Buscar

Apelao


Prévia do material em texto

Apelação 1
Apelação
Created
Tags Processual Civil II
Introdução
Apelação é o recurso cabível contra decisão que coloca fim à fase de 
conhecimento ou extingue a execução; 
Este é o único recurso cabível contra sentença, seja ela com ou sem 
resolução de mérito; 
Objeto da Impugnação
A decisão proferida. 
⚖ CPC  Art. 1.009. Da sentença cabe apelação.
Questões resolvidas na fase de conhecimento que não comportem agravo 
de instrumento. 
March 24, 2024 331 PM
Apelação 2
⚖ CPC  Art. 1.009. Da sentença cabe apelação.
§ 1º As questões resolvidas na fase de conhecimento, se a 
decisão a seu respeito não comportar agravo de instrumento, não 
são cobertas pela preclusão e devem ser suscitadas em 
preliminar de apelação, eventualmente interposta contra a 
decisão final, ou nas contrarrazões.
Procedimento
A apelação é um recurso interposto perante o primeiro grau 
de jurisdição, ainda que o juízo sentenciante não tenha 
competência para seu juízo de admissibilidade (art. 1.010, § 
3", do Novo CPC. A competência tanto para a 
admissibilidade como para o julgamento do mérito recursal é 
exclusiva do tribunal de segundo grau Tribunal de Justiça 
ou Tribunal Regional Federal). Ainda que o juízo de primeiro 
grau não tenha mais competência para o juízo de 
admissibilidade da apelação, sendo tal recurso interposto no 
primeiro grau de jurisdição, há um procedimento bifásico, 
que envolve tanto o juízo a quo como o juízo ad quem. - 
NEVES, p. 1646. 
Procedimento no 1º Grau de Jurisdição
A interposição do recurso de apelação é feita no próprio juízo que 
prolatou a sentença a ser recorrida; 
Pode ser interposto pelos Correios, e os próprios órgãos judiciários 
podem, dentro de suas leis de organização judiciária, admitirem outras 
formas de interposição. 
Apelação 3
⚖ CPC  Art. 1.003. O prazo para interposição de recurso conta-
se da data em que os advogados, a sociedade de advogados, 
a Advocacia Pública, a Defensoria Pública ou o Ministério 
Público são intimados da decisão.
§ 3º No prazo para interposição de recurso, a petição será 
protocolada em cartório ou conforme as normas de 
organização judiciária, ressalvado o disposto em regra 
especial.
O art. 1.010 traz requisitos formais mínimos a serem preenchidos pela 
petição de apelação. 
⚖ CPC  Art. 1.010. A apelação, interposta por petição dirigida ao 
juízo de primeiro grau, conterá:
I  os nomes e a qualificação das partes;
II  a exposição do fato e do direito;
III  as razões do pedido de reforma ou de decretação de 
nulidade;
IV  o pedido de nova decisão.
Uma vez interposta a apelação, o juízo sentenciante 
intimará o apelado para presentar contrarrazões no prazo 
de 15 dias. Com ou sem a resposta do réu, o processo 
será remetido ao tribunal de segundo grau. Caso o 
apelado interponha recurso de apelação adesivo em seu 
prazo de contrarrazões, o juízo de primeiro grau intimará 
a parte que interpôs a apelação de forma principal para 
contrarrazoar o recurso adesivo em 15 dias, remetendo o 
processo ao tribunal com ou sem essa resposta após o 
transcurso do prazo.  NEVES, p. 1649. 
Procedimento no Tribunal de Segundo Grau
Apelação 4
⚖ CPC  Art. 1.011. Recebido o recurso de apelação no tribunal e 
distribuído imediatamente, o relator:
I  decidi-lo-á monocraticamente apenas nas hipóteses do art. 
932, incisos III a V ;
II  se não for o caso de decisão monocrática, elaborará seu voto 
para julgamento do recurso pelo órgão colegiado.
⚖ CPC  Art. 930. Far-se-á a distribuição de acordo com o 
regimento interno do tribunal, observando-se a alternatividade, o 
sorteio eletrônico e a publicidade.
Parágrafo único. O primeiro recurso protocolado no tribunal 
tornará prevento o relator para eventual recurso subsequente 
interposto no mesmo processo ou em processo conexo.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art932iii
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art932iii
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art932iii
Apelação 5
⚖ CPC  Art. 932. Incumbe ao relator:
III  não conhecer de recurso inadmissível, prejudicado ou que 
não tenha impugnado especificamente os fundamentos da 
decisão recorrida;
IV  negar provimento a recurso que for contrário a:
a) súmula do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de 
Justiça ou do próprio tribunal;
b) acórdão proferido pelo Supremo Tribunal Federal ou pelo 
Superior Tribunal de Justiça em julgamento de recursos 
repetitivos;
c) entendimento firmado em incidente de resolução de demandas 
repetitivas ou de assunção de competência;
V  depois de facultada a apresentação de contrarrazões, dar 
provimento ao recurso se a decisão recorrida for contrária a:
a) súmula do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de 
Justiça ou do próprio tribunal;
b) acórdão proferido pelo Supremo Tribunal Federal ou pelo 
Superior Tribunal de Justiça em julgamento de recursos 
repetitivos;
c) entendimento firmado em incidente de resolução de demandas 
repetitivas ou de assunção de competência;
⚖ CPC  Art. 934. Em seguida, os autos serão apresentados ao 
presidente, que designará dia para julgamento, ordenando, em 
todas as hipóteses previstas neste Livro, a publicação da pauta 
no órgão oficial.
Novas Questões de Fato
Apelação 6
⚖ CPC  Art. 1.014. As questões de fato não propostas no juízo inferior 
poderão ser suscitadas na apelação, se a parte provar que deixou de 
fazê-lo por motivo de força maior.
Excepcionalmente, admite-se o novum iudicium, como se 
verifica na hipótese do art. 1.014 do Novo CPC, que permite à 
parte a alegação de novas questões de fato, desde que:
(a) não criem uma nova causa de pedir, não proposta no 
primeiro grau, e
(b) desde que o apelante prove que deixou de alegá-las por 
motivo de força maior.  NEVES, p. 1650. 
Fatos novos não são fatos supervenientes → fatos novos são aqueles ainda 
não levados à apreciação do Judiciário naquele processo; 
Segundo a melhor doutrina, existem quatro situações em que 
a força maior exigida pelo art. 1.014 do Novo CPC estaria 
presente, o que justificaria a alegação de fatos novos:
(a) fatos supervenientes, ocorridos após a publicação da 
sentença;
(b) ignorância do fato pela parte, com a exigência de um 
motivo sério e objetivo para que a parte desconhecesse o 
fato;
(c) impossibilidade de a parte comunicar o fato ao seu 
advogado, desde que exista uma causa objetiva para 
justificar a omissão;
(d) impossibilidade do próprio advogado em comunicar o 
fato ao juízo, desde que demonstrada que a omissão foi 
causada por obstáculo insuperável e alheio à sua vontade. - 
NEVES, p. 1651. 
Apelação 7
⚖ CPC  Art. 933. Se o relator constatar a ocorrência de fato 
superveniente à decisão recorrida ou a existência de questão 
apreciável de ofício ainda não examinada que devam ser 
considerados no julgamento do recurso, intimará as partes para que 
se manifestem no prazo de 5 (cinco) dias.
§ 1º Se a constatação ocorrer durante a sessão de julgamento, esse 
será imediatamente suspenso a fim de que as partes se manifestem 
especificamente.
§ 2º Se a constatação se der em vista dos autos, deverá o juiz que a 
solicitou encaminhá-los ao relator, que tomará as providências 
previstas no caput e, em seguida, solicitará a inclusão do feito em 
pauta para prosseguimento do julgamento, com submissão integral 
da nova questão aos julgadores.
Se admitida a alegação de novas questões de fato em sede de apelação, 
será concedida ao tribunal a competência para a produção de prova. 
⚖ CPC  Art. 437. O réu manifestar-se-á na contestação sobre os 
documentos anexados à inicial, e o autor manifestar-se-á na 
réplica sobre os documentos anexados à contestação.
§ 1º Sempre que uma das partes requerer a juntada de documento 
aos autos, o juiz ouvirá, a seu respeito, a outra parte, que disporá 
do prazo de 15 (quinze) dias para adotar qualquer das posturas 
indicadas no art. 436 .
⚖ CPC  Art. 972. Se os fatos alegados pelas partesdependerem de 
prova, o relator poderá delegar a competência ao órgão que 
proferiu a decisão rescindenda, fixando prazo de 1 (um) a 3 (três) 
meses para a devolução dos autos.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art436
Apelação 8
Técnica de Julgamento Não Unânime
⚖ CPC  Art. 942. Quando o resultado da apelação for não unânime, o 
julgamento terá prosseguimento em sessão a ser designada com a 
presença de outros julgadores, que serão convocados nos termos 
previamente definidos no regimento interno, em número suficiente 
para garantir a possibilidade de inversão do resultado inicial, 
assegurado às partes e a eventuais terceiros o direito de sustentar 
oralmente suas razões perante os novos julgadores.
§ 1º Sendo possível, o prosseguimento do julgamento dar-se-á na 
mesma sessão, colhendo-se os votos de outros julgadores que 
porventura componham o órgão colegiado.
§ 2º Os julgadores que já tiverem votado poderão rever seus votos 
por ocasião do prosseguimento do julgamento.
§ 3º A técnica de julgamento prevista neste artigo aplica-se, 
igualmente, ao julgamento não unânime proferido em:
I  ação rescisória, quando o resultado for a rescisão da sentença, 
devendo, nesse caso, seu prosseguimento ocorrer em órgão de maior 
composição previsto no regimento interno;
II  agravo de instrumento, quando houver reforma da decisão que 
julgar parcialmente o mérito.
§ 4º Não se aplica o disposto neste artigo ao julgamento:
I  do incidente de assunção de competência e ao de resolução de 
demandas repetitivas;
II  da remessa necessária;
III  não unânime proferido, nos tribunais, pelo plenário ou pela corte 
especial.
Caso em que o relator recebe a apelação e as contrarrazões, vota e o 
julgamento fica 2 votos a 1  uma pessoa votou a favor;
Quando isto acontecer, haverá um novo julgamento.
Aplica-se na apelação, na ação rescisória e no agravo de instrumento; 
Apelação 9
O § 2° prevê o juízo de retratação. 
OBS. Utiliza-se do agravo interno quando deseja-se impugnar uma decisão do 
relator, levando-a à apreciação do colegiado. 
Efeitos Jurídicos Aplicáveis
Efeito Devolutivo → devolutividade ampla;
Efeito Suspensivo da Apelação → se eu apelei, suspende-se o processo, 
ope legis. 
Apelação 10
⚖ CPC  Art. 1.012. A apelação terá efeito suspensivo.
§ 1º Além de outras hipóteses previstas em lei, começa a produzir 
efeitos imediatamente após a sua publicação a sentença que:
I  homologa divisão ou demarcação de terras;
II  condena a pagar alimentos;
III  extingue sem resolução do mérito ou julga improcedentes os 
embargos do executado;
IV  julga procedente o pedido de instituição de arbitragem;
V  confirma, concede ou revoga tutela provisória;
VI  decreta a interdição.
§ 2º Nos casos do § 1º, o apelado poderá promover o pedido de 
cumprimento provisório depois de publicada a sentença.
§ 3º O pedido de concessão de efeito suspensivo nas hipóteses 
do § 1º poderá ser formulado por requerimento dirigido ao:
I  tribunal, no período compreendido entre a interposição da 
apelação e sua distribuição, ficando o relator designado para seu 
exame prevento para julgá-la;
II  relator, se já distribuída a apelação.
§ 4º Nas hipóteses do § 1º, a eficácia da sentença poderá ser 
suspensa pelo relator se o apelante demonstrar a probabilidade 
de provimento do recurso ou se, sendo relevante a 
fundamentação, houver risco de dano grave ou de difícil 
reparação.
OBS. Os demais recursos podem ter efeito suspensivo por ordem do relator 
(ope judici). Já no agravo interno, pode-se pedir o efeito suspensivo ao relator. 
Prazo
Apelação 11
Para interposição de recurso e apresentação das contrarrazões, obedece-
se a regra do art. 1.003, § 5º, do CPC  prazo de 15 dias úteis. 
⚖ CPC  Art. 1.003. O prazo para interposição de recurso conta-se 
da data em que os advogados, a sociedade de advogados, a 
Advocacia Pública, a Defensoria Pública ou o Ministério Público 
são intimados da decisão.
§ 5º Excetuados os embargos de declaração, o prazo para 
interpor os recursos e para responder-lhes é de 15 (quinze) dias.
⚖ CPC  Art. 1.010. A apelação, interposta por petição dirigida ao 
juízo de primeiro grau, conterá:
§ 1º O apelado será intimado para apresentar contrarrazões no 
prazo de 15 (quinze) dias.
Todavia, alguns entes dispõem de prazo em dobro por força de lei. 
⚖ CPC  Art. 180. O Ministério Público gozará de prazo em dobro 
para manifestar-se nos autos, que terá início a partir de sua 
intimação pessoal, nos termos do art. 183, § 1º .
⚖ CPC  Art. 183. A União, os Estados, o Distrito Federal, os 
Municípios e suas respectivas autarquias e fundações de direito 
público gozarão de prazo em dobro para todas as suas 
manifestações processuais, cuja contagem terá início a partir da 
intimação pessoal.
⚖ CPC  Art. 186. A Defensoria Pública gozará de prazo em dobro 
para todas as suas manifestações processuais.
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art183%C2%A71
Apelação 12
⚖ CPC  Art. 229. Os litisconsortes que tiverem diferentes 
procuradores, de escritórios de advocacia distintos, terão prazos 
contados em dobro para todas as suas manifestações, em 
qualquer juízo ou tribunal, independentemente de requerimento.
Os recursos em JECs possuem prazo de 10 dias. 
A Causa Madura
Quando há erro in prodecendo, devolve-se o processo para o Juiz → há 
invalidação; 
Quando o Tribunal reforma a sentença, vale o acórdão;
Nos casos de causa madura - isto é, o processo encontra-se pronto para 
julgamento -, e problemas na sentença, o Tribunal decide o mérito. 
⚖ CPC  Art. 1.013. A apelação devolverá ao tribunal o conhecimento 
da matéria impugnada.
§ 3º Se o processo estiver em condições de imediato julgamento, 
o tribunal deve decidir desde logo o mérito quando:
I  reformar sentença fundada no art. 485 ;
II  decretar a nulidade da sentença por não ser ela congruente 
com os limites do pedido ou da causa de pedir;
III  constatar a omissão no exame de um dos pedidos, hipótese 
em que poderá julgá-lo;
IV  decretar a nulidade de sentença por falta de fundamentação.
Para que seja aplicada a teoria da causa madura nos 
termos do art. 1.013, § 3°, I, do Novo CPC, o processo 
deve estar em condições de imediato julgamento. Nesse 
caso, sendo anulada a sentença terminativa, poderá o 
tribunal passar ao julgamento originário do mérito da 
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13105.htm#art485
Apelação 13
ação. Nesse caso, a sentença é anulada e não reformada 
como previsto no dispositivo legal ora comentando, 
cabendo ao tribunal, após julgar o mérito recursal, passar 
a julgar, de forma originária, o mérito da ação. Segundo 
entendimento do Superior Tribunal de Justiça, a regra não 
afronta o princípio da ampla defesa, nem mesmo impede 
a parte de obter o prequestionamento, o que poderá ser 
conseguido com a interposição de embargos de 
declaração.  NEVES, p. 1653.
Se a sentença reconhece a prescrição/a decadência, e o Tribunal diz que 
não há, o Tribunal reforma e examina o mérito. 
⚖ CPC  Art. 1.013. A apelação devolverá ao tribunal o conhecimento 
da matéria impugnada.
§ 4º Quando reformar sentença que reconheça a decadência ou a 
prescrição, o tribunal, se possível, julgará o mérito, examinando 
as demais questões, sem determinar o retorno do processo ao 
juízo de primeiro grau.
Juízo de Retratação
⚖ CPC  Art. 485. O juiz não resolverá o mérito quando:
§ 7º Interposta a apelação em qualquer dos casos de que tratam os 
incisos deste artigo, o juiz terá 5 (cinco) dias para retratar-se.
Permitido a partir da apelação contra sentença terminativa. 
Neste caso, a apelação ainda não foi para o Tribunal. 
Apelação 14
Naturalmente, o juízo de retratação só pode ser realizado 
após o juízo de admissibilidade, porque não pode o juiz se 
retratar de sua sentença sem antes receber a apelação. 
Afinal, apelação inadmissível não gera efeitos, inclusive a 
possibilidade de retrataçãodo juiz que proferiu a sentença 
impugnada. 
Nesse ponto, o Novo Código de Processo Civil cria um 
paradoxo: o primeiro juízo, de admissibilidade, é de 
competência exclusiva do tribunal de segundo grau, 
enquanto o segundo e consequencial juízo, de retratação, é 
de competência exclusiva do juízo de primeiro grau.  
NEVES, p. 1647.

Continue navegando