Buscar

TCC- 2 LICENCIATURA ARTES VISUAIS (3)

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 22 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 22 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 22 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

CENTRO UNIVERSITÁRIO FAVENI
JOICE APARECIDA LEONCIO DA SILVA
A IMPORTÂNCIA DA ARTE NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
MOGI MIRIM
2023
CENTRO UNIVERSITÁRIO FAVENI
JOICE APARECIDA LEONCIO DA SILVA
A IMPORTÂNCIA DA ARTE NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
Trabalho de Conclusão apresentado ao Curso de Artes Visuais do Centro Universitário UNIFAVENI, como requisito parcial para obtenção do grau de Segunda Licenciatura.
MOGI MIRIM 
2023
“Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção”
Paulo Freire
RESUMO
O presente trabalho será abordado sobre a importancia do ensino de arte para o desenvolvimento da criança na educação infantil.
Esta proposta de estudo vem sendo uma ferramenta fundamental para a educação, pois estimula o desenvolvimento das crianças, possibilitando aprender,a criar, imaginar e adquirir novas habilidades com diferentes perspectivas e sensações a respeito de um mesmo ponto.
Diante desta forma de aprendizado, a arte na educação escolar vem para despertar a capacidade de criação e ajudar a externar os sentimentos, permitindo também compreender os planos da expressão e interagir de forma a trabalhar a inserção social de forma ampla.
Sendo assim, este projeto teve como principal objetivo trazer uma reflexão sobre a contribuição que a Arte traz para o desenvolvimento da criança, uma vez que ela aprende com a interação com o outro e com o meio em que vive.
Esta pesquisa descritiva reflete as contribuições e a grande importância que a Arte traz para o desenvolvimento e aprendizagem das crianças na educação infantil.
Palavras-chave: Educação Infantil, Arte, Desenvolvimento, Aprendizagem
SUMÁRIO
1. Introdução..........................................................................................................06
2. Objetivo Geral....................................................................................................07
2.1 Objetivo Especifico............................................................................................07
2.2 Justificativa........................................................................................................07
2.3 Problema............................................................................................................08
3 Metodologia.......................................................................................................09
4 Fundamentação Teórica – Artes na Educação Infantil........................................10
5 A importância da Arte no desenvolvimento infantil..............................................12
6 Uma Reflexão sobre o Ensino de Artes..............................................................15
7 O papel do Professor na Aprendizagem Infantil.................................................17
8 Considerações Finais.........................................................................................19
9 Referências Bibliográficas..................................................................................20
1. INTRODUÇÃO
Este trabalho se propõe a analisar processos de desenvolvimento da educação infantil e identificar a importância da presença da disciplina de Artes Visuais.
A arte é o processo pelo qual os indivíduos se expressam de diferentes maneiras, como música, dança, pintura, drama, etc. Assim, a arte está presente na vida do ser humano desde os primeiros anos de vida. As disciplinas de arte nas escolas regulares são áreas do conhecimento que contribuem para o desenvolvimento humano da criança e a ajudam a compreender criticamente a sociedade e a cultura ao seu redor. Portanto, este domínio do conhecimento não deve ser visto como uma mera atividade de lazer, nem deve ser visto como menos importante do que outras disciplinas. A presença de conteúdos de aprendizagem contribui para a formação de alunos plenos no processo de aprendizagem. Segundo (BRASIL, 1997, p. 19), "o conhecimento das artes abre o aluno para uma perspectiva de compreensão do mundo que tem dimensão poética e é flexível. É criar para aprender." Segundo Barbosa (1979, p. 46), isso permite analisar "a ideia de que o objetivo primordial das artes na educação é permitir que as crianças expressem seus sentimentos e que as artes são expressas e não ensinadas". Assim, formulada esta posição inicial, o objetivo deste trabalho é compreender a atual importância desta área no processo de aprendizagem. Porque a Artes Visuais é importante para o desenvolvimento da criatividade, imaginação e uma melhor compreensão da ação realizada em aula. Portanto, as seguintes questões são levantadas como diretrizes para o estudo. Qual o papel da arte na educação infantil, com foco nas linguagens artísticas como música, dança, teatro e artes plásticas? Portanto, o objetivo geral deste estudo é discutir e identificar que Artes Visuais como uma ferramenta que pode desenvolver significado no currículo desde o início da vida de uma criança. 
10
2. Objetivo Geral
Este projeto, através de uma pesquisa bibliográfica descritiva terá como principal objetivo mostrar a grande importância do ensino das Artes para as crianças, e o desenvolvimento das suas habilidades artísticas, uma vez que elas são uma das responsáveis por iniciar a formação cultural e a construção de habilidades sensitivas e emotivas nas crianças, no que envolve o campo de experiência, previstos pela BNCC.
2.1. Objetivos Específicos
Este projeto busca levar a reflexão sobre a Artes Visuais, como instrumento essencial para a formação da criança no processo de ensino-aprendizagem, mostrando uma nova visão sobre o ensino da arte, desfazendo conceitos de que é somente um passatempo, e sim um processo de grande poder pedagógico quando bem utilizadas.
Ela é responsável por proporcionar à criança uma oportunidade de expressar idéias e exercer sua criatividade, imaginação, etc.
2.2. Justificativa
O tema desta pesquisa tem a Arte na educação infantil como sendo uma prática totalmente conectada com a evolução e construção de conhecimento da criança, tornando capaz a compreensão da realidade e da rotina, inserindo objetos e formas artísticas que sempre estarão à sua volta.
Com isso, o papel do professor é fundamental e deve ser de imensa qualidade para esta prática, onde ele deve criar ambientes lúdicos, para a construção de novos conhecimentos e de grandes descobertas.
Ele deve encorajar e incentivar seus alunos, auxiliando no desenvolvimento da sua criatividade e aprendizagem por meio desta disciplina.
2.3. Problema
Nota-se certa falta de estímulos e incentivos por parte da escola e também dos pais quanto ao ensino da Arte, fazendo com que a criança não desenvolva e nem expresse idéias de aprendizagem da mesma.
Sendo assim, é essencial que escola e família demonstrem o mesmo interesse em manter a prática desta disciplina e evidencie a sua importância, e que seja uma educação de qualidade.
Para isso, o professor deve criar ambientes atrativos, de construção e de descobertas, incentivando, encorajando e estimulando as crianças a desenvolverem sua criatividade.
A família também desempenha um papel de extrema importância, e deve estimular e auxiliar suas crianças para que haja um bom desenvolvimento no processo de aprendizagem.
3. METODOLOGIA
A metodologia utilizada para a realização deste estudo, em meio a várias metodologias optativas, foi a pesquisa bibliográfica descritiva,
onde foi necessário um levantamento das informações relacionadas ao tema, com dados de livros didáticos e pesquisas em sites especializados, sendo assim possível mostrar teorias e vivências da arte e assim obter uma definição da grande importância da arte na educação infantil.
4. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA – ARTES NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Compreender a importância da arte educação na aparendizagem e no desenvolvimento cognitivo da criança na educação infantil.
O desenho infantil é resultadoda interpretação espontânea de momentos de aprendizagem, do dominion de uma composição estruturada de gestos e do manejo adequado de materiais e cores.
No Documento Nacional de Paramentros de Conteúdos da Educação, a arte-educação é conceituada como um campo de conhecimento mais importante de qualquer outro conhecimento. Com ênfase na aprendizagem, este texto afirma:
A educação em Arte propicia o desenvolvimento do pensamento artístico, que caracteriza um modo particular de dar sentido às experiências das pessoas: por meio dele, o aluno amplia a sensibilidade, a percepção, a reflexão e a imaginação. Aprender arte envolve, basicamente, fazer trabalhos artísticos, apreciar e refletir sobre eles. Envolve, também, conhecer, apreciar e refletir sobre as formas da natureza e sobre as produções artísticas individuais e coletivas de distintas culturas e épocas. (BRASIL, 1997,p. 15).
Sendo assim, os PCN devem auxiliar o professor em sua prática docente, pois são referenciais para o seu planejamento no campo de conhecimento, valorizando a disciplina de Arte e a prática do apreciar, do produzir e do contextualizar, no sentido de garantir um ensino de qualidade: “Um aluno que exercita continuamente sua imaginação estará mais habilitado a construir um texto, a desenvolver estratégias pessoais para resolver um problema matemático” (PCN- Arte, 1997, p. 19).
Cunha (2002, p. 12) enfatiza que, “[…] para que as crianças tenham possibilidades de desenvolverem-se na área expressiva, que o professor consiga realizar intervenções pedagógicas no sentido de trazer à tona o universo expressivo infantil”.
Nesse sentido, Libâneo (1991) vem nos dizer que:
Não é suficiente dizer que os alunos precisam dominar conhecimentos, é necessário dizer como fazê-lo, isto é, investigar objetivos e métodos seguros e eficazes para a assimilação dos conhecimentos. […] O ensino somente é bem-sucedido quando os objetivos do professor coincidem com os objetivos de estudos do aluno e é praticado tendo em vista o desenvolvimento das suas forças intelectuais. […]. Quando mencionamos que a finalidade do processo de ensino é proporcionar aos alunos os meios para que assimilem ativamente os conhecimentos é porque a natureza do trabalho docente é a mediação da relação cognitiva entre o aluno e as matérias de ensino. (LIBÂNEO, 1991, p. 54-5).
Desse modo, o papel do professor é fundamental para que a criança receba referências e orientações, porém sem oferecer a ela modelos ou desenhos prontos. O método correto é deixar que os alunos construam os seus próprios desenhos usando a sua imaginação.  É importante que o professor se organize, que elabore o seu planejamento, que conheça as necessidades dos alunos desde os anos iniciais até a alfabetização, tudo para que o aluno saiba ler, escrever e construir saberes que constituam o processo de criação dentro de uma proposta de ensino-aprendizagem de forma significativa.
Nessa mesma perspectiva, os Parâmetros Curriculares Nacionais salientam que o ensino de Arte vem favorecer maior amplitude ao processo:
Conforme (BRASIL, 1997, p. 19), “o aluno que conhece arte pode estabelecer relações mais amplas quando estuda um determinado período histórico. Um aluno que exercita continuamente sua imaginação estará habilitado a construir um texto”.
Ainda nessa mesma linha de raciocínio, as autoras Fusari e Ferraz afirmam que é necessário pensar em “[…] um trabalho escolar consistente, duradouro, no qual o aluno encontre um espaço para o seu desenvolvimento pessoal e social por meio da vivência e posse do conhecimento artístico e estético” (FUSARI; FERRAZ, 2001, p. 21).
A partir dessa visão, especificamente para a arte na educação infantil, o educador em Arte, que atua em consonância com os demais educadores da instituição,
aprofunda conceitos e linguagens da arte. A função dos profissionais em Arte na educação não é simplesmente ministrar aulas fragmentadas de arte, mas, sobretudo, de organizar um espaço de cultura que possibilite a ampliação das expressões e das linguagens da criança de forma significativa para seu aprendizado.
Fusari (2008 p. 47) também reafirma a importância do planejamento ao dizer que “nada substitui a tarefa de preparação da aula em si”. O planejamento, segundo a autora, é uma competência teórica do professor que busca meios de adequação pelos quais a sua turma terá mais facilidade e interesse pelo assunto
Compete então, ao professor responsável pelas aulas de Arte, construir seu planejamento sobre o olhar de mediar e despertando a curiosidade e a criatividade de seus alunos de forma significativa nessa disciplina.
5. A IMPORTÂNCIA DA ARTE NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL
A arte têm um papel importante na formação das crianças, e é principalmente no ambiente escolar, onde se formam como espaços educativos é necessário que as crianças entendam que a arte como uma obra feita pelo homem e sejam capazes de refletir sobre a realidade. O conceito de arte como conhecimento educacional apresenta-se como o guia mais adequado para o processo de aprendizagem artística nos dias de hoje, facilitando o desenvolvimento da criança, desenvolvendo seu potencial cognitivo e capacitando-a para melhor compreender e ver o mundo de diferentes maneiras.
De acordo com Pimentel (2009, p. 24):
Ensinar arte significa possibilitar experiências e vivências significativas de reflexão e elaboração artística. Para isso, é necessário que o professor tenha uma base teórica, tanto para conhecer os caminhos trilhados por seus alunos, quanto para propiciar momentos significativos que possibilitem encontrar novos processos individuais e coletivos.
Para tanto, é necessário que a escola propicie para as crianças um aprendizado significativo, com acesso às obras de arte, o conhecimento de culturas e expressões diversas, cabendo ao professor desenvolver métodos e práticas para que o aluno, compreenda o mundo em que está sendo inserido, situando-a em diferentes contextos sócio-culturais.
Percebe-se a necessidade de rever as práticas pedagógicas, pois é de extrema importância desenvolver processos de criação de desenhos, pinturas, explorando o conhecimento das crianças e dos elementos das artes visuais.
É preciso que o ensino de Arte desperte nos alunos a curiosidade, o interesse e estimule-os, cabendo ao professor mediar e valorizar esses processos e essas vivências.
É preciso valorizar o conhecimento que as crianças já possuem sobre a Arte.
Elas devem ser estimuladas, encorajadas e incentivadas fazendo assim com que se enriqueçam suas experiências. E ainda, deve se dar a oportunidade de maior diversidade de materiais, suportes, técnicas e situações que as desafiam, objetivando o seu verdadeiro potencial.
Portanto, de acordo com Buoro (1996, p. 32)
É fundamental que o ensino de Arte contemple aspectos relacionados com o fazer artístico dos alunos, suas técnicas e procedimentos, a apreciação e a contextualização histórica que situa a obra em seu tempo e espaço e costura com o cotidiano.
Conhecer, estudar, refletir sobre obras de arte e contemplar essas obras, expressões artísticas e objetos são a base para isso. Neste processo de ensino/aprendizagem, o professor é o árbitro deste processo, sendo muito importante que as crianças utilizem métodos de ensino que lhes permitam expressar-se, ser criativas sem medo de “errar” e quebrar estereótipos. Modelos e, portanto, construções de arte do conhecimento.
Queiramos ou não, é evidente que a criança já vivencia a Arte produzida pelos adultos, presente em seu cotidiano. É óbvio que essa Arte exerce vivas influências estéticas na criança. É óbvio, também, que a criança com ela interage de diversas maneiras (FERRAZ; FUSARI, 1993, p. 43).
As escolas devem desenvolver propostas e métodos para tornar a Arte uma função de aprendizagem transformadora em que as crianças usem a
cidadania para se reconhecerem como participantes, heróis e construtores de seu próprio caminho. As escolas precisam ser mais do que um lugar para brincar, adaptável e agradável. Deve ser um ambiente estimulante, educativo,seguro e emocional onde os professores estejam verdadeiramente preparados para acompanhar as crianças neste intenso e diário processo de descoberta e crescimento. Em relação Arte na educação infantil, não podemos esquecer que com a ajuda de expressões artísticas como desenho, colagem e pintura atraves desses fundamentos a criança tem um significado porque começa a trabalhar com a hipótese de que o desenho onde cria e reinventa todas as formas de expressão e integra percepção, imaginação, reflexão e sensibilidade.
[...] durante as criações ou fazendo atividades de seu dia a dia, as crianças vão aprendendo a perceber os atributos constitutivos dos objetos ou fenômenos á sua volta. Aprendem a nomear esses objetos, sua utilidade seus aspectos formais (tais como linha, volume, cor, tamanho, textura, entre outros) ou qualidades, funções, entre outros... Para que isso ocorra é necessário a colaboração do outro – pais, professoras, entre outros - sozinha ela nem sempre consegue atingir as diferenciações, muitas vezes sua atenção é dirigida às características não - essenciais e sim às mais destacadas dos objetos ou imagens, como por exemplo, as mais brilhantes, mais coloridas, mais estranhas... (FERRAZ; FUSARI, 1993, p. 49)
Portanto, a arte deve ser cultivada como expressão da criatividade e da inteligência e como produto da cultura infantil, que consciente e intencionalmente promove o equilíbrio emocional da criança: desenhar, modelar, dobrar, esculpir, colar, montar, fazer. e itens etc
A arte fará parte de suas vidas e terá um sentido de extrema importância, tornando- se um instrumento de reflexão,conhecimento e grandes aprendizado.
6. UMA REFLEXÃO SOBRE O ENSINO DE ARTE
Considerando essas reflexões, é desejável compreender o conceito de escola no sentido mais amplo, a fim de vivenciar diversas artes no processo de desenvolvimento das crianças. Porém, segundo Vygotsky (1984, p. 17), "[...] cada tema tem sua própria relação com o curso do desenvolvimento infantil, relação essa que muda conforme a criança passa de uma fase para outra." Portanto, cada assunto tem sua própria importância no processo de aprendizagem. As crianças precisam se interessar pelo que estão aprendendo e encontrarão alegria em aprender a ler e escrever de maneira significativa nas artes e na alfabetização. Vygotsky (1984) afirma que “usamos a ativação da memória repetindo o que já sabemos, atualizando, ampliando e alterando o conhecimento prévio para criar situações hipotéticas” (VYGOTSKY, 1984, p. 97). Acredita-se que nesse espaço a possibilidade de diálogo e interação entre os sujeitos esteja mais próxima e a estimulação possa garantir o melhor desenvolvimento das crianças. Acredita-se que por meio de atividades lúdicas nas artes, as crianças tenham mais condições de desenvolver aprendizado e interações de qualidade com seus pares.
Assim, a educação leva à aprendizagem criando situações de cuidado, não só fornecendo conteúdos programados no currículo, mas também proporcionando jogos em que toda a turma participa. Assim, contribui para o desenvolvimento intelectual, físico e motor ao despertar na criança o interesse em adquirir amplo conhecimento sobre as realidades da sociedade e do mundo. Portanto, o educador deve ser o alicerce e o mediador desse processo. A educação não se limita a fornecer informações ou sugerir um caminho, ela ajuda os alunos a se tornarem conscientes de si mesmos e da sociedade. Nosso objetivo é fornecer aos alunos algumas ferramentas para escolher uma carreira, para que eles possam escolher um caminho compatível com seus valores, visão de mundo e adversidades que cada pessoa enfrentará. Por exemplo, ao desenhar, os alunos obtêm informações do meio em que vivem por meio da expressão e da criatividade. Impressões e cores permitem que os alunos expressem seus pensamentos e experiências de forma significativa.
De acordo com Mārtiņš (1998. p. 37). “Desde o nascimento, a criança está rodeada por uma variedade de linguagem verbal e não verbal, incluindo oral, escrita, gráfica, tátil, auditiva, olfativa, gustativa, motora e sensorial.” As crianças assimilam, processam e expressam as informações obtidas por meio da escrita e da leitura. Pilar (1996, p. 29) destaca que "[...] a criança toma consciência de si enquanto desenha, revela intenções e interpretações, esclarece o processo de construção gráfica do ponto de vista da criança que desenha". Dessa forma, as atividades artísticas não só contribuem para o desenvolvimento social e cognitivo das crianças, como também estimulam a criatividade, tornando as crianças mais sensíveis, críticas e observadoras, cooperativas no processo de ensino e aprendizagem.
A apresentação dos Parâmetros Curriculares Nacionais – Arte (1997, p. 11) deixou clara a importância da educação em artes para a formação do ser humano:
A educação em arte propicia o desenvolvimento do pensamento artístico, que caracteriza um modo particular de dar sentido às experiências das pessoas: por meio dele, o aluno amplia a sensibilidade, a percepção, a reflexão e a imaginação. Aprender arte envolve, basicamente, fazer trabalhos artísticos, apreciar e refletir sobre eles. Envolve, também, conhecer, apreciar e refletir sobre as formas da natureza e sobre as produções artísticas individuais e coletivas de distintas culturas e épocas. (PCN, 1997, p. 11).
Neste sentido, é importante estimular a criatividade da criança para ser trabalhada e desenvolvida e, por meio do trabalho realizado com as artes nas escolas, isso se torna possível e indispensável.
7. O PAPEL DO PROFESSOR NA APRENDIZAGEM INFANTIL
Os professores serão os mediadores entre o ensino e a aprendizagem dos alunos, devendo proporcionar a cada criança oportunidades de se expressar de forma espontânea e pessoal, mas sobretudo, de analisar e avaliar o contexto e os benefícios das atividades. Vamos contribuir para o desenvolvimento de todos.
Conforme diz Almeida, a maioria dos professores acredita que desenhar, pintar, modelar, cantar, dançar, tocar e representar é bom para o aluno, mas poucos são capazes de apresentar argumentos convincentes para responder “Por que essas atividades são importantes e devem ser incluídas no currículo escolar?”. (1992, p. 48).
Os professores do jardim de infância devem se esforçar para fornecer atividades artísticas aos alunos, criando símbolos para expressar sentimentos e pensamentos; portanto, um bom planejamento, direção e avaliação de atividades são importantes e necessários. Em outras palavras, o professor deve ser um observador atento. Sensível e sempre em busca de novas formas e recursos para explorar as artes em sala de aula, estimulando assim o desenvolvimento e aprendizado dos alunos.
Lavelberg afirma que: 
é necessário que o professor seja um “estudante” fascinado por arte, pois só assim terá entusiasmo para ensinar e transmitir a seus alunos a vontade de aprender. Nesse sentido, um professor mobilizado para a aprendizagem contínua, em sua vida pessoal e profissional, saberá ensinar essa postura a seus estudantes. (2003, p. 12).
Para tanto, faz-se necessário que o professor oportunize as crianças a exploração e manipulação de materiais, como lápis e pincéis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carimbos etc.; de meios, como tintas diversificadas, água, areia, terra, argila etc.; e de variados suportes, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras, telas próprias para pintura, dentre outras.
Suas utilizações permitirão não só atividades mais prazerosas como estimulará a pesquisa despertando o interesse da criança para a produção contemporânea de arte.
É necessário privilegiar o processo criativo da criança, estimulando sua própria produção, pela de outras crianças e pelas diversas obras artísticas com as quais entrem em contato, ampliando seu conhecimento de mundo e da cultura, desenvolvendo trabalhos de Arte, utilizando do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processode produção e criação.
Nesse processo de ensino/aprendizagem, o professor torna-se o mediador do processo, sendo de extrema importância que ele utilize métodos de ensino em que as crianças possam se expressar, usando de suas criatividades, sem medo de “errar”, libertando-se dos modelos estereotipados, levando assim, a construção de conhecimento em Arte.
Diante desses conceitos, o professor se apropria desse conhecimento de mundo que a arte transmite, permitindo explorar os sons, as cores, os gestos, as texturas,
as sensações e as diferentes percepções para que assim possa transmitir um conhecimento de mundo significativo.
Sobre isso, Arendt (1979 apud BARBIEIRI, 2012) ressalta que:
A qualificação do professor consiste em conhecer o mundo e ser capaz de instruir os outros acerca desta, porém, sua autoridade se assenta na responsabilidade que ele assume por esse mundo. Face à criança, é como se ele fosse um representante de todos os habitantes
adultos, apontando os detalhes e dizendo à criança: isso é o nosso mundo (p. 146)
8. CONSIDERAÇÕES FINAIS 
Após a conclusão deste trabalho de estudo, levando em consideração a pesquisa bibliográfica desenvolvida, salienta que a Arte na educação infantil deve ser vista
como forma de expressão e manifestação de sentimentos, emoções e conhecimentos, que está intimamente ligada com a percepção de mundo e imaginação de cada criança, pois ela explora os sentidos em tudo que faz.
A arte é a construção da aprendizagem infantil, é a base para o progresso da criança, através da realização das atividades artísticas, desenvolvendo sentimentos, autoconfiança, e conseqüentemente um aprendizado total.
Por fim, foi possível perceber através das pesquisas que a Arte é vista como um importante tema gerador a ser trabalhado diariamente na Educação Infantil, e que cabe ao professor planejar e incluir esse conceito respeitando a diversidade, o tempo e a maneira com que cada criança relaciona-se com a arte no processo de construção do conhecimento, sendo assim necessário estabelecer uma proposta para que a Arte esteja possibilitando a construção desse conhecimento.
Para tanto, percebe-se a necessidade de rever as práticas educativas do ensino de Arte, para que seja proposta como um instrumento reflexivo, em que criança desenvolva o pensamento crítico diante das questões sociais
Nesse processo de ensino o professor deve ser o mediador, promovendo um trabalho que tenha relevância para o desenvolvimento crítico das crianças.
Esperamos que o presente estudo possibilite o desenvolvimento de um olhar mais crítico sobre a prática pedagógica de ensino de Arte, que as intervenções artísticas façam parte do cotidiano escolar, sendo naturais e constantes, a fim de oportunizar novas práticas e experiências ao aluno.
	
9. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.
	
BARBOSA, Ana Mae (org.). Teoria e prática da educação artística. São Paulo: Cultrix 1975.
FARIA A.L.G; PALHARES, MS. Educação Infantil; Rumos e Desafios, Campinas, UFSC, 2003
FERRAZ, Maria Heloísa Corrêa de Toledo; FUSARI, Maria Felisminda de Rezende
e. Metodologia do ensino de arte. São Paulo: Ed. Cortez, 1993.
FERRAZ, M.H. & Fusari, M.F. Arte na Educação Escolar. São Paulo: Cortez, 1992.
MORAIS, Frederico. Arte é o que eu e você chamamos de arte. Rio de Janeiro: Record, 1998.
PIMENTEL, Lúcia Gouvêa.(org.) Som, Gesto, Forma e Cor: Dimensões da Arte e seu Ensino. Belo Horizonte: C/Arte, 1995.
RIZZ, C. Arte das crianças pequenas, Saraiva, 1997
BARBOSA, A. M. T. B. Teoria e Prática da Educação Artística. 3. ed. São Paulo: Cultrix, 1979.
BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais de Arte. Brasília/DF: MEC, 1997.
CUNHA, S. R. (Org.). Cor, som e movimento: a expressão plástica, musical e dramática no cotidiano das crianças. Porto Alegre, RS: Mediação, 2002.
FUSARI, M. F. R.; FERRAZ, M. H. C. T. Arte na educação escolar. São Paulo: Cortez, 2001.
PILLAR, A. D. Desenho e escrita como sistema de representação. Porto: Artes Médicas, 1996.
VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984

Outros materiais