seguintes edições: 
 Windows Server 2012 R2 Datacenter. A edição Datacenter foi 
desenhada para servidores grandes e potentes com até 64 
processadores e inclui funcionalidades de tolerância a falhas como 
suporte a adicionar processadores “a quente” (hot add), ou seja, sem 
desligar o servidor. Como resultado, essa versão só está disponível 
 6 
através do programa Microsoft de licenciamento por volume e é 
incorporada em servidores OEM (de fabricantes parceiros). 
 Windows Server 2012 R2 Standard. A edição Standard inclui todos os 
recursos disponíveis do Windows Server 2012 R2, diferindo da versão 
Datacenter apenas no número de máquinas virtuais (virtual machine – 
VM) permitidas pela licença. 
 Windows Server 2012 R2 Essentials. A edição Essentials inclui quase 
todos os recursos disponíveis nas versões Datacenter e Essentials, não 
inclui a opção Server Core, o gerenciador de virtualização Hyper-V e os 
serviços de Federação do Active Directory. A edição Essentials em uma 
única instância seja ela física ou virtual e para no máximo 25 usuários. 
 Windows Server 2012 R2 Foundation. A edição Foundation é uma 
versão reduzida do sistema operacional; foi desenhada para pequenos 
negócios que precisam apenas dos recursos básicos de servidor como 
serviços de arquivos e de impressão e suporte à aplicações. A edição 
Foundation vem pré-instalada no hardware de novos servidores, não 
inclui direito à virtualização e é limitada a 15 usuários. 
O preço de cada edição é proporcional aos recursos disponíveis. Obviamente o 
objetivo dos administradores que planejam a implementação de um novo 
servidor é de adquirir a edição com o maior custo-benefício que preencha as 
suas necessidades. As próximas sessões irão examinar as diferenças 
principais entre as versões do Windows Server 2012 R2. 
Suporte à Funções de Servidor 
O Windows Server 2012 R2 inclui combinações pré-definidas de serviços 
chamadas Funções, as quais implementam funcionalidades comuns de 
servidor. Computadores rodando o sistema operacional Windows Server 2012 
R2 podem executar uma grande variedade de tarefas, usando tanto o software 
incluso no produto quanto aplicações de terceiros. Depois que você instala o 
Windows Server 2012 R2, você pode usar o Gerenciador do Servidor ou o 
Windows Powershell para instalar um ou mais funções neste servidor. 
Algumas das edições do Windows Server 2012 R2 incluem todas as funções 
disponíveis, enquanto que outras incluem apenas parte destas. Selecionar a 
edição do Windows Server 2012 R2 mais apropriada sempre foi uma questão 
de antecipar as funções que o servidor deve realizar. Um tempo atrás esse era 
um processo relativamente simples. Você planejava suas implementações 
decidindo quais servidores seriam controladores de domínio (domain 
controllers - DC), quais seriam servidores de certificados, quais usariam o 
cluster tolerante à falhas (failover cluster) e assim por diante. Uma vez tomadas 
essas decisões você estava pronto porque as funções de servidor eram na sua 
maioria estáticas. 
 7 
Com o aumento do foco em virtualização no Windows Server 2012 R2, 
entretanto, mais administradores são forçados a considerar não somente quais 
funções um servidor deve realizar no momento da implantação mas também 
quais funções o servidor pode ter de realizar no futuro. 
Usando servidores virtualizados você pode modificar a estratégia do seu 
servidor de rede como desejar para acomodar cargas de trabalho dinâmicas e 
requisitos de negócio ou se adaptar à circunstâncias imprevistas. Sendo assim, 
o processo de antecipar as funções que um servidor irá realizar deve levar em 
conta uma possível expansão do negócio além de possíveis necessidades 
emergenciais. 
 
Suporte à Virtualização 
As edições Windows Server 2012 R2 Datacenter e Standard incluem suporte 
ao Hyper-V, porém cada versão difere no número de VM’s permitidas por sua 
licença. Cada instância rodando do Windows Server 2012 R2 pode ser 
classificada como um ambiente de sistema operacional físico ou virtual. 
Quando você compra uma licença do Windows Server 2012 R2, você pode 
efetuar uma instalação física do sistema operacional como sempre. Após 
instalar a função do Hyper-V você pode criar VM’s e realizar instalações 
virtuais. O número de instalações virtuais permitidas por sua licença depende 
da edição que você comprou conforme tabela abaixo. 
Edição Instâncias físicas Instâncias virtuais 
Datacenter 1 Ilimitadas 
Standard 1 2 
Essentials 1(física ou virtual) 1(física ou virtual) 
Foundation 1 0 
 
Lembrete: As limitações da tabela acima se referem à licença e não ao 
software em si, você pode criar mais de 2 VM’s na edição Standard do 
Windows Server 2012 R2, porém você deve comprar licenças adicionais para 
estar legalizado. 
 
Dica de exame: O exame 70-410 contém questão sobre licenciamento onde 
você terá que descobrir quantas cópias do Windows serão necessárias para 
um número particular de maquinas virtuais no Hyper-V e qual versão do 
Windows atenderia aos requisitos mantendo o maior custo-benefício 
 
 
 8 
Licenciamento de Servidores 
A Microsoft provê diversos canais de vendas para licenças do Windows Server 
2012 R2, e nem todas as edições estão disponíveis em todos os canais. 
Licenciar o Windows Server 2012 R2 inclui comprar licenças para os servidores 
e clientes, e existem diversas opções para cada um. 
Se você já tem um acordo de licença com a Microsoft, você já deve estar ciente 
das edições que estão disponíveis para você neste acordo. Se você não 
souber, deve procurar se informar antes de decidir por uma edição de servidor. 
A tabela abaixo mostra os canais de venda que você pode usar para comprar o 
Windows Server 2012 R2. 
 Varejo 
Licenciamento 
por Volume 
Fabricantes - 
OEM 
Datacenter Não Sim Sim 
Standard Sim Sim Sim 
Essentials Sim Sim Sim 
Foundation Sim Não Sim 
 
Requisitos de Instalação 
As especificações mínimas de hardware para o Windows Server 2012 R2 são: 
o Processador 64 bits de 1.4 Ghz 
o 512MB de memória RAM 
o 32GB de espaço em disco disponível 
o Monitor que suporte resolução 1024x768 ou superior 
o Teclado e mouse 
o Acesso à Internet 
 
32GB de espaço em disco deve ser considerado como o mínimo absoluto. A 
partição de sistema irá precisar de espaço extra se você instalar o sistema a 
partir da rede ou se tiver mais de 16GB de memória RAM instalada. O espaço 
adicional é necessário para a paginação, hibernação e arquivos de despejo. Na 
prática dificilmente você irá ver um computador com 32GB de RAM e apenas 
32GB de espaço em disco. Caso aconteça você deve liberar mais espaço em 
disco ou então investir em mais hardware de armazenamento. 
Como parte da ênfase crescente da Microsoft em virtualização e computação 
na nuvem em seus produtos de servidor, ela aumentou significativamente as 
capacidades máximas de hardware gerenciado pelo Windows Server 2012 R2 
como você pode perceber abaixo. 
 9 
 Windows Server 2012 R2 Windows Server 2008 R2 
Processadores 640 256 
Memória RAM 4 TB 2 TB 
Nós de cluster 64 16 
 
Escolhendo uma opção de instalação 
Muitas redes empresariais hoje em dia usam servidores dedicados a uma 
função específica. Quando um servidor está realizando apenas uma função, 
não faz sentido ter outros processos rodando que não participam em nada ou 
quase nada nesta função. No Windows Server 2012 R2 existem opções de 
instalaçãoque permitem aos administradores manterem os recursos 
desnecessários instalados no mínimo. 
Usando o Server Core 
O Windows Server 2012 R2 inclui uma opção de instalação que minimiza a 
interface do usuário num servidor. Quando você seleciona a opção de 
instalação do Server Core, você instalará uma versão reduzida do sistema 
operacional. Não possui o menu Iniciar, nem o explorer, nem nenhum console 
MMC e praticamente nenhuma aplicação gráfica. Tudo o que você vê quando 
inicia o sistema é uma tela de prompt de comando como na imagem abaixo. 
 
O Server Core não é um produto separado ou edição do Windows Server. É 
uma opção de instalação incluída nas versões Standard e Datacenter do 
Windows Server 2012 R2. 
 10 
Existem várias vantagens em usar a opção Server Core: 
 Conservação de recursos de hardware. O uso do Server Core elimina 
alguns dos elementos que usam mais processador e memória no 
Windows Server 2012 R2, permitindo que esses recursos sejam usados 
pelos serviços que realmente importam. 
 Espaço em disco reduzido. O Server Core requer menos espaço em 
disco para os elementos instalados do sistema operacional além de 
precisar de menos espaço de swap, os quais maximizam a utilização 
dos recursos de armazenamento do servidor. 
 Frequência de patches reduzida. Os elementos gráficos do Windows 
Server 2012 R2 estão entre os mais atualizados, então usando o Server 
Core os administradores tem um número reduzido de atualizações para 
aplicar. Menos atualizações implica em menos reinicializações e por 
consequência maior tempo em operação. 
 Superfície de ataque reduzida. Quanto menos software estiver 
rodando no computador, menor é o número de pontos de entrada para 
hackers atacarem. O Server Core reduz as potenciais aberturas 
apresentadas pelo sistema operacional, aumentando assim a 
segurança. 
Na primeira vez que a Microsoft apresentou o Server Core no Windows Server 
2008, a ideia mostrou-se intrigante, mas poucos administradores aproveitaram-
se dela. A razão principal para isso é que a maioria dos administradores não 
estavam suficientemente acostumados com a interface de linha de comando 
que é usada para gerenciar o Windows Server sem uma GUI. 
No Windows Server 2008 e no Windows Server 2008 R2, a decisão de instalar 
o sistema operacional usando o Server Core não poderia ser revertida 
posteriormente. Uma vez instalado o sistema operacional na opção Server 
Core, não existia como voltar a usar a interface de usuário completa sem 
passar por uma nova instalação. Essa situação está totalmente mudada no 
Windows Server 2012 e Windows Server 2012 R2. Agora você pode mudar 
entre as opções Server Core e interface de usuário completa de acordo com 
sua necessidade, usando apenas comandos do Powershell. 
Entraremos nos detalhes desta operação nos posts seguintes desta série 
quando falarmos sobre “Configurar Servidores”. 
Esta habilidade significa que o administrador pode instalar o Windows Server 
2012 R2 normalmente com a interface de usuário completa, configurar o 
servidor todo com as ferramentas gráficas que já está acostumado e depois de 
tudo pronto só trocar para a opção Server Core antes de colocar o servidor em 
produção para aproveitar das vantagens listadas anteriormente. 
 
 11 
Padrões do Server Core 
No Windows Server 2012 R2, o Server Core é a opção de instalação padrão 
por razões além de simplesmente permitir o administrador trocar de opção 
após a instalação. No Windows Server 2012 R2, a Microsoft está tentando 
mudar fundamentalmente o jeito que os administradores trabalham em seus 
servidores. Server Core é a opção padrão agora pelo fato de que no novo jeito 
de gerenciar servidores, os administradores deveriam raramente ter que 
trabalhar no console do servidor, seja fisicamente presente ou remotamente. 
O Windows Server tem sido capaz de administração remota a muito tempo, 
porém essa capacidade era fragmentada. Alguns consoles MMC (Microsoft 
Management Console) permitiam os administradores conectarem a outros 
servidores remotamente e o Windows Powershell 2.0 proveu alguma 
capacidades de acesso remoto a partir da linha de comando, mas o Windows 
Server 2012 R2, pela primeira vez, inclui ferramentas completas para 
administração remota que praticamente eliminam a necessidade de trabalhar 
no console do servidor. 
A nova aplicação de Gerenciador do Servidor no Windows Server 2012 R2 
permite que os administradores adicionem servidores de toda a organização e 
criem grupos de servidores para facilitar a configuração simultânea de vários 
servidores. O novo Windows PowerShell 4.0 aumenta o número de cmdlets 
(comandos do Powershell) de 230 para mais de 2 mil. 
Com ferramentas como essas, você pode instalar seus servidores na opção 
Server Core, executar alguns comandos para adicionar cada servidor ao 
domínio do Active Directory e então nunca mais tocar no console do servidor 
novamente. Você pode realizar todas as tarefas de administração 
subsequentes, incluindo a instalação e configuração de funções e 
funcionalidades, através do Server Manager (Gerenciador do Servidor) e do 
Powershell. 
 
Capacidades do Server Core 
Além de omitir a maior parte da interface gráfica, uma instalação Server Core 
omite algumas funções de servidor encontradas na versão com interface 
completa. Entretanto, a opção Server Core do Windows Server 2012 R2 inclui 
12 das 19 funções, mais o suporte ao SQL Server 2012, em comparação as 10 
funções disponíveis no Windows Server 2008 R2 e 9 no Windows Server 2008. 
A tabela abaixo mostra as funções e recursos que estão e as que não estão 
disponíveis numa instalação Server Core do Windows Server 2012 R2. 
 
 12 
 
Funções disponíveis no Server 
Core 
Funções indisponíveis no Server 
Core 
Serviços de Certificado do Active 
Directory 
Serviços de Federação do Active 
Directory 
Serviços de domínio do Active 
Directory 
Servidor de Aplicação (obsoleto) 
Serviços de Diretório do Active 
Directory Lightweight 
Servidor de Fax 
Active Directory Rights Management 
Services 
Serviços de Acesso e Política de 
Rede 
Servidor DHCP Gateway de Área de Trabalho 
Remota 
Servidor DNS Host da Sessão da Área de Trabalho 
Remota 
Serviços de arquivo e 
armazenamento 
Acesso via Web à Área de Trabalho 
Remota 
Hyper-V Serviços de ativação de volume 
Serviços de Impressão e Documentos Serviços de Implantação do Windows 
Acesso Remoto 
Servidor Web (IIS) 
Windows Server Update Services 
 
Interface Mínima de Servidor 
Se as vantagens do Server Core parecem tentadoras, mas existem algumas 
ferramentas de administração que você não quer largar, o Windows Server 
2012 R2 possui uma 3ª opção de interface chamada Interface Mínima de 
Servidor. 
A Interface Mínima de Servidor é uma configuração que remove a maioria dos 
elementos que exigem mais hardware da interface gráfica. Estes elementos 
incluem o Internet Explorer e os componentes do shell do Windows, incluindo a 
Área de trabalho (Área de trabalho), o Explorador de arquivos e os aplicativos 
de área de trabalho do Windows 8. No painel de controle também são omitidos 
itens implementados como extensões do shell, incluindo os seguintes: 
 Programas e Recursos; 
 Central de Rede e Compartilhamento; 
 Dispositivos e Impressoras; 
 Vídeo; 
 Firewall; 
 Atualização do Windows; 
 Fontes 
 Storage Spaces. 
 13 
O que resta na Interface Mínima de Servidor é o Gerenciador do Servidor, o 
MMC, o Gerenciador de Dispositivos e a interface completa do Windows 
Powershell. Isto prove aos administradores com a maioria das ferramentas que 
precisam para gerenciar servidores locais e remotos. 
Para configurar uma instalação do Windows Server 2012 R2 com a interface 
completa para a Interface Mínima de Servidor, você deve remover o recurso 
Shell Gráfico do Servidor através do Powershell ou do Assistente Remover 
funções e recursos dentro do Gerenciador doServidor conforme imagem 
abaixo. 
 
Recursos sob Demanda 
Durante uma instalação do Windows Server 2012 R2, o programa de instalação 
copia os arquivos de todos os componentes do sistema operacional da mídia 
de instalação para um diretório chamado WinSxS, que se refere à loja de 
componentes lado a lado. Isso serve para você poder ativar qualquer recurso 
incluído no Windows Server 2012 R2 sem precisar fornecer uma mídia se 
instalação. 
O único problema com esta abordagem é que o diretório WinSxS ocupa 
permanentemente 5GB de espaço em disco, muito do qual na maioria dos 
casos nunca será usado após a implantação inicial do servidor. 
Com o uso crescente de VM’s para distribuir as funções de servidor, redes 
corporativas normalmente tem mais cópias do sistema operacional do que 
 14 
jamais antes tiveram, e por consequência tem mais espaço em disco 
desperdiçado. Além disso, as tecnologias avançadas de armazenamento 
usadas nas infraestruturas atuais, como as redes locais de armazenamento 
(storage área network – SAN) e discos de estado sólido (SSD), estão fazendo o 
espaço em disco ficar mais caro. 
Recursos sob Demanda, apresentado no Windows Server 2012, é um terceiro 
estado para cada recurso no Windows Server 2012 R2. Nas versões anteriores 
ao Windows Server 2012, os recursos poderiam estar apenas habilitados ou 
desabilitados. Recursos sob Demanda agora permite 3 estados: Habilitado, 
Desabilitado e Desabilitado com Carga Removida. 
Para implementar esse terceiro estado, você deve usar o comando Poweshell 
(cmdlet) Unistall-WindowsFeature, que agora tem um novo flag (parâmetro) –
Remove. Sendo assim o comando Powershell para remover o Shell Gráfico do 
Servidor junto com todos os seus arquivos do diretório WinSxS seria: 
Uninstall-WindowsFeature Server-Gui-Shell -Remove 
Uma vez deletados os arquivos de um recurso do diretório WinSxS eles não 
estão irrecuperáveis. Se você tentar habilitar esse recurso novamente, o 
sistema irá descarregá-lo do Windows Update, ou, alternativamente, copiá-lo 
de um arquivo de imagem que você especificar informando o parâmetro –
Source com o comando Unistall-WindowsFeature, Isso te permite recuperar os 
arquivos de um disco removível ou arquivo de imagem na rede. Você também 
pode usar Políticas de Grupo para especificar uma lista de origens de 
instalação. 
Essa habilidade de descarregar arquivos fonte de outro local na rede é 
especificamente o que a Microsoft se refere como Recursos sob Demanda. A 
Microsoft geralmente usa esse método para diminuir o tamanho das 
atualizações baixadas pela Internet. Quando o usuário instala a atualização, o 
programa descarrega os arquivos adicionais necessários e completa a 
instalação. 
 
Atualizando Servidores 
Uma atualização in-loco (no próprio servidor que está em operação) é a forma 
mais complicada de instalação do Windows Server 2012 R2. É também a mais 
demorada e com maior probabilidade de causar problemas durante a 
instalação. Sempre que possível, a Microsoft recomenda que os 
administradores executem uma nova instalação ou migrem as funções, 
aplicações e configurações necessárias. 
 15 
Embora instalações in-loco normalmente terminem sem problemas, a 
complexidade do processo de atualização e o grande número de variáveis 
envolvidas significam que muitas coisas podem dar errado. Para minimizar os 
riscos envolvidos, é importante que você leve a sério o processo de 
atualização, prepare o sistema antecipadamente e tenha a habilidade de 
resolver quaisquer problemas que possam aparecer. 
 
Caminhos de atualização 
Os caminhos de atualização do Windows Server 2012 R2 são limitados. Na 
verdade, é mais fácil dizer quando você pode fazer a atualização do que 
quando você não pode. Se você tem um computador 64 bits rodando o 
Windows Server 2008 ou Windows Server 2008 R2 você pode atualizar para o 
Windows Server 2012 R2 desde que você escolha a versão apropriada. 
O Windows Server 2012 R2 não suporta os seguintes casos: 
 Atualizar versões anteriores ao Windows Server 2008 
 Atualizar a partir de versões pré-RTM do Windows Server 2012 R2 
 Atualizar a partir de versões área de trabalho do Windows 
 Atualização entre plataformas, como um Windows Server 2008 32 bits 
para o Windows Server 2012 R2 (que é 64 bits) 
 Atualização a partir de versões para o processador Itanium 
 Atualização de sistemas usando linguagens diferentes 
Em qualquer destes casos o programa de instalação não permitirá que a 
instalação continue. 
 
Preparando para uma atualização 
Antes de começar uma atualização no próprio servidor que está rodando uma 
versão anterior do Windows Server para o Windows Server 2012 R2, você 
deve realizar um número de procedimentos preliminares para garantir que o 
processo se desenrole tranquilamente e que os dados sejam protegidos. 
Considere as seguintes questões antes de realizar qualquer atualização para o 
Windows Server 2012 R2: 
 Checar a compatibilidade de hardware. Tenha certeza de que o 
servidor atende os requisitos mínimos de hardware do Windows Server 
2012 R2. 
 Checar o espaço em disco. Certifique-se de que há espaço em disco 
suficiente na partição em que o sistema operacional antigo está 
 16 
instalado. Enquanto a instalação está acontecendo, é necessário espaço 
em disco suficiente para os 2 sistemas. Depois que a atualização estiver 
completa delete os arquivos antigos para liberar algum espaço em disco. 
 Confirmar que o software é assinado. Todos os softwares que rodam 
em modo kernel, incluindo drivers de dispositivos, devem ser assinados 
digitalmente caso contrários o software não será carregado. Isso pode 
resultar num processo de atualização abortado, em falhas de hardware 
após a atualização ou numa falha de inicialização do sistema após a 
atualização. Se você não conseguir localizar uma atualização para a 
aplicação ou driver que é assinado, então você deve desinstalar o 
software ou driver antes de prosseguir com a atualização. 
 Salvar drivers de dispositivo em mídia removível. Se um fabricante 
fornecer um driver separado para um dispositivo do seu servidor, salve o 
driver em um CD, DVD ou mídia removível como um pendrive na pasta 
raiz ou no diretório /amd64. Para usar o driver durante a instalação 
clique em Carregar Driver ou pressione F6 na tela de seleção de disco. 
Você pode navegar entre as pastas para localizar o driver ou pode 
deixar o programa de instalação procurar na mídia. 
 Checar compatibilidade de aplicação. O programa de instalação 
mostra um relatório de compatibilidade que pode te notificar de qualquer 
problema de compatibilidade. Você pode às vezes resolver esses 
problemas atualizando ou instalando uma nova versão da aplicação com 
problemas. Crie um inventário dos produtos de software instalados no 
servidor e cheque os websites dos fabricantes por atualizações, novas 
versões disponíveis ou anúncios sobre o suporte ao Windows Server 
2012 R2. Num ambiente corporativo, você deve testar todas as 
aplicações para ver se são compatíveis com o Windows Server 2012 R2, 
não importando o que o fabricante diga, antes de realizar qualquer 
atualização no sistema operacional. 
 Assegurar funcionamento apropriado. Assegure-se de que o 
Windows Server 2008 ou Windows Server 2008 R2 está funcionando 
normalmente no servidor antes de iniciar o processo de instalação. Você 
deve iniciar uma atualização in-loco (no local) a partir do sistema 
operacional atual, então você não pode contar com o Windows Server 
2012 R2 para corrigir quaisquer problemas que possam impedir o 
computador de inicializar ou de iniciar o programa de instalação. 
 Realizar um backup completo. Antes de realizar qualquer 
procedimento de atualização, você deve fazer uma cópia de segurança 
de todo o servidor, ou no mínimo, dos arquivos de dados críticos. O seu 
backup deve incluir todos os dados e configurações que são necessários 
para o computadoralvo funcionar. Quando você realizar o backup, 
certifique-se de incluir as partições do sistema e de boot além dos dados 
de estado do sistema. Discos rígidos removíveis tornam esse processo 
 17 
mais fácil, mesmo que não exista um dispositivo especifico para backup 
no computador. 
 Desabilitar software antivírus. Software de proteção contra vírus 
podem tornar a instalação bem mais devagar já que verificam cada 
arquivo copiado para o computador. Se instalado, você deve desabilitar 
esse aplicativo antes de executar a atualização. 
 Desconectar dispositivos UPS. Se você tiver um banco de baterias 
UPS (Uninterruptible Power Supply) conectado ao seu computador, 
desconecte o cabo de dados antes de realizar a atualização. O 
programa de atualização tenta detectar todos os dispositivos 
conectados. Equipamento UPS pode causar problemas para este 
processo. 
 Comprar a edição correta do Windows Server 2012 R2. Certifique-se 
de comprar a edição correta do Windows Server 2012 R2 para a 
atualização e de ter o disco de instalação e a chave do produto em 
mãos. 
Durante o processo de atualização, quando o sistema reinicia, o menu de boot 
dá a opção de voltar ao sistema operacional anterior. Entretanto uma vez 
concluído o processo, esta opção não está mais disponível e não é mais 
possível desinstalar o Windows Server 2012 R2 para reverter ao sistema 
operacional anterior. 
 
Migrando Funções de Servidor 
A migração é maneira preferida para substituir um servidor em operação por 
outro com o Windows Server 2012 R2. Ao contrário da atualização in-loco, uma 
migração copia informação vital de um servidor para outro rodando uma nova 
instalação do Windows Server 2012 R2. 
Em uma migração, quase todas as restrições tratadas anteriormente 
relacionadas à atualização não se aplicam mais. Usando as Ferramentas de 
Migração do Windows Server (Windows Server Migration Tools) e os guias de 
migração fornecidos com o Windows Server 2012 R2, você pode migrar dados 
entre servidores sob quaisquer das circunstâncias abaixo: 
 Entre versões. Você pode migrar dados a partir de qualquer versão do 
Windows Server desde o Windows Server 2003 SP2 até o Windows 
Server 2012 R2. Isso inclui migrações de um servidor rodando o 
Windows Server 2012 R2 para outro. 
 Entre plataformas. Você pode migrar dados de um servidor 32 bits ou 
64 bits para outro servidor 64 bits rodando o Windows Server 2012 R2. 
 Entre edições. Você pode migrar dados entre servidores rodando 
diferentes edições do Windows Server. 
 18 
 Entre instâncias físicas e virtuais. Você pode migrar dados de um 
servidor físico para um virtual ou o contrário. 
 Entre opções de instalação. Você pode migrar dados de um servidor 
para outro, mesmo quando um servidor está na opção Server Core e o 
outro está com a interface gráfica completa. 
Migrações em servidores são diferentes de quaisquer migrações que você 
possa ter feito em estações de trabalho. Ao invés de fazer um único 
procedimento de migração que copia todos os dados de usuários de um 
computador de origem para um computador de destino de uma única vez, 
numa migração de servidor você migra funções de servidor ou serviços de 
funções de servidor individualmente. 
O Windows Server 2012 R2 inclui uma coleção de guias de migração que 
trazem instruções individualizadas para cada função de servidor suportada pelo 
Windows Server 2012 R2. Algumas funções requerem o uso do aplicativo 
Ferramentas de Migração do Windows Server (Windows Server Migration 
Tools) e outras não. 
 
Instalando as Ferramentas de Migração do Windows Server 
Ferramentas de Migração do Windows Server (Windows Server Migration 
Tools) é um recurso do Windows Server 2012 R2 composto por cmdlets do 
Microsoft Powershell e arquivos de ajuda que possibilitam administradores 
migrar certas funções entre servidores. 
Antes de poder usar as Ferramentas de Migração do Windows Server você 
deve instalar o recurso Ferramentas de Migração do Windows Server no 
servidor de destino com o Windows Server 2012 R2 e então copiar a versão 
apropriada das ferramentas para o servidor de origem. 
As Ferramentas de Migração do Windows Server são um recurso padrão que 
pose ser instalado no Windows Server 2012 R2 a partir do Wizard (tela passo a 
passo) Adicionar Funções e Recursos dentro do Gerenciador do Servidor 
conforme figura abaixo ou do cmdlet Powershell Install-WindowsFeature. 
 19 
 
Usando os guias de migração 
Uma vez instalado o recurso Ferramentas de Migração do Windows Server nos 
servidores de origem e destino, você pode proceder para a migração de dados 
entre os dois. 
Com o uso das Ferramentas de Migração do Windows Server, administradores 
podem migrar certas funções, recursos, configurações de sistema operacional, 
e outros dados do servidor de origem para o servidor de destino rodando o 
Windows Server 2012 R2. Algumas funções requerem o uso das Ferramentas 
de Migração do Windows Server, enquanto que outros que possuem 
capacidades internas de comunicação não precisam deste recurso. 
Não existe um procedimento único para migrar todas as funções do Windows 
Server, independente de possuírem sua ferramenta própria de migração ou 
não. No lugar, a Microsoft provê guias de migração para funções individuais, 
em alguns casos, providencia guias de migração detalhados para serviços de 
funções de servidor dentro de uma Função de Servidor. 
Os guias de migração atualizados se encontram no Portal de Migração do 
Windows Server neste link https://technet.microsoft.com/en-us/library/jj134039 
(em inglês ). 
 
https://technet.microsoft.com/en-us/library/jj134039
 20 
 
1.2- Configurar Servidores 
Um servidor raramente está pronto para realizar todas as tarefas que você 
planejou logo após o término da instalação. Tipicamente alguma configuração 
pós-instalação é necessária após o servidor entrar em operação. 
 
Tarefas Pós-instalação 
Como parte da nova ênfase em serviços baseados na nuvem dentro das 
infraestruturas de redes Microsoft, o Windows Server 2012 R2 contém uma 
variedade de ferramentas que foram incrementadas para facilitar uma maior 
capacidade de gerenciamento remoto do servidor. 
Por exemplo, o novo Gerenciador do Servidor, é feito para fazer com que os 
administradores gerenciem servidores sem terem que interagir diretamente 
com o console, fisicamente ou remotamente. Entretanto, existem algumas 
tarefas que os administradores podem ter que realizar imediatamente após a 
instalação que exigem acesso direto ao console do servidor: 
 Configurar conexões de rede 
 Ajustar o fuso horário 
 Habilitar a Área de trabalho Remota 
 Renomear o computador 
 Entrar em um domínio 
 
Ferramentas de interface gráfica 
No Windows Server 2012 R2, o bloco Propriedades dentro do Gerenciador do 
Computador, como mostra a figura abaixo, entrega a mesma funcionalidade da 
tela de Tarefas de Configuração Inicial das versões anteriores do Windows 
Server. Para completar qualquer uma ou mesmo todas as tarefas de pós-
instalação num Windows Server 2012 R2 com interface gráfica completa, você 
pode usar as ferramentas no bloco de Propriedades, diretamente no console ou 
através da Área de trabalho Remota. 
 21 
O item Ethernet na tela de propriedades especifica a situação atual da interface 
de rede do computador. Se houver um servidor DHCP na rede, o servidor já irá 
ter recebido um endereço IP e outras configurações e já terá configurado a 
interface de rede com eles. Se não tiver um servidor DHCP na rede, ou se você 
deve configurar o servidor com um endereço IP estático, clique no link 
“Ethernet” para exibir a janela de Conexões de Rede de dentro do Painel de 
Controle. Você pode então abrir a aba Propriedades de Ethernet e a aba de 
propriedades do item “Protocolo TCP/IP Versão 4 (TCP/IPv4)” onde você pode 
configurar o cliente TCP/IP. 
É essencial que o relógio do computador esteja precisoe correto para o bom 
funcionamento da comunicação dos Serviços de Domínio do Active Directory. 
Se o servidor estiver localizado num outro fuso horário diferente da zona do 
Pacífico que é o padrão, clique no link Fuso Horário para abrir a caixa de 
diálogo de Data e Hora, onde você pode corrigir a configuração. 
Por padrão o Windows Server 2012 R2 não permite conexões de Área de 
Trabalho remota. Para habilitá-las, clique no link Área de trabalho Remota para 
abrir a aba Remoto da tela de propriedades do Sistema. 
Numa instalação manual do sistema operacional, o programa de instalação do 
Windows dá ao computador um nome único que inicia com WIN. Para mudar o 
nome do computador e uni-lo à um domínio , clique no link “Nome do 
computador” para abrir a tela de Propriedades do sistema e clique no botão 
Alterar para abrir a caixa de diálogo Alterações de Nome/Domínio do 
Computador. 
 
 
 22 
Ferramentas de linha de comando 
Se você selecionou a opção Server Core durante a instalação do Windows 
Server 2012 R2, você pode efetuar as mesmas tarefas de pós-instalação a 
partir da linha de comando. No mínimo você terá de renomear o computador e 
adicioná-lo a um domínio. Para fazer isso você pode usar os comandos 
sconfig ou netdom. 
Para renomear um computador use o comando netdom da seguinte forma: 
netdom renamecomputer %nomedocomputador% /NewName: 
<novonomedocomputador> 
Depois você terá que reiniciar o computador para as mudanças tomarem efeito, 
você pode usar o comando shutdown /r 
Em seguida para adicionar o computador à um domínio use o comando netdom 
da seguinte forma: 
netdom join %nomedocomputador% /domain: <NomedoDominio> 
/userd: <nomedoUsuario> /passwordd:* 
Neste comando o uso do * depois do parâmetro passwordd faz com que a 
senha seja requisitada logo em seguida. 
Estes comandos assumem que um servidor DHCP já configurou o cliente 
TCP/IP do computador. Se esse não for o caso, você deve configurá-lo 
manualmente antes de poder entrar num domínio. Para configurar um IP 
estático em um computador usando o Server Core, você pode usar o comando 
netsh ou o cmdlet New-NetIPAddress no Windows Powershell. 
 
Conversão entre Server Core e Interface Completa 
No Windows Server 2012 R2 você pode converter uma instalação com 
interface completa para a opção Server Core e adicionar a interface gráfica de 
usuário em uma instalação usando o Server Core. Esta foi uma das melhorias 
mais significativas para o Server Core em comparação com o Windows Server 
2008 R2, no qual você só poderia trocar a interface realizando uma nova 
instalação. 
Com essa capacidade, administradores podem instalar servidores com 
interface completa, utilizar ferramentas gráficas para efetuar todas as 
configurações necessárias e depois deixar o servidor em modo Server Core 
para colocá-lo em produção. Se depois se tornar necessário, pode-se reinstalar 
os componentes gráficos. 
 23 
Para converter uma instalação do Windows Server 2012 R2 com interface 
completa em Server Core através do Gerenciador do Servidor, você pode 
executar o Assistente Remover Funções e Recursos e desinstalar os seguintes 
recursos: 
 Graphical Management Tools And Infrastructure – Ferramentas Gráficas 
de Gerenciamento e Infraestrutura 
 Server Graphical Shell – Shell Gráfico de Servidor 
Para adicionar a interface gráfica completa em uma instalação Server Core, 
você deve usar o Windows Powershell para instalar os mesmos recursos que 
foram removidos no procedimento anterior. Você usará o seguinte comando: 
Install-WindowsFeature Server-Gui-Mgmt-Infra,Server-Gui-
Shell –Restart 
Para converter uma instalação do Windows Server 2012 R2 com interface 
completa em Server Core use o seguinte comando: 
Uninstall-WindowsFeature Server-Gui-Mgmt-Infra,Server-Gui-
Shell –Restart 
 
Configurando o Agrupamento de NIC 
Agrupamento de NIC (Network Interface Card – Adaptador de Rede) é um 
recurso do Windows Server 2012 R2 que permite aos administradores 
combinarem a largura de banda de vários adaptadores de interface de rede, 
provendo maior desempenho e tolerância a falhas. A virtualização permite aos 
administradores separar funções vitais de rede em sistemas diferentes sem 
precisar comprar um computador novo para cada uma. Entretanto, uma das 
desvantagens desta prática é que um único servidor hospedando várias VMs 
ainda é um único ponto de falha para elas. Um único adaptador de rede com 
problemas, um switch defeituoso, ou mesmo um cabo desconectado pode fazer 
um servidor ficar offline e com ele todas as suas VMs. 
 
 
 
Agrupamento de NICs também chamado de agrupamento ou balanceamento é 
uma tecnologia que já está disponível por algum tempo, porém sempre foi 
amarrada a alguma implementação especifica de hardware. A capacidade de 
Agrupamento de NICs do Windows Server 2012 R2 é independente de 
hardware e te possibilita combinar diversos adaptadores de rede em uma única 
O Recurso de Agrupamento de NICs é especialmente mencionado dentre os 
objetivos do exame 70-410. Portanto você deve estar familiarizado com esse 
recurso e sua utilização. 
 24 
interface. Os resultados podem incluir maior desempenho através da união da 
banda dos adaptadores e proteção contra falhas através da mudança dinâmica 
de todo o tráfego para as NICs que estão funcionando. 
O Agrupamento de NICs no Windows Server 2012 R2 suporta dois modos: 
 Modo Independente de Switch. Todos os adaptadores de rede são 
conectados em switches diferentes, provendo rotas diferentes pela rede. 
 Modo Dependente de Switch. Todos os adaptadores de rede são 
conectados no mesmo switch, provendo um interface única com a 
largura de banda combinada. 
No Modo Independente de Switch, você pode escolher entre duas 
configurações. A configuração ativo-ativo deixa todos os adaptadores de rede 
funcionais, provendo largura de banda adicional. Se um adaptador falhar, todo 
o tráfego é desviado para os adaptadores restantes. Na configuração ativo - em 
espera, um adaptador fica offline e funciona em modo de recuperação no caso 
do adaptador ativo falhar. No modo ativo-ativo, uma falha de adaptador causa 
uma redução no desempenho; no modo ativo – em espera, o desempenho se 
mantém igual antes e depois de uma falha de adaptador. 
No Modo Dependente de Switch, você pode escolher agrupamento fixo, um 
modo genérico que balanceia o tráfego entre os adaptadores no equipe, ou 
você pode escolher usar o Protocolo de Agregação de Link definido no IEEE 
802.3ax, assumindo que seu equipamento suporta-o. 
No Windows Server 2012, existe uma limitação significante no agrupamento de 
adaptadores (NIC Teaming). Se o seu trafego consistir de grandes sequencias 
TCP, como por exemplo uma migração ao vivo (live migration) no Hyper-V, o 
sistema vai evitar usar múltiplos adaptadores para aquelas sequencias para 
minimizar o número de segmentos perdidos e fora de ordem. Você então não 
perceberá nenhum ganho de desempenho durante transferências de arquivos 
grandes usando TCP. No Windows Server 2012 R2, o novo Modo Dinâmico 
divide essas grandes sequencias TCP em unidade menores e distribui-as entre 
os adaptadores na equipe. Este é atualmente o modo padrão de 
balanceamento de carga no Windows Server 2012 R2. 
Você pode criar e gerenciar Equipes de Adaptadores de Rede usando o 
Gerenciador do Servidor ou o Windows PowerShell (eu chamaria de Time mas 
tudo bem). Para criar uma equipe de adaptadores usando o Gerenciador do 
Servidor siga os passos a seguir. 
1. No Gerenciador do Servidor, no bloco de Propriedades, clique em 
“Agrupamento NIC”. A tela de Agrupamento NIC aparece como na 
imagem abaixo. 
 25 
 
2. No bloco Equipes, clique em tarefas e selecione nova equipe para abrir 
a janela nova equipe. 
3. Clique no item Propriedades Adicionais para expandir a tela como na 
tela abaixo. 
 
4. Na caixa de texto nome da equipe, escreva o nome que quer para a 
equipe. 
5.Na caixa de Adaptadores membros, selecione os adaptadores que quer 
que façam parte da equipe. 
 26 
6. Na caixa de seleção Modo de agrupamento selecione uma das opções 
abaixo: 
a. Alternar Independente 
b. Agrupamento Estático 
c. LACP 
7. Na caixa de seleção Modo de balanceamento de carga selecione uma 
das opções abaixo: 
a. Hash de Endereço 
b. Porta do comutador Hyper-V 
c. Dinâmico 
8. Se você selecionou a opção Alternar Independente no modo de 
agrupamento, use a caixa de seleção Adaptador em espera para 
selecionar o adaptador de rede que funcionará em espera. 
9. Clique OK. A nova equipe estará listada no bloco Equipes como mostra 
a imagem abaixo. 
 
Uma vez criada a Equipe de Adaptadores de Rede, a janela de Agrupamento 
de NICs permite monitorar o status da Equipe e da interface da equipe que 
você criou. A equipe e os adaptadores individuais todos tem indicadores de 
status que informam se um adaptador ficar offline. 
Se isso ocorrer, o indicador do adaptador com falha muda imediatamente para 
desconectado como mostra a figura abaixo, e dependendo do modo de 
agrupamento escolhido, o status dos outros adaptadores também pode mudar. 
 27 
 
 
Gerenciador do Servidor 
A ferramenta Gerenciador do Servidor no Windows Server 2012 R2 é uma 
aplicação que mostra a evidencia mais obvia da mudança de paradigma na 
administração do Windows Server. Antes do Windows Server 2012, um 
administrador que queria instalar uma Função usando uma ferramenta gráfica 
teria que acessar o console fisicamente ou conectado através dos Serviços de 
Área de Trabalho Remota (antes chamado Serviços de Terminal). Em 
contraste, o Gerenciador do Servidor no Windows Server 2012 R2 pode instalar 
Funções e Recursos em qualquer servidor da rede. 
 
Adicionando Servidores 
A diferença principal entre o Gerenciador do Servidor do Windows Server 2012 
R2 e do Windows Server 2012 em comparação as versões anteriores é a 
habilidade de adicionar e gerenciar diversos servidores de uma única vez. 
Quando você faz logon numa instalação com interface completa do Windows 
Server 2012 R2 com uma conta administrativa, o Gerenciador do Computador 
carrega automaticamente mostrando o bloco de Bem-Vindo. 
A interface do Gerenciador do Servidor consiste de um painel de navegação à 
esquerda contendo ícones representando várias visões dos recursos do 
servidor. Selecionar um ícone mostra uma página de inicio no painel da direita, 
o qual consiste em um número de blocos contendo informação sobre o recurso. 
A página de Painel que abre por padrão, contém, além do bloco de Bem-Vindo, 
 28 
miniaturas que sumarizam as outras visões disponíveis no Gerenciador do 
Servidor conforme figura abaixo. Estas outras visões incluem uma página para 
o Servidor Local, uma para todos os Servidores, e outras para os grupos de 
servidores e grupos de funções. 
Mesmo que apenas o servidor local aparece no Gerenciador do Servidor 
quando você executa-o pela primeira vez, você pode adicionar outros 
servidores, permitindo a você gerenciá-los todos juntos. Os servidores que 
você adiciona põem ser físicos ou virtuais e podem estar rodando qualquer 
versão do Windows Server a partir do Windows Server 2003. Após adicionar os 
servidores à interface, você pode criar grupos contendo coleções de 
servidores, como os servidores de um escritório específico ou os que realizam 
alguma função em particular. Estes grupos aparecem no painel de navegação, 
permitindo que você os administre como uma única entidade. 
Para adicionar servidores use o seguinte procedimento. 
1. Abra o Gerenciador do Servidor e, no painel de navegação clique em 
Todos os Servidores, a página inicial Todos os servidores abrirá como 
na figura abaixo. 
2. A partir do menu Gerenciar, selecione adicionar servidores, a caixa de 
diálogo Adicionar Servidores abrirá como na figura abaixo. 
3. Selecione uma das abas para especificar como você quer localizar o 
servidor que deseja adicionar 
 29 
a. Active Directory: Permite buscar por computadores rodando 
sistemas operacionais específicos em locais específicos em um 
domínio do Serviços de Domínio do Active Directory 
b. DNS: Permite buscar por servidores no seu servidor DNS 
configurado 
c. Importar: Permite informar o nome de um arquivo .txt com o 
nome dos servidores que deseja adicionar 
4. Inicie a busca ou carregue o arquivo de texto para mostrar os servidores 
disponíveis. 
5. Selecione os servidores que deseja adicionar, clique na flecha para 
incluí-los na lista de selecionados. 
6. Clique OK. Os servidores que você adicionou serão adicionados na 
página inicial Todos os servidores. 
Para administradores de redes de computadores corporativas, pode ser 
necessário adicionar um grande número de servidores no Gerenciador do 
Servidor. Para evitar ter de trabalhar com uma grande lista de servidores e ter 
de usar a barra de rolagem todo o tempo, você pode criar grupos de servidores 
com base na localização dos servidores, funções, ou qualquer outro paradigma 
organizacional. 
 
Adicionando Funções e Recursos 
O programa Gerenciador do Computador no Windows Server 2012 R2 combina 
o que antes eram vários assistentes (wizard) em apenas um, o Assistente de 
Adição de Funções e Recursos, uma vez adicionados vários servidores na 
interface do Gerenciador do Computador, eles são integrados no Assistente de 
Adição de Funções e Recursos, para que assim você possa instalar Funções e 
Recursos em qualquer um dos seus servidores. 
Para instalar Funções e Recursos siga os passos abaixo: 
 No Gerenciador do Computador, clique no menu Gerenciar e depois em 
Adicionar Funções e Recursos. O Assistente de Adição de Funções e 
Recursos será iniciado e mostrará a tela Antes de Começar. 
 30 
 Clique Próximo para abrir a tela Tipo de Instalação como mostra a figura 
abaixo. 
 
 Deixe a opção Instalação baseada em função ou recurso marcada e 
clique em Próximo. A tela Seleção de Servidor abrirá como mostra a 
figura abaixo. 
 
 31 
 Selecione o servidor em que deseja instalar as funções ou recursos. Se 
o pool de Servidores contém muitos servidores, você pode usar a caixa 
de texto denominada Filtro para mostrar um subgrupo de servidores com 
base no texto escrito. Quando você selecionar o servidor, clique em 
Próximo. A tela Funções do Servidor abrirá como na figura abaixo. 
 
Embora você possa usar o Assistente de Adição de Funções e Recursos para 
instalar componentes em qualquer servidor que tenha sido adicionado no 
Gerenciador do Computador, você não pode instalar vários componentes de 
uma única vez. Para fazer isso você precisa do Windows PowerShell. 
 Selecione a função ou funções que quer instalar no servidor 
selecionado. Se as funções que selecionou possuírem outras funções ou 
recursos como dependências, a tela Adicionar Recursos que são 
Necessários irá aparecer. 
 
 
 
 
 
 
Diferentemente das versões anteriores do Gerenciador do Computador, no Windows 
Server 2012 R2 você pode escolher todas as funções e recursos que desejar uma única 
vez, ao invés de ter que rodar o assistente diversas vezes para cada função ou recurso 
individual. 
 32 
 Clique adicionar recursos para aceitar as dependências e clique em 
Próximo para abrir a tela Selecionar Recursos como mostra a figura 
abaixo. 
 
 Selecione os recursos que deseja instalar no servidor selecionado e 
clique em Próximo. Dependências podem aparecer de acordo com suas 
seleções de recursos. 
 O Assistente então mostra páginas de configuração especificas das 
Funções e Recursos que você escolheu, nas quais você pode escolher 
os elementos de cada Função escolhida você quer instalar. Complete 
cada página de configuração de Recurso ou de Função e clique em 
Próximo. A tela de confirmação aparecerá. 
 Você pode escolher algumas opções adicionais 
o Reiniciar cada servidor de destino automaticamente, se 
necessário. Faz com queo servidor reinicialize automaticamente 
após o fim da instalação se a função ou recurso selecionado 
exigir. 
o Exportar definições de configuração. Cria um script XML 
documentando os procedimentos executados pelo assistente, 
pode ser usado para replicar a mesma instalação em outro 
servidor através do Windows PowerShell. 
o Especificar um caminho de origem alternativo. Especifica o 
caminho de um arquivo de imagem contendo o software 
necessário para instalar as funções ou recursos selecionados. 
 33 
Use essa opção quando tiver deletado anteriormente os arquivos 
de origem do sistema através do Recursos sob Demanda. 
 Clique Instalar para abrir a página de progresso de instalação. 
Dependendo das funções e recursos instalados, o assistente pode 
mostrar links para as ferramenta necessárias para realizar configurações 
de pós-instalação. Quando a instalação estiver completa, clique em 
fechar para completar o assistente. 
 
 
 
 
Após instalar funções nos seus servidores, as funções aparecem como ícones 
no painel de navegação do Gerenciador do Computador. Estes ícones 
representam na verdade grupos de funções. Cada grupo de função contém 
todas as instâncias daquela função que forem achadas nos servidores 
adicionados. Você pode então administrar a função em todos os servidores que 
você a tenha instalado. 
 
Instalando Funções em arquivos VHD 
Além de instalar funções e recursos em servidores na sua rede, o Gerenciador 
do computador também permite que administradores instalem-nos em VMs que 
estão no estado offline. Por exemplo, você pode ter um servidor Web offline 
armazenado em um servidor de backup, no caso do servidor físico que 
hospeda sua VM possa falhar. O Gerenciador do Computador te permite 
selecionar um arquivo de disco rígido virtual (VHD) e instalar ou remover 
funções e recursos sem ter que rodar a VM. 
Para instalar funções e recursos em um arquivo VHD offline siga o 
procedimento abaixo 
 No Gerenciador do Computador, clique no menu Gerenciar e depois em 
Adicionar Funções e Recursos. O Assistente de Adição de Funções e 
Recursos será iniciado e mostrará a tela Antes de Começar. 
 Clique Próximo para abrir a tela Tipo de Instalação. 
 Deixe a opção Instalação baseada em função ou recurso marcada e 
clique em Próximo. A tela Seleção de Servidor abrirá. 
 Selecione a opção Selecionar um disco rígido virtual. Uma caixa de 
texto Disco Rígido Virtual aparecerá na parte da baixo da janela. 
Para usar um arquivo exportado para instalar funções e recursos em outro 
computador com o Windows Server 2012 R2, use o comando abaixo em uma 
sessão com privilégios elevados do Windows PowerShell. 
 Install-WindowsFeature –ConfigurationFilePath 
<arquivoexportado.xml> 
 34 
 Na caixa de texto Disco Rígido Virtual digite ou procure a localização do 
arquivo VHD que você quer modificar. 
 Na caixa Pool de Servidores selecione o servidor que o assistente deve 
usar para montar o arquivo VHD como mostra a figura abaixo e clique 
em Próximo. A página Funções do Servidor irá aparecer. 
 
 
 
 
 
 Selecione a função ou funções que deseja instalar no servidor 
especificado, adicionando as dependências caso necessário, e clique 
em Próximo. A página de Recursos irá aparecer. 
 Seleciona quaisquer recursos que quiser instalar no servidor 
selecionado e clique em Próximo. Podem aparecer dependências para 
os recursos selecionados. 
 O Assistente então mostra páginas de configuração especificas das 
Funções e Recursos que você escolheu, nas quais você pode escolher 
os elementos de cada Função escolhida você quer instalar. Complete 
cada página de configuração de Recurso ou de Função e clique em 
Próximo. A tela de confirmação aparecerá. 
O Assistente precisa montar o arquivo VHD no servidor que você selecionou 
para abri-lo e ver quais funções e recursos já estão instalados e quais estão 
disponíveis para instalação. Montar um arquivo VHD apenas o faz disponível 
através do sistema de arquivos do computador; não é o mesmo que iniciar uma 
VM que utiliza o VHD. 
 35 
 Clique em Instalar. A pagina de progresso da instalação aparecerá. 
Quando a instalação completar clique em Fechar para desmontar o VHD 
e completar o assistente. 
 
Configurando Serviços 
A maioria das Funções do Windows Server e muitos dos Recursos incluem 
serviços, que são programas que rodam continuamente em background (por 
detrás do sistema), tipicamente esperando por um processo cliente enviar uma 
requisição. O Gerenciador do Computador oferece acesso aos serviços que 
estão rodando em servidores por toda a rede. 
Quando você para a página inicial do Servidor Local dentro do Gerenciador do 
Computador, um dos blocos que você acha lá é o bloco de Serviços, mostrado 
na figura abaixo, este bloco lista todos os serviços instalados no servidor e 
mostra o status de operação e o tipo de início deles. Quando você clica com o 
botão direito em um serviço, o menu de atalho permite quer você inicie, pare, 
reinicie, pause e retome o serviço selecionado. 
 
O bloco de Serviços no Gerenciador do Computador é similar ao snap-in 
Serviços dentro do console do MMC encontrado nas versões anteriores do 
Windows Server. Entretanto mesmo podendo iniciar ou parar serviços pelo 
Gerenciador do Computador, você não pode modificar o tipo de início, que 
especifica se o serviço deve iniciar automaticamente com o sistema 
operacional ou não. Para configurar isso você deve acessar os serviços pelo 
MMC ou usar o cmdlet Set-Service no Windows Powershell. 
Outra diferença do bloco de Serviços dentro do Gerenciador do Computador no 
Windows Server 2012 R2 é que esse bloco aparece em vários lugares, e em 
cada lugar mostra a lista de serviços para cada contexto diferente. Este é um 
bom exemplo do princípio organizacional do Gerenciador do Computador. As 
 36 
mesmas ferramentas, repetidas em vários lugares, permitem uma interface de 
gerenciamento consistente para diferentes conjuntos de componentes. 
Por exemplo, quando você seleciona o ícone Todos os Servidores no painel de 
navegação, primeiro você vê o bloco Servidores, como sempre, contendo todos 
os servidores que você adicionou ao console do Gerenciador do Computador. 
Quando você seleciona alguns dos servidores ou todos eles e rola a página até 
o bloco Serviços, você vê o mesmo de antes, porém agora contem todos os 
serviços para todos os computadores que você selecionou. Isso te permite 
monitorar os serviços de todos os servidores de uma vez só. 
Da mesma maneira, quando você seleciona um dos ícones dos grupos de 
função, você pode selecionar os servidores que estão desempenhando aquela 
função específica e o bloco de Serviços conterá apenas os serviços desses 
servidores. 
Para manipular outras configurações de servidores, você deve usar o snap-in 
Serviços no MMC como comentado anteriormente. Entretanto, você pode 
inicia-lo a partir do próprio Gerenciador do Computador assim como os outros 
snap-ins. 
Depois de selecionar um servidor do bloco Servidores em qualquer página 
inicial de um grupo de função, clique no menu Ferramentas para ver uma 
opção de utilitários e snap-ins do MMC, incluindo o de Serviços. Para gerenciar 
um servidor remoto pelo MMC você deve conectar ao servidor manualmente. 
 
Delegando a administração do servidor 
Como as redes sempre crescem, também cresce o número de tarefas 
administrativas que precisam ser feitas regularmente, e também o número de 
pessoal na TI para executá-las. Delegar tarefas administrativas para pessoa 
especificas é parte natural dentro do gerenciamento de servidores corporativos, 
assim como configurar as permissões necessárias para esse indivíduos – e 
apenas as permissões que eles precisem – para realizar estas tarefas. 
Em redes menores com equipes pequenas de TI, não é incomum a delegação 
de tarefas ser informal e de todos da equipe terem acesso completo a toda a 
rede. Porem, emredes maiores com equipes maiores de TI, isso se torna cada 
vez mais impraticável. Por exemplo, você pode querer que o aprendiz recém 
contratado possa criar novas contas de usuários mas não possa mudar a 
árvore do Active Directory ou trocar a senha do presidente. 
Delegação é a prática pela qual os administradores permitem que outros 
usuários tenham algumas das permissões que eles tem. Sendo assim, 
delegação é muito mais restringir permissões do que liberá-las. Você quer 
 37 
liberar permissões que os usuários necessitam enquanto protege informações 
sensíveis e infraestrutura crítica. 
 
Configuração de Estado Desejado do Windows PowerShell 
Configuração de Estado Desejado (DSC - Desired State Configuration) é a 
próxima fase do desenvolvimento do Windows PowerShell, um processo que 
começou a mais de uma década e apareceu primeiro como um componente do 
Windows no Windows PowerShell 1.0 (lançado em 2006). O Windows Server 
2012 expandiu a funcionalidade do Windows PowerShell através do uso da 
infraestrutura de linha de comando como base para novas capacidades 
gráficas no sistema operacional. O Windows PowerShell 3.0 adicionou milhares 
de novos cmdlets, tornando possível conseguir qualquer resultado que você 
conseguiria usando a interface gráfica agora na linha de comando. 
No Windows PowerShell 4.0 o DSC habilita um novo modo de script que 
permite aos administradores criarem módulos chamados configurações, 
consistem em nós representando computadores e recursos que definem 
elementos que os administradores querem definir como parte da configuração 
de uma Função específica. 
Por exemplo, um script simples para implantar um servidor Web seria assim: 
Configuration ServerWeb 
{ 
 Node "ServerB" 
 { 
 WindowsFeature InstallIIS 
 { 
 Ensure = "Present" 
 Name = "Web-Server" 
 } 
 File CopyWebSite 
 { 
 Ensure = "Present" 
 Type = "Directory" 
 Recurse = $true 
 SourcePath = $WebsitePath 
 38 
 DestinationPath = "C:\inetpub\wwwroot" 
 Requires = "[WindowsFeature]InstallIIS” 
 } 
 } 
} 
 
Nesse código, o bloco Node identifica o computador a ser configurado e os nós 
WindowsFeature e File são recursos internos que você pode usar para definir a 
configuração que deseja implantar. O bloco WindowsFeature especifica que a 
configuração deve instalar a Função de Servidor Web, e o bloco File copia os 
arquivos de conteúdo de um website para um nó de um local definido pela 
variável $WebsitePath. O DSC inclui muitos outros recursos inclusos que você 
pode usar para definir elementos de configuração mais complexos. Também é 
possível para os administradores criarem seus próprios recursos customizados. 
Uma vez criado o script de configuração, você pode rodá-lo executando o 
nome de configuração definido – nesse caso ServerWeb – a partir de um 
prompt do Windows PowerShell. 
Em grandes ambientes de implantação, administradores podem criar um 
servidor DSC centralizado instalando o “PowerShell Desired State 
Configuration Service” um recurso do Windows PowerShell que usa o servidor 
Web IIS (Internet Information Services) para implantar a logica de configuração 
e os dados nos servidores pela rede. Após gravar os scripts de configuração do 
DSC no servidor, administradores podem configurar os nós para checar 
regularmente por mudanças em suas configurações ou configurar o servidor 
para enviar novas configurações aos nós quando necessário. 
 
 39 
1.3- Configurar armazenamento local 
 
Embora o Windows Server 2012 R2 tenha sido desenhado para aproveitar 
armazenamento remoto e computação em nuvem, a configuração de 
armazenamento local se mantém um item importante a ser considerado. 
 
Planejamento do armazenamento do servidor 
Um servidor Windows pode , em teoria, realizar suas tarefas no mesmo tipo de 
armazenamento de uma estação de trabalho; isto é, um ou mais discos padrão 
conectados a uma interface de disco padrão como o SATA. Entretanto, a carga 
de I/O (entrada e saída) de um servidor é diferente da de uma estação de 
trabalho; um subsistema de armazenamento padrão pode ser facilmente 
sobrecarregado pelos pedidos por arquivos de dezenas ou centenas de 
usuários. Além disso, discos rígidos comuns não oferecem tolerância a falhas e 
tem sua escalabilidade limitada. 
Uma variedade de tecnologias de armazenamento são melhores para uso em 
servidores. O processo de elaboração de uma solução de armazenamento para 
um servidor depende de vários fatores, incluindo os seguintes: 
 A quantidade de armazenamento necessária 
 O número de usuários que irá acessar o servidor ao mesmo tempo 
 A sensibilidade da informação que será armazenada 
 A importância da informação para a organização 
As seções seguintes examinam esses fatores e as tecnologias que você pode 
escolher quando criar um plano para suas soluções de armazenamento de 
rede. 
 
Quantos servidores eu preciso? 
Quando um servidor grande é melhor do que vários pequenos? Esta é uma das 
perguntas mais frequentes durante o planejamento de uma implantação de um 
servidor. No passado você poderia ter ponderado as vantagens e 
desvantagens de usar um servidor para realizar várias funções contra vários 
servidores realizando uma única função cada. Hoje em dia, entretanto, a 
ênfase está na virtualização, o que significa que embora você tenha várias VMs 
rodando diferentes funções, elas poderiam estar todas em um único servidor 
físico de grande porte. 
 40 
Se você está considerando servidores físicos de grande porte ou se os 
requisitos de armazenamento da sua organização são extremamente grandes, 
você deve considerar as limitações de armazenamento inerentes do Windows 
Server 2012 R2. 
O número de sites que englobam sua rede empresarial e as tecnologias que 
você usa para prover comunicação entre esses sites também pode afetar seus 
planos. Se , por exemplo, sua organização tem filiais espalhadas por todo o 
mundo e usa links WAN caros para conectá-las, seria mais econômico colocar 
um servidor em cada local, do que fazer todos os seus usuários acessarem um 
único servidor através dos links WAN. 
Dentro de cada site, o número de servidores que você precisa depende da 
frequência com que os seus usuários trabalham com os mesmo recursos e 
quanta tolerância a falhas e alta disponibilidade você quer colocar no sistema. 
Por exemplo, se cada departamento na sua empresa trabalha com seus 
próprios aplicativos e documentos e raramente precisam acessar recursos de 
outros departamentos, é preferível implantar servidores individuais em cada 
departamento. Se todos na empresa trabalham com os mesmo recursos, 
servidores centralizados serão a melhor escolha. 
 
Estimativa de requisitos de armazenamento 
A quantidade de espaço de armazenamento que você precisa num servidor 
depende de uma variedade de fatores, não apenas o requisito inicial das suas 
aplicações e dos usuários. No caso de um servidor de aplicações, comece 
alocando o espaço necessário para os próprios arquivos dos aplicativos mais o 
espaço que eles possam necessitar de acordo com a especificação do 
desenvolvedor. Se os usuários irão salvar documentos no servidor, então 
aloque espaço necessário para cada usuário que o servidor irá suportar. Então 
tente antecipar o potencial crescimento da sua organização e da rede, em 
termos de número de usuários e do espaço necessário para cada um, e do 
número de arquivos de dados e de atualizações das aplicações. 
 
Storage Spaces 
O Windows Server 2012 R2 inclui uma tecnologia de virtualização de discos 
chamada Storage Spaces, que permite um servidor concatenar o espaço de 
armazenamento de vários discos físicos individuais e alocar esse espaço para 
criar discos virtuais de qualquer tamanho suportado pelo hardware. 
Esse tipo de virtualização é normalmente encontrado em SANs (Storage Area 
Network– redes de armazenamento) e em equipamentos NAS (Network 
 41 
Attached Storage – armazenamento ligado em rede), os quais exigem 
investimentos substanciais em hardware especializado e habilidades de 
administração. O Storage Spaces provê capacidades similares pelo uso de 
discos padrão internos do servidor ou arrays simples de discos JBOD (Just a 
Bunch of Disks), esses são os storages mais baratos (de entrada) ligados 
direto no servidor e que não possuem inteligência avançada dentro do 
equipamento, funciona apenas como um case para vários discos. 
O Storage Spaces usa o espaço vazio nos discos para criar pools de 
armazenamento. Um Pool de Armazenamento pode usar vários discos 
transparentemente, criando um recurso de armazenamento que os 
administradores podem estender ou reduzir de acordo com a necessidade, 
adicionando ou removendo discos do pool. Usando o espaço livre do pool os 
administradores podem criar discos virtuais de qualquer tamanho. 
Após criado, o disco virtual se comporta como qualquer disco físico, exceto que 
os bits podem ter sido gravados em qualquer número dos drives do sistema. 
Discos virtuais também proporcionam alta disponibilidade com a utilização dos 
discos físicos do Storage para guardar dados de espelho ou de paridade. 
Após criar um disco virtual, você pode criar volumes nele assim como faria num 
disco físico. O Gerenciador do Computador tem as ferramentas que você 
precisa para gerenciar Pools de armazenamento e discos virtuais e te dá a 
habilidade de criar compartilhamento de volumes e de sistemas de arquivos, 
com algumas limitações. 
 
Entendendo as configurações de disco do Windows 
Quando você instala o Windows Server 2012 R2 em um computador, o 
programa de instalação da efetua todas as tarefas de preparação para o disco 
primário do sistema. Entretanto, quando você instala discos rígidos adicionais 
em um servidor, ou quando quer usar configurações diferentes das 
configurações padrão, você deve realizar as seguintes tarefas manualmente: 
 Selecionar um estilo de partição. O Windows Server 2012 R2 suporta 
dois estilos de partição: o MBR (Master Boot Record) e o GPT (GUID 
Partition Table). Você deve usar um desses estilos para usar em um 
disco, você não pode usar ambos. 
 Selecionar um tipo de disco. O Windows Server 2012 R2 suporta dois 
tipos de disco: o disco básico e o disco dinâmico. Você não pode usar os 
dois tipos em um mesmo disco, mas você misturar discos de tipos 
diferentes no mesmo computador. 
 42 
 Dividir o disco entre partições e volumes. Embora profissionais usem os 
termos partição e volume como sinônimos , o correto é se referir a 
partições em discos básicos e volumes em disco dinâmicos. 
 Formatar a partição ou volume com um sistema de arquivos. O Windows 
Server 2012 R2 suporta os sistemas de arquivos NTFS, FAT (incluindo 
suas variantes FAT16, FAT32 e exFAT), e o novo ReFS. 
 
 
Selecionar um estilo de partição 
O termo estilo de partição se refere ao método que os sistemas operacionais 
Windows usam para organizar as partições nos discos. Servidores rodando o 
Windows Server 2012 R2 podem usar qualquer um dos seguintes estilos de 
partição para discos rígidos. 
 MBR. O estilo de partição MBR existe desde antes do Windows e ainda 
é muito comum em computadores com arquiteturas x86 e x64. 
 GPT. O estilo de partição GPT existe desde o fim da década de 90, mas 
nenhuma versão x86 do Windows anterior ao Windows Server 2008 e 
Windows Vista o suporta. Hoje a maioria dos sistemas operacionais 
suporta o GPT, incluindo o Windows Server 2012 R2. 
Antes do Windows Vista e do Windows Server 2008, todos os computadores 
Windows x86 usavam apenas o estilo de partição MBR. Computadores com 
arquitetura x64 poderiam usar tanto o MBR quanto o GPT, desde que o disco 
usando GPT não fosse o disco de boot. 
A menos que a arquitetura do computador suporte uma partição de boot que 
use o EFI (Extensible Firmware Interface), não é possível efetuar boot a partir 
de um disco GPT. Se esse for o caso, o disco de sistema deve usar o MBR e 
você pode usar o GPT somente em discos que não sejam usados como boot 
para armazenar dados. 
Quando você usa o Gerenciador do Computador para inicializar um disco no 
Windows Server 2012 R2, o estilo de partição GPT é usado, seja um disco 
físico ou virtual. Não existem controles no Gerenciador do Computador que 
suportem o MBR, embora ele mostre o estilo de partição no bloco Discos. 
 
Tipos de Disco 
Grande parte dos computadores pessoais usam discos básicos por serem os 
mais fáceis de gerenciar. Tipos de volumes avançados necessitam do uso de 
discos dinâmicos. Um disco básico usando o estilo de partição MBR organiza 
 43 
os dados em partições primárias, partições estendidas e drives lógicos. Uma 
partição primária aparece para o sistema operacional como um disco separado 
e pode receber um sistema operacional, neste caso será conhecida como a 
partição ativa. 
Quando você trabalha com discos básicos usando o MBR no Windows Server 
2012 R2 usando o snap-in Gerenciamento de Disco, você pode criar 3 volumes 
como partições primárias. Quando você cria o quarto volume, o sistema cria 
uma partição estendida, com um drive lógico nele usando o tamanho 
especificado. Se houver espaço livre restante no disco, o sistema aloca-o na 
partição estendida como mostra a figura abaixo, e você pode usá-la para criar 
drives lógicos adicionais. 
 
Quando você seleciona o estilo de partição GPT, o disco irá aparecer como 
disco básico , mas você poderá criar até 128 volumes, cada um aparecendo 
como partição primária como mostra a figura abaixo. Não existem partições 
estendidas ou drives lógicos em discos que usam a GPT. 
 
A alternativa ao uso do disco básico é convertê-lo em um disco dinâmico. O 
processo de converter um disco básico em um disco dinâmico cria uma única 
partição que ocupa todo o disco. Você pode então criar uma infinidade de 
volumes a partir do espaço desta partição. Discos dinâmicos suportam diversos 
tipos de volumes. 
 
Tipos de Volumes 
Um disco dinâmico pode conter grande número de volumes que funcionam 
como partições ativas em discos básicos, mas você não pode marcar um disco 
dinâmico existente como ativo. Quando você cria um volume em um disco 
dinâmico através do snap-in Gerenciamento de Disco no Windows Server 2012 
R2, você pode escolher 5 tipos de volumes: 
 Volume simples. É formado pelo espaço de um único disco. Depois de 
criar um volume simples, você pode estendê-lo para outros discos para 
criar um volume estendido ou distribuído, desde que não seja um disco 
de boot ou disco de sistema. Você também pode estender um volume 
 44 
simples para o espaço adjacente livre no mesmo disco, ou , com 
algumas limitações, diminuir o volume, desalocando qualquer espaço 
não usado no volume. 
 Volume estendido. Consiste em espaço de 2 a 32 discos físicos, todos 
devem ser discos dinâmicos. Um volume estendido é basicamente um 
método para combinar o espaço de vários discos em um único volume. 
O Windows Server 2012 R2 escreve no volume estendido usando todo o 
espaço vazio do primeiro disco e depois indo para o próximo até o último 
disco. Você pode estender um volume estendido a qualquer hora 
aumentando o espaço livre disponível. Criar um volume estendido não 
aumenta a taxa de leitura e escrita do disco ou torna o volume tolerante 
a falhas. Na verdade, se apenas um dos discos falhar todos os dados do 
volume são perdidos. 
 Volume distribuído. Consiste em espaço de 2 a 32 discos físicos, todos 
devem ser discos dinâmicos. A diferença de um volume estendido para 
um volume distribuído é que em um volume distribuído, o sistema 
escreve em uma faixa por vez em cada disco do volume 
sucessivamente. Esse tipo de volume oferece desempenho maior pelo 
fato de cada disco do array (conjunto) ter tempo de busca a localização 
da sua próxima faixa de dados enquanto

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes