Buscar

7 - Pessoa Jurídica

Prévia do material em texto

Pessoa Jurídica
Pessoa jurídica, coletiva, moral, fictícia ou abstrata: conjunto de pessoas ou de bens arrecadados, em torno de uma finalidade comum, que adquirem personalidade jurídica própria, podendo ser sujeitos de direitos e deveres na ordem civil. Não se confunde com a pessoa de seus integrantes.
Condições: (i) reunião de pessoas ou de bens; (ii) objetivo comum; (iii) dotada de personalidade e capacidade jurídicas próprias
Teorias
Teoria da ficção (Savigny): apenas a pessoa natural pode titularizar diretos e deveres na ordem civil. A PJ é considerada uma ficção, logo não teria personalidade jurídica. (OBS: Superada – art. 52,CC)
Teoria da realidade: pessoa jurídica busca atingir fins sociais, portanto a pessoa jurídica teria personalidade moral. 
Teoria da realidade técnica: a PJ é uma realidade criada pela Lei, que atribui a aqueles que atendem aos requisitos legais e ao fim a que se destinam, uma personalidade jurídica, por isso possuem personalidade distinta da de seus membros. (adotada)
OBS: arts. 1º e 52 do CC
Pessoa Jurídica
Classificação:
a) PJ de Direito público interno /externo (art. 40, 41, 42, 43 CC)
b) Direito Privado (art. 44, CC)
c) Pessoa jurídica nacional (constituídas conforme leis brasileiras/sede)
d)Estrangeiras: (constituídas com a lei do seu país de origem/ funcionamento no Brasil)
e) Corporação ( “universitas personarum): sociedades e associações; 
f) Fundação ou “universitas bonorum” 
Pessoa Jurídica
Aquisição da personalidade da pessoa jurídica (art. 45, do CCB) 
Extinção da PJ (art. 51 e 1.033, CC) 
Entes despersonalizados: (i) destituídos de personalidade jurídica; (ii) titularizam alguns direitos e obrigações. Exemplos: massa falida, herança jacente e vacante – art. 1.819, CC; condomínio. Art. 75, CPC
Pessoa Jurídica
Associações Privadas (art. 53, CC): pessoas jurídicas de direito privado que são formadas pela união de indivíduos com fins não econômicos (finalidade ideal). Exemplos: associações de moradores, clubes recreativos.
Liberdade de associação: (i) direito de criar associação independentemente de autorização; (ii) direito de não ser compelido a aderir a determinada associação; (iii) direito de se desligar da associação a qualquer tempo. Vedada a interferência estatal;
Início da personalidade: registro do estatuto no Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas. (art. 54, CC).
Pessoa Jurídica
Fundações: afetação de patrimônio pelo instituidor, por escritura pública ou testamento, determinando a finalidade ideal que pretende atingir. Ou seja, é patrimônio que se personifica em busca de finalidade não lucrativa (por exemplo: religiosa, moral, cultural ou de assistência). Pode ser constituída por pessoa física ou por pessoa jurídica de direito privado.
Elementos:
patrimônio;
fim específico (parágrafo único, art. 62)
Pessoa Jurídica
Sociedades: PJ constituídas por meio de CONTRATO SOCIAL, que perseguem lucro, ou seja, tem finalidade econômica.
Representação da PJ
“Celebram contrato de sociedade as pessoas que reciprocamente se obrigam a contribuir, com bens ou serviços, para o exercício de atividade econômica e a partilha, entre si, dos resultados.”
Requisitos: a) MATERIAL: exercer atividade empresarial; b)FORMAL: registro público na Junta Comercial ou outro órgão competente
IMPESSOALIDADE
Pessoa Jurídica
Extinção da PJ de direito Privado (arts. 1.033e 51, CC) – liquidação. Satisfação do passivo para o cancelamento do registro.
Modalidades:
 a) convencional – distrato;
 b) administrativa - ex.: instituições financeiras, seguradoras etc.
c) judicial – por sentença
 Direitos da personalidade da PJ (arts. 1º, 52 do CC, Súmula 227/STJ): direito ao nome; identidade; imagem; intimidade; honra.
 Proteção aos direitos da personalidade (art. 12, CC)
Pessoa Jurídica
Desconsideração da personalidade jurídica : visa superar a personalidade da pessoa jurídica, permitindo os credores possam satisfação seus direitos no patrimônio pessoal do sócio ou administrador que cometeu o ato abusivo. Aplica-se então ao sócio ou administrador que cometeu o ato abusivo ou que dele se beneficiou . É admitida para qualquer pessoa jurídica e não apenas para as sociedades.
Depende de ato judicial
Exige: (i) Insolvência; (ii) Abuso do sócio ou administrador (aspecto subjetivo); (ii.i) Desvio de finalidade; ou (ii.ii) Confusão patrimonial.
Desconsideração inversa.

Continue navegando

Outros materiais