Buscar

AULA 2 INTERPRETAÇÃO DO HEMOGRAMA

Prévia do material em texto

AULA 2 – Interpretação Laboratorial do HEMOGRAMA
 
 Professores: 
 Cândido Alberto
 Rosa Jandira
CURSO DE MEDICINA
Unidade Curricular: Laboratório Clínico I
Sumário 
Generalidades Hematológicas
Aspectos Práticos do Hemograma
Hemograma 
Interpretação dos Resultados
Causas de Erros na avaliação do Hemograma
Generalidades Hematológicas
Definição de Sangue
Tecido vivo, caracterizado como um líquido vermelho e espesso que se encontra num compartimento fechado a que chamamos aparelho circulatório, e consiste numa diversidade de células em suspensão num meio líquido, denominado plasma.
Função Principal : libera oxigénio e nutrientes essenciais aos tecidos e eliminando dióxido de carbono e outros produtos da degradação metabólica.
Composição: 
Plasma (55%) – líquido de cor amarelada, maior componente do sangue. É constituído principalmente por água (92%), os componentes dissolvidos são maioritariamente proteínas plasmáticas, e também se incluem nutrientes, gases, etc.
Células sanguíneas (45%) – (glóbulos vermelhos, leucócitos e plaquetas).
Aspectos práticos do Hemograma
A realização envolve três etapas fundamentais:
Recepção, colheita, e processamento da amostra de sangue periférico.
Análise da amostra e avaliação, contagem das células sanguíneas.
Microscopia de esfregaço de sangue periférico para avaliação de potenciais anormalidades morfológicas.
O anticoagulante indicado é o ácido etilenodiaminotetracético (EDTA). Após colheita o tubo deve ser invertido delicadamente no mínimo 5 vezes.
Hemograma 
Conceito
É o exame utilizado para avaliar a quantidade e a qualidade das três principais linhagens de células do sangue.
Análises que compõem o Hemograma 
ANÁLISES QUANTITATIVAS
Série Vermelha (Eritrócitos ou hemácias)
Série Branca (Leucócitos)
ANÁLISES QUALITATIVAS
Tamanho
Série Plaquetária (Plaquetas ou trombócitos)
Forma Celular
Inclusões Citoplasmáticas e nucleares
Atipias celulares.
O Hemograma é um dos exames complementares de diagnóstico mais úteis e frequentemente requisitadas na prática médica. É o exame de primeira linha no estudo da função hematológica.
Ele está dividido em 3 partes que são:
Eritrograma (Glóbulos Vermelhos ou Hemácias)
Dosagem da hemoglobina (Hb)
Contagem dos eritrócitos (CE) 
Hematócrito (Hto)
Índices hematimétricos.
2. Leucograma (Glóbulos brancos ou leucócitos)
Contagem total dos leucócitos (CTL)
Fórmula diferencial de leucócitos (FL).
3. Plaquetograma (Plaquetas ou Trombócitos)
Contagem de plaquetas (CP)
Índices plaquetários.
Análise e avaliação da amostra
Série Vermelha (Eritrograma) – responsável pelo transporte de gases (02, CO2) e nutrientes aos tecidos. 
Hematócrito (Hto) – representa a percentagem de sangue ocupada pelas hemácias. Expressa-se em %. 
Dosificação da Hemoglobina (Hb) - é uma molécula que fica dentro da hemácia. É a responsável pelo transporte de oxigénio. Na prática, a dosagem de hemoglobina acaba sendo a mais precisa na avaliação de uma anemia. Expressa-se em g/dl do sangue total.
Contagem dos glóbulos vermelhos ou hemácias – detecta a quantidade de hemácias em um microlitro (milímetro cúbico) de sangue total. Expressa-se em 106/mm3
Índices hematimétricos – 
Volume Corpuscular Médio (VCM) – é o volume médio das hemácias. É um índice útil na classificação morfológica das anemias. E classificam-se como : Normocíticas, Macrocíticas, Microcíticas. Expressam-se em fentolitros (ft).
9
Classificação das Anemias 
Anemia Macrocítica
Quando o VGM está elevado. 
Hemácias de tamanho grande.
Anemia Normocítica
Quando os valores do VGM estão normais.
Anemia Microcítica
Quando o VGM se encontra reduzido
Hemácias de tamanho pequeno
Exemplo: anemias por carência de ácido fólico.
Exemplo: anemias por falta de ferro.
Hemoglobina Corpuscular Média (HCM) - é o peso da hemoglobina dentro das hemácias. Expressa-se em picogramas (pg). 
Concentração Média de Hemoglobina Corpuscular (CMHC) avalia a concentração média de hemoglobina dentro da hemácia. Expressa-se por g/dl ou %.
Quando as hemácias têm poucas hemoglobinas, elas são ditas Hipocrómicas. Quando têm muitas, são Hipercrómicas. 
O RDW é um índice que avalia a diferença de tamanho entre as hemácias. Quando este está elevado significa que existem muitas hemácias de tamanhos diferentes circulando. Isso pode indicar hemácias com problemas na sua morfologia. É muito comum RDW elevado, por exemplo, na carência de ferro, onde a falta deste elemento impede a formação da hemoglobina normal, levando à formação de uma hemácia de tamanho reduzido. Medida de intensidade de anisocitose. Expressa-se em %.
Série Branca (Leucograma) – responsável pela defesa do organismo.
Os valores de referência para leucócitos totais e para os diferentes tipos leucocitários variam com a idade.
Pode influenciar na contagem dos leucócitos: Fumar, obesidade.
Contagem total de leucócitos (CTL) – indicam a quantidade de leucócitos em um microlitro (milímetros cúbicos) de sangue total, expressa-se em valor absoluto (103/mm3 ou 103/μL) ou unidades internacionais (×109/L).
Fórmula diferencial de leucócitos (FL) – valor percentual de cada tipo de glóbulo branco no sangue (valor relativo). (%).O número absoluto de cada tipo de glóbulo branco é obtido por meio da multiplicação do valor percentual de cada tipo pela contagem total de glóbulos brancos (valor absoluto). (103/mm3 ou ×109/L).
Classificação Morfológica dos Leucócitos 
Quanto ao núcleo
a) Leucócitos segmentados ou polimorfonucleares
(apresentam núcleo contendo 2 ou mais segmentos)
Quanto ao citoplasma
a) Granulócitos 
(possuem grânulos específicos no citoplasma)
b) Agranulócitos
(não possuem grânulos específicos no citoplasma) 
b) Leucócitos não segmentados ou monomorfonucleares
(apresentam 1 núcleo de morfologia)
Neutrófilos, Eosinófilos, Basófilos
Monócitos e Linfócitos
Série Plaquetária (Plaquetograma) – promovem a coagulação do sangue através da formação de coágulos. 
1. Contagem das plaquetas (PLT: × 109/L ou mm3 )
2. Índices plaquetários 
PDW: análogo ao RDW para os eritrócitos (%)
VPM: indica o volume plaquetário médio (fl)
IPF: fracção plaquetária imatura, indicador do grau de imaturidade das plaquetas. Auxiliar na detecção precoce de recuperação medular após quimioterapia ou radioterapia.
Interpretação dos Resultados 
Série Vermelha (Eritrograma)
Anemia – diminuição da cifra Hb/Hto.
Policitemia (ou poliglobulia) – aumento da cifra Hb/Hto.
Orientação Diagnóstica nas anemias VCM
Microcítica 
Anemia ferropriva, anemia de doença crónica, Talassemias, 
Anemia sideroblásticas, intoxicação por chumbo.
Normocítica 
Anemias hemolíticas, anemia aplástica, 
Anemia aguda pós hemorrágica 
Macrocítica 
Anemia por deficiência de ácido fólico, anemia por deficiência de vitamina B12, hepatopatias, alcoolismo
Hipotiroidismo, fumadores, diabetes mielitus, aplasia medular.
Série Branca (Leucograma)
Aumento ou diminuição do CTL ( Leucocitose, Leucopenia)
Neutrófila – aumento dos neutrófilos, sugestivo a infecção bacteriana.
Neutropenia – diminuição dos neutrófilos.
Linfocitose – aumento dos linfócitos, sugestivo a infecções virais.
Linfopenia – diminuição dos linfócitos.
Eosinofilia – aumento dos eosinófilos, sugestivo a infecção parasitárias 
Eosinopenia – diminuição dos eosinófilos.
Monocitose – aumento dos monócitos, são activados tanto em processos virais como em processos bacterianos, quando o organismo está ser invadido os monócitos se transformam em macrófagos e esses fagocitam os invasores, se elevam no caso de infecções crónicas como p.ex: tuberculose.
Monocipotenia – diminuição dos monócitos.
Basofilia – aumento dos basófilos, sugestivos a processos alérgicos e inflamatórioscrónicos (asma, urticária, renite).
Basopenia – diminuição dos basófilos. 
Série Plaquetária (Plaquetograma)
Trombocitopenia – diminuição da contagem de plaquetas, sugestivo a sangramento.
Trombocitose – aumento da contagem de plaquetas, sugestivo a coagulação.
Citopenia – diminuição de uma linhagem.
Bicitopenia periférica – redução de duas das três linhagens de células do sangue.
Pancitopenia periférica – redução das três linhagens de células do sangue.
Tanto a Pancitopenia quanto a Bicitopenia costumam surgir em pacientes com algum problema na médula óssea. De um modo geral, a redução de mais de uma linhagem das células do sangue pode ser causada por um ou mais dos seguintes mecanismos: 
Aplasia da medula óssea: carências nutricionais (por exemplo: deficiência de vitamina B12 ou folato), anemia aplástica, doenças infecciosas (por exemplo: HIV, hepatite viral, parvovírus B19), doenças auto-imunes.
Infiltração da medula óssea: neoplasias hematológicas (por exemplo: leucemia, linfoma, mieloma múltiplo ou síndrome mielodisplásica), câncer metastático, mielofibrose e doenças infecciosas (por exemplo: tuberculose ou infecções fúngicas) podem invadir a medula óssea e ocupar o local de produção das células sanguíneas.
Causas de erros na avaliação do Hemograma
Amostra insuficiente
Homogeneização incompleta, ou coagulação parcial da amostra.
Alterações proteicas ou lipídicas do plasma
Técnico inexperiente
Má calibração do aparelho utilizado, assim como falhas eléctricas ou mecânicas.
Em caso de técnica manual (erro na contagem das células)
Lâminas sujas e com restos de gorduras
Fixação ou coloração inadequada. 
image1.jpeg
image2.png
image3.jpeg

Continue navegando