Buscar

NT XX-2023-NJ - PL 21 894-2016 Institui a Campanha Alerta Vermelho na Escola no âmbito das escolas públicas, no Estado da Bahia

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

Nota Técnica nº XX/2023/APOIO TÉCNICO JURÍDICO – ALBA
 Em 02 de abril de 2024.
Ao Ilustre Senhor Relator Deputado Vítor Bonfim
Assunto: Projeto de Lei nº 21.894/2016
I – INTRODUÇÃO
A presente nota técnica examina o Projeto de Lei nº 21.894/2016, de autoria do Deputado Pedro Tavares, que: Institui a Campanha “Alerta Vermelho na Escola” no âmbito das escolas públicas, no Estado da Bahia.
De acordo com a movimentação processual constante do sítio eletrônico dessa Casa Legislativa, a proposição foi protocolada em 25/05/2016. Na legislatura atual, foi inserida em pauta no período de 14/03/2023 até 27/03/2023, sem receber emendas. Encaminhada à Comissão de Constituição e Justiça, em 14/03/23, e distribuída à relatoria do Ilustre Deputado Vítor Bonfim em 01/02/2024.
A proposta é um programa de combate e controle ao HIV/AIDS, nas instituições educacionais do Estado, denotando a preocupação e o zelo do legislador com a saúde pública. Entretanto, sem embargo da relevância da matéria, ressalta-se que cabe a essa Comissão analisar aspectos relacionados à constitucionalidade, legalidade e técnica legislativa, em conformidade com o art. 51, § 1º, do Regimento Interno dessa Casa (RI/ALBA). 
Passa-se à análise.
II – ANÁLISE
O postulado constitucional que orienta a distribuição de competências entre as entidades que compõem o Estado Federativo é o da predominância do interesse. Nessa perspectiva, à União compete legislar sobre as questões de predominante interesse nacional, previstas no art. 22 da Constituição da República, e aos Estados e ao Distrito Federal sobre as de predominante interesse regional.
Cumpre esclarecer que a proposição em exame considerada como de relevante interesse regional, limita-se a instituir data para conscientização da população, sem pretender estabelecer feriado civil, inexistindo, portanto, ressalva quanto à competência legislativa do Estado para tal fim, bem como quanto à iniciativa parlamentar para propor o Projeto de Lei, uma vez que não compõe matéria de iniciativa reservada, prevista no art. 77 da Constituição do Estado da Bahia.
Com relação às demais formalidades específicas ou requisitos substanciais para aprovação da matéria, não há no âmbito estadual lei que discipline o assunto, diferentemente do que ocorre no âmbito Federal, cujo procedimento é estabelecido pela Lei Federal nº 12.345, de 9 de dezembro de 2010.
A Lei nº 12.345/2010 disciplina, em seu art. 1º, à alta significação para os diferentes segmentos profissionais, políticos, religiosos, culturais e étnicos que compõem a sociedade brasileira como critério para a instituição de datas comemorativas que vigorem no território nacional.
Essa dimensão material da norma federal impõe a ampla discussão sobre a caracterização da importância da data para a sociedade, prevendo um espaço plural e democrático com a participação de organizações e associações legalmente reconhecidas e vinculadas aos segmentos interessados para a instituição de datas comemorativas na esfera Federal.
Nessa linha, os arts. 2º e 3º, da Lei Federal nº 12.345/2010, fixam os requisitos procedimentais de como a definição do critério de alta significação será alcançado, privilegiando a realização de consultas e audiências públicas, assim como a observância do princípio da transparência prevendo a abertura e os resultados das consultas e audiências públicas por meio de ampla divulgação, admitida, inclusive, a participação dos veículos de comunicação social privado.
Por tais razões, conclui-se que o Projeto de Lei nº 21.894/2016, não padece de inconstitucionalidade ou ilegalidade, já que não pretende criar um feriado, mas apenas incluir no Calendário Oficial do Estado da Bahia a Campanha “Alerta Vermelho na Escola” no âmbito das escolas públicas, no Estado da Bahia, mês dedicado à ações de prevenção do HIV/AIDS.
III – CONCLUSÃO/VOTO
Diante da ausência de óbices, e certificadas a constitucionalidade, legalidade e boa técnica legislativa, manifestamo-nos favoravelmente à tramitação do Projeto de Lei nº 21.894/2016.
À disposição para os esclarecimentos que se fizerem necessários.
É o parecer.
VALNEI ROCHA
Analista Legislativo

Outros materiais