Buscar

Direito Constitucional 39 Exame OAB

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 50 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 50 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 50 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
1 
 
 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
2 
 
 
 
Próximo destino: a aprovação na OAB! 
 
Queridos alunos, cada material da Revisão Turbo foi 
preparado com muito carinho para que você possa 
absorver, de forma rápida, conteúdos de qualidade! 
Lembre-se: estamos aqui para ajudar você a dar asas 
aos seus sonhos! 
Preparamos um material incrível para ajudar você a 
concluir essa viagem acertando 40 questões com 
segurança e chegar ao seu destino dos sonhos: a 
aprovação na 1ª fase da OAB! 
 
Então embarque nessa com a gente! 
Com carinho, equipe Ceisc. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
3 
 
Direito Constitucional 
Revisão Turbo | 39° Exame da OAB 
 
 
 
Sumário 
 
Aula 08/11/2023 – Turno da noite ................................................................................................ 4 
Aula 13/11/2023 – Turno da noite .............................................................................................. 32 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
4 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aula 08/11/2023 – Turno da noite 
 
1. Eficácia e aplicabilidade das normas constitucionais 
• Nomas constitucionais de eficácia plena; 
• Normas constitucionais de eficácia limitada; 
• Normas constitucionais de eficácia contida. 
 
2. Direitos fundamentais 
Na Constituição Federal os direitos e garantias fundamentais são de 5 espécies e estão 
organizados e distribuídos no “Título II” da CF: 
1) Dos direitos e deveres individuais e coletivos (art. 5º); 
2) Dos direitos sociais (art. 6º ao art. 11); 
3) Da nacionalidade (art. 12 ao art. 13); 
4) Dos direitos políticos (art. 14 ao art. 16); 
5) Dos partidos políticos (art. 17). 
 
Atenção: não há uma relação ou um rol fechado de direitos fundamentais (art. 5º, §2º da 
CF). 
 
2.1. Dos direitos e deveres individuais e coletivos (art. 5º) 
2.1.1. Direitos de liberdade na CF 
 
 
Veja a tabela na página a seguir... 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
5 
 
*Para todos verem: tabela. 
 
 
 
 
 
 
2.1.2. Direitos de propriedade 
*Para todos verem: tabela. 
Direitos de liberdade Fundamentos legais 
Liberdade de ação e omissão 
(legalidade) 
Art. 5º, II da CF 
Liberdade de pensamento Art. 5º, IV e V da CF 
Liberdade de consciência e crença Art. 5º, VI, VII e VIII da CF 
Liberdade de expressão, artística, 
científica e de imprensa. 
Art. 5º, IX da CF 
Liberdade de profissão Art. 5º, XIII da CF 
Liberdade de informação Art. 5º, XIV e XXXIII da CF 
Liberdade de locomoção Art. 5º, XV da CF 
Liberdade de reunião Art. 5º, XVI da CF 
Liberdade de associação Art. 5º, XVII ao XXI da CF 
Propriedade Art. 5º, XXII ao XXXI, da CF 
Função social Art. 5º, XXIII 
Intervenção do estado – desapropriação Art. 5º, XXIV 
Intervenção do estado – requisição 
administrativa 
Art. 5º, XXV 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
6 
 
 
 
2.1.3. Das garantias fundamentais constitucionais 
Direito de petição aos poderes públicos e direito de certidão em repartições públicas (art. 
5º, XXXIV da CF). 
*Para todos verem: esquema. 
 
2.1.4. Crimes inafiançáveis – crimes nas garantias fundamentais 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Bem de família Art. 5º, XXVI 
Propriedade imaterial – direito autoral Art. 5º, XXVII e XXVIII, “a” e “b” 
Propriedade industrial Art. 5º, XXIX 
Propriedade hereditária Art. 5º, XXX e XXXI 
• Defesa de direitos
• Contra ilegalidade
• Contra abuso de poder
Direito de petição
• Defesa de direitos
• Esclarecimento de situações de interesse 
pessoal
Direito de obtenção de 
certidão
• Imprescritível
• Inafiançável
• Pena de reclusão
Racismo 
(art. 5º, XLII da CF)
• Inafiançáveis
• Insuscetíveis de graça e anistia
3TH
(art. 5º, XLIII da CF)
Tortura – Tráfico – 
Terrorismo - Hediondos
• Imprescritível
• Inafiançável
Ação de grupos armados, 
civis e militares, contra a 
ordem constitucional e o 
Estado Democrático
(art. 5º, XLIV da CF) 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
7 
 
2.1.5. Proteção da integridade das pessoas presas 
 
Art. 5º, XLIX da CF - é assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral; 
 
Súmula Vinculante 11 (dica – PRF): 
• Perigo 
• Resistência 
• Fuga 
 
Súmula Vinculante 11. Só é lícito o uso de algemas em casos de resistência e de 
fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte 
do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de 
responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da 
prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do 
Estado. 
 
2.1.6. Da presunção da inocência 
 
Art. 5° da CF 
LVII – ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal 
condenatória; 
 
Após análise das ADC’s n° 43, 44 e 54 do STF, ficou sedimentada a constitucionalidade 
do art. 283 do CPP com o seguinte texto: 
 
Ninguém poderá ser preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada 
da autoridade judiciária competente, em decorrência de sentença condenatória transitada 
em julgado ou, no curso da investigação ou do processo, em virtude de prisão temporária 
ou prisão preventiva. 
 
2.1.7. Direitos constitucionais da pessoa presa (privada da liberdade) 
• Direito à comunicação do local de sua prisão; 
• Direito ao silêncio; 
• Direito à assistência da família e de advogado; 
• Direito à identificação dos captores e dos interrogadores. 
 
 
Veja o esquema na página a seguir... 
 
 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
8 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 Resolva a questão a seguir: 
1) FGV - 2022 - OAB – 36º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Antônio foi condenado em definitivo pela prática de diversos crime sem concurso material. Além da 
privação da liberdade, também foi condenado, cumulativamente, à pena de multa e à obrigação de 
ressarcir os danos causados às vítimas das práticas criminosas. 
Em caso de falecimento de Antônio, com base no texto constitucional, é correto afirmar que, 
 
A) à exceção das penas privativas de liberdade, todas as demais podem ser estendidas aos sucessores 
de Antônio até o limite do valor do patrimônio transferido. 
B) pelo princípio da intransmissibilidade da pena, nenhuma das obrigações ou penas decorrentes da 
prática criminosa pode ser transferida aos sucessores de Antônio. 
C) apenas a pena de multa e obrigações de cunho patrimonial podem ser estendidas aos sucessores de 
Antônio até o limite do valor do patrimônio transferido. 
D) a obrigação de reparar os danos causados às vítimas pode ser estendida aos sucessores de Antônio 
e contra eles executada até o limite do valor do patrimônio transferido. 
 
 
3. Direitos políticos 
 
Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e 
secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante: 
I – plebiscito; 
II – referendo; 
III – iniciativa popular. 
 
PRI – Plebiscito Referendo Iniciativa popular: 
• Plebiscito – consulta prévia ao povo; 
• Referendo – consulta Posterior ao povo; 
• Iniciativa popular – projeto de lei (LC e LO) de iniciativa popular. 
 
Direito à comunicação do local da 
sua prisão.
Direito ao silêncio
(não autoincriminação).
Direito à assistência da família e de 
advogado.
Direito àidentificação dos captores e 
dos interrogadores.
Direitos constitucionais da 
pessoa presa
(privada de liberdade)
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
9 
 
3.1. Capacidade eleitoral passiva – condições de elegibilidade 
 
Art. 14, § 3º da CF – são condições de elegibilidade, na forma da lei: 
I – a nacionalidade brasileira; 
II – o pleno exercício dos direitos políticos; 
III – o alistamento eleitoral; 
IV – o domicílio eleitoral na circunscrição; 
V – a filiação partidária; 
VI – a idade mínima de: 
a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente da República e Senador; 
b) trinta anos para Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal; 
c) vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-
Prefeito e juiz de paz; 
d) dezoito anos para Vereador. 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
3.2. Da inelegibilidade por parentesco 
 
Art. 14, § 7º - São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes 
consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, 
de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja 
substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo 
e candidato à reeleição. 
 
Inelegibilidade reflexa – art. 14, § 7º da CF. 
São parentes do chefe do executivo que ficam inelegíveis. 
Inelegibilidade relativa em relação ao parentesco – art. 14, § 7º, da CF/88. 
 
Súmula Vinculante nº 18 do STF: A DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE OU DO VÍNCULO 
CONJUGAL, NO CURSO DO MANDATO, NÃO AFASTA A INELEGIBILIDADE PREVISTA 
NO § 7º DO ARTIGO 14 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. 
 
Novidade legislativa nos direitos políticos: 
 
Art. 14 da CF 
§ 12. Serão realizadas concomitantemente às eleições municipais as consultas populares 
sobre questões locais aprovadas pelas Câmaras Municipais e encaminhadas à Justiça 
Eleitoral até 90 (noventa) dias antes da data das eleições, observados os limites 
operacionais relativos ao número de quesitos. 
§ 13. As manifestações favoráveis e contrárias às questões submetidas às consultas 
populares nos termos do § 12 ocorrerão durante as campanhas eleitorais, sem a utilização 
de propaganda gratuita no rádio e na televisão. 
Mnemônico idade mínima para 
ser eleito
Telefone da pizzaria - 
3530-2118
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
10 
 
 Resolva a questão a seguir: 
2) FGV - 2020 - OAB – 31º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
José Maria, no ano de 2016, foi eleito para exercer o seu primeiro mandato como Prefeito da Cidade 
Delta, situada no Estado Alfa. Nesse mesmo ano, a filha mais jovem de José Maria, Janaína (22 anos), 
elegeu-se vereadora e já se organiza para um segundo mandato como vereadora. 
Rosária (26 anos), a outra filha de José Maria, animada com o sucesso da irmã mais nova e com a 
popularidade do pai, que pretende concorrer à reeleição, faz planos para ingressar na política, disputando 
uma das cadeiras da Assembleia Legislativa do Estado Alfa. 
Diante desse quadro, a família contrata um advogado para orientá-la. Após analisar a situação, seguindo 
o sistema jurídico-constitucional brasileiro, o advogado afirma que 
 
A) as filhas não poderão concorrer aos cargos almejados, a menos que José Maria desista de concorrer 
à reeleição para o cargo de chefe do Poder Executivo do Município Delta. 
B) Rosária pode se candidatar ao cargo de deputada estadual, mas Janaína não poderá se candidatar 
ao cargo de vereadora em Delta, pois seu pai ocupa o cargo de chefe do Poder Executivo do referido 
município. 
C) as candidaturas de Janaína, para reeleição ao cargo de vereadora, e de Rosária, para o cargo de 
deputada estadual, não encontram obstáculo no fato de José Maria ser prefeito de Delta. 
D) Janaína pode se candidatar ao cargo de vereadora, mas sua irmã Rosária não poderá se candidatar 
ao cargo de deputada estadual, tendo em vista o fato de seu pai exercer a chefia do Poder Executivo do 
município. 
 
 
4. Da ordem social constitucional (art. 193 ao art. 232 da CF) 
4.1. A seguridade social (arts. 194 a 204 da CF) 
• Saúde (arts. 196 a 200 da CF): sem contribuição e os beneficiários são todos; 
• Previdência social (arts. 201 e 202 da CF): com contribuição e os beneficiários 
são os segurados (contribuintes e dependentes); 
• Assistência social (arts. 203 e 204 da CF): não há contribuição e os beneficiários 
são aqueles que necessitam (os necessitados). 
 
4.1.1. Direito à saúde (art. 196 ao art. 200 da CF) 
A saúde é direito de todos e dever do Estado e o acesso às ações e serviços para sua 
promoção, proteção e recuperação é universal e igualitário. 
A execução das ações e dos serviços de saúde cabe ao poder público de forma direta ou 
através de terceiros e, também, por pessoa física ou jurídica de direito privado (art. 197 da CF). 
Atenção: 
Art. 199. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada. 
§ 1º As instituições privadas poderão participar de forma complementar do sistema único 
de saúde, segundo diretrizes deste, mediante contrato de direito público ou convênio, 
tendo preferência as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos. 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
11 
 
§ 2º É vedada a destinação de recursos públicos para auxílios ou subvenções às 
instituições privadas com fins lucrativos. 
 
4.1.2. Da assistência social (Lei Orgânica da Assistência Social – LOAS) 
 
Art. 203. A assistência social será prestada a quem dela necessitar, independentemente 
de contribuição à seguridade social, e tem por objetivos: 
I - a proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência e à velhice; 
II - o amparo às crianças e adolescentes carentes; 
III - a promoção da integração ao mercado de trabalho; 
IV - a habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e a promoção de 
sua integração à vida comunitária; 
V - a garantia de um salário mínimo de benefício mensal à pessoa portadora de 
deficiência e ao idoso que comprovem não possuir meios de prover à própria 
manutenção ou de tê-la provida por sua família, conforme dispuser a lei. 
VI - a redução da vulnerabilidade socioeconômica de famílias em situação de 
pobreza ou de extrema pobreza. 
 
4.2. Direito à educação 
A educação, direito de todos e dever do Estado e da família (art. 205 da CF). 
Da autonomia das universidades – autarquias federais: 
 
Art. 207. As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e 
de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre 
ensino, pesquisa e extensão. 
§ 1º É facultado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros, 
na forma da lei. 
 
Do dever do Estado com a educação: 
 
Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de: 
I - educação básica obrigatória e gratuita dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos de idade, 
assegurada inclusive sua oferta gratuita para todos os que a ela não tiveram acesso na 
idade própria; 
III - atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, 
preferencialmente na rede regular de ensino; 
IV – educação infantil, em creche e pré-escola, às crianças até 5 (cinco) anos de idade; 
 
STF – “Direito subjetivo público das crianças ao atendimento em creches e pré-
escolas”. RE. 554.075 Min. Carmen Lúcia. 
 
Do ensino religioso e da língua portuguesa no ensino fundamental: 
 
Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a 
assegurar formação básica comum e respeito aos valores culturais e artísticos, 
nacionais e regionais. 
§ 1º O ensino religioso, de matrícula facultativa, constituirá disciplina dos horários 
normais das escolas públicas de ensino fundamental. 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional12 
 
§ 2º O ensino fundamental regular será ministrado em língua portuguesa, assegurada 
às comunidades indígenas também a utilização de suas línguas maternas e processos 
próprios de aprendizagem. 
 
 Resolva a questão a seguir: 
 
3) Questão adaptada FGV | Revisão Turbo 39° Exame da OAB 
Maria logrou êxito em ser aprovada no processo seletivo destinado ao preenchimento das vagas no 
Mestrado em Odontologia oferecido pela Universidade Estadual XX. Ao comparecer, no dia e no local 
indicados, para a realização de matrícula, foi surpreendida com a informação de que deveria efetuar o 
pagamento da taxa de matrícula. Irresignada com o teor dessa informação, consultou o seu advogado a 
respeito da correção dessa cobrança à luz da Constituição da República, sendo-lhe corretamente 
informado que a cobrança estava 
 
A) certa, considerando a autonomia universitária para definir que atividades acadêmicas podem ensejar 
a referida cobrança. 
B) errada, considerando a necessária gratuidade do ensino público a nível de pós-graduação, lato sensu 
ou stricto sensu. 
C) errada, considerando a gratuidade do ensino público nos distintos níveis da educação formal com 
graus reconhecidos. 
D) certa, considerando que a gratuidade do ensino público somente é impositiva até o nível de graduação. 
 
 
5. Federalismo 
A constituição republicana de 1891 adotou o modelo federalista e desde então, essa é a 
forma de organização do estado federal brasileiro. 
Entes federativos: 
1) União: pessoa jurídica de direito público interno, mas com a capacidade de 
representar o todo no exterior; 
2) Estados-membros: pessoa jurídica de direito público interno; 
3) Distrito Federal: cumulará as competências do Estado-membro e do Município; 
também é uma pessoa jurídica de direito público interno; 
4) Municípios: são entes autônomos da Federação brasileira, por isso é considerada 
sui generis; também é uma pessoa jurídica de direito público interno. 
 
Organização política-administrativa da República 
Art. 18. A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil 
compreende a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, 
nos termos desta Constituição. 
§ 1º Brasília é a Capital Federal. 
§ 2º Os Territórios Federais integram a União, e sua criação, transformação em Estado ou 
reintegração ao Estado de origem serão reguladas em lei complementar. 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
13 
 
Brasília é uma cidade, um agrupamento urbano, e não um Município. 
Atualmente não temos mais territórios, mas eles PODERÃO ser criados. No entanto, não 
seriam considerados entes federativos, porque teriam uma autonomia tutelada pela União. 
 
5.1. Fundamentos da Federação na Constituição de 1988 
1) Federação como princípio fundamental (art. 1º da CF/1988): “A República 
Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e 
do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como 
fundamentos:”, de onde a atual Federação, em face de ser uma “união 
indissolúvel”, impede a possibilidade de Estados-membros, Municípios ou o Distrito 
Federal intentarem, juridicamente, sua independência do restante do Brasil; 
2) Federação como cláusula pétrea (art. 60, § 4º, I, da CF/1988): “§ 4º Não será 
objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir: I – a forma 
federativa de Estado”, norma que impede juridicamente a abolição do Estado 
federal por meio de emenda constitucional que transforme o Brasil em Estado 
unitário ou, mesmo, de províncias sem autonomia (legislativa, sobretudo); 
3) Federação sui generis (art. 1º, caput, c/c art. 18, caput, da CF/1988): ”A 
organização político- administrativa da República Federativa do Brasil compreende 
a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, nos 
termos desta Constituição”, normas que enumeram expressamente as entidades 
que compõem a Federação brasileira. Em vista disso, a Federação brasileira é sui 
generis no âmbito do direito constitucional comparado, vez que é a única no mundo 
que reconhece três entes básicos que a compõem (União, Estados-membros e 
Municípios), em vez dos dois entes tradicionais (União e Estados-membros). 
 
5.2. Distinção de autonomia versus soberania 
Para distinguirmos com maior clareza o que significam União e Estado-Membro, dois 
conceitos são fundamentais. Diz-se que a soberania é atributo do Estado Federal, que detém o 
poder/dever de manter a Unidade Federativa como um todo, o que lhe confere “poder” 
(soberania) sobre os demais membros do pacto federativo. 
Já a autonomia é nota característica dos demais entes, haja vista que reflete e representa 
a ideia de descentralização nos limites, é claro, da própria soberania. Assim, a autonomia é a 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
14 
 
possibilidade de coordenação desses entes (Estado-membro, Município e Distrito Federal), tanto 
administrativa como política e financeiramente. 
 
5.3. Processo de alteração dos Estados-membros 
 
Art. 18, §3º, da CF/1988: 
Art. 18. (...) 
Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se 
anexarem a outros, ou formarem novos Estados ou Territórios Federais, mediante 
aprovação da população diretamente interessada, através de plebiscito, e do Congresso 
Nacional, por lei complementar. 
 
Incorporação: união de dois ou mais Estados-membros para formação de um novo e 
único Estado-membro, com nova personalidade jurídica, desaparecendo os Estados-membros 
anteriores. 
Subdivisão: seccionamento do território de um Estado-membro para criação de dois 
novos Estados-membros, com desaparecimento do Estado-membro anterior. 
Desmembramento: em dois casos distintos: (i) desmembramento de parte do território 
de um Estado-membro para anexação a outro Estado-membro já existente; ou (ii) 
desmembramento de parte do território para formação ou criação de novo Estado-membro ou 
território nessa porção desmembrada. Aqui o Estado-membro anterior permanece existindo no 
território remanescente. 
 
5.4. Procedimento – art. 18, § 3º, da CF/1988 
• Necessidade da prévia “aprovação da população diretamente interessada, 
através de plebiscito” (caráter vinculativo); 
• Devem ser “ouvidas as respectivas Assembleias Legislativas” (art. 48, VI, da 
CF/1988) antes da promulgação da lei complementar federal pelo Congresso 
Nacional. Devendo apenas ser ouvidas, não têm as Assembleias poder de veto 
ou de proibição, caráter meramente político, a fim de legitimar a futura decisão do 
Congresso Nacional; 
• Promulgação da lei complementar pelo Congresso definindo a incorporação, a 
subdivisão ou o desmembramento. 
 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
15 
 
5.5. Criação, incorporação, fusão e desmembramento de Municípios 
 
Art. 18, § 4º, da CF/1988 (redação pós-EC nº 15/1996) 
A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de Municípios, far-se-ão por lei 
estadual, dentro do período determinado por Lei Complementar Federal, e dependerão de 
consulta prévia, mediante plebiscito, às populações dos Municípios envolvidos, após 
divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal, apresentados e publicados na forma da 
lei. 
 
*Para todos verem: quadro. 
CRIAÇÃO (“emancipação’): secção 
de parte do território de um 
Município para constituição de novo 
Município. O Município anterior 
permanece existindo no território 
remanescente. 
LEI COMPLEMENTAR FEDERAL: o texto originário da 
CF/1988 nada dispunha sobre a necessidade de uma lei 
complementar federal estabelecer um determinado momento 
temporal para instauração de novos procedimentos (expressão 
“dentro do período determinado por Lei Complementar 
Federal”). 
INCORPORAÇÃO: um Município é 
absorvido por outro, desaparecendo 
aquele. 
ESTUDOS DE VIABILIDADE TÉCNICAMUNICIPAL: sua regulamentação também deve ocorrer na lei 
complementar federal; trata-se de comprovar que o novo 
Município tem, de fato, viabilidade (autonomia financeira, 
sobretudo). A comprovação desses estudos deverá ser feita 
previamente ao plebiscito, logo ele não haverá se os estudos 
não comprovarem a possibilidade de viabilidade. 
FUSÃO: dois Municípios se unem, 
constituindo um novo (e 
desaparecendo os anteriores). 
CONSULTA PRÉVIA das “populações dos Municípios 
envolvidos”: conforme já se viu, trata-se de uma consulta que 
envolve a população inteira, e não somente aquela que integra 
a área de criação, incorporação, fusão ou desmembramento 
(art. 7º da Lei nº 9.709/1998 – Lei de Plebiscitos e Referendos). 
DESMEMBRAMENTO: secção de 
parte do território de um Município 
para inclusão dessa parte no 
território de outro Município. 
LEI ESTADUAL: determina a “criação, incorporação, fusão ou 
desmembramento” de Município, isto é, confere personalidade 
e capacidade jurídica ao novo ente municipal. 
 
 
Resolva a questão na página a seguir... 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
16 
 
 Resolva a questão a seguir: 
 
4) Questão adaptada FGV | Revisão Turbo 39° Exame da OAB 
Em razão de sucessivos conflitos deflagrados em condomínios edilícios que contavam com um único 
hidrômetro, de modo que o valor a ser pago em razão do fornecimento de água deveria ser rateado entre 
os condôminos, o Município Alfa editou a Lei no X, dispondo que somente seria concedido habite-se, às 
construções iniciadas após a sua publicação, caso contassem com hidrômetros individuais para cada 
unidade autônoma. 
Irresignado com o teor da Lei municipal no X, a associação das empresas de construção consultou a sua 
assessoria jurídica em relação à compatibilidade desse diploma normativo com a Constituição da 
República de 1988, sendo-lhe corretamente respondido que: 
 
A) o Município Alfa tinha competência para legislar sobre a matéria, em razão do preponderante interesse 
local. 
B) somente a União poderia legislar sobre a matéria, que incursiona nos direitos dos usuários dos serviços 
públicos. 
C) o serviço de fornecimento de água, ainda que delegado aos Municípios, é tipicamente estadual, logo, 
somente o Estado poderia legislar sobre a matéria. 
D) a Lei municipal n° X poderia ter incursionado na temática, desde que essa competência tenha sido 
reconhecida pelas normas gerais editadas pela União. 
 
 
6. Da intervenção (art. 34 ao 36 da CF) 
• Intervenção federal: art. 34 da CF; 
• Intervenção estadual: art. 35 da CF; 
• Intervenção anômala da União: art. 35 da CF (intervenção da União em Municípios 
localizados em territórios federais). 
 
6.1. Da intervenção federal 
É medida excepcional e só deve ocorrer nos casos previstos expressamente na 
Constituição (arts. 34 a 36 da CF/88). 
Se materializa por decreto do Presidente da República: 
 
Art. 84. Compete privativamente ao Presidente da República: 
X - decretar e executar a intervenção federal; 
 
A publicação do decreto, torna-se imediatamente eficaz, legitimando os demais atos 
atinentes à intervenção, submetendo essa decisão à apreciação do Congresso Nacional no 
prazo de 24 horas (art. 36, § 1º da CF/88), nos casos que necessitam aprovação do 
Congresso Nacional (controle político). 
Existem 5 procedimentos de intervenção: 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
17 
 
1) Juízo discricionário do Presidente (art. 34, incisos I, II, III e V), com aprovação 
do Congresso (art. 36, § 1º e § 2º); 
2) Solicitação do poder coacto ao Presidente (art. 34, IV, primeira parte), com 
aprovação posterior do Congresso (art. 36, I § 1º e § 2º); 
3) Requisição do STF ao Presidente no caso de coação ao Poder Judiciário (34, IV, 
segunda parte), com aprovação posterior do Congresso (art. 36, I e § 1º e § 2º); 
4) Requisição do STF, STJ, TSE ao Presidente (art. 34, VI, segunda parte), SEM 
necessidade de aprovação posterior do Congresso (art. 36, II, combinado com 
§ 3º); 
5) Representação Interventiva (ou ADIn Interventiva): art. 34, VI, primeira parte – 
recusa a aplicação de lei – e art. 34 VII – princípios constitucionais sensíveis, SEM 
necessidade de aprovação posterior do Congresso (art. 36, III, combinado 
com § 3º). 
 
 Resolva a questão a seguir: 
5) FGV - 2023 - OAB – 38º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Com grande adesão da população, o prefeito do Município Delta, situado no Estado-membro Alfa, 
declarou a independência do território municipal, criando um novo país. 
Assustado com a rapidez do processo, o Presidente da República, após ouvir o Conselho de Defesa 
Nacional, sem perda de tempo, decidiu decretar a intervenção federal no Município. Ato contínuo, 
submeteu o decreto ao Congresso Nacional, que o aprovou, também de forma célere, por unanimidade. 
Sobre o decreto interventivo federal, segundo o sistema jurídico-constitucional brasileiro, assinale a 
afirmativa correta. 
 
A) A Constituição da República de 1988 veda, de forma cabal, o direito de secessão, sendo o decreto 
constitucional. 
B) O ato de insurreição traz consigo grave comprometimento à ordem pública, o que aponta para a 
constitucionalidade do decreto. 
C) Como Delta está situado em um Estado-membro, não há previsão constitucional para a decretação de 
intervenção federal. 
D) O fato de a decisão presidencial não ter sido antecedida de requisição pelo Supremo Tribunal Federal 
indica a invalidade do decreto. 
 
 
7. Estado de Defesa e Estado de Sítio 
Embora o Estado de Defesa e o Estado de Sítio sejam institutos diversos, ambos têm 
algumas características comuns, quais sejam: 
Veja o esquema na página a seguir... 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
18 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pode-se esquematizar o sistema constitucional de crises da seguinte forma: 
 
*Para todos verem: tabela. 
 
Estado de Defesa Estado de Sítio Estado de Sítio 
Previsão 
constitucional 
Art. 136 CF Art. 137, inciso I, CF Art. 137, inciso II, CF 
Gravidade Menos gravoso. Mais gravoso. Mais gravoso. 
 
 
 
Hipóteses de 
cabimento 
1. Preservar ou 
restabelecer, em locais 
restritos e 
determinados, a ordem 
pública ou a paz social 
ameaçadas por grave e 
iminente instabilidade 
institucional; 
2. Preservar ou 
restabelecer, em locais 
restritos e 
determinados, a ordem 
pública ou a paz social 
atingidas por calamidades 
1. Comoção grave de 
repercussão nacional; 
2. Existência de fatos que 
comprovarem a 
ineficácia de medida 
tomada durante o 
estado de defesa. 
1. Declaração de estado de 
guerra; 
2. Resposta à agressão 
armada estrangeira. 
Manutenção ou o restabelecimento da normalidade constitucional
Hipóteses taxativas
Deve haver necessidade
Medidas excepcionais
São temporários
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
19 
 
de grande proporção da 
natureza. 
Atribuição 
Decretado privativamente 
pelo Presidente da 
República. 
Decretado privativamente 
pelo Presidente da 
República. 
Decretado privativamente 
pelo Presidente da 
República. 
Necessidade de 
prévia consulta ao 
Conselho da 
República e ao 
Conselho de 
Defesa Nacional 
Sim. Sim. Sim. 
Autorização prévia 
do Congresso 
Nacional 
Não. Sim. Sim. 
Apreciação 
posterior pelo 
Congresso 
Nacional 
Sim. 
Não, há necessidade de 
autorização prévia pelo 
Congresso Nacional. 
Não, há necessidade de 
autorização prévia pelo 
Congresso Nacional. 
 
 
 
 
Procedimento 
Verificada qualquer das 
hipóteses de cabimento, o 
Presidente da República, 
ouvirá o Conselho de 
Defesa Nacional e o 
Conselho da República 
(pareceres opinativos), e 
elaborará decreto, 
determinado o início do 
estado de defesa. Após, 
submeterá ao Congresso 
Nacional, que decidirá pormaioria absoluta. 
 
Observada alguma das hipóteses de cabimento, o 
Presidente da República, ouvirá o Conselho de Defesa 
Nacional e o Conselho da República (pareceres 
opinativos) e pedirá autorização do Congresso Nacional, 
que decidirá por maioria absoluta. Se este não autorizar, 
não poderá o Presidente da República decretar o estado 
de sítio. Autorizada a decretação, o Presidente da 
República, com discricionariedade política, poderá ou não 
elaborar o decreto instituidor do estado de sítio. 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
20 
 
 
Controle político 
Imediato ou a posteriori; 
concomitante e sucessivo. 
 
Prévio; concomitante e 
sucessivo. 
 
Prévio; concomitante e 
sucessivo. 
 
 
Tempo de duração 
da medida 
 
Máximo de 30 dias 
prorrogável, uma única 
vez, por mais 30 dias. 
Máximo de 30 dias, 
podendo ser prorrogado 
por novos períodos de até 
30 dias, quantas vezes se 
mostrar necessário. 
No caso 1, o tempo da 
guerra. No caso 2, o tempo 
necessário para repelir a 
agressão armada 
estrangeira. 
 
Nos termos do art. 141 da Constituição Federal, cessado o estado de defesa ou o estado 
de sítio, cessarão também seus efeitos, sem prejuízo da responsabilidade pelos ilícitos 
cometidos por seus executores ou agentes. 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Resolva a questão a seguir: 
6) FGV - 2021 - OAB – 32º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Durante pronunciamento em rede nacional, o Presidente da República é alertado por seus assessores 
sobre a ocorrência de um ataque balístico, em solo pátrio, oriundo de país fronteiriço ao Brasil. 
Imediatamente, anuncia que tal agressão armada não ficará sem resposta. Após reunir-se com o 
Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional, solicita autorização ao Congresso Nacional 
para decretar o estado de sítio e adotar as seguintes medidas: 
I – a população que reside nas proximidades da área atacada deve permanecer dentro de suas casas ou 
em abrigos indicados pelo governo; 
II – imposição de restrições relativas à inviolabilidade da correspondência e ao sigilo das comunicações. 
A partir do enunciado proposto, com base na ordem constitucional vigente, assinale a afirmativa correta. 
A Constituição não pode 
ser emendada (limitações 
circunstanciais)
Intervenção Federal
Estado de Defesa
Estado de Sítio
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
21 
 
A) Cabe ao Congresso Nacional decidir, por maioria absoluta, sobre a decretação do estado de sítio, visto 
que as medidas propostas pelo Presidente da República revelam-se compatíveis com a ordem 
constitucional. 
B) Além de as medidas a serem adotadas serem incompatíveis com a ordem constitucional, a resposta à 
agressão armada estrangeira é causa de decretação do estado de defesa, mas não do estado de sítio. 
C) Embora as medidas a serem adotadas guardem compatibilidade com a ordem constitucional, a 
decretação do estado de sítio prescinde de prévia aprovação pelo Congresso Nacional. 
D) Cabe ao Congresso Nacional decidir, por maioria simples, sobre a instituição do estado de sítio, mas 
as medidas propostas pelo Presidente apresentam flagrante inconstitucional. 
 
8. Ordem econômica e financeira 
A ordem econômica funda-se na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa 
e deve ter por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, 
nos termos do art. 170 da Constituição Federal. 
A ordem econômica e social, portanto, encontram-se em harmonia, conforme se denota 
de seus fundamentos e objetivos. 
O Constituinte apresenta alguns princípios que devem ser observados, tais como defesa 
do meio ambiente, defesa do consumidor, propriedade privada, soberania nacional etc. Nesse 
cenário merece destaque a livre concorrência: 
 
Súmula Vinculante 49: Ofende o princípio da livre concorrência lei municipal que impede 
a instalação de estabelecimentos comerciais do mesmo ramo em determinada área. 
 
Conforme parágrafo único do art. 170 da Constituição Federal é assegurado a todos o 
livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de 
órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei. 
No bojo da ADPF 449, o STF, analisando a constitucionalidade referente aos serviços de 
transporte remunerado de passageiros através de carros particulares, se manifestou no seguinte 
sentido: 
A norma que proíbe o ‘uso de carros particulares cadastrados ou não em aplicativos, 
para o transporte remunerado individual de pessoas’ configura limitação 
desproporcional às liberdades de iniciativa (art. 1º, IV, e 170 da CRFB) e de profissão 
(art. 5º, XIII, da CRFB), a qual provoca restrição oligopolística do mercado em benefício 
de certo grupo e em detrimento da coletividade. Ademais, a análise empírica demonstra 
que os serviços de transporte privado por meio de aplicativos não diminuíram o mercado 
de atuação dos táxis. 
 
O Estado não pode, em regra, explorar diretamente atividade econômica. Tal apenas 
é permitido: 
1. Nos casos previstos no texto constitucional; 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
22 
 
Propriedade distinta da do solo, para efeito de exploração ou 
aproveitamento.
Garantida ao 
concessionário a 
propriedade do 
produto da lavra.
Quanto às 
terras 
indígenas 
deve-se 
observar o 
disposto no 
art. 231, §§ 2º 
e 3º, da CF.
Pesquisa e a lavra de recursos minerais e 
o aproveitamento dos potenciais a que se 
refere somente poderão ser efetuados 
mediante autorização ou concessão da 
União, no interesse nacional.
Tal se opera por 
brasileiros ou 
empresa constituída 
sob as leis 
brasileiras e que 
tenha sua sede e 
administração no 
País, na forma da 
lei, com condições 
específicas para 
faixa de fronteira e 
terras indígenas.
Não dependerá 
de autorização 
ou concessão o 
aproveitamento 
do potencial de 
energia 
renovável de 
capacidade 
reduzida.
Pertencem à 
União
É assegurada 
participação ao 
proprietário do 
solo nos 
resultados da 
lavra, na forma 
e no valor que 
dispuser a lei.
2. Necessária aos imperativos da segurança nacional, conforme definido em lei; 
3. Nos casos de relevante interesse coletivo, conforme definido em lei. 
 
No que tange às jazidas e demais recursos minerais e os potenciais de energia 
hidráulica, tem-se o seguinte: 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Resolva a questão a seguir: 
7) FGV - 2019 - OAB – 30º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Bento ficou surpreso ao ler, em um jornal de grande circulação, que um cidadão americano adquiriu 
fortuna ao encontrar petróleo em sua propriedade, situada no Estado do Texas. Acresça-se que um 
amigo, com formação na área de Geologia, tinha informado que as imensas propriedades de Bento 
possuíam rochas sedimentares normalmente presentes em regiões petrolíferas. 
Antes de pedir um aprofundado estudo geológico do terreno, Bento buscou um advogado especialista na 
matéria, a fim de saber sobre possíveis direitos econômicos que lhe caberiam como resultado da extração 
do petróleo em sua propriedade. O advogado respondeu que, segundo o sistema jurídico-constitucional 
brasileiro, caso seja encontrado petróleo na propriedade, Bento 
 
A) poderá, por ser proprietário do solo e, por extensão, do subsolo de sua propriedade, explorar, per se, 
a atividade, auferindo para si os bônus e ônus econômicos advindos da exploração. 
 Revisão Turbo | 39º Exame de OrdemDireito Constitucional 
23 
 
B) receberá indenização justa e prévia pela desapropriação do terreno em que se encontra a jazida, mas 
não terá direito a qualquer participação nos resultados econômicos provenientes da atividade. 
C) terá assegurada, nos termos estabelecidos pela via legislativa ordinária, participação nos resultados 
econômicos decorrentes da exploração da referida atividade em sua propriedade. 
D) não terá direito a qualquer participação no resultado econômico da atividade, pois, embora seja 
proprietário do solo, as riquezas extraídas do subsolo são de propriedade exclusiva da União. 
 
 
9. Competências federativas 
*Para todos verem: tabela. 
 
 
 
 
 
 
Competência 
exclusiva da União 
 
Trata-se de competência administrativa. 
 
É indelegável. 
 
Normalmente, regula relações entre Brasil e outros países. 
 
Art. 21 da CF. 
 
 
Exemplos: declarar guerra; manter relações com Estados 
estrangeiros e participar de organizações internacionais; 
decretar o estado de sítio, o estado de defesa e a intervenção 
federal. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Competência 
privativa da União 
 
Trata-se de competência legislativa. 
 
Apenas a União pode legislar sobre tais assuntos. 
 
É delegável aos Estados Membros, por meio de Lei 
Complementar (não aos Municípios). 
 
 
Exemplo: legislar sobre direito do trabalho, direito penal, direito 
processual, direito civil. 
 
 
Art. 22 da CF. 
 
 
 
 
Trata-se de competência administrativa. 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
24 
 
 
 
Competência comum 
 
Todos os entes da federação possuem: União, Estados-
Membros, DF e Municípios. 
 
 
Traz verbos com dever de cuidado (preservar, zelar, cuidar). 
 
Ex.: preservar a fauna, a flora e as florestas. 
 
Art. 23 da CF. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Competência 
concorrente 
 
Trata-se de competência legislativa. 
 
 
A União elaborará normas gerais e os Estados Membros e o DF 
normas de interesse regional. 
 
Enquanto não houver norma geral, o Estado poderá elaborá-la. 
Nesse caso, o Estado exercerá plena e temporária competência 
para editar leis gerais. Isso porque com o advento da lei federal, 
a lei estadual terá sua eficácia suspensa naquilo que for 
conflitante com aquela. 
 
 
Os Municípios não participam. 
 
 
Exemplo legislar sobre direito tributário, direito econômico, etc. 
 
 
Art. 24 da CF. 
 
 
 
Quanto à competência dos Municípios deve-se ter presente o disposto no art. 30 da CF, 
que determina que cabe ao Município legislar sobre interesse local e suplementar, no que couber, 
a legislação dos Estados e da União. 
 
Resolva a questão na página a seguir... 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
25 
 
 Resolva a questão a seguir: 
8) FGV - 2018 - OAB – 27º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
O Estado Y, bastante conhecido pela exuberância de suas praias, que atraem milhares de turistas todos 
os anos, edita lei estadual impedindo a pesca de peixes regionais típicos, ameaçados de extinção, e 
limitando o transporte marítimo de passageiros. 
A partir da hipótese narrada, nos termos da Constituição da República Federativa do Brasil, assinale a 
afirmativa correta. 
 
A) O Estado Y possui competência legislativa concorrente com a União para dispor sobre pesca, mas 
poderá legislar sobre transporte e navegação marítima, caso Lei Complementar federal o autorize. 
B) O Estado Y tem competência comum com os demais entes federados para legislar sobre a matéria, 
logo, a lei estadual é constitucional. 
C) A lei editada pelo Estado Y é inconstitucional, porque compete privativamente à União legislar sobre a 
proteção do meio ambiente e o controle da poluição. 
D) A lei editada pelo Estado Y é inconstitucional, porque trata de pesca e navegação marítima, que são 
de competência exclusiva da União, apesar de o Estado Y ter competência privativa para legislar sobre 
meio ambiente. 
 
 
10. Poder Executivo 
O Poder Executivo, em âmbito brasileiro, pode ser assim esquematizado: 
 
*Para todos verem: tabela. 
Âmbito federal Presidente da República 
Âmbito estadual e distrital Governador 
Âmbito territorial, se existentes (desde o 
advento da CF de 1988 não há mais 
territórios, até então haviam 03: Fernando de 
Noronha, Roraima e Amapá – art. 14 e 15 
ADCT) 
Governador nomeado pelo Presidente da 
República, após aprovação pelo Senado 
Federal (art. 84, XIV, da Constituição 
Federal) 
Âmbito Municipal Prefeitos 
 
As eleições ocorrem da seguinte forma: 
 
Veja o esquema na página a seguir... 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
26 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
O mandato do Presidente da República terá início em 5 de janeiro do ano seguinte ao 
de sua eleição. A data da posse foi alterada pela Emenda Constitucional 111 de 2022 e 
aplicável apenas a partir de 2026. 
O cargo de Presidente pode restar desocupado definitivamente (exemplo: morte, 
renúncia), é o que ocorre no caso da vacância ou temporariamente, o que se opera no caso 
de viagem, férias, doença etc, onde restará configurado um impedimento. Em ambos os casos, 
a ordem de “sucessão” do Presidente da República é a mesma e está prevista nos arts. 79 e 80 
da Constituição Federal. 
*Para todos verem: tabela. 
Vice-Presidente da República Sucessor natural 
Presidente da Câmara dos Deputados Substituto eventual ou legal 
Presidente do Senado Federal Substituto eventual ou legal 
Presidente do Supremo Tribunal Federal Substituto eventual ou legal 
 
 
 
Veja os esquemas na página a seguir... 
1º turno: 1º domingo de outubro
Nenhum candidato alcançando mais da 
metade dos votos válidos, os dois mais 
votados vão para o 2º turno.
Se, antes de realizado o segundo turno, 
ocorrer morte, desistência ou impedimento 
legal de um dos candidatos que concorrem 
ao segundo turno, convocar-se-á, dentre 
os remanescentes, o de maior votação. 
Em âmbito Municipal, apenas haverá 
segundo turno, se houver mais de 200 mil 
eleitores e nenhum dos candidatos houver 
alcançado mais de 50% dos votos válidos no 
primeiro turno (art. 29, II, da CF).
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
27 
 
Autorização 
pela 
Câmara de 
Deputados 
(dois terços)
Juízo de acusação 
pelo Senado 
Federal. Afasta-se 
o Presidente pelo 
prazo máximo de 
180 dias
Juízo de 
pronúncia 
pelo Senado 
Federal
Julgamento 
pelo Senado 
Federal 
(dois terços)
*Para todos verem: esquemas. 
 
O Presidente e o Vice-Presidente não poderão se ausentar do país por período 
superior a 15 dias sem licença do Congresso Nacional, sob pena de perda do cargo (art. 83 
da Constituição Federal). 
O Presidente da República poderá praticar crime comum ou crime de responsabilidade. 
O primeiro configura-se quando o Presidente pratica uma infração penal propriamente dita, que 
está tipificada no Código Penal ou em Lei Penal Especial. Já o segundo configura-se quando o 
Presidente da República pratica infrações político-administrativas, que dão ensejo ao processo 
de impeachment, nos termos do art. 85 da CF. 
Crimes de responsabilidade cometidos pelo Presidente da República - em suma, o 
processo ocorre da seguinte forma: 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 
 
Impedimento
Vacância
Qualquer um substitui até cessar o 
impedimento
O Vice sucede até o término do mandato 
(ex.: Dilma e Temer). Contudo, vagando 
os cargos de Presidente e Vice, deve-se 
observar o seguinte:
Vacância dos cargos de Presidente e Vice-Presidente nos dois primeiros anos de 
mandato: devem ser convocadas novas eleições diretas, que ocorrerão 90 dias depois de 
aberta a última vaga (art. 81, caput, da Constituição Federal).
Vacância dos cargos de Presidente e Vice-Presidente nos dois últimos anos de mandato: 
serão realizadas eleições indiretas pelo Congresso Nacional em 30 dias depois de vago o 
último cargo (art. 81, §1º, da ConstituiçãoFederal).
Em ambos os casos, os eleitos apenas irão completar o período de seus sucessores. Trata-
se do chamado mandato-tampão (art. 81, § 2º, da Constituição Federal).
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
28 
 
Autorização pela 
Câmara de 
Deputados (dois 
terços)
Recebimento pelo 
STF. Afasta-se o 
Presidente pelo 
prazo máximo de 
180 dias
Julgamento pelo 
STF
No momento do julgamento (última fase), poderão ser imputadas duas penas, conforme 
disposto no parágrafo único do art. 52 da Constituição Federal: 
1) Perda do cargo “com”; 
2) Inabilitação, por oito anos, para o exercício de função pública. 
 
Crimes comuns praticados pelo Presidente da República - em síntese, o processo se 
opera da seguinte forma: 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 
 
 
Ainda, tratando-se de crime comum, deve-se observar o seguinte: 
• Irresponsabilidade penal relativa: o Presidente da República, na vigência de 
seu mandato, não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de 
suas funções; 
• O Presidente da República apenas será preso, no caso das infrações penais 
comuns, após sentença penal condenatória. Trata-se de imunidade formal em 
razão da prisão. 
 Resolva a questão a seguir: 
9) FGV - 2021 - OAB – 32º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
No dia 1º de janeiro de 2015, foi eleito o Presidente da República Alfa, para um mandato de quatro anos. 
Pouco depois, já no exercício do cargo, foi denunciado pelo Ministério Público de Alfa por ter sido flagrado 
cometendo o crime (comum) de lesão corporal contra um parente. Embora o referido crime não guarde 
nenhuma relação com o exercício da função, o Presidente da República Alfa mostra-se temeroso com a 
possibilidade de ser imediatamente afastado do exercício da presidência e preso. Se a situação ocorrida 
na República Alfa acontecesse no Brasil, segundo o sistema jurídico-constitucional brasileiro, dar-se-ia 
 
A) o afastamento do Presidente da República se o Senado Federal deliberasse dessa maneira por maioria 
absoluta. 
B) a permanência do Presidente da República no exercício da função, embora tenha que responder pelo 
crime cometido após a finalização do seu mandato. 
C) o afastamento do Presidente da República se, após autorização da Câmara dos Deputados, houvesse 
sua condenação pelo Supremo Tribunal Federal. 
D) a autorização para que o Presidente da República finalizasse o seu mandato, caso o Senado Federal 
assim decidisse, após manifestação da Câmara dos Deputados. 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
29 
 
11. Imunidades dos parlamentares 
As imunidades parlamentares são prerrogativas inerentes à função parlamentar, 
garantidoras do exercício do mandato parlamentar com plena liberdade. Dessa forma, as 
imunidades não constituem privilégios e são irrenunciáveis. Existem, além de outras garantias, 
dois tipos de imunidades, a saber: a) imunidade material ou real ou substantiva ou 
inviolabilidade e b) imunidade formal ou processual ou adjetiva. 
*Para todos verem: esquema. 
 
Quanto ao foro por prerrogativa de função deve-se compreender o entendimento atual do 
STF: segundo julgamento proferido pelo STF em Questão de Ordem na Ação Penal 937, a 
prerrogativa de foro apenas se aplica aos crimes cometidos durante o exercício do cargo e 
relacionados com a função. Assim, segundo este entendimento, processos já em curso quando 
da diplomação, não serão remetidos para o STF, assim como, não caberá a este julgar processos 
referentes a crime ocorrido durante o mandato quando este não tiver relação com a função. 
Ademais, o STF se posicionou no sentido de que uma vez terminando o mandato, o 
processo deve ser remetido ao juízo originariamente competente se não houvesse a prerrogativa 
de foro, salvo se já tiver havido a instrução e a intimação para apresentar alegações finais, caso 
em que não haverá modificação da competência. 
 
11.1. Comissões 
Imunidade material
Os Deputados e 
Senadores são 
invioláveis, civil e 
penalmente, por 
quaisquer de suas 
opiniões, palavras 
e votos.
Aplica-se aos 
vereadores no 
exercício do 
mandato e na 
circunscrição do 
Município.
Imunidade formal em 
razão do processo
Recebida a denúncia contra o 
Senador ou Deputado, por 
crime ocorrido após a 
diplomação, o Supremo 
Tribunal Federal dará ciência 
à Casa respectiva, que, por 
iniciativa de partido político 
nela representado e pelo voto 
da maioria de seus membros, 
poderá, até a decisão final, 
sustar o andamento da 
ação.
Não se aplica aos vereadores.
Imunidade formal em 
razão da prisão
Desde a expedição do 
diploma, os membros do 
Congresso Nacional não 
poderão ser presos, salvo em 
flagrante de crime 
inafiançável. Nesse caso, os 
autos serão remetidos dentro 
de vinte e quatro horas à Casa 
respectiva, para que, pelo voto 
da maioria de seus membros, 
resolva sobre a prisão + 
sentença transitada em 
julgado.
Não se aplica aos vereadores.
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
30 
 
As comissões estão previstas no art. 58 da Constituição Federal, merecendo, nesse 
contexto, destaque a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). 
A CPI investiga fato determinado por prazo certo. É criada pela Câmara dos Deputados e 
pelo Senado Federal, em conjunto ou separadamente, por 1/3 de respectivos membros. Possui 
poderes equivalentes ao poder de polícia (art. 58, §3º, da CF). 
Portanto as CPI’s: 
• Terão poderes de investigação próprios das autoridades judiciais; 
• São abertas após o requerimento de um terço dos membros do Senado e/ ou da 
Câmara dos Deputados; 
• São feitas para a apuração de fato determinado e por prazo certo; 
• As conclusões da CPI devem ser encaminhadas ao Ministério Público, para que 
proceda à responsabilidade civil ou criminal dos infratores, conforme o caso, mas 
também podem ser encaminhadas para outros órgãos responsáveis por controle 
e fiscalização na administração pública. 
*Para todos verem: tabela. 
PODERES VEDAÇÕES 
 
Proceder à quebra do sigilo fiscal, do 
sigilo bancário e do sigilo de dados, 
inclusive telefônicos. 
 
Proceder à quebra de sigilo das 
comunicações telefônicas. 
Intimar e ouvir testemunhas ou 
informantes. 
Julgar. 
Requisitar documentos. 
 
Expedir ordem de prisão, salvo nos 
casos de flagrante delito, em que 
qualquer cidadão poderia decretá-la. 
 
Ouvir investigados ou indiciados, 
respeitando o direito ao silêncio. 
 
Impor penalidades ou condenações. 
 
 
 
Realizar diligência de busca domiciliar 
(princípio da inviolabilidade de 
domicílio). 
 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
31 
 
11.2. Perda de mandato de parlamentar (art. 55 da CF) 
 
*Para todos verem: tabela. 
Decidida pela Câmara dos Deputados ou 
pelo Senado Federal por maioria absoluta 
(cassação do mandato) 
Declarada pela respectiva Mesa (extinção 
do mandato) 
I - que infringir qualquer das proibições 
estabelecidas no artigo anterior. 
III - que deixar de comparecer, em cada 
sessão legislativa, à terça parte das 
sessões ordinárias da Casa a que 
pertencer, salvo licença ou missão por 
esta autorizada. 
II - cujo procedimento for declarado 
incompatível com o decoro parlamentar. 
IV - que perder ou tiver suspensos os 
direitos políticos. 
VI - que sofrer condenação criminal em 
sentença transitada em julgado. 
V - quando o decretar a Justiça Eleitoral, 
nos casos previstos nesta Constituição. 
 
 
 Resolva a questão a seguir: 
 
10) Questão Autoral Ceisc | Revisão Turbo 39° Exame da OAB 
Maria, vereadora no Município Gama, situado no Estado do Rio Grande do Sul, compareceu à Câmara 
dos Deputados, representando o referido Município e durante uma das inúmeras reuniões que teve, em 
Brasília, com deputados federais para tratar sobre a situação de seu Município acabou proferindo palavras 
quese configuram como crime contra a honra de alguns parlamentares federais. 
Diante dessa situação, é correto afirmar que Maria: 
 
A) não está acobertada pela imunidade material, podendo praticar crime contra a honra e ser processado 
sem autorização da Câmara Municipal de Gama. 
B) não está acobertada pela imunidade material, podendo praticar crime contra a honra e ser processado 
desde que haja autorização da Câmara Municipal de Gama. 
C) está acobertada pela imunidade material, não podendo ser responsabilizada pelas palavras proferidas, 
eis que no exercício da função. 
D) não está acobertada pela imunidade material, podendo praticar crime contra a honra, mas o processo 
pode, uma vez instaurado, ser suspenso por decisão da Câmara Municipal de Gama, que deverá ser 
comunicada. 
 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
32 
 
Aula 13/11/2023 – Turno da noite 
 
1. Controle de constitucionalidade 
*Para todos verem: esquemas. 
 
 
 
1.1. Quanto ao momento 
*Para todos verem: esquemas. 
 
Fundamentos 
do controle
Rigidez 
constitucional
Supremacia
constitucional 
Constituição
Normas 
infraconstitucionais
Formas de 
controle
Preventivo 
político
Veto
Comissão de 
Constituição e 
Justiça
Repressivo
jurídico
Difuso/ 
concentrado
Formas de 
controle judicial 
Difuso 
Qualquer juiz ou 
tribunal 
STF última 
instância art. 102, 
III
Concentrado 
ADI/ ADI (O), ADC 
e ADPF Originária 
STF 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
33 
 
1.2. Controle difuso 
*Para todos verem: esquema. 
 
1.3. Controle de constitucionalidade concentrado 
*Para todos verem: esquema. 
 
Quando há uma declaração de inconstitucionalidade ou o reconhecimento de uma 
inconstitucionalidade em concreto, quais os possíveis efeitos? Qual os efeitos das decisões no 
controle difuso e concentrado? O que é modulação temporal dos efeitos? 
Competência originária do STF.
Efeito erga omnes e vinculante. 
Vincula o Poder Executivo e o Poder Judiciário em todas as suas 
instâncias.
Não vincula a função legislativa - Poder Legislativo, e nem o pleno do 
STF. 
Qualquer juiz 
ou tribunal 
pode apreciar
Trata-se de 
causa de pedir 
e não o pedido
Atos concretos 
(ou seja, 
aplicação da 
norma)
Via de 
exceção 
Temos partes 
interessadas 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
34 
 
A regra geral é quanto ao controle difuso e concentrado a eficácia ex tunc do proferimento 
acerca da constitucionalidade ou inconstitucionalidade da lei, contudo, em caso de existir razões 
de segurança jurídica e relevante interesse público, poder-se-á, então, aplicar a modulação 
temporal dos efeitos (art. 27), para atribuir a decisão os efeitos ex nunca ou pró futuro. Nesse 
caso, é necessário para modular, o voto de 2/3 dos Ministros do STF. Assim, resumidamente:
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 Resolva a questão a seguir: 
11) FGV - 2022 - OAB – 35º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Em decisão de mérito proferida em sede de ação direta de inconstitucionalidade (ADI), os Ministros do 
Supremo Tribunal Federal declararam inconstitucional o art. 3º da Lei X. Na oportunidade, não houve 
discussão acerca da possibilidade de modulação dos efeitos temporais da referida decisão. Sobre a 
hipótese, segundo o sistema jurídico-constitucional brasileiro, assinale a afirmativa correta 
 
A) A decisão está eivada de vício, pois é obrigatória a discussão acerca da extensão dos efeitos temporais 
concedidos à decisão que declara a inconstitucionalidade. 
B) A decisão possui eficácia temporal ex tunc, já que, no caso apresentado, esse é o natural efeito a ela 
concedido. 
C) Nesta específica ação de controle concentrado, é terminantemente proibida a modulação dos efeitos 
temporais da decisão. 
D) A decisão em tela possui eficácia temporal ex nunc, já que, no caso acima apresentado, esse é o efeito 
obrigatório. 
 
 
 
•Quer dizer "desde o início";
•Retroagem os efeitos;
•Se não houver manifestação em contrário a 
regra é essa.
Regra geral: ex tunc
•O reconhecimento da inconstitucionalidade 
geram efeitos a partir da decisão apenas, mas 
deverá haver manifestação expressa sobre esse 
efeito.
Se houver modulação: 
ex nunc
•Lei continuará sendo aplicada por um 
determinado prazo, a ser determinado pelo 
próprio Tribunal. 
Pró-futuro
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
35 
 
Legitimados – art. 103 da CF: 
*Para todos verem: tabela. 
 
 
 Resolva a questão a seguir: 
 
12) Questão Autoral Ceisc | Revisão Turbo 39° Exame da OAB 
O Congresso Nacional em 2023 aprovou a Lei nº 1202, estabelecendo a obrigatoriedade, como exigência 
à obtenção do diploma de graduação em engenharia, de um elevado aproveitamento nas disciplinas do 
curso, e, para inscrição nos Conselhos Regionais, a conclusão de uma pós-graduação com carga horária 
mínima de 480 horas de aula. A medida tem por objetivo conferir maior controle sobre a formação do 
profissional, num momento de expansão das obras de infraestrutura no país. A Confederação Sindical 
dos Engenheiros, entidade que reúne 18 (dezoito) Federações de sindicatos em diferentes Estados, 
procura os seus serviços para impugnar a referida Lei, salientando que a Lei viola diretamente a 
Constituição. Ante a situação relatada, é possível dizer: 
 
A) É possível dizer que a Confederação Sindical poderia entrar com uma ação direta de 
inconstitucionalidade, haja vista que é um legitimado universal para a propositura, não necessitando 
demonstrar pertinência temática. 
 
Legimimados para propositura da ADI, 
ADC e ADPF 
 
 
O rol taxativo de legitimados consta do 
art. 103 da CF - ATIVOS: 
 
 
Dos legitimados universais: não precisam 
demonstrar interesse nas discussões de 
constitucionalidade da lei ou ato normativo, 
pois possuem legitimidade ativa universal. 
 
 
Pertinência temática: alguns autores 
deverão demonstrar o interesse no tema da 
discussão, o que ficou conhecido como: 
pertinência temática. Essa pertinência – 
relação com a matéria objeto de 
questionamento - deverá ser demonstrada 
pela Mesa da Assembleia legislativa, pelos 
governadores de Estado, pela confederação 
sindical ou entidade de classe no âmbito 
nacional. 
 
 
I - O Presidente da República; 
II - A Mesa do Senado Federal; 
III - A Mesa da Câmara dos Deputados; 
VI - O Procurador-Geral da República; 
VII - O Conselho Federal da Ordem dos 
Advogados do Brasil; 
VIII - Partido político com representação no 
Congresso Nacional. 
 
 
 
IV - A Mesa de Assembleia Legislativa ou da 
Câmara Legislativa do Distrito Federal; 
V - O Governador de Estado ou do Distrito 
Federal; 
IX - Confederação sindical ou entidade de 
classe de âmbito nacional. 
Obs.: quanto a entidade de classe de 
representação no âmbito nacional há 
necessidade de representação pelo menos 
em 9 unidades da federação, constituída pelo 
menos há 1 ano. 
 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
36 
 
B) Caso a Confederação Sindical adentrasse com uma ação direta de inconstitucionalidade, os efeitos 
dessa ação são erga omnes e vinculante, em relação ao Legislativo, Executivo e Judiciário, em todas as 
suas instâncias. 
C) É possível dizer que a Confederação Sindical poderia entrar com uma ação direta de 
inconstitucionalidade, pois é um legitimado e possui pertinência temática para a propositura da presente 
ação, atendendo todas as qualificações exigidas. 
D) Não é caso de ação direta de inconstitucionalidade, mas sim de uma ação de descumprimento de 
preceito fundamental, por constituir uma afronta ao direito fundamental do livre exercício da profissão. 
 
 
 Resolva a questão a seguir: 
13) FGV - 2022 - OAB – 36º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
O atual governador do Estado Delta entende que, de acordo com a CRFB/88, a matéria enfrentadapela 
Lei X, de 15 de agosto de 2017, aprovada pela Assembleia Legislativa de Delta, seria de iniciativa privativa 
do Chefe do Poder Executivo estadual. Porém, na oportunidade, o projeto de lei foi proposto por um 
deputado estadual. 
Sem saber como proceder, o atual Chefe do Poder Executivo buscou auxílio junto ao Procurador-geral 
do Estado Delta, que, com base no sistema jurídico-constitucional brasileiro, afirmou que o Governador 
 
A) poderá tão somente ajuizar uma ação pela via difusa de controle de constitucionalidade, pois, no caso 
em tela, não possui legitimidade para propor ação pela via concentrada. 
B) poderá, pela via política, requisitar ao Poder Legislativo do Estado Delta que suspenda a eficácia da 
referida Lei X, porque, no âmbito jurídico, nada pode ser feito. 
C) poderá propor uma ação direta de inconstitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal, alegando 
vício de iniciativa, já que possui legitimidade para tanto. 
D) não poderá ajuizar qualquer ação pela via concentrada, já que apenas a Mesa da Assembleia 
Legislativa de Delta possuiria legitimidade constitucional para tanto. 
 
 
1.4. Ação direta de inconstitucionalidade 
1.4.1. Por ação 
*Para todos verem: esquema. 
 
Somente caberá de lei estadual e federal.
Não cabe ação direta de inconstitucionalidade de lei municipal, frente 
a constituição federal. 
Somente poderá haver ADI de normas posteriores à CF/88 (o que for 
anterior, chama-se de não recepcionado) e de atos normativos 
primários.
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
37 
 
1.4.2. Por omissão 
A omissão deve ser na própria Constituição Federal, das chamadas normas de eficácia 
limitada. A omissão deve ser de norma constitucional e pode ser parcial ou total, pode ser 
omissão administrativa ou legislativa. 
*Para todos verem: esquema. 
 
 Resolva a questão a seguir: 
14) FGV - 2022 - OAB – 36º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
O governador do Estado Alfa pretendia criar um novo município no âmbito do seu estado. No entanto, 
tinha conhecimento de que o art. 18, § 4º, da CRFB/88, que trata dessa temática, é classificado como 
norma de eficácia limitada, que ainda está pendente de regulamentação por lei complementar a ser 
editada pela União. 
Em razão dessa constatação, resolve ajuizar Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO), 
perante o Supremo Tribunal Federal (STF), com o intuito de sanar a omissão legislativa. Ao analisar a 
referida ADO, o STF, por maioria absoluta de seus membros, reconhece a omissão legislativa. 
Diante dessa narrativa, assinale a opção que está de acordo com o sistema brasileiro de controle de 
constitucionalidade. 
 
A) O STF, com o objetivo de combater a síndrome da ineficácia das normas constitucionais, deverá dar 
ciência ao Poder Legislativo para a adoção das providências necessárias à concretização do texto 
constitucional, obrigando-o a editar a norma faltante em trinta dias. 
B) O STF, em atenção ao princípio da separação de poderes, deverá dar ciência ao Poder Legislativo 
para a adoção das providências necessárias à concretização da norma constitucional. 
C) O STF, a exemplo do que se verifica no mandado de injunção, atuando como legislador positivo, deverá 
suprir a omissão inconstitucional do legislador democrático, criando a norma inexistente que regula a 
constituição de novos municípios, o que obsta a atuação legislativa superveniente. 
D) A referida ação deveria ter sido julgada inepta, na medida em que somente as normas constitucionais 
de eficácia contida podem ser objeto de Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão. 
 
1.4.3. Ação declaratória de constitucionalidade 
Veja o esquema na página a seguir... 
ADI (O)
Controle 
concentrado
(art. 102, "a")
MANDADO DE 
INJUNÇÃO
Controle difuso 
(art. 5°, LXXI)
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
38 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 Resolva a questão a seguir: 
15) FGV - 2023 - OAB – 37º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Determinada lei federal de 2020 gerou intensa controvérsia em vários órgãos do Poder Judiciário, bem 
como suscitou severas críticas de importantes juristas que questionaram a constitucionalidade de 
diversos dos seus dispositivos. Afinal, cerca de metade dos juízes e tribunais do País inclinou-se por sua 
inconstitucionalidade. 
A existência de pronunciamentos judiciais antagônicos vem gerando grande insegurança jurídica no País, 
daí a preocupação de um legitimado à deflagração do controle concentrado de constitucionalidade em 
estabelecer uma orientação homogênea na matéria regulada pela lei federal em tela, sem, entretanto, 
retirá-la do mundo jurídico. 
Sem saber como proceder para afastar a incerteza jurídica a partir da mitigação de decisões judiciais 
conflitantes, esse legitimado solicitou que você, como advogado(a), se manifestasse. 
Assinale a opção que indica a ação cabível para atingir esse objetivo. 
 
A) Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI). 
B) Representação de Inconstitucionalidade (RI). 
C) Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF). 
D) Ação Declaratória de Constitucionalidade (ADC). 
 
 
1.4.4. Ação de arguição de descumprimento de preceito fundamental 
 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Somente caberá de lei ou ato normativo federal posteriores 
à CF/88.
Deve haver relevante controvérsia judicial. 
Cabe contra ato do Poder Público, seja normativo ou concreto;
Contra atos normativos federais e estatuais anteriores à CF/88;
Contra atos normativos municipais, anteriores e posteriores à CF/88; 
Sempre de forma subsidiária: quando não houver outro meio para sanar a 
lesividade.
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
39 
 
 Resolva a questão a seguir: 
16) FGV - 2019 - OAB – 28º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Numerosas decisões judiciais, contrariando portarias de órgãos ambientais e de comércio exterior, 
concederam autorização para que sociedades empresárias pudessem importar pneus usados. Diante 
disso, o Presidente da República ingressa com Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 
(ADPF), sustentando que tais decisões judiciais autorizativas da importação de pneus usados teriam 
afrontado preceito fundamental, representado pelo direito à saúde e a um meio ambiente ecologicamente 
equilibrado. 
A partir do caso narrado, assinale a afirmativa correta. 
 
A) ADPF não se presta para impugnar decisões judiciais, pois seu objeto está adstrito às leis ou a atos 
normativos federais e estaduais de caráter geral e abstrato, assim entendidos aqueles provenientes do 
Poder Legislativo em sua função legislativa. 
B) A ADPF tem por objetivo evitar ou reparar lesão a preceito fundamental resultante de ato do Poder 
Público, ainda que de efeitos concretos ou singulares; logo, pode impugnar decisões judiciais que violem 
preceitos fundamentais da Constituição, desde que observada a subsidiariedade no seu uso. 
C) Embora as decisões judiciais possam ser impugnadas por ADPF, a alegada violação do direito à saúde 
e a um meio ambiente ecologicamente equilibrado não se insere no conceito de preceito fundamental, 
conforme rol taxativo constante na Lei Federal nº 9.882/99. 
D) A ADPF não pode ser admitida, pois o Presidente da República, na qualidade de chefe do Poder 
Executivo, não detém legitimidade ativa para suscitar a inconstitucionalidade de ato proferido por 
membros do Poder Judiciário, sob pena de vulneração ao princípio da separação dos poderes. 
 
 
1.5. Competência do TJE 
Tratando-se de controle de constitucionalidade no âmbito dos Estados (lei municipal ou 
estadual ferindo a Constituição Estadual), a competência é do Tribunal de Justiça do Estado. 
 
 Resolva a questão a seguir: 
 
17) Questão Autoral Ceisc | Revisão Turbo 39° Exame da OAB 
Em 12.12.2012, foi publicada a Lei Ordinária Federal1.234, que criou e regulamentou o exercício da 
profissão de técnico agrícola, trazendo as atribuições e as áreas de atuação privativa dos referidos 
profissionais. Suponha que, a partir da entrada em vigor da referida lei, tenha sido suscitada uma rica 
discussão sobre a sua constitucionalidade, uns a favor e outros não, com argumentos contrários e 
favoráveis à regulamentação legal daquelas atividades. Dessa situações resultou inúmeras decisões 
judiciais em sede de controle incidental. Em face da controvérsia judicial a Lei Federal foi objeto de uma 
ADC que resultou procente em decisão do STF em 2022. Pedro que teve seu contrato de trabalho como 
técnico agrícola sem que fosse observado as diretrizes da atividade e demais regulamentações, tais como 
valores da categoria, adentrou com uma ação no juiz de primeiro grau, buscando a proteção dos seus 
direitos com base na Lei federal que foi julgada constitucional pelo STF. O juiz de primeiro grau, contudo, 
entendeu que tal Lei era inconstitucional, porque invadia as competências atribuídas a atividade dos 
agrônomos, as quais também eram reguladas por lei. Nesse sentido, Pedro perdeu sua demanda judicial 
porque o juízo de primeiro grau não observou a posição do STF. Qual a medida judicial adequada para 
no caso em tela, tendo Pedro como titular da ação a fim de garantir o seu direito, e que, por ter bastante 
urgência, possa ser impetrada diretamente no STF se insurgindo contra a decisão do juízo de primeiro 
grau? 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
40 
 
A) Ação declaratória de constitucionalidade, pois a nova controvérsia judicial estabelecida, conforme 
vemos no caso narrado. 
B) Ação direta de inconstitucionalidade, com bases em argumentos não suscitadas na ação declaratória 
que foi julgada procedente em 2022. 
C) Reclamação constitucional, uma vez que restam preenchidos os requisitos constitucionais para a sua 
propositura. 
D) Recurso extraordinário ante a repercussão geral que está evidente no caso, uma vez que inúmeros 
serão os técnicos agrícolas que estarão prejudicados por tal decisão. 
 
 
2. Remédios constitucionais 
*Para todos verem: esquema. 
 
 
Veja os esquemas na página a seguir... 
Remédios 
constitucionais 1 
Habeas corpus
Protege a liberdade de locomoção 
física
Qualquer pessoa pode ser 
impetrante em favor do paciente, 
mesmo sem ser advogado
Habeas data
Protege informação personalíssima 
em posse do poder público ou 
entidades com bancos de dados 
públicos
Serve para conhecer e retificar 
informações, ou anotar questão 
relevante, após prévio requerimento 
administrativo indeferido
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
41 
 
*Para todos verem: esquemas. 
 
 
 
Remédios 
constitucionais 2 
Mandado de segurança
Protege direito líquido e certo do 
impetrante individual, que pode ser 
pessoa física ou jurídica, ou ainda 
coletivo
Direito líquido e certo é aquele 
plenamente eficaz, ou está 
regulamentado, e, ainda, que já 
está provado
Mandado de injunção
Serve para efetivar direitos 
fundamentais inviabilizados pela 
falta de regulamentação
O órgão competente irá declarar a 
mora na elaboração da lei, 
determinará a produção da norma e 
ainda tomará medidas concretas
Remédios 
constitucionais 3 
Ação Popular
Protege o patrimônio público em 
sentido amplo, incluindo o erário, a 
moralidade, os bens públicos e os 
bens culturais, históricos e ambientais
A parte autora deverá ser pessoa 
física detentora de direitos políticos
Ação Civil Pública
Tutela direitos difusos, coletivos e 
individuais homogêneos, tais como a 
saúde, educação, meio ambiente, 
moralidade administrativa, 
consumidor e dignidade de grupos 
raciais, étnicos ou religiosos
A parte autora não será pessoa física, 
mas sim associação, Ministério 
Público, Defensoria Pública e 
entidades públicas
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
42 
 
 Resolva a questão a seguir: 
18) FGV - 2022 - OAB – 36º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Um órgão público, detentor de banco de dados com informações passíveis de serem transmitidas a 
terceiros, possuía informações inexatas a respeito de João. Em razão disso, ele dirige petição ao referido 
órgão solicitando que providenciasse a devida retificação. A petição seguiu acompanhada dos 
documentos que informavam os dados corretos sobre a pessoa de João. Como o órgão público indeferiu 
tanto o pedido inicial quanto o recurso administrativo interposto, João contratou você, como advogado(a), 
para ajuizar a medida judicial cabível. Agindo em conformidade com o sistema jurídico-constitucional 
brasileiro, você 
 
A) ajuizou um Habeas Data, esclarecendo que o Mandado de Segurança, por ser um remédio de caráter 
residual, não seria o instrumento adequado para aquela situação específica, em que se almejava retificar 
informações pessoais. 
B) ajuizou uma Ação Ordinária, informando a João ser esta a única solução processual passível de atingir 
os objetivos pretendidos, já que a comprovação do direito líquido e certo pressupõe a dilação probatória. 
C) impetrou Mandado de Segurança, tendo o cuidado de observar que a impetração se desse dentro do 
prazo decadencial de 120 dias do conhecimento, por João, do improvimento do recurso. 
D) informou a João que a situação em tela é uma exceção à possibilidade de resolução no âmbito da 
esfera judicial, sendo que sua solução obrigatoriamente se esgota na esfera administrativa. 
 
 Resolva a questão a seguir: 
19) FGV - 2020 - OAB – 31º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Alfa, entidade de classe de abrangência regional, legalmente constituída e em funcionamento há mais de 
1 ano, ingressa, perante o Supremo Tribunal Federal, com mandado de segurança coletivo para tutelar 
os interesses jurídicos de seus representados. Considerando a urgência do caso, Alfa não colheu 
autorização dos seus associados para a impetração da medida. Com base na narrativa acima, assinale 
a afirmativa correta. 
 
A) Alfa não tem legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo, de modo que a defesa dos 
seus associados em juízo deve ser feita pelo Ministério Público ou, caso evidenciada situação de 
vulnerabilidade, pela Defensoria Pública. 
B) Alfa goza de ampla legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo, inclusive para tutelar 
direitos e interesses titularizados por pessoas estranhas à classe por ela representada. 
C) Alfa possui legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo em defesa dos interesses 
jurídicos dos seus associados, sendo, todavia, imprescindível a prévia autorização nominal e 
individualizada dos representados, em assembleia especialmente convocada para esse fim. 
D) Alfa possui legitimidade para impetrar mandado de segurança coletivo em defesa dos interesses 
jurídicos da totalidade ou mesmo de parte dos seus associados, independentemente de autorização. 
 
 Resolva a questão a seguir: 
20) FGV - 2019 - OAB – 30º Exame de Ordem Unificado - Primeira Fase 
Giuseppe, italiano, veio ainda criança para o Brasil, juntamente com seus pais. Desde então, nunca sofreu 
qualquer tipo de condenação penal, constituiu família, sendo pai de um casal de filhos nascidos no país, 
possui título de eleitor e nunca deixou de participar dos pleitos eleitorais. Embora tenha se naturalizado 
brasileiro na década de 1990, não se sente brasileiro. Nesse sentido, Giuseppe afirma que é muito grato 
ao Brasil, mas que, apesar do longo tempo aqui vivido, não partilha dos mesmos valores espirituais e 
 Revisão Turbo | 39º Exame de Ordem 
 Direito Constitucional 
43 
 
culturais dos brasileiros. Giuseppe mora em Vitória/ES e descobriu o envolvimento do Ministro de Estado 
Alfa em fraude em uma licitação cujo resultado beneficiou, indevidamente, a empresa de propriedade de 
seus irmãos. Indignado com tal atitude, Giuseppe resolveu,

Outros materiais