Buscar

Clareamento dental

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 7 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 7 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

O clareamento dental é uma técnica extremamente 
democrática, de impacto positivo na autoestima do paciente. 
“Quanto vale não ter um belo sorriso?”. 
 
Existem muitos fatores que podem influenciar a estética do 
sorriso, como: 
 presença de cárie 
 doença periodontal 
 ausências dentárias 
 restaurações inadequadas (na forma, na cor) 
 fatores genéticos 
 parafunsão 
 causas de escurecimento: fisiológicas (idade), patológicas 
(trauma, parafunsão, medicamentos, cárie), iatrogênicas 
(dentista, amalgama, endodontia mal feita). 
 
As técnicas de clareamento dental vêm como uma opção de 
tratamento muito conservadora e com alto efeito estético, alto 
impacto sobre os problemas de alterações de cor. 
 
Contexto histórico 
 Peróxido de Carbamida (peróxido de hidrogênio + uréia) 
O grande marco ocorreu na década de 60, quando Clubes 
Meier(ortodontista) resolveu utilizar um peróxido de carbamida 
10%..  esse agente era uma solução líquida para bochechos, 
recomendada na época para tratamento de gengivite, contudo, 
quando os pacientes voltavam após o uso, ele percebia que além 
de melhorar a gengiva, os dentes dos pacientes também 
clareavam. 
 
 Haywood e Heymann (professores de prótese) fizeram a 1ª 
publicação científica da “nov técnica de clareamento dental”. 
Resolveram limitar o contato do líquido clareador apenas aos 
dentes. Resolveram usar os líquidos em placas (de bruxismo). 
Artigo: “Clareamento dental com o uso de placa protetora”. 
Contudo, essa técnica não deu muito certo, pois quando se 
colocava o liquido na plaquinha da arcada inferior, este líquido 
escorria, assim, perceberam que teria que ser gel no lugar do 
líquido. Passaram a acrescentar espessantes com polímero que 
se chama carbopol; esse espessante propiciava uma liberação 
mais lenta ainda do oxigênio. Ainda havia o problema de os 
pacientes reclamarem que a placa era muito desconfortável, aí 
surgiram as placas de acetato, de silicone, que propiciam 
qualidade, fazendo o paciente aderir ao tratamento. 
 
 
 tudo que aquilo que vem de fora 
 hábitos alimentares  chá, café, bebidas, alimentos com 
corantes 
 vícios, como o cigarro 
 hábitos de higiene  acúmulo de placa 
 são situações mais fáceis de se resolver, até com uma 
limpeza consegue-se removê-las. 
 
 adquiridas durante a fase de formação dos dentes 
 Dentinogênese imperfeita 
 Fluorose 
 
Pré-irruptiva: 
 tetraciclinas; Fluorose 
 
Pós-eruptiva: 
 traumatismos  extravasamento de sangue por uma 
batida 
 Iatrogênicas: aberturas de canal mal realizadas 
 medicamentosas: 
 
Pigmentos por íons metálicos não saem no clareamento dental, 
pois este age em pigmentos orgânicos. Assim, sempre saber o 
que causou o manchamento. 
 
 manchas acastanhadas 
 podemos fazer uma microabrasão para tirar essas manchas 
acastanhadas e pode-se associar o clareamento para 
minimizar as manchas brancas. 
 a fluorose não conseguimos tirar, apenas fazer um disfarce, 
e durante o tratamento elas podem piorar, mas após 
reidratar elas melhoram. 
 
Desidratação é perder umidade, ele fica mais claro porque ele 
desidratou. Quando realizamos um isolamento absoluto o dente 
fica mais branco porque ele desidratou, não porque 
desmineralizou.  desmineralização é perder minerais. 
 
Pode-se fazer clareamento em crianças, contudo que seja bem 
feito, sob controle, no consultório. Indica-se a partir dos 13 anos, 
depois que a dentição já está completa. 
 
Dentes continuam a envelhecer conforme envelhecemos, com 
alterações na cor. 
 
 atentar-se aos dentes muito escuros, muito marrons ou 
muito cinzas. 
 um tratamento para manchamento com tetraciclinas leva 
em média 6 meses. 
 
Clareamento dental 
GABRIELA MACHADO ° ODONTOLOGIA UFSM 
 
 quando a maioria dos casos o tratamento se encerra em 
30 a 60 dias, os dentes manchados por tetraciclina 
começam a ter resultados nesse intervalo de tempo. 
 manchamento recidiva porque a tetraciclina se incorpora 
aos cristais de hidroxiapatita e conforme o dente vai sendo 
exposto, a tetraciclina se fotooxida. 
 
OBS: Dentes inclusos não tem machas porque não foram expostos à luz e a 
tetraciclina mancha quando exposta à luz pois tem fotooxidação. 
 
Existem 4 graus por manchamento, todos eles são manchas 
mais intensas do que o normal. 
 Graus 1 e 2: são manchas mais intensas, porém sem 
aspecto listrados, mais uniformes. 
 Graus 3 e 4: são manchas muito cinzas ou muito marrons 
com aspecto listrados, tem faixas, não são uniformes. 
Nestes casos a literatura mostra que o clareamento não 
funciona tão bem, mas vale sim a pena tentar um 
clareamento, antes de tomar medidas mais extremas como 
tratamento de canal, prótese e facetas. Nestes casos apesar 
de não funcionar tão bem o clareamento, ele atenua, 
melhora o aspecto da luminosidade. 
 
Quando fazemos clareamento aumentamos o valor do dente, ele 
se torna mais luminoso. 
 
 etiologia da alteração de cor e tempo de escurecimento 
 quantidade de estrutura dental remanescente 
 hábitos parafunsionais: aumentam a sensibilidade 
 condições endodônticas e se há ou não lesões periapicais 
 riscos e benefícios  indicar sempre a técnica que 
apresenta maiores benefícios e menores riscos. 
 longevidade do tratamento.  se o paciente tem hábitos 
alimentares com alimentos escuros, o tratamento dele vai 
durar menos, do que aquele outro paciente que não faz 
uso destes alimentos. 
 
 
Existem várias concentrações e na forma de géis, pasta, 
soluções, fitas, vernizes. 
 Peróxido de hidrogênio (PH) – 1,5% a 38%  H2O2 (puro) 
 Peróxido de carbamida (PC)– 10% a 37%  H2O2 + uréia 
(torna mais neutro, “biológico”, e se dissocia em amônia que 
facilita a penetração do O, pois aumenta a permeabilidade 
da estrutura dental) 
 Perborato de sódio  só para pacientes despolpados; obs: 
na forma de pó geralmente misturada em uma substância 
 Ácido clorídrico 
 
 quanto mais alta a [ ] menos tempo de uso. 
 22% de PC não é a mesma coisa que 22% de H2O2. 
 
H2O2 H2O2+ Uréia 
10% (puro) 3 a 5% de H2O2 + uréia 
Caseiro até 10%(4%,6%,7.5%) 
Consultório acima de 10% 
10%,16%, 
Consultório acima de 22% 
 
 Consultório: concentrações mais altas 
 uso caseiro pelo paciente e supervisionado pelo CD  CD 
deve fornecer o material para o paciente realizar o 
tratamento em casa; [ ] mais baixas; PH no máximo 10%. 
PC no máximo até 22% 
 PC 22% posso usar em casa, mas não o mesmo tempo, 
22% posso usar no máximo 2 horas. 
 H2O2 para usar em casa 10%, duas aplicações de 30 
minutos durante 14 dias. Usa-se 30 minutos porque é muito 
[ ], e se usar por mais tempo pode queimar toda a 
gengiva. 
 
Seleção do agente clareador à depender da técnica a ser usada. 
 
Todos os agentes clareadores agem da mesma maneira, por 
uma reação de oxirredução. 
O oxigênio que vem do agente clareador vai ataca a 
macromolécula orgânica do pigmento, dissolvendo ela (fazendo a 
quebra dessas cadeias) em partículas muito pequenas, que serão 
eliminadas por difusão da estrutura dental. Com isso vamos ter 
um clareamento lento e gradativo ao longo do tratamento. 
 
Pigmentos escuros  macromoléculas  quebra das 
macromoléculasdentes mais claros 
 
 causam desidratação não desmineralização; devido a alta 
concentração do produto, muito tempo de afastamento, menos 
contato com a saliva, etc. Assim podem causar sensibilidade. 
 
 
 
Desde 2015, a ANVISA determina que a destinação de materiais 
para clareamento dental a base de peróxidos de hidrogênio, em 
concentrações acima de 3% fica sujeita à venda sob prescrição 
profissional legalmente habilitado, na forma de receita simples. 
Resolução – RDC n° 6, de 6/02/2015 da ANVISA. 
 
 ouvir o paciente 
 precisa radiografar para verificar a presença de endodontia 
(bem feita ou não), calcificação total ou parcial (altera a 
coloração), reabsorção, manchas brancas por 
hipocalcificação (fluorose ou hiperplasia). 
 estabelecer o diagnóstico para estabelecer o que causou a 
alteração de corpara selecionar a melhor técnica. 
 importante tirar fotos iniciais para registrar a cor. 
 usar uma escala de cor Vita ou Vita Master 3D para 
selecionar a cor inicial.  anotar essa cor inicial na ficha do 
paciente 
 
O paciente deve estra com a saúde bucal em dia, ou seja, não 
pode ter dor, cárie, doença periodontal, os dentes devem estar 
limpos, sem tártaro, manchamentos extrínsecos como nicotina, 
corantes ou placa pigmentada, etc.
 quando todos os dentes são da mesma cor → clarear 
primeiro uma arcada para o paciente comparar com a 
arcada antagônica. 
 quando o paciente tem alguns dentes mais escuros → 
começar pelos mais escuros até emparelhar e só então 
clarear todos juntos. 
 quando o canino é muito escuro → começar por ele, uma 
semana antes pelo menos até emparelhar e só então 
clarear todos juntos 
 a cada revisão podem ser feitos ajustes no tempo de uso, 
tipos e concentrações nos géis clareadores.
 verificar a resposta de cada dente.
 
No caso da sensibilidade persistir: 
 verificar se é de origem gengival (pode ser pelo uso da moldeira) 
ou dentária. 
 suspensão total do clareamento por alguns dias até sumir a 
sintomatologia dolorosa e depois retomar ao tratamento (2-3 dias 
quando for gengival e após ajuste da moldeira) 
 espassar o uso do clareador passando a usar em dias intercalados 
 ex: 1 dia de uso e 1 dia de pausa ou 1 dia de uso e 2 dias de 
pausa 
 alterar o tipo de gel  ex: passar de PH para PC 
 mudar a concentração do gel; ex de PC 16% para 10% 
 indicar, nos casos de sensibilidade moderada, durante o período 
do clareamento, a utilização de cremes dentais desensibilizantes 
que apresentem em sua composição nitrato de potássio e 
fluoreto de sódio (Ex: Sensitive – Colgate, Sensodyne- GSK) 
 e em alguns casos quando todas as estratégias já citadas não 
forem eficazes pode-se optar pela troca de marca comercial  
reação alérgica 
Reforço de que a durabilidade depende do paciente e suas 
revisões periódicas ao dentista, para efetivas profilaxias e 
remoção de manchas extrínsecas, tártaro, etc. Além de retoques 
necessários. 
 
 Técnica Imediata 
 Técnica Mediata  Walking-Bleach e Inside/Outside 
 Associação de técnicas 
 
 Clareamento Convencional – consultório 
 Clareamento caseiro supervisionado 
 Associação de técnicas 
 Microabrasão  não é clareamento, é uma opção de 
tratamento para manchas focais ou generalizadas fluoróticas 
ou hipoplásicas, que não se usa agentes oxidantes usam-se 
ácido + abrasivo. 
 
 
Os dentistas sabem diagnosticar as causas da alteração de cor; 
precisa fazer uma preparação dos dentes para se fazer 
clareamento; não se pode fazer clareamento em cima de cálculo 
e é diferente em dentes com endodontia, prótese, um dente 
mais escuro, um dente todo restaurado; atualmente o 
clareamento dental é banalizado. 
 
 Peróxido de hidrogênio 10% 
 2 aplicações de 30 min durante 14 dias. 
 paciente pode usar, mas devemos estabelecer como vai 
usar, fazer a preparação (limpeza inicial, revisão para ver se 
não tem cárie, avaliação do tecido periodontal) e controlar, 
revisar o uso das tiras. 
 não é a melhor opção de tratamento, nem a que dá 
melhor resultado. 
 
Desvantagens: 
 tira é de tamanho único e para algumas pessoas vai até 
pré-molar, no máximo 2º pré-molar e para outras mal 
alcança o canino 
 pega direto na papila causando sensibilidade gengival e 
queimaduras químicas 
 não são confortáveis, caem da boca 
 paciente gastará muitas tiras para alcançar o mesmo 
resultado da técnica caseira supervisionada com moldeira. 
 possível aplicação: retoque. 
 
Técnica caseira supervisionada com 
moldeiras 
 
 quando o paciente já tem a placa de clareamento, solicitar 
que traga a placa para revisão e verificação se está bem 
adaptada, recortada e só depois entregar o material 
necessário e acompanhar. 
 tem se dado preferência para começar o tratamento com 
peróxido de carbamida 10% inclusive para verificar se o 
paciente tem sensibilidade ou reação alérgica, além de 
proporcionar um clareamento de maneira uniforme pela 
liberação lenta e gradual 
 oxigênio liberado atravessa a estrutura dental de vestibular 
para lingual, de lingual para vestibular, atravessa a polpa 
também.  esse fluxo de oxigênio através da polpa pode 
gerar sensibilidade, por isso é preferível começar 
lentamente, com géis menos concentrados. 
 
A técnica caseira deve ser acompanhada porque também tem 
efeitos colaterais; desmitificar a ideia que caseiro é caseiro. Na 
verdade, o clareamento caseiro tem muito mais efeitos colaterais 
porque é negligenciado e considerado simples. 
 
A técnica caseira não é rápida e o paciente vai se acostumando com a nova 
cor dos dentes, pois o clareamento vai acontecer gradativamente e o paciente 
vai perdendo a noção de como clareou, por isso, julga que não está clareando 
e se desmotiva. Por isso que uma estratégia a ser feita é clarear uma arcada 
por vez, para que o paciente tenha como termo de comparação a coloração 
da arcada antagônica. Então, começa-se pela arcada superior e depois clareia a 
inferior, para que o paciente perceba a alteração da cor. Pelo menos por duas 
a três semanas que é o tempo que leva para notarmos bem o contraste entre 
as arcadas. Tem casos que em apenas uma semana o paciente já nota como 
clareou. E o que se precisa é o paciente ver a alteração da cor, porque nós 
vamos revisar ele semanalmente, mas ele se enxerga todos os dias. Se o 
paciente não percebe, ele não acredita, não se motiva, não faz o tratamento. 
 
1. Moldagem com alginato 
2. Obtenção de modelos em gesso 
3. Confecção da moldeira em boca: prova e ajuste da 
moldeira em boca. Só então entregar as moldeiras e 
fornecer a bisnaga para o paciente. 
 
Entregar as recomendações para o paciente por escrito e em 
duas vias  uma via assinada pelo paciente fica na ficha do 
paciente para o dentista saber o protocolo que foi recomendado. 
 
 primeiro fazer higienização (fio dental e escovação) 
 aplica o gel dentro da placa 
 leva a placa até a boca 
 espalha levemente sobre os dentes com movimentos 
horizontais e verticais bem suaves e segue o protocolo 
conforme a concentração do gel. 
 remover os excessos que extravasarem com cotonete, 
gaze ou algodão. 
 revisões periódicas (semanalmente): a primeira semana é 
muito importante porque é quando o paciente terá dúvidas, 
usará errada, terá sensibilidade e o retorno será o 
momento para maiores esclarecimentos.  importante 
revisar a gengiva, pesquisar sensibilidade, ardência na 
garganta ou língua, ocasionada pela colocação de muito 
agente clareador ou/e sua consequente deglutição. 
 
 
 manchas brancas nos dentes ocasionadas por fluorose ou 
por hiperplasia podem se tornar mais evidentes com a 
técnica caseira de clareamento porque a placa de 
clareamento inibe o contato do dente com a saliva e o 
dente desidrata.  toda macha que é hipocalcificada ao ser 
desidratada, fica mais branca e saliente. 
 é opcional fazer um alívio nas placas de clareamento para 
colocar mais gel nos dentes mais escuros. ou fazer a placa 
sem alívio e na primeira semana clarear só os dentes mais 
escuros. 
 as placas de clareamento são totalmente recortadas com 
as papilas aliviadas. 
 se a opção escolhida foi fazer o clareamento no consultório 
com peróxido de hidrogênio 35%, por exemplo, alertar o 
paciente que haverá um fluxo maior de oxigênio através do 
dente e as moléculas poderão se chocar e gerar uma 
faísca elétrica que gera dor 
 atentar-se aos ‘”Bleachholic” ou viciados em clareamento . 
 saíram do mercado, 
continham peróxido de carbamida 18%, eram tipo um 
errorex; denominados Single White® da Colgate. 
 
Tem trabalhos que mostram que os agentes clareadores diminuem a aderência 
bacteriana e o dente fica menos suscetível ao acúmulo de placa espessa → o 
halo do agente clareador foi igual ao halo do digluconato de clorexidina. O 
oxigênio é um agente antibacteriano. O clareamento podeser um recurso para 
diminuir a aderência de bactérias cromogênicas (bactérias da flora não 
patogênica que morrem junto ao dente e deixa o dente manchado). 
 
 ser uma Técnica simples e de fácil aplicação 
 requer pouco tempo de atendimento clínico 
 custo reduzido 
 utiliza produtos e materiais disponíveis e acessíveis 
 emprega agentes clareadores brandos, sendo assim mais 
segura 
 pode ser empregada em vários dentes simultaneamente 
 não emprega calor 
 não promove alterações estruturais no dente e periodonto 
 não promove alterações sobre materiais restauradores 
 apresenta boa resposta inicial e bom prognóstico 
 é de fácil repetição, do caso de ser necessário um 
retratamento 
 apresenta baixa incidência de efeitos secundários 
 é um método orientado e supervisionado pelo dentista 
(vantagem em relação aos métodos de uso direto pelo 
consumidor) 
 
 é aplicado pelo paciente, ficando sujeito à sua colaboração 
 requer em média de 4 a 6 semanas para completar o 
tratamento 
 emprega uma moldeira que pode ser desconfortável para 
o paciente 
 alguns pacientes apresentam sensibilidade dental durante o 
tratamento 
 não é possível prever com exatidão a longevidade dos 
resultados 
 
 
 Peróxido de hidrogênio 15%, 20%, 30%, 35% 
 Peróxido de carbamida 35% a 37% 
 Perborato de sódio 
 Sem luz 
 Com luz: fotopolimerizador, LED, LASER  otimiza o 
tempo da sessão clinica podendo fazer mais aplicações em 
uma única sessão 
 
EX: 
 Whiteness HP blue: mistura na hora, com compartimentos 
pré dosados. 
 Whiteness HP automixx: tem uma ponta misturadora  
permite mais de uma vez o uso. 
 
Conduta clinica 
: 
 Conduta inicial completa e personalizada: preparo prévio do 
paciente para o clareamento  RAP, limpeza convencional 
e/ou jato de bicarbonato de sódio (não fazer na mesma 
sessão do clareamento porque o Na neutraliza o clareador) 
 Lubrificar lábios 
 Isolamento relativo modificado 
 Barreira gengival  1-2 mm da cervical do dente 
 Aplicar o gel clareador sobre os dentes da maneira que o 
fabricante recomenda 
 Ler a bula para ver como mudar de cor cada material 
 O gel começa a borbulhar e, com um microbrush, agita-se 
o gel para mantê-lo em contato com o dente. 
 Após, aspirar o gel com uma cânula e lavar 
abundantemente 
 Reaplicar mais uma ou duas vezes por sessão. 
 Remover a barreira gengival 
 Faz um polimento para remover possíveis resíduos 
 Pode-se aplicar dessensibilizante antes ou depois  
depende do paciente 
 Avisar sobre o risco de sensibilidade, principalmente nas 
primeiras 24 horas. 
 
Se o paciente relatar sensibilidade no momento da lavagem, não 
fazer a reaplicação do gel. Tem géis que preconizam uma única 
aplicação de 40 min ou 50 min. 
 
 a luz não clareia, mas acelera, catalisa a reação. 
 a melhor é uma fonte híbrida LED-LASER de baixa 
potência que diminui a chance de sensibilidade porque tem 
um efeito anti-inflamatório. 
 a fonte de luz deve ser uma fonte de calor brando, que 
não aquece a polpa e interage com a coloração do gel 
numa reação fotossensibilizada, acelerando a liberação do 
oxigênio para entrar no dente e fazer o clareamento. 
 o LASER agiliza o clareamento e nos dá a possibilidade de 
aplicarmos mais de uma vez o gel clareador por sessão 
 indicativo principalmente em dias frios 
 
 
Desvitalizados, tratados endodônticamente. 
Quando temos um dente sem polpa não significa que ele está 
morto, porque ele ainda possui ligamento periodontal (vitalidade 
periodontal). 
 
Dentes despolpados tendem a recidivar novamente, além de 
serem casos mais complexos (como as alterações por 
medicamentos). Assim, sempre que possível, associar técnicas 
porque se tem um resultado mais rápido e duradouro. 
 
 quando existir material endodôntico na câmara coronária ou 
em até 2mm do 1/3 cervical radicular 
 quando o dente vem com material temporário 
imediatamente após a endodontia. 
 quando existe restauração em RC do acesso palatino em 
condições inadequadas- infiltração e manhamentos 
acentuados, cárie recorrente ou degradação severa. 
 tais situações irão implicar em realizar abertura coronária ou 
correção da mesma, então aproveita-se esta situação para 
realizar o clareamento através da aplicação de agentes 
clareadores interna e externamente (na câmara pulpar e 
coroa) que podem ser usados de forma imediata (PH 15%, 
20%, 35%, 38%) ou mediata como curativos na câmara 
pulpar(perborato de sódio+ PH ou PC / somente PC22%, 
35%) 
 
 quando o dente está sem material endodôntico na câmara 
coronária ou região cervical, a restauração da face palatina 
está em ótimas condições de coloração, selamento e 
integridade ou em casos de recidiva de cor após alguns 
anos da realização de um clareamento com sucesso. 
 nestes casos faz-se a aplicação somente de forma externa, 
dos seguintes agentes clareadores: PH15% a 38% nas 
técnicas imediatas de consultório e/ou PH 6,5 - 9% ou PC 
16%-22%nas técnicas caseiras constituindo assim um 
clareamento por associação de diferentes técnicas porém 
mantendo o dente fechado 
 esta é uma tendência pois evita-se desgaste dental adicional. 
 
Esta opção pode ser realizada até o momento em que não se percebe mais 
alteração de cor então, se neste momento o dente já está claro o sucesso é 
obtido caso contrário, pode-se partir para uma técnica aberta, mas o tempo 
necessário de dente aberto é muito menor o que implica num risco de fratura 
menor 
 
1. Técnicas imediatas (in office): técnica de 
consultório pode ser utilizada para dentes submetidos a 
tratamento endodôntico. Isola o dente, coloca o gel por dente e 
por fora do dente, se ele está aberto. Para dentes já 
restaurados, só clarear por fora, não abrir o dente. Moldar esse 
dente, fazer a placa e associar as técnicas de clareamento no 
consultório e em casa. 
 
2. Técnicas mediatas (curativos): consultório + 
curativos; quando o dente está aberto, coloca-se um curativo 
dentro da câmara pulpar e sela-se com material provisório. 
Técnica de clareamento mais rápida e com resultados melhores. 
Realizada parte no consultório e parte o paciente vai embora 
com curativo. 
 
Técnica Walkin-Bleach: 
 perborato de sódio e água oxigenada. Ex.: Whiteness 
Perborato® 
 
Técnica Inside/Outside: 
 clareamento simultâneo de fora para dentro (outside) e de 
dentro para fora (dente aberto, curativo, colocar o gel 
dentro do dente - inside). 
 utiliza gel de peróxido de carbamida 35-38% por dentro e 
por fora do dente. 
 diferença entre as duas técnicas acima é o tipo de curativo. 
 
3. Associação de técnicas 
Atualmente esta é a tendência; quanto mais escuro, quanto mais 
complicada for a situação, indica-se associar técnicas para ter 
resultados mais rápidos e mais duradouros. 
 
Etapas 
 abertura adequada 
 tirar resíduos de câmara pulpar 
 fazer a desobstrução da gutapercha em torno de 4mm 
 fazer um tampão mecânico e biológico hidróxido de cálcio 
+ resina flow ou ionômero de vidro 
 para isolar os cones de guttapercha do contato com o 
agente clareador por meio de um tampão confeccionado 
com CIV e Ca(OH)2. 
 o tampão isola a região e diminui o risco de reabsorção 
cervical por extravasamento do O que pode lesar as células 
do ligamento periodontal e causar uma reabsorção do tipo 
inflamatória. 
 reabsorção radicular e coronária não tem a ver com um 
tratamento clareador mal realizado, mas a reabsorção 
cervical sim. 
 aplicar a pasta curativo com perborato de sódio e água 
oxigenada 
 as vezes precisa esperar a polimerização, como nos casos 
de CIV 24 horas  a flow não precisa esperar 
 
 Limpeza (pode ser feita com condicionamento ácido). 
 Aplicação do curativo com perborato de sódio 
 Em cima vai uma bolinha de algodão e um material selador 
temporário, CIV ou resina composta recoberta por um 
agente adesivo. 
 
 Intervalo: 48-72h a 7d 
 Número: até 4 trocas; se em 4 trocas não se obteve o 
resultado, não se deve insistir mais devido à baixa 
resistência dosdentes tratados endodonticamente e a 
maior chance de quebrar. 
 
 clareamento bem conduzido, bem feito, sob supervisão de 
um profissional, feito dentro do rigor técnico não 
enfraquece os dentes. 
 o tempo para retoque do clareamento depende dos 
hábitos do paciente.  pelo menos 1 ano; média 3 anos. 
 dente com endo e sob clareamento: recomendar o 
paciente que não use esse dente, pois é um dente que já 
perdeu muita estrutura e está muito fragilizado, evitando o 
risco de fratura. 
 
Região cervical de dentes despolpados com alterações 
cromáticas é a área mais resistente. 
 
 
O clareamento dental deve ser feito (quase sempre) antes de 
fazer um tratamento restaurador em um paciente. Melhorar o 
aspecto da cor dos dentes antes de realizar qualquer 
procedimento restaurador. 
 
 esperar 7 a 14 dias. Não pode 
restaurar no mesmo dia que acabou o tratamento clareador 
porque o dente está cheio de oxigênio que inibe a polimerização 
da resina e teremos uma restauração não adesiva → fazer 
restauração provisória com CIV que não sofre com a ação do 
oxigênio. Além disso, espera para estabilização da cor. 
 
 
 clareamento por associação de técnicas porque teremos 
um efeito mais rápido e mais duradouro. 
 associar técnicas em casos mais severos. 
 personalizar os tratamentos (PersonalBleaching) em 
Odontologia Estética. 
 a melhor opção é aquela que traz o melhor resultado. 
 
 
 clareador desmineraliza mas logo a saliva remineraliza 
novamente. 
 consumo de alimentos como açaí, café, refrigerante, vinho, 
etc não alteram o resultado final do clareamento  ou 
seja, “dieta branca” não é necessária 
 fumantes tem maior descoloração que não fumantes. 
 fazer uma profilaxia é essencial para manter o clareamento 
em pacientes fumantes. 
 para pacientes fumantes deve-se iniciar a profilaxia 
associada ao clareamento e sempre informar que a cor 
retorna mais rápido devido a nicotina. 
 Luz: termocatálise ou fotólise 
 clareamento com luz e caseiro por 8 horas  dor 
 agente abrasivo não é clareador, ele apenas reduz a 
necessidade de profilaxia profissional. 
 charcoal: sem evidências de efeito clareador. 
 clareamento caseiro e de consultório apresentam o mesmo 
resultado final de clareamento. 
 clareamento de consultório tem efeito “reboard” porque 
tem um efeito de desmineralização e desidratação maior, 
não necessariamente por repigmentação  novos géis 
são mais estáveis com pH maior, possuem agente 
dessensibilizante e apresentam maior longevidade do 
clareamento. 
 quanto mais alcalino melhor o padrão de clareamento e 
menor a sensibilidade. 
 trincas, fendas, gaps: podem gerar mais sensibilidade  
entra mais peróxido no dente 
 
 Antes do início da aplicação do agente clareador, higienizar 
bem os dentes com as escovas e pastas indicadas pelo 
profissional. 
 Aplicar o agente na moldeira, uma gota (casulo da 
moldeira), nas regiões que foram indicadas pelo cirurgião 
dentista. 
 Levar a moldeira á boca e ajustá-la aos dentes com os 
dedos. 
 Remover os excessos que extravasarem da moldeira com 
a ponta dos dedos ou com auxílio de cotonete, gaze ou 
algodão. 
 Não utilizar durante o procedimento do clareamento dental 
enxaguatório bucal que contenha clorexidina ou cloreto de 
cetylpyridinium. (Ex: Periogard, Nuplack, Cepacol). 
 Manter a moldeira durante _ horas seguidas ou dividir as 
aplicações diárias _ de _ horas. (isso será personalizado 
pelo profissional de acordo com o caso) 
 Caso a moldeira apresente algum desconforto durante a 
sua utilização, interromper o uso e comunicar ao 
profissional. 
 Após o período do clareamento, remover a moldeira e 
enxaguar bem a boca com água. 
 Lavar bem a moldeira antes de guardar com água pura e 
escova dental. 
 Em caso de sensibilidade dentária, remover todo o gel 
clareador da moldeira lavando-a e aplicando desensibilizante 
indicado pelo profissional no interior da mesma por um 
período de 1 a 5 minutos. 
 Caso necessário está indicado a utilização de um analgésico, 
ou quando muito acentuado o desconforto a prescrição de 
um antiinflamatório. 
 Em caso de sensibilidade exacerbada, irritações nas 
gengivas ou náuseas, interromper a utilização e entrar em 
contato com o seu dentista imediatamente. 
 Evitar alimentos ácidos e com corantes artificiais após o 
procedimento. As 48 horas pós clareamento são mais 
críticas, logo, deve-se evitar a ingestão de substâncias que 
tenham corantes. (Ex: café, chocolate, refrigerante à base 
de cola, molho vermelho, beterraba, vinho tinto, etc). 
 Evitar o fumo. 
 Se houver restaurações estas ficarão mais contrastantes 
com a cor dos dentes durante o clareamento e poderão 
necessitar de substituição após concluído o tratamento 
sendo necessário aguardar de 7 14 das para esse 
procedimento restaurador. 
 Em caso de duvida entrar em contato com o profissional 
imediatamente pelo telefone _ 
 O retorno para revisão está previsto para _ 
 A cor inicial dos dentes é _ (fazer este procedimento com 
o paciente visualizando as escalas de cor junto aos dentes 
com o profissional e paciente concordando com a seleção) 
 
 
Apostila Clareamento dental ao alcance de todos; Profa. Roselaine 
Pozzobon. 
 
Mitos e evidências sobre o clareamento dental com Dr. 
Alessandro Loguercio: https://youtu.be/Z8ZTemT7uNM

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes