Buscar

AULA 04 SAÚDE DOS IDOSOS PANDEMIA

Prévia do material em texto

SAÚDE MENTAL DOS IDOSOS 
EM TEMPOS DE PANDEMIA
Prof MSc WUENDEL CORSINO DE SOUZA
GERIATRIA CLÍNICA 
 Os idosos são destaque na pandemia COVID-19. 
Os dados apontam maior taxa de mortalidade 
entre os indivíduos com 60 anos ou mais, 
especialmente aqueles portadores de doenças 
crônicas. 
 Esse dado foi reafirmado no dia no dia 17 de 
março de 2020, quando ocorreu o primeiro óbito 
no Brasil: um homem de 62 anos, diagnosticado 
com diabetes e hipertensão, que estava internado 
em uma rede especializada de saúde para a 
população idosa.
 Diante do fato comprovado, ressaltamos que os 
idosos ocupam o centro de atenção desta 
pandemia, devido aos fatores de riscos 
relacionados à velhice e, levando assim, à 
condução de medidas, ações e estratégias de 
distanciamento social especificamente pensadas 
para esse grupo.
 O isolamento social é a principal recomendação 
das autoridades de saúde mundial, a fim de evitar 
a propagação do Coronavírus, ou seja, dentre as 
diretrizes recomendadas para segurança dos 
idosos durante a pandemia, ficou decretado o 
distanciamento e o isolamento social como 
medidas preventivas e protetivas primordiais.
O ISOLAMENTO SOCIAL MUDOU VÁRIOS
ASPECTOS DA ROTINA. PENSANDO NISSO, 
TRAZEMOS UM TEMA MUITO IMPORTANTE A SER
DISCUTIDO: OS CUIDADOS COM OS IDOSOS. 
 A virtude mais importante para quem precisa 
lidar com os seus familiares mais velhos é 
paciência. 
 Como perceberemos ao longo da quarentena, o 
isolamento é um desafio emocional, que testa a 
nossa capacidade de se manter firme pelas 
pessoas que amamos. 
 Na realidade, o grande desafio é uma questão de 
ponto de vista. Para muitas pessoas de mais 
idade, a pandemia pode ser vista como uma 
forma de exagero. 
 .
 Além disso, também devemos lembrar da 
dificuldade de adaptação.
 Afinal de contas, se os adultos já passam por 
um sufoco enorme para se adaptar à 
quarentena, apesar de todas as formas de 
entretenimento disponíveis, imagine os idosos! 
 Vale lembrar que boa parte dos hábitos dessas 
pessoas inclui alguma forma de congregação 
social, seja com amigos, familiares ou conhecidos.
 Por esse motivo, quem está na posição de parente 
responsável acaba passando por uma enorme 
dificuldade na tentativa de conscientizar o idoso, 
pois o isolamento é um pedido direto para que 
essa pessoa limite sua liberdade
CONVERSE
 Tudo começa a partir de um bom diálogo, sem 
lados, sem agressividade. Quando você mora com 
essas pessoas, incluí-las por meio do diálogo 
acaba sendo mais fácil por conta da proximidade. 
No entanto, a conversa é ainda mais importante 
quando se mora longe.
 Ainda que os idosos tenham seus próprios 
amigos, você, enquanto família, simboliza um elo 
muito importante na manutenção emocional 
dessa pessoa. Por isso, você deve conversar com 
eles mais de uma vez por dia, questionando como 
foram as coisas, sugerindo algumas atividades, 
relembrando o passado e daí adiante
INFORME
 Também por meio da conversa, você precisa 
conquistar a atenção genuína do idoso, pois assim é 
possível remodelar a percepção que ele tenha sobre 
determinados assuntos. Em uma época de tanta 
desinformação, é comum que eles sejam 
sobrecarregados pelo volume de notícias, não 
conseguindo separar a realidade da invenção. 
 Por isso, o diálogo também deve ser um instrumento 
de conscientização, em que você, calmamente, 
explica o que está acontecendo no mundo, mostra 
como isso vem impactando a todos e, principalmente, 
conscientizando o idoso de sua vulnerabilidade, já 
que a menor imunidade o coloca em risco a qualquer 
contato desnecessário.
ENSINE
 A educação é um pilar fundamental a esse período, 
pois será frequentemente necessária ao explicar o uso 
de algum aplicativo ou como realizar determinado 
procedimento de saúde, como as boas práticas 
indicadas pela OMS — Organização Mundial de 
Saúde — para evitar o contágio. 
 O objetivo é passar esse ensinamento da forma mais 
amigável possível. Ainda que você não tenha a 
vocação natural dos professores, é importante 
entender os desafios de lecionar para pessoas de mais 
idade.
 Muitas vezes, os sentidos estão debilitados, 
aumentando a dificuldade da interação. Portanto, a 
calma, o carinho, a tolerância e a persistência devem 
permanecer, até que você consiga ensinar o que 
precisa ser ensinado.
ENTRETENHA
 Como já falamos, a sugestão de atividades pode ser 
algo importante para ocupar os idosos. No entanto, 
pode haver uma falta de sintonia entre o que você 
considera entretenimento, e o que o idoso considera 
como um bom passatempo. 
 Por isso, lembre-se que uma das melhores 
ferramentas que você tem é a sua própria companhia. 
Ironicamente, o distanciamento social deverá ser um 
motivo para que muitas famílias se tornem unidas 
novamente. 
 Às vezes, nem é necessária uma companhia física. 
Basta disponibilizar os seus ouvidos a uma longa 
conversa telefônica, escutando os detalhes do dia 
dessa pessoa, revivendo momentos do passado e por aí 
adiante - o exercício da memória é uma das coisas 
mais importantes para as pessoas idosas.
SIRVA
 Por último e absolutamente importante, a doação 
voluntária e carinhosa do seu tempo. Atualmente, 
um bom exemplo disso acontece por meio das 
compras de mantimentos e medicamentos. 
 Afinal, tanto os mercados como as farmácias são 
ambientes de alto fluxo e risco para os idosos. 
Nesse sentido, você pode se dedicar a realizar as 
compras semanais ou quinzenais dessa pessoa. 
Isso também vale para qualquer outro exemplo 
que exija dedicação física. Afinal de contas, é 
fundamental garantir a manutenção do conforto 
para que essa pessoa continue em sua casa.
 http://previva.com.br/impacto-do-isolamento-
social-em-idosos/
 http://publicacoes.facthus.edu.br/index.php/saude
/article/view/342
 http://www.ufrpe.br/br/cartilhaidosos
http://previva.com.br/impacto-do-isolamento-social-em-idosos/
http://publicacoes.facthus.edu.br/index.php/saude/article/view/342
http://www.ufrpe.br/br/cartilhaidosos

Continue navegando