Buscar

asb 169

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 21 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 21 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 21 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

SENAC
CURSO AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL
TURMA 169
HÁBITOS QUE AUXILIAM NA MANUTENÇÃO DA SAÚDE BUCAL: EDUCAÇÃO EM SAÚDE BUCAL PARA ADOLESCENTES
ORIENTADOR(a): VANESSA CAVALCANTE OLIVEIRA
SÃO LUIS
2023
CURSO AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL
TURMA 169
HÁBITOS QUE AUXILIAM NA MANUTENÇÃO DA SAÚDE BUCAL: EDUCAÇÃO EM SAÚDE BUCAL PARA ADOLESCENTES
Trabalho de conclusão de curso, apresentado em formato de Projeto de Integração, como requisito para aprovação no curso de Auxiliar de Saúde Bucal.
Orientador(a): Vanessa Cavalcante Oliveira
SÃO LUIS
2023
AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL – TURMA 169
INTEGRANTES:
ANA CAROLINE SOUSA FONSECA
CAMILA DA SILVA TORRES
FLAVIANNE MENDES DO N. VASCONCELOS
IARA SANTOS GALENO
IONICE SANTOS GALENO MOTA KARINA ALMEIDA COSTA
IRANILDES SOEIRO RODRIGUES
JESSICA KALENNE SILVA COSTA
JOSIANE LINDOSO COSTA MELONIO
KARLA THAMIRES CAMPOS OLIVEIRA
KEYSSY JANA L. PEREIRA
KHAROLAYNNI DA SILVA BRITO
KATIA CILENE PACHECO
MARISA ERICEIRA ALMEIDA
RAYANDRA MELANY ARAÚJO
TINA ERIKA CASTRO NASCIMENTO
UBIRATAN SILVA SANTOS
Hábitos que Auxiliam na Manutenção da Saúde Bucal: Educação em Saúde Bucal Para Adolescentes
RESUMO
INTRODUÇÃO
No Brasil existe uma parcela bem expressiva de jovens e adolescentes em meio ao contingente populacional existente.
Durante a adolescência o risco de cárie, é aumentado devido ao precário controle de placa. Portanto, a necessidade de planejamento e execução de programas voltados a saúde bucal, destinados a esse grupo é de extrema importância (TOMITA et al, 2001).
Existem evidências consideráveis, de que o aumento de distúrbios emocionais podem ser um dos fatores causais, em alguns casos evidenciados de cáries. 
Com isso, deve ser praticado justamente na adolescência, ações preventivas e promocionais com mais frequência, buscando este público, por ser uma época de difícil adaptação tanto social quanto espacial, o aumento da incidência de cáries torna-se um agravo.
Os distúrbios emocionais podem despertar, desejos desmedidos no consumo de doces, ou então, hábitos de comer fora de hora, influenciando assim no surgimento de problemas e desordens da saúde bucal. 
Por outro lado, pessoas ansiosas, tensas ou nervosas, costumam salivar deficientemente, sendo um fator predisponente das cáries, halitose, aumento de tártaro, vindo a desenvolver até problemas mais graves como: periodontite, estomatite, bruxismo, abscessos gengivais, entre outros (MC DONALD & AVERY, 1995 apud COLARES et al., 2002).
Na busca de um equilíbrio físico-químico-social, o adolescente apresenta comportamentos extremos, ora exacerbando atitudes positivas, ora mostrando negligência com seus cuidados à saúde.
Nessa perspectiva, mantendo algumas práticas simples ao longo da vida, é possível ter dentes saudáveis sem muitos esforços.
Por isso, os cuidados são mais do que necessários, de forma que quanto antes você dar atenção ao seu estado dentário, menos problemas terá no futuro.
JUSTIFICATIVA
	O interesse pelo assunto surgiu a partir da observação casual e da constatação de que durante a adolescência, devido às descobertas e às constantes transformações, é necessário evidenciar a importância da saúde bucal e da higiene dentária.
A manutenção da saúde bucal é importante em todas as fases da vida, porém, os problemas que podem afetar o sorriso variam, como a ameaça de cáries em crianças e adolescentes pela falta de higienização adequada e o desgaste dentário principalmente em adultos.
A adolescência é um período complicado na vida de muitos jovens, mesmo após a adoção de hábitos saudáveis durante a infância, a higiene bucal em adolescentes pode ser negligenciada, aumentando o risco de doenças bucais que impactam diretamente ou indiretamente a saúde geral.
Desde o momento em que a adolescência começa, ocorrem várias transformações hormonais, físicas, psicológicas e comportamentais no corpo do jovem. 
A forma de viver, a alimentação, a falta de cuidados com a higiene oral e a possível adoção de hábitos prejudiciais, como fumar e consumir álcool, tornam ainda mais desafiadora a incumbência dos pais de auxiliarem seus filhos a zelarem pela saúde bucal.
PROBLEMATIZAÇÃO
Manter uma boa higiene bucal é essencial em todas as fases da vida, mas devemos prestar especial atenção durante a adolescência. 
Este período é crucial, para que meninos e meninas estabeleçam hábitos saudáveis, prevenindo problemas futuros.
Ao final da infância, as estruturas bucais estão completamente formadas e a dentição de leite é substituída pelos dentes permanentes. 
Neste momento, torna-se imprescindível, que seja efetivo o perfeito alinhamento dos dentes e garantir sua adequação as boas práticas de higiene bucal, se necessário, buscar tratamentos ortodônticos ou outros procedimentos para corrigir ou aprimorar a funcionalidade da boca em desenvolvimento.
Estima-se que a fase da adolescência compreendida, aproximadamente, dos 12 aos 17 anos. Embora os adolescentes dessa faixa etária já tenham capacidade de cuidar da sua higiene bucal sem a ajuda dos pais, profissionais de odontologia recomendam a supervisão regular para assegurar a correta realização dos procedimentos de higienização.
A higiene bucal na adolescência, deve ser cuidadosamente analisada, a fim de evitar cáries, gengivite, mau hálito e outras complicações que podem ser agravadas pelas múltiplas mudanças pelas quais eles passam.
FUNDAMENTAÇÃO TEORICA
A boca, representa um órgão composto pelos lábios, bochechas, língua, glândulas salivares, dentes e gengiva; além de ser primordial para a alimentação, está intrinsecamente relacionada ao processo de socialização.
De acordo com a COLGATE, 
É perceptível que o tempo, especialmente entre os adolescentes, tem se tornado cada vez mais escasso. Dessa forma, uma rotina de higiene bucal prática e eficaz tem se mostrado cada vez mais relevante nesse cenário. Em situações em que estejam atrasados, para a escola por exemplo, é comum que não haja tempo suficiente para escovar os dentes adequadamente. Mas como pais, é dever garantir que os filhos pratiquem boas práticas de higiene bucal. Ao transformar a higiene bucal como parte de uma rotina diária simples, podemos ajudar os adolescentes a incorporar a escovação e uso de fio dental em suas rotinas diárias.
Através da boca, nos comunicamos com outras pessoas e com o mundo, usando a fala, o beijo, o prazer de degustar os alimentos e o sorriso. 
Questões bucais podem acarretar dor, infecção, dificuldade na articulação verbal ou mastigação, falta de presença escolar, aparência desfavorável. 
Esses problemas podem ter influência na saúde geral, nos estudos, no trabalho e na vida social dos adolescentes. 
A saúde bucal dos adolescentes tem grande relevância, pois é nesse período que a maioria dos dentes permanentes, com maior predisposição à cárie, surgem na cavidade oral (BARROS, 2007).
Aspectos culturais também influenciam na a precariedade da saúde bucal, é possível salientar inclusive costumes e tradições dos diversos grupos familiares que é onde iniciam a questão social relacionada a saúde oral, desde os tratamentos odontológicos, somente após a ocorrência de enfermidades bucais. 
Essa prática é intensificada pela ausência ou, em alguns casos, a inexistência de equipes qualificadas para a oferta de atendimentos odontológicos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
Intensificar orientações e incentivos fazem total diferença como diz o Art. 11 da (Lei n. ° 8.069/ 1990)
Diversos fatores corroboram para as ações da má higiene bucal, está relacionado a ausência de informação, orientação e atendimento público de qualidade, sendo estes, direitos assegurados em leis, em especial no Estatuto da Criança e do Adolescente.
Conforme um estudo realizado em 2019, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), constatou que 51,2% das crianças e adolescentes de 0 a 17 anos receberam atendimento odontológico nos últimos 12 meses. 
Estas pesquisas mostram que as famílias que sofrem com a falta de atendimento odontológico, são as que têm menor poder aquisitivoe, portanto, enfrentam maior vulnerabilidade e problemas sociais. 
Os números mostram que apenas 36% das pessoas que ganham menos de ¼ do salário mínimo foram ao dentista nos últimos 12 meses, enquanto apenas 44,4% das pessoas que ganham entre ½ e 1 salário mínimo foram ao dentista nos últimos 12 meses. 
Estes dados demonstram que o cuidado e a prevenção da saúde oral, não é apenas uma questão de saúde pública, mas também uma questão social, que atinge populações em situação de maior vulnerabilidade e risco social e tem impacto direto no desenvolvimento de crianças e adolescentes.
OBJETIVO GERAL
OBJETIVOS ESPECIFICOS
METODOS
Foi realizada pesquisa de campo, através do App Forms, foi desenvolvido uma pesquisa com perguntas e respostas diretas, para constatação de dados a respeito do público identificado e mencionado na pesquisa.
Foi realizada a visitação em salas de estudo do estabelecimento SENAC, não foi necessário documento de autorização junto ao conselho de ética, por se tratar de pesquisa não identificada, apenas para constatação quantitativa de dados.
O público verificado versa entre adolescentes com faixa etária de 16 à 19 anos, 
RESULTADOS
CONSIDERAÇÕES FINAIS
REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS
Fundação Abrinq. Guia para Promoção da de Crianças e Adolescentes. Disponível em: https://www.fadc.org.br/sites/default/files/2022-05/Guia-para-promocao-da-saude-bucal-Fundacao-Abrinq.pdf. Acesso em 02 dez. 2023.
KIN. 5 DICAS PRÁTICAS PARA MANTER UMA HIGIENE BUCAL IMPECÁVEL EM ADOLESCENTES. Disponível em: <https://www.kin.es/pt-br/higiene-oral-en-la-adolescencia/#:~:text=Higiene%20bucal%20completa,-Escovar%20os%20dentes&text=%C3%89%20muito%20importante%20que%20meninos,de%20ir%20para%20a%20cama> Acesso em: 18 nov. 2023.
MC DONALD, R. E.; AVERY, D. R. Odontopediatria. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1995 apud COLARES, V. et al. Avaliação da Saúde Bucal de Adolescentes de Recife – Pernambuco – Brasil. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, vol. 6, n. 3, p. 217 – 224, 2002.
SALUTE. Hábitos simples para manter sua saúde bucal em dia. 2020. Disponível em: <https://www.clinicasalute.com.br/habitos-simples-para-manter-sua-saude-bucal-em-dia>. Acesso em: 13 nov. 2023.
TOMITA, N. E. et al. Educação em saúde bucal para adolescentes: uso de métodos participativos. FOB, v. 9, n. 1 – 2: p. 63 – 69, jan./jun. 2001.
 
Escove os dentes com frequência
Mesmo sendo um tópico óbvio, é necessário citá-lo. Isso porque às vezes as pessoas esquecem ou escovam apenas antes de dormir.
O recomendado é praticar a escovação ao menos três vezes ao dia e após a ingestão de doces.
Essas substâncias são prejudiciais à saúde dentária, provocando cáries. Então, após comer aquele chocolatinho, bora pro banheiro fazer a limpeza bucal.
 
Não deixe para trás o fio dental
O fio dental é a parte mais esquecida na hora de escovar os dentes. Por ser chato ou trabalhoso, é normal as pessoas ignorarem essa prática por preguiça ou por achar que é desnecessária. Mas não é!
Passar a “linha” entre os dentes retira resíduos que a escova não consegue alcançar, principalmente nos dentes traseiros.
Sem esse hábito, as sujeiras vão se aglomerando aos poucos, podendo dar início a uma cárie ou a inflamações na gengiva.
Dessa forma, é importante passar o fio dental TODOS OS DIAS, e caprichar quando comer carnes, pipoca e frutas que deixam fiapos.
 
Consultar com frequência o dentista
Ao falar em saúde bucal, as idas ao dentista devem ser periódicas. O recomendado é que a pessoa frequente o consultório odontológico ao menos uma vez a cada seis meses.
Com esse cuidado, o profissional poderá identificar possíveis problemas e tratá-los com antecedência, evitando assim pioras como extração do dente e tratamento de canal.
Então, não procure ajuda especializada apenas quando sentir alguma dor.
 
Atente-se à gengiva e à língua
A saúde bucal vai além dos dentes. Isso significa que é necessário prestar atenção também na gengiva e na língua. Para evitar inflamações gengivais, procure fazer a escovação sem muita força e com movimentos leves.
Ao tratar da língua, escove-a após a limpeza dentária. Essa prática colabora para evitar a saburra lingual, ou seja, o acúmulo de sujeira no órgão muscular, combatendo o mau hálito.
Para essa prática, você pode utilizar a própria escova ou fazer o uso de limpadores específicos.
 
Saiba quais produtos utilizar
Manter a escovação três vezes ao dia já é uma boa prática. No entanto, ela pode ser potencializada com a escolha de produtos específicos para a sua saúde bucal.
Assim, volta a importância de fazer visitas constantes ao dentista, visto que ele te indicará as melhores linhas de mercadorias para você.
As opções nas prateleiras são vastas, que vão desde pastas para branqueamentos e cuidados com a sensibilidade até enxaguantes bucais para finalizar a higiene.
Segundo pesquisa da Universidade de Queen Mary, em Londres, em torno de dois bilhões de pessoas têm problemas de cárie. Diante desse dado, manter hábitos como os citados acima ajuda a diminuir o número de indivíduos afetados por essa bactéria.
Além disso, são práticas simples que podem ser implementadas com facilidade na rotina. Dessa forma, não deixe para mudar seus costumes apenas quando sentir dores. O importante é não descuidar!
Ninguém gosta de sofrer com qualquer doença, por mais que essa seja uma simples gripe, certo? Para tanto, é imprescindível tomar alguns cuidados básicos de prevenção para que o organismo fique em dia. Isso também pode (e deve!) ser aplicado para a saúde bucal. Afinal, prevenir é sempre mais recomendado do que apenas preocupar-se em remediar. 
A arcada dentária de um indivíduo adulto apresenta, no geral, 32 dentes. Há exceções como Freddy Mercury, vocalista da banda Queen, que possuía nada menos que 36 dentes. Porém, de acordo com um estudo desenvolvido pela OMS – a Organização Mundial da Saúde – pelo menos 14,4% dos brasileiros já não possuem mais nenhum de seus dentes. 
Dados como esses são preocupantes. De qualquer maneira e independentemente dos índices, não apenas os dentes como todo o restante da boca carecem de nosso cuidado e atenção. Até porque a saúde da boca vai muito além da estética do sorriso. A boca é porta de entrada e espaço de desenvolvimento de micro-organismos que podem gerar outras doenças sistêmicas. 
Tendo em vista orientar você sobre os hábitos preventivos essenciais para manter a saúde bucal, a publicação de hoje vai reunir 7 dicas básicas. Elas são fáceis de aplicar e muito importantes para que sua boca esteja sempre protegida. Acompanhe na sequência! 
7 hábitos simples para manter a saúde bucal em dia
Manter a saúde bucal depende mais de você do que imagina. Algumas mudanças de hábito simples podem impactar positivamente na saúde da sua boca, assim como prevenir doenças. Acompanhe!
1. Não menospreze a importância do fio dental
Antes de mais nada, a higiene bucal sempre deve começar pelo uso do fio dental. Somente ele é capaz de remover as sujeiras mais incômodas que ficam entre os dentes depois da alimentação. O fio deixa o caminho livre para que a escova de dentes desempenhe seu papel corretamente na sequência. 
Os pequenos espaços entre os dentes são o ambiente preferido dos micro-organismos indesejados para que formem a placa bacteriana. Não alimente esses intrusos! Ao utilizar o fio dental corretamente, as bactérias não terão chance para arruinar a sua saúde bucal. Tanto os dentes quanto as gengivas ficam protegidos. 
O procedimento é simples. Veja só:
· Enrole cerca de 30 a 40 centímetros de fio entre seus dedos indicadores e médios, deixando espaço suficiente entre eles para que você consiga utilizá-lo com conforto e eficiência; 
· Com o apoio do polegar, introduza o fio entre os dentes. Deslize-o por toda a superfície lateral de cada um deles desde a base que fica coberta pela gengiva até as pontas; 
· Vá movimentando o fio nos seus dedos para que seja utilizado um novo trecho limpo a cada dente.  
 
2. Invista em produtos de boa qualidade
Invista na sua saúde da boca e dos dentes mantendoo kit de higiene bucal sempre em dia. Se você passa muito tempo fora de casa, mantenha ele consigo ou faça um kit extra para usar no trabalho. 
Vale a pena ter uma atenção especial com a sua escova de dentes. São muitas as opções nas prateleiras de supermercados e farmácias, o que pode confundir inúmeras pessoas. O ideal é que a escova tenha um tamanho adequado para a idade do usuário e que as cerdas não sejam nem duras nem macias demais. 
Quanto ao creme dental, escolha um com flúor e esteja atento ao RDA – sigla para Relative Dentin Abrasivity (nível de abrasividade para a dentina). Por mais que o certo seja utilizar uma quantidade mínima do produto no momento da escovação, o RDA muito alto pode gerar sensibilidade e prejudicar o esmalte dos dentes. 
Ter um bom enxaguante antisséptico para finalizar a higiene da boca também é interessante. Ele ajuda a eliminar bactérias, mas jamais deve ser usado como um substituto para burlar a escovação, ok? As funções desse produto são limitadas. 
3. Escove os dentes várias vezes ao dia
De nada adianta ter os produtos certos se eles não forem utilizados, não é mesmo? Ter o hábito de escovar os dentes várias vezes ao dia, preferencialmente logo após cada refeição, é o que garante uma boa saúde bucal.  
Após o uso do fio dental, siga os passos com movimentos curtos e suaves: 
· Escove a parte externa dos dentes, que fica voltada para as bochechas, tanto na parte de cima como na parte de baixo; 
· Repita o procedimento na parte interna dos dentes, que fica voltada para a língua; 
· Por fim, escove a coroa dos dentes posteriores, utilizadas para a mastigação. 
 
4. Não esqueça de higienizar a língua e demais partes da boca
Não é somente nos dentes que ficam bactérias e restos de alimentos. A saburra lingual, aquela massa branca que fica impregnada na língua, é responsável não somente pelo mau hálito como também pelo acúmulo de micro-organismos que podem resultar em doenças que não se restringem apenas à saúde da boca. 
Você pode ter um limpador específico para a língua ou simplesmente utilizar a escova de dentes. Também faça esse procedimento nas bochechas e no céu da boca. 
5. Cuide da sua saúde como um todo 
Você sabia que ter uma boa alimentação e praticar exercícios também são atitudes que corroboram com a sua saúde bucal? Poucas pessoas se dão conta, mas um organismo equilibrado está menos propenso à alterações hormonais que também podem afetar a sua boca. 
É importante ter em seu cardápio: 
· Laticínios: ricos em fósforo e cálcio, que são minerais imprescindíveis para a estrutura dos dentes; 
· Peixes: ricos em vitamina D, que atua na absorção e capacidade de absorção do cálcio pelo organismo; 
· Chá verde: rico em catequina, que diminui a placa bacteriana e a incidência de cáries; 
· Maçã: rica em fibras que ajudam a limpar os dentes ainda durante a mastigação, além de liberar ácidos benéficos para a digestão; 
· Linhaça: rica em ômega 3, que aumenta a resistência contra inflamações como a gengivite. 
 
6. Evite comer muitos doces
Desde crianças, somos alertados de que doces demais podem provocar cáries. E, de fato, as guloseimas açucaradas são as principais fontes energéticas para as bactérias desenvolverem os ácidos responsáveis por corrosões nos dentes. Portanto, evite comer muitos doces e, quando o fizer, escove os dentes imediatamente.  
7. Visite o dentista de sua confiança regularmente
Por fim, mas não menos importante, está a visita regular ao dentista de sua confiança. Normalmente, são indicadas consultas preventivas a cada 6 meses para realização de limpezas e de um checkup na saúde bucal. Esse é o profissional habilitado para orientar você e garantir que seu sorriso esteja sempre radiante. 
Nucleo de endodontia vinseiro endodontia automatizada
https://www.nevendodontia.com.br/saude-bucal-habitos-prevenir-doencas/
RESUMO: Introdução: O ensino de higienização bucal na educação infantil é muito importante, essa é a fase em que a criança esta construindo o seu conhecimento de mundo, e torna-se necessário desenvolver essa temática, para conscientizar e favorecer o aprendizado do aluno. É preciso que os educadores mostrem para seus alunos o que acontece quando não possuímos a higienização correta, apontando que a escovação favorece a dentição saudável, boa aparência, bom hálito, boa pronúncia, boa digestão, promovendo o relacionamento social na infância até a fase adulta. Objetivo: O objetivo desse artigo foi conscientizar os educadores sobre a importância de se ensinar e incentivar o educando sobre a prática de higienização bucal no seu dia a dia, estimulando-lhes o interesse em manter a dentição e a boca saudáveis. Metodologia: Pesquisa bibliográfica e sugestão de um projeto de incentivo a escovação diária. Resultados e discussão: A criança que não possui o hábito de higienizar os dentes vivenciam enfermidades que comprometem não somente a saúde física como a bucal também, sendo que muitas das vezes a família dessa criança não tem condições de pagar um tratamento odontológico, e assim levam a perda dos dentes precoce. A educação bucal é um tema que não pode ser deixado de lado principalmente na Educação Infantil, que é uma fase onde a criança organiza seus hábitos, quando o professor orienta seus alunos e também os pais, os discentes aprendem a praticar diariamente a higienização, e também evita a digestão de alimentos que talvez possa prejudicar, conhecimentos esses que são levados para a vida toda. Pensando nessa necessidade sugerimos um projeto interdisciplinar voltado para os alunos da Educação
Infantil: “Conhecendo e usando os materiais para a higienização bucal”, com o objetivo de conscientizar e estimular os alunos sobre a importância da higienização bucal no cotidiano, destacando os objetos que devem ser utilizados na higienização bucal. A partir da música O rap da escova, da turma do Seu Lobato, discutir a importância da escovação bucal, quais os objetos que se utiliza na escovação e ensinar a forma correta de se escovar os dentes. Propor aos alunos que a construção de um porta material de higiene bucal, individual, com garrafa pet, lembrando a importância da escovação e que cada aluno deve ter a sua escova de dente e seu creme dental. Conclusões: Esse tema necessita ser melhor trabalhado dentro da escola, pois não é apenas restrito a área médica. Os cursos de formação de professores deveriam informar e formar melhor o educador, especialmente o da Educação Infantil, para trabalhar a temática da higiene bucal. Se faz necessitário que as escolas e seu corpo docente se comprometam e incentivem os alunos na rotina de escovação, de higienização adequada, promovendo um sorriso saudável gerando bem estar social ao educando.
https://www.unifucamp.edu.br/wp-content/uploads/2016/06/DIENIFER-DIAS-RAMOS.pdf

Outros materiais