Buscar

Pe-de-Cultura-2-Carnaval

Prévia do material em texto

Festas e tradições regionais
CARNAVAL
ESTADOS EM DESTAQUE
BAHIA, MINAS GERAIS, PARÁ, PERNAMBUCO, RIO DE JANEIRO E SÃO PAULO
PLANO DE AULA
Objetivos conceituais:
• Compreender o Carnaval como a 
maior festa popular brasileira.
• Conhecer a origem e as características 
dos clubes de frevo de Pernambuco.
• Conhecer outras maneiras de comemorar o Carnaval 
pelo Brasil e associá-las ao local em que ocorrem.
Objetivos procedimentais:
• Pesquisar informações e selecionar imagens 
de uma manifestação carnavalesca.
• Elaborar um cartaz seguindo um modelo.
• Analisar um painel, comparando diferentes 
manifestações carnavalescas.
Objetivo atitudinal:
• Reconhecer e valorizar a diversidade 
cultural brasileira.
Tempo estimado: Três aulas.
Material: Livros, jornais, revistas, cartolina, cola, 
tesoura de pontas arredondadas e lápis de cor.
ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS
••••••• Contextualização •••••••
O Carnaval é uma festa pagã, comemorada em di-
versos países no período que antecede a quaresma. No 
Brasil, as comemorações carnavalescas se iniciaram no 
século XVI com o Entrudo, uma brincadeira de origem 
portuguesa na qual os participantes percorriam as ruas 
jogando limões de cheiro ou outros líquidos nas pes-
soas. Atualmente, existe uma enorme variedade de ma-
nifestações carnavalescas em nosso país. 
No estado de Pernambuco, destacam-se as mani-
festações de rua, como os clubes de “frevo”. A palavra 
frevo vem de uma corruptela do verbo “ferver” (frever), 
numa alusão à efervescência da música e à forma livre 
e acrobática com que ela é dançada. O frevo surgiu 
em Pernambuco entre o final do século XIX e o início 
do século XX. Sua origem está relacionada às bandas 
militares e à capoeira. As bandas foram responsáveis 
pela criação do ritmo acelerado, enquanto a capoei-
ra influenciou a forma de dançar, as vestimentas e os 
adereços utilizados pelos passistas. No passado, os ca-
poeiras costumavam seguir à frente das bandas e era 
comum o enfrentamento entre grupos rivais, por isso, 
eles tinham o hábito de carregar guarda-chuvas, utili-
zados como armas nos confrontos. Os guarda-chuvas 
foram incorporados à dança e com o passar do tempo 
deram origem à sombrinha, que se tornou um adereço 
característico do frevo. 
Os clubes de frevo surgiram paralelamente ao ritmo 
musical. Um dos mais tradicionais é o Vassourinhas, 
fundado em 1889. Inicialmente chamados de clubes pe-
destres, eles eram formados em sua maioria por traba-
lhadores de corporações profissionais, que costumavam 
sair às ruas em alegres cortejos. Paulatinamente, outras 
pessoas se juntaram aos clubes, configurando seu cará-
ter popular.
No ano de 2012, o frevo foi reconhecido pela Unesco 
como Patrimônio Imaterial da Humanidade. Atual-
mente, os clubes de frevo arrastam multidões pelas 
ruas da capital pernambucana. Alguns elementos pre-
sentes em seus desfiles são o abre-alas, as balizas, as 
damas de frente, o porta-estandarte, os passistas e a 
orquestra, formada principalmente por instrumentos 
de metal, como pistões e trombones. O estandarte es-
tampa o nome, o símbolo, as cores e data de fundação 
de cada clube, por isso é considerado uma peça im-
portante do desfile.
••••••• Desenvolvimento •••••••
1a etapa
Pergunte aos alunos o que é o Carnaval. Explique 
que é a maior festa popular do Brasil e que é comemo-
rado de diversas maneiras em diferentes partes do país. 
2a etapa
Localize Pernambuco no mapa político do Bra-
sil e explore alguns aspectos geográficos do estado. 
Pergunte aos alunos como o Carnaval é comemorado 
nesse estado. Explique que a cultura pernambucana 
é rica em manifestações ligadas ao Carnaval, como 
os maracatus, os caboclinhos, os clubes de bonecos 
(responsáveis pelos tradicionais bonecos de Olinda) 
e os clubes de frevo. Pergunte qual dessas manifes-
tações está representada no Almanaque. Esclareça 
que a imagem representa os passistas de um clube 
de frevo. Chame a atenção para as roupas e adereços 
utilizados. Destaque a existência de outros elemen-
tos no desfile e o caráter popular das manifestações. 
Apresente a história do frevo e dos clubes de frevo. 
Relacione os passistas e a sombrinha às práticas da ca-
poeira, observando mudanças e permanências. Apre-
sente os instrumentos utilizados nas orquestras de 
frevo e relacione-as às antigas bandas militares. Caso 
a escola possua equipamento de som ou computador 
com acesso à internet, seria interessante reproduzir 
uma canção, a fim de que os alunos percebam o ritmo 
acelerado do frevo.
CarnavalFestas e tradições regionais
1
Comente que os desfiles dos clubes de frevo costu-
mam ocorrer no período noturno e embalam multidões.
3a etapa
Solicite aos alunos que preencham uma ficha sobre 
os clubes de frevo de Pernambuco. Essa ficha deve con-
ter as seguintes informações: nome da manifestação 
carnavalesca; estado em que acontece; características. 
A atividade pode ser realizada coletivamente, e as res-
postas, anotadas no quadro de giz.
4a etapa
Chame a atenção para algumas manifestações tradi-
cionais, como os desfiles de escolas de samba realizados 
em diversos estados brasileiros, como Rio de Janeiro e 
São Paulo, que, na verdade, começam no final do ano 
anterior, com ensaios nas quadras das diversas escolas 
de samba. A primeira escola de samba surgiu em 1928, 
no Rio de Janeiro, e chamava-se Deixa Falar, depois reba-
tizada de Estácio de Sá.
O Carnaval de rua é a forma mais tradicional de apro-
veitar as festas e acontece em grande parte das cidades 
do país. No Rio de Janeiro, destaca-se o bloco de rua Cor-
dão da Bola Preta, enquanto em Recife destaca-se o Galo 
da Madrugada, considerado o maior do mundo. Outro 
exemplo importante é o Carnaval de São Luiz do Paraitin-
ga (SP), que preserva a competição anual de marchinhas.
No estado de Minas Gerais, blocos tradicionais se 
concentram nas ruas e becos do centro histórico da ci-
dade de Diamantina. Em Ouro Preto, o grupo universi-
tário Bloco do Caixão desfila pelas ladeiras da cidade.
Na capital da Bahia, destacam-se os trios elétricos 
que, atualmente, circulam pelos circuitos do Centro 
Histórico, Barra-Ondina e Campo Grande-Avenida ao 
som de artistas consagrados do axé music. Mesmo as 
pessoas que não possuem o abadá (vestimenta que 
identifica o integrante de um bloco), podem acompa-
nhar a passagem dos trios pelas ruas, ficando na “pipo-
ca”, ou seja, no meio do povo. Já os blocos afros e afoxés, 
como Ilê Ayiê, Filhos de Gandhy e Olodum, resgatam a 
herança africana com tambores e cantos típicos.
Em Pernambuco, também se destacam a tradicio-
nal apresentação de batuqueiros de maracatus com o 
mestre Naná Vasconcelos, os caboclinhos e os clubes de 
bonecos gigantes, que representam tipos populares e 
personagens do noticiário.
No estado do Pará, destaca-se na cidade de Óbidos 
a tradicional festa do Mascarado Fobó. Os participantes 
desfilam pela cidade usando máscaras que escondem 
sua identidade, macacões estampados, apitos e reali-
zam uma batalha com amido de milho.
Estimule os alunos a fazer associações com mani-
festações características do local em que vivem. Liste as 
respostas no quadro de giz.
••••••• Avaliação •••••••
Organize a turma em grupos. Solicite a cada grupo 
que pesquise uma das manifestações carnavalescas lis-
tadas no quadro. Os alunos podem utilizar livros, jor-
nais, revistas e a internet. Oriente-os a buscar informa-
ções equivalentes àquelas preenchidas na ficha anterior 
(nome da manifestação carnavalesca, estado em que 
acontece e características). Peça que também procu-
rem imagens da manifestação carnavalesca. 
Instrua os grupos a elaborar cartazes em folhas de 
cartolina, reproduzindo a ficha-modelo, e a ilustrá-los 
com as imagens selecionadas. Verifique se os alunos re-
lacionam a manifestação carnavalesca ao local em que 
ela ocorre e se percebem suas principais características. 
Reúna os cartazes em um painel. Faça perguntas que 
estimulem a turma a analisá-los. Por exemplo:
 1) Que manifestação carnavalesca ocorre no esta-do do Rio de Janeiro? 
 2) Qual é o principal ritmo musical dessa 
manifestação?
 3) Esse ritmo está presente em outras 
manifestações? 
 4) Essa manifestação se parece com alguma outra 
presente em sua região?
Se julgar conveniente, solicite aos alunos que siste-
matizem essas informações no caderno, em um quadro 
comparativo. Avalie se eles identificam semelhanças e 
diferenças entre as maneiras de comemorar o Carnaval 
registradas no painel e se reconhecem a diversidade cul-
tural brasileira.
2
CarnavalFestas e tradições regionais

Continue navegando

Outros materiais