Buscar

Aula 5 Fordismo - TO (1)

Prévia do material em texto

Escola de Negócios e 
Tecnologia
Mestranda Ingrid Wencelewski Britto
Wencelewskibritto@gmail.com
@wencelewski
mailto:Wencelewskibritto@gmail.com
TEORIA DE...
1) Quem era o cara
2) Ford Motor Company
3) Fordismo e Processo de Produção
4) Princípios
5) Inovação
6) Críticas e Declínio
7) Ford x Toyota
8) ETF
ROTEIRO
▪O Fordismo é um modo de 
produção em massa baseado 
na linha de produção 
idealizada por Henry Ford.
▪Foi fundamental para a 
simplificação do processo 
produtivo, fabricação de baixo 
custo e acumulação de capital.
1.QUEM ERA O 
CARA?
QUEM FOI HENRY FORD?
❑ Nasceu em 30 de julho de 1863;
❑ Empresário e inventor norte 
americano;
❑ “Louco Ford”;
❑ Fundador da Ford Motor 
Company em 1903;
❑ 161 patentes.
2.FORD MOTOR 
COMPANY 
FORD MOTOR COMPANY 
• Fundada em 1903 com um capital de U$28.000
de doze investidores;
• Nos primeiros anos, a companhia produzia
apenas alguns carros por dia em sua fábrica na
Mack Avenue;
• O Ford T, foi o carro mais produzido da Ford.
Veículos produzidos por Henry Ford entre 1896 e 
1927. O primeiro de todos recebeu o nome de 
quadricycle. Tinha rodas de bicicleta e usava etanol 
como combustível.
Cadeia de montagem da fábrica da companhia de 
Ford em Highland Park, Michigan. A fotografia 
foi captada em 1913. Os operários estão a colocar 
o motor sobre o chassis, que se move sobre 
carris ao longo da fábrica.
LINK: https://www.nationalgeographic.pt/historia/como-a-ford-transformou-o-automovel-num-bem-consumo-massas_2232
FORD MOTOR COMPANY 
https://www.nationalgeographic.pt/historia/como-a-ford-transformou-o-automovel-num-bem-consumo-massas_2232
3. FORDISMO E 
PROCESSO DE 
PRODUÇÃO
FORDISMO 
• O Fordismo em homenagem ao seu 
criador, Henry Ford;
• Instalou a primeira linha de 
produção semiautomatizada de 
automóveis no ano de 1914;
• Modelo de gestão da Segunda 
Revolução Industrial ao qual 
perduraria até meados da década de 
1980;
FORDISMO 
• Este sistema de produção em massa, 
“denominado linha de produção”, constituía-se 
em linhas de montagem semiautomáticas, 
possibilitadas pelos pesados investimentos 
para o desenvolvimento de maquinários e 
instalações industriais;
• O Fordismo tornou esses produtos acessíveis 
ao mercado consumidor em massa, na medida 
em que reduziu o custo da produção e barateou 
os artigos produzidos.
FORDISMO 
• A diminuição dos preços veio 
acompanhada pela queda na qualidade 
dos produtos fabricados;
• Por conseguinte, este modelo se 
espalhou pelo mundo e se consolidou 
no pós-guerra;
• O padrão produtivo alcançou outras 
linhas de produção, principalmente nos 
setores siderúrgicos e têxteis.
FORDISMO 
• A diminuição dos preços veio 
acompanhada pela queda na qualidade 
dos produtos fabricados;
• Por conseguinte, este modelo se 
espalhou pelo mundo e se consolidou 
no pós-guerra;
• O padrão produtivo alcançou outras 
linhas de produção, principalmente nos 
setores siderúrgicos e têxteis.
FORDISMO 
Henry Ford aperfeiçoou os preceitos de Taylor, 
sobre o conceito de linha de montagem.
O taylorismo buscava aumentar a produtividade 
do trabalhador, através da racionalização dos 
movimentos e do controle da produção. 
Taylor, não se preocupou com as questões de 
tecnologia, fornecimento de insumos ou a 
chegada do produto ao mercado.
FORDISMO 
Ford incluiu a verticalização, pela qual 
controlava desde as fontes das matérias-primas, 
até a produção das peças e distribuição de seus 
veículos. 
Essas seriam as principais diferenças entre os 
dois métodos.
O que é Verticalização?
PROCESSO FABRICAÇÃO FORDISMO 
4. PRINCÍPIOS
PRINCIPIOS FORDISMO
• Princípio da produtividade: aumentar o volume de
produção, fazendo o maior número de produtos no
menor tempo possível. Para isso, a especialização
dos trabalhadores em uma única tarefa, que eles
conseguiam executar em questão de minutos ou até
segundos, era essencial.
• Princípio da intensificação: Intensificar a produção,
reduzindo o tempo para que o produto chegasse ao
mercado. Com a implementação da linha de
montagem, um carro – que antes levava mais de 12
horas para ficar pronto – só precisava de 2 horas e 30
minutos para ser montado.
PRINCIPIOS FORDISMO
• Princípio da economicidade: Visava à redução do
voluma de estoque de matéria-prima em processo de
transformação, permitindo que a empresa recebesse
pela venda do carro antes mesmo do vencimento do
prazo de pagamento dos salários e da matéria-prima
adquirida;
• Reduzir o custo de produção. Uma das medidas de
Ford para isso era que todos os carros tivessem a
mesma cor, preto.
5. INOVAÇÃO
INOVAÇÃO FORDISMO
• Implantação das esteiras rolantes, que
levam parte do produto a ser fabricado até
os funcionários;
• Especialização funcional;
• Melhoria no padrão de vida da classe
operária industrial
6. CRÍTICAS E 
DECLÍNIO
CRÍTICAS FORDISMO
• ORGANIZACIONAL:
Trabalhadores não conseguiam se qualificar, porque
não conheciam as outras etapas da produção,
“mecanização do homem”;
Dura jornada de trabalho e aos poucos direitos
trabalhistas;
• MODELO:
Inflexibilidade, ou seja, ele permite produzir um
mesmo tipo de produto em grande quantidade, mas
não atender a demandas diferenciadas
DECLÍNIO DE FORD
DECLÍNIO DE FORD
• Devido à rigidez do método produtivo, o fordismo 
entra em declínio a partir da década de 1970;
• Nesta época aconteceram as sucessivas crises do 
petróleo e a entrada dos japoneses no mercado 
automobilístico;
• Os japoneses introduzem o Toyotismo, ou seja, o 
sistema Toyota de produção, no qual se destaca o 
uso da eletrônica e da Robótica.
7. FORD X TOYOTA
FORD X TOYOTA
FORD X TOYOTA
FORD X TOYOTA
PÓS FORDISMO
• Inovações técnicas possibilitando a relação entre “homem” e “várias
máquinas”;
• “Flexibilização” da produção e o atendimento de um mercado
consumidor que buscava diferenciação de produtos.
Exemplo: tornou mais barato produzir pequenos lotes de peças
estampadas, diferentes entre si, do que grandes lotes homogêneos
• Redução de custos de inventários (sistema just-in-time), possibilitou
melhorias contínuas na produção e eliminou problemas de qualidade,
exigindo, no entanto, operários bem treinados e motivados;
• Na rede de suprimentos, ocorreu uma horizontalização e
descentralização, na medida em que eram utilizados muitos
fornecedores em uma relação de parceria.
8. ETF
	Slide 1
	Slide 2
	Slide 3: ROTEIRO
	Slide 4
	Slide 5
	Slide 6
	Slide 7
	Slide 8: FORD MOTOR COMPANY 
	Slide 9: FORD MOTOR COMPANY 
	Slide 10
	Slide 11: FORDISMO 
	Slide 12: FORDISMO 
	Slide 13: FORDISMO 
	Slide 14: FORDISMO 
	Slide 15: FORDISMO 
	Slide 16: FORDISMO 
	Slide 17: PROCESSO FABRICAÇÃO FORDISMO 
	Slide 18
	Slide 19: PRINCIPIOS FORDISMO
	Slide 20: PRINCIPIOS FORDISMO
	Slide 21
	Slide 22: INOVAÇÃO FORDISMO
	Slide 23
	Slide 24: CRÍTICAS FORDISMO
	Slide 25: DECLÍNIO DE FORD
	Slide 26: DECLÍNIO DE FORD
	Slide 27
	Slide 28: FORD X TOYOTA
	Slide 29: FORD X TOYOTA
	Slide 30: FORD X TOYOTA
	Slide 31: PÓS FORDISMO
	Slide 32
	Slide 33

Continue navegando