Buscar

HIV1

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 5 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

HIV
· História
· Junho 1981 - 5 casos de Pjirovecii em homossexuais
· Outros casos de imunodeficiência em homossexuais
· Homo/bissexuais: 90% dos casos
· 1982 novos de casos semelhantes, mas:
· Usuários de drogas injetáveis Hemofílicos Pacientes de transfusão
· Heterossexuais caribenhos/africanos
· Sobre o vírus
· É um retrovírus, pertence a familia Retroviridae, gênero Lentiviridae
· Seis retrovírus humanos: HTLV 1,2 3 e 4 e HIV 1 e 2
· HIV, 1 circula em todo mundo, enquanto o HIV 2 principalmente na África ocidental
· Classificação filogenética: 
· Grupos HIV.1 (IM, N, 0, P)
· Subtipos do grupo M: A, B*, C, D, E, G, H, J, K
· Sub-subtipos: A (Al-AS), F (Fl e F2)
· Estrutura do vírus
· Proteínas gp120 e gp41
· Capsídeo P24
· Transcriptase reversa ligase e protease
· Replicação - já estudada
· Transmissão
· Sexual 
· Heterossexual é homossexual
· Parenteral 
· Sangue e hemoderivados
· 1993 - início da testagem do sangue
· Vertical 
· Gestação
· Intraparto
· Amamentação
· Onde o vírus está? 
· Sangue
· Sêmen
· Secreção vaginal
· Leite materno
· Outras secreções que estejam com sangue
· Não contém o vírus 
· Saliva, urina, fezes, vômito
· Situações que a transmissibilidade do HIV é maior 
· Tipo de exposição 
· sexual vaginal receptivo, sexual anal receptivo, insertivo anal ou vaginal, oral, percutânea, mucosa... Tipo de agulha, material biológico...
· Presença de outras ISTs
· Carga viral do portador do vírus HIV
· Imunidade do indivíduo exposto
· Sexo anal com receptivo é o que tem maior chance de transmissão
· Quanto tempo vírus dura fora do corpo
· Em média 60 minutos
· Fisiopatogenia
· Deficiência progressiva quantitativa e qualitativa dos linfócitos T CD4
· Células alvo do HIV:
· Linfócitos T CD4 e Macrófagos
· Outros alvos: células dendríticas, megacariócitos, linfócitos B, células NK e outras 
· Reservatório, distribuição, disfunção, destruição
· Passo a passo da fisiopatogenia
8. Entrada
8. Localização em tecido linfóide
8. Ativação do Sistema Imune
8. Eliminação parcial do HIV (Resp Imune)
8. Amplificação do número de partículas virais
8. Perda progressiva da resposta imune
8. Destruição do tecido linfóide
8. SIDA
· Síndrome retroviral aguda (SRA)
· Geralmente ocorre entre a primeira e terceira semana após a infecção
· 50% a 90% dos indivíduos infectados apresentam SRA.
· Os principais achados clínicos: 
· febre, adenopatia, faringite, exantema, mialgia e cefaleia.
· Podem ocorrer ainda 
· esplenomegalia, letargia, astenia, anorexia. Sintomas digestivos, como náuseas, vômitos, diarreia, perda de peso e úlceras orais podem estar presentes.
· Pode ocorrer também quadro de meningite asséptica, neurite periférica sensitiva ou motora, paralisia do nervo facial ou síndrome de Guillain-Barré.
· A SRA é autolimitada e a maior parte dos sinais e sintomas desaparece em três a quatro semanas. Linfadenopatia, letargia e astenia podem persistir por vários meses.
· Latência clínica
· Segue como uma pessoa normal - contagem de TCD4 ainda é estável
· Fase sintomática
· Leucoplasia oral pilosa
· A medida que a infecção progride, sintomas constitucionais (febre baixa, perda ponderal, sudorese noturna, fadiga), diarreia crônica, cefaleia, alterações neurológicas, infecções bacterianas (pneumonia, sinusite, bronquite) e lesões orais, como a leucoplasia oral pilosa, tornam-se mais frequentes, além de herpes-zoster. Nesse período, já é possível encontrar diminuição na contagem de LI CD4+, situada entre 200 e 300 células/mm°
· AIDS critérios
· Critério do CDC modificado 
· Evidência laboratorial de infecção pelo HIV
· 
· CD4 < 350 células OU Doenças Indicativas de AIDS
· Critério do Rio de Janeiro/Caracas 
· Evidência laboratorial de infecção pelo HIV ≥ 10 pontos de acordo com escala de sinais/sintomas ou doenças
· AIDS critérios severos
· Estágios clínicos da OMS
· Diagnóstico
· Definitivo: laboratorial! 
· Dois ou mais testes combinados (diferentes metodologias ou fabricantes diferentes se mesma metodologia)
· Imunoensaios de terceira e quarta gerações
· Testes rápidos - testa apenas anticorpos 
· Não funciona na fase aguda menores que 2 semanas
· Western blot, imunoblot e outros
· Teste molecular 
· RV-PCR
· Pegaria na fase aguda
· Fluxograma
16. Dois testes rápidos de fabricantes diferentes (TRI e TR2) são usados sequencialmente
16. TRI-FO e TR2
16. Imunoensaio de 4ª geração seguido de Teste Molecular.
16. Imunoensaio de 3ª geração seguido de teste molecular
16. Imunoensaio de 3ª geração e western blot, imunoblot ou imunoblot rápido como teste complementar
16. Imunoensaio de 4ª geração e western blot, imunoblot ou imunoblot rápido como teste complementar
· O que fazer após o diagnóstico
· Abordagem inicial 
· Estabelecer uma boa relação médico-paciente
· Orientações quanto a práticas de risco, histórico médico atual e passado, doenças familiares, histórico psicossocial
· Exame físico completo
· O que o paciente deverá saber ao fim da primeira consulta? 
· O que o paciente deverá saber ao fim da primeira consulta?
· Como o vírus causa a doença;
· A diferença entre ser infectado pelo HIV e ter SIDA;
· A importância da contagem de LT-CD4+ e o exame de CV;
· Como outros podem se infectar e como isso pode ser evitado;
· Como a terapia antirretroviral (TARV) funciona e qual a sua utilidade;
· Bom prognóstico
· IST e hepatites virais devem ser evitadas
· E possível infectar-se com outra cepa mais patogênica ou resistente do HIV (reinfecção, superinfecção)
· Testes laboratoriais planejados e sua utilidade para tratamento futuro
· Tratamento 
· O inicio da TARV está recomendado para todas as PVHIV, independentemente do seu estágio clínico e/ou imunológico - tratamentos o quanto antes 
· Evita disseminação
· Melhora prognóstico
· Redução da morbimortalidade
· Redução da tuberculose
· Opções terapêuticas cômodas é bem toleradas
· Situações de prioridade para início da TARV 
· PVHIV sintomática
· LT-CD4+ <350 céls/mm'
· Gestante
· Tuberculose ativa
· Risco cardiovascular elevado (20%)
· TARV como prevenção 
· TARV como prevenção:
· Níveis baixos de CV sérica do HIV estão associados a menores concentrações do vírus nas secreções genitais
· Assim, uma pessoa com HIV, sem nenhuma outra IST, seguindo TARV corretamente e com CV-HIV suprimida, tem minimas chances de transmitir o HIV pela via sexual.
· O uso do preservativo continua sendo recomendado como forma de cuidado adicional para evitar reinfecção pelo HIV e para prevenção de outras IST e hepatites.
· Classes de retrovirais 
· Classes de antirretrovirais:
· Inibidores da transcriptase reversa
· Análogos de nucleosídeos/nucleotídeos -> ITRN
· Não análogos de nucleosídeos/nucleotídeos-> ITRNN
· Inibidores de protease-› IP
· Inibidores da integrase
· Inibidores da fusão
· Antagonistas de CCR5
· Como iniciar?? 
· Primeira linha: TDF+ 3TC+ DTG (inclusive para gestantes e MVHIV em idade fértil)
· Profilaxias para infecções secundárias 
· Primárias: para previnir infecções secundárias 
· Quando o CD4 está menor que 200
· Pois há grande risco de Pneumocistose e Neurotoxoplasmose 
· SMT + TMP 2cp/dia ou 1 cp/dia ou cp 3 vezes na semana
· Secundárias: pessoa que já tem ou está com infecção oportunista 
· De acordo com a infecção oportunista apresentada e recuperação do CD4 
· PCP: SMT+TMP 2cp/dia
· NTX: SPAF
· Neurocriptococose: Fluconazol
· MAC: Azitromicina

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes