Buscar

Anatomia - Sistema Urogenital

Prévia do material em texto

Caderno de estudos criado por uma estudante de Medicina Veterinária 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Pena - detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, ou multa (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003) 
 
 § 1 o Se a violação consistir em reprodução total ou parcial, com intuito de lucro direto ou indireto, por qualquer meio ou 
processo, de obra intelectual, interpretação, execução ou fonograma, sem autorização expressa do autor, do artista 
intérprete ou executante, do produtor, conforme o caso, ou de quem os represente: (Redação dada pela Lei nº 10.695, 
de 1º.7.2003) 
 
Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). 
 
 § 2 o Na mesma pena do § 1 o incorre quem, com o intuito de lucro direto ou indireto, distribui, vende, expõe à venda, 
aluga, introduz no País, adquire, oculta, tem em depósito, original ou cópia de obra intelectual ou fonograma reproduzido 
com violação do direito de autor, do direito de artista intérprete ou executante ou do direito do produtor de fonograma, 
ou, ainda, aluga original ou cópia de obra intelectual ou fonograma, sem a expressa autorização dos titulares dos direitos 
ou de quem os represente. (Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003) 
 § 3 o Se a violação consistir no oferecimento ao público, mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro 
sistema que permita ao usuário realizar a seleção da obra ou produção para recebê-la em um tempo e lugar previamente 
determinados por quem formula a demanda, com intuito de lucro, direto ou indireto, sem autorização expressa, 
conforme o caso, do autor, do artista intérprete ou executante, do produtor de fonograma, ou de quem os represente: 
(Redação dada pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003) 
 
Pena - reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa. (Incluído pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). 
 
 § 4 o disposto nos §§ 1 o, 2 o e 3 o não se aplica quando se tratar de exceção ou limitação ao direito de autor ou os 
que lhe são conexos, em conformidade com o previsto na Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, nem a cópia de 
obra intelectual ou fonograma, em um só exemplar, para uso privado do copista, sem intuito de lucro direto ou indireto. 
(Incluído pela Lei nº 10.695, de 1º.7.2003). 
 
 
 
 
A unidade funcional básica dos rins é o néfron, que consiste em 
um conjunto complexo de estruturas responsáveis pela filtração 
do sangue e pela formação da urina. Cada rim contém milhões de 
néfrons, que trabalham em conjunto para manter o equilíbrio de 
líquidos e eletrólitos no corpo. 
Em resumo, o sistema urinário desempenha um papel essencial na 
manutenção da homeostase do corpo, eliminando resíduos 
metabólicos e regulando o equilíbrio hídrico e eletrolítico. 
 Manutenção do meio interno 
 Regulação da pressão sanguínea 
 Produção de células sanguíneas 
 
 são os órgãos principais do sistema urinário, responsáveis 
por filtrar o sangue e remover substâncias indesejadas, como 
resíduos metabólicos e toxinas, eles também desempenham um 
papel importante na regulação do equilíbrio de eletrólitos, água e 
pH do corpo. 
 são dois tubos estreitos que conectam os rins à 
bexiga urinária, transportam a urina produzida pelos rins até a 
bexiga, utilizando contrações musculares peristálticas para 
empurrar a urina ao longo do trajeto. 
 conhecida popurlamente como bexiga é um 
órgão muscular oco que serve como reservatório temporário de 
urina, ela se expande à medida que é preenchida pela urina que 
chega pelos ureteres, e contrações musculares voluntárias 
permitem que a urina seja expelida através da uretra durante a 
micção. 
 um canal que se estende da bexiga até a abertura 
externa do corpo, permitindo que a urina seja eliminada para o 
ambiente externo durante a micção, nos machos, a uretra também 
desempenha um papel na passagem do esperma durante a 
ejaculação. 
O rim é um órgão em forma de feijão, par e parenquimatoso, 
envolvido por uma cápsula de tecido conjuntivo e situado 
retroperitonealmente. É fixado pelo ligamento hepato-renal ou 
ligamento caudado e divide-se em região medular e região cortical. 
Os rins são órgãos predominantemente localizados na região 
lombar, com a parte cranial se projetando para a região 
intratorácica do abdômen. Nos ruminantes, ambos os rins se 
encontram do lado direito do corpo. Esses órgãos desempenham 
um papel crucial na filtragem de substâncias nocivas ao organismo, 
como amônia, uréia e ácido úrico. 
 
 
 
 Bordas: lateral e medial 
 Polos: cranial e caudal 
 Faces: parietal ou dorsal e ventral ou visceral 
 Hilo: região de entrada e saída de vasos, artérias, sistema 
linfático, sistema nervoso e ureter, que vai para a bexiga 
 Regiões: córtex, a mais externa, e medula, a mais interna 
 Seio renal: espaço que sobra se retirada a pelve renal 
Além de suas funções excretoras, os rins também têm uma 
função endócrina importante, produzindo hormônios como renina, 
bradicinina, eritropoetina e colcitrol, que desempenham papéis 
essenciais na regulação da pressão sanguínea, na regulação da 
tensão arterial, na produção de glóbulos vermelhos e na regulação 
do metabolismo do cálcio, respectivamente. 
Quanto à sua forma, os rins apresentam variações entre as 
diferentes espécies: 
 
 Em carnívoros e pequenos ruminantes, possuem uma forma 
de feijão. 
 Nos suínos, são achatados e longos. 
 Nos equinos, o rim direito tem forma de coração e o esquerdo 
é em forma de feijão. 
 Nos bovinos, possuem uma forma oval e lobos na superfície. 
Os suínos são os únicos com rins simétricos; nas outras espécies, 
o rim direito é mais cranial que o esquerdo e o rim esquerdo 
também é mais móvel que o direito. 
A região medular é a parte mais escura do rim., os rins 
unipiramidais e homogêneos, apresenta a crista renal, enquanto os 
rins multipiramidais têm papilas renais que conduzem a urina para 
os cálices menores, maiores e, finalmente, para a pelve renal. Os 
ruminantes possuem uma pelve renal de acordo com literaturas 
recentes. O recesso terminal é uma projeção lateral da região da 
pelve renal que coleta a urina mais distalmente. 
Internamente, os rins são divididos em duas regiões: a medula, 
localizada internamente, e a córtex, mais externa. Podem ser 
classificados como multipiramidais ou unipiramidais, dependendo de 
seu arranjo macroscópico em lobos. O hilo renal, assim como o hilo 
pulmonar, é a região por onde entram artérias, nervos e vasos 
linfáticos e saem veias e ureter. A córtex renal corresponde à 
camada mais externa, logo após a cápsula, e é onde estão 
localizados os néfrons, unidades funcionais básicas do rim 
responsáveis pela formação da urina. 
A medula renal tem coloração marrom-avermelhada e contém as 
pirâmides renais, que são grupos de ductos que coletam a urina 
formada pelos néfrons. Cada pirâmide tem sua base voltada para 
o córtex e o ápice para a medula, e no vértice de cada pirâmide 
se localiza a papila renal. As papilas são envolvidas pelos cálices 
menores, que se reúnem para formar os cálices maiores. A urina 
é então drenada para a pelve renal, uma expansão do ureter 
dentro do rim, e posteriormente é transportada para a vesícula 
urinária. 
O néfron desempenha um papel fundamental na filtração dos 
elementos do plasma sanguíneo e na eliminação das excretas 
indesejadas através da urina. 
 formado por duas partes, o glomérulo e a 
cápsula renal (ou cápsula de Bowman). A cápsula renal tem 
formato de taça e envolve o glomérulo, que consiste em uma série 
de capilares arteriais com pressão hidrostática elevada., essa 
pressão resulta na saída do líquido do sangue para o interior da 
cápsula, formando o filtrado glomerular. 
 sangue chega ao néfron 
por meio da artéria aferente, que conduz o sangue para o 
glomérulo, um desdobramento da artéria renal que se ramifica e 
forma os glomérulos. Após a filtragem,os capilares do glomérulo 
convergem para formar uma arteríola eferente, que leva o sangue 
para fora do glomérulo. 
 esta parte do néfron recebe 
o filtrado glomerular, onde ocorre a absorção e excreção de 
diversas substâncias. 
 possui um formato de U e é composta por um 
ramo descendente e um ramo ascendente. É onde ocorre a 
retenção de parte da água filtrada. 
 ocorrem as trocas iônicas, como a 
absorção de sódio e a secreção de potássio. Este tubo se abre no 
ducto coletor, responsável por receber a urina e transportá-la 
para a pelve renal. 
O ureter é um tubo composto por músculo liso, responsável por 
conduzir a urina dos rins até a bexiga através de movimentos 
peristálticos. Possui óstios ureterais, que são as aberturas que 
permitem a passagem da urina para a bexiga. 
 A junção dos óstios ureterais com o óstio uretral interno forma 
uma região conhecida como trígono vesical. 
A bexiga é um órgão oco em formato de pera, composta por ápice 
cranial, corpo intermediário e colo caudal. Na região cranial da 
bexiga, encontra-se a cicatriz do úraco, além de dois ligamentos 
laterais e um ligamento mediano ventral. Sua estrutura é revestida 
por uma camada de serosa, seguida por uma camada muscular 
forte conhecida como músculo detrusor da bexiga, e por dentro 
apresenta o epitélio da bexiga. Quando vazia, a bexiga apresenta 
pregas temporais. Também possui óstio ureteral e uretral, além da 
crista ureteral. O epitélio de transição reveste a bexiga, e a mucosa 
apresenta pregas quando vazia, que se estendem até o colo da 
bexiga, onde se unem para formar a crista uretral. 
Remanescentes embrionários, como a cicatriz do úraco, o 
ligamento vesical lateral e o ligamento redondo, podem ser 
observados na bexiga. Durante o desenvolvimento fetal, o ligamento 
mediano contém o úraco, enquanto os ligamentos laterais pares 
transportam as artérias umbilicais até o umbigo. 
Quanto à vascularização, a bexiga é irrigada pelas artérias vesicais 
caudais e pelas artérias umbilicais reduzidas, e apresenta veias 
satélites. Vale ressaltar que o câncer na bexiga é raro no ápice e 
mais comum no trígono vesical, uma região delimitada pelos óstios 
ureterais e uretrais, demarcada pelas pregas da mucosa da bexiga. 
A uretra é um órgão tubular responsável por conduzir a urina do 
sistema urinário até o meio externo do corpo dos animais. 
 Nos machos, além de canalizar a urina, a uretra também é 
responsável pelo transporte do sêmen e secreções seminais. 
Em certas espécies, como caprinos, ovinos e equinos, há a 
presença do processo uretral. Na anatomia masculina, a uretra 
é dividida em três partes devido à sua longa extensão: porção 
prostática, porção pélvica e porção peniana. 
 Já nas fêmeas, a uretra é exclusivamente utilizada para o 
transporte da urina. 
O ato de liberação da urina através da uretra é denominado de 
micção, alguns animais, como cães e gatos, utilizam a micção como 
um meio de marcação de território. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
http://sistemas.ufape.edu.br/lapa/site/atlas/categoria/sistema
-urogenital-8?page=1 
https://edisciplinas.usp.br/mod/book/view.php?id=2433235&ch
apterid=19357 
https://brasilescola.uol.com.br/biologia/os-rins.htm 
https://edisciplinas.usp.br/mod/book/view.php?id=2434148&ch
apterid=19951 
 
http://sistemas.ufape.edu.br/lapa/site/atlas/categoria/sistema-urogenital-8?page=1
http://sistemas.ufape.edu.br/lapa/site/atlas/categoria/sistema-urogenital-8?page=1
https://edisciplinas.usp.br/mod/book/view.php?id=2433235&chapterid=19357
https://edisciplinas.usp.br/mod/book/view.php?id=2433235&chapterid=19357
https://brasilescola.uol.com.br/biologia/os-rins.htm
https://edisciplinas.usp.br/mod/book/view.php?id=2434148&chapterid=19951
https://edisciplinas.usp.br/mod/book/view.php?id=2434148&chapterid=19951

Continue navegando