Buscar

Estudo de caso2

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Universidade da Amazônia 
Curso: Biomedicina 
Disciplina: Tópicos Integradores II 
Professora: Paula Frade 
Nome: BRUNA GEOVANNA DANTAS ANADIAS 04072794 
 
ESTUDO DE CASO 2 
 
1. Qual o padrão ouro para diagnóstico de sífilis? 
R= Testes treponêmicos e não treponêmicos 
 
2. O que são testes treponêmicos? Cite um exemplo e explique como é realizado. 
R= Os testes treponêmicos são testes qualitativos e indicam se o usuário teve contato com o 
patógeno treponema pallidum em algum momento da sua vida e desenvolveu anticorpos 
específicos. 
FTA-ABS. Esse teste é realizado utilizando uma técnica de fluorescência indireta. Em uma 
lâmina de vidro, o treponema pallidum é fixado em áreas demarcadas e a amostra diluída é 
colocada sobre essas demarcações. Caso a amostra contenha os anticorpos antitreponema 
pallidum, quer dizer que o paciente é reagente e caso não haja esses anticorpos, o resultado 
é negativo. 
A amostra desse teste deve ser diluída a 1-5 com um extrato de cultura de treponema Reier 
não patogênico. Essa diluição é feita para remover os demais anticorpos treponêmicos que 
são comuns a outros não patógenos, deixando a amostra mais limpa para um melhor e mais 
preciso resultado. 
 
3. O que são testes não treponêmicos? Cite um exemplo e explique como é realizado. 
R= São testes que detectam anticorpos não treponêmicos. Esses anticorpos não são 
específicos para Treponema pallidum, porém estão presentes na sífilis. Um exemplo é o 
VDRL. 
É realizado em uma placa escavada, escolhe os poços para dividir em controle positivo, 
negativo e o soro teste (do paciente). Com uma pipeta adiciona 50 µl de cada controle e de 
soro teste na demarcação feita anteriormente. Depois é adicionada 20 µl da suspensão 
antigênica (já homogeneizada, do VDRL) em cada um dos controles e do soro. A placa é 
colocada em agitação por 4 minutos a 180RPM. Na sequência, a placa é visualizada em 
microscópio e a reação positiva seria vista pela presença de agregados médios e grandes e 
a reação negativa seria a ausência desses agregados. 
Nesse teste, o soro deve ser diluído 1-10 para que não ocorra um efeito prosona. que pode 
levar a resultados falso-positivos. 
Os agregados são a floculação, que são aglomerados na solução resultante.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes