Buscar

Título do tema- ISS

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Podcast 
Disciplina: Tributação sobre o consumo e o lucro 
Título do tema: ISS – Imposto sobre Serviços 
Autoria: João Paulo Carniato Genta 
Leitura crítica: Camila Carniato Genta 
 
Olá, ouvinte! No podcast de hoje vamos falar sobre a nova lei altera 
recolhimento do ISS para município onde serviço é prestado. O Presidente da 
República sancionou, sem nenhum veto, a Lei Complementar 175/2020, que 
estabelece regras para o recolhimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer 
Natureza (ISS). 
A referida Lei foi publicada no Diário Oficial da União em 24 de setembro de 
2020 e altera o local da incidência do aludido imposto, a fim de que tal tributo 
seja recolhido no município onde está situado o cliente (no caso, o consumidor 
do serviço), e não mais no município onde se encontra localizado o 
estabelecimento do prestador, como determinada a Lei Complementar 
116/2003. 
A nova legislação é originária do Projeto de Lei Complementar (PLP) 170/2020, 
texto que prevê novas regras para o recolhimento do ISS pelo município do 
consumidor, e não pelo município da empresa ou profissional que presta o 
serviço. 
Contudo, a mudança no recolhimento não ocorrerá de maneira imediata. Em 
verdade, será gradativa e deverá estar completa até o ano de 2023. Além 
disso, nem todos os serviços estarão sujeitos à alteração do local do 
recolhimento do ISS. 
Os serviços que terão a arrecadação transferida para o destino do consumidor 
são os de planos de saúde e médico-veterinários; de administração de fundos, 
consórcios, cartões de crédito e débito, carteiras de clientes e cheques pré-
datados; e de arrendamento mercantil (leasing). 
A Lei Complementar 175/2020 foi editada para regulamentar alterações que já 
constavam da Lei Complementar 157, de 2016, que transferiu a competência 
da cobrança desse imposto do município onde fica o prestador do serviço para 
o município onde o serviço é prestado ao usuário final. 
Além disso, a Lei Complementar 175/2020 também criou o Comitê Gestor das 
Obrigações Acessórias do Imposto sobre Serviços (CGOA), que tem como 
objetivo a elaboração de regras unificadas e obrigatórias, que devem ser 
utilizadas por todos os municípios do país e pelo Distrito Federal. 
 
 
W
B
A
0
9
8
8
_V
1
.0
 
 
 
O Comitê Gestor das Obrigações Acessórias do Imposto sobre Serviços 
(CGOA), segundo a referida lei, será composto por dez membros, dois de cada 
região: um representante das capitais do Norte, Nordeste, Centro-Oeste, 
Sudeste e Sul e outro das cidades do interior de cada região. Os 
representantes das capitais serão escolhidos pela Frente Nacional de Prefeitos; 
e os das cidades interioranas deverão ser indicados pela Confederação 
Nacional dos Municípios (CNM). 
Além disso, pela Lei Complementar 175/2020, o ISS deverá ser declarado por 
meio de sistema eletrônico unificado para todo o país, devendo ser lançado até 
o 25º dia do mês seguinte à prestação do serviço. O referido sistema será 
desenvolvido pelos contribuintes, individualmente ou em colaboração, 
obedecendo layouts e padrões que forem determinados Comitê Gestor das 
Obrigações Acessórias do Imposto sobre Serviços (CGOA). 
Fonte: Agência Senado. 
Este foi nosso podcast de hoje! Até a próxima!

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

97 pág.

Perguntas Recentes