Buscar

aula 5 - ANTICORPO

Prévia do material em texto

IMUNIDADE INATA E 
ADAPTATIVA – parte II
Profa. Dra. FERNANDA MARIA SANTIAGO
Iniciada → antígeno (Ag) e/ou Ag + APC nos órgãos 
linfóides secundários.
• Linfócitosativados → origem 
a clones de células antígeno-
EFETORAS que
a imunidade
específicas 
medeiam 
adaptativa
Explicação próximos slides
Linfócitos ativados → antígeno → nos órgãos linfóides 
periféricos → células efetoras e memória imunológica.
Mecanismos da R. I. ADAPTATIVA –
reconhecimento do Ag pelos receptores de 
células B e T
Linfócitos B: a estrutura da molécula 
de Anticorpo
Resposta imune adaptativa
• Resposta celular: Ag intracelulares; desencadeada por LT
– LT citotóxico: liga ao MHC-I; ação direta a célula infectada
– LT auxiliar: liga ao MHC II; auxiliam a célula infectada a destruir o 
patógeno
• Th1: MØ
• Th2: células B
• Resposta humoral: Ag extracelulares; desencadeada por LB
– Produção de anticorpos
OBS: poucos antígenos tem a capacidade de ativar a célula B para
produção ac – ação da LTh2 – sinalização próximas cel. B.
Imunoglobulinas: 
estrutura e função
Conceito
(plasmócitos), após estímulo antigênico, e que possui
• Anticorpo: glicoproteína sintetizada por linfócitos B
a
propriedade de interagir com o antígeno de maneira específica.
• Podem ser encontrados na superfície dos LB, no soro e fluídos
dos tecidos de todos os mamíferos
A molécula de Ac→ 4 cadeias polipeptídicas
Imunoglobulina – cadeias leves e pesadas são compostas
de regiões constantes e variáveis
Imunoglobulina – composta fragmentos Fab e Fc
A molécula de anticorpo pode ser clivada em fragmentos 
funcionais
A molécula de imunoglobulina é flexível na região da dobradiça
Flexibilidade
• Região de dobradiça (hinge region)
• 10 -60 aa entre CH1 e CH2
A interação: 
molécula de Ac x Ag específico
A ligação Ac e Ag depende do tamanho e forma do Ag
Interacções Ag-Ac envolve uma variedade de forças.
Geração da diversidade nas Ig
Num indivíduo→ repertório de anticorpos
1) Teoria da linhagem germinal: haveria um gene distinto 
para cada cadeia de diferentes anticorpos e que seriam herdados
2) Teoria da diversidade somática: o n. limitado de regiões V herdadas 
sofreriam mutação nas células B ao longo da vida do indivíduo por 
rearranjos do DNA (as células B qdo em contato com o antígeno receberam a 
informação enviam para o núcleo ...).
Os genes das regiões V são formados por 
segmentos gênicos – cadeia leve
Os genes das regiões V de 
cadeia leve são formados por dois 
segmentos gênicos (V e J)
tradução
Processament
oNo processamento do RNA ocorre 
a remoção dos íntrons e união 
dos éxons
Os genes das regiões V são formados por 
segmentos gênicos – cadeia pesada
As regiões V da cadeia pesada são 
formadas por três segmentos 
gênicos (V, D e J)
No processamento do RNA ocorre 
a remoção dos íntrons e união 
dos éxons
tradução
Processament
o
A região flexível é mostrada em 
roxo
Formas de Imunoglobulinas
• Ig ligadas à membrana na superfície da célula B atuando 
como um receptor celular (BCR) – porção hidrofóbica
• Ig com especificidade a determinado antígeno –
denominada Anticorpo (produzidas pelas células B 
diferenciadas em plasmócitos) - porção hidrofílica
Formas de Imunoglobulinas
• Ig ligadas à membrana na superfície da célula B atuando 
como um receptor celular (BCR)
BCR – Receptor de Ag do LB
Ig de superfície
üToda a célula B expressando ambas → IgM e IgD como seu 
receptor de superfície e deste modo é o primeiro anticorpo 
produzido em uma resposta imune.
Sequencia de DNA – cada um dos genes de região C
Imunoglobulinas nas formas transmembrana e secretadas 
são geradas por transcrições alternativas da cadeia pesada.
üPosteriormente a uma determinada resposta imune, a mesma 
região Variável da Ig de superfície pode ser expressa em outras 
classes de anticorpos IgG, IgA ou IgE – troca de isotipos (por sinais 
externos – citocinas liberadas por células T ou sinais mitogênicos 
liberados por patógenos)
üA troca para outros isotipos ocorre somente após as 
células B terem sido estimuladas pelo antígeno.
Mudança de classes de 
Imunoglobulinas
VDJ: segmento gênico
relacionado a variável,
diversidade e junção
-C: genes da região
constante da cadeia
pesada da Ig
- S: Região de troca
Estrutura da molécula de anticorpo
• Duas cadeias polipeptídicas leves (L = light):
k e l
• Duas cadeias polipeptídicas pesadas (H = 
heavy): a, g, µ, d e e.
• As cadeias L e H se ligam por meio de 
ligações dissulfeto.
Estrutura do Anticorpo
• As cadeias leves são iguais para todas as classes de
imunoglobulinas, enquanto que as cadeias pesadas
diferem entre si na estrutura.
• Resíduos determinantes de 
complementaridade (CDR) – local 
onde se concentrada a diversidade 
entre as moléculas de 
imunoglobulinas
Classes (isótipos)
O isotipo da cadeia pesada determina as propriedades funcionais do Ac
IgE IgM IgD IgA IgG
ε µ ζ α γ
Epsilon Mi Delta Alfa Gama
Regiões Fab e Fc
• Fab: especifico para ligação ao antígeno
• Fc → promovem 3 funções efetoras:
1- Fc dos diferentes isotipos são reconhecidas por receptores 
especializados expressos pelas células imunes efetoras. Ex: 
IgG1 e IgG3 reconhecidos por receptores Fc na superfície de 
células fagocíticas – Macrófagos e neutrófilos – fagocitando o 
patógenos. IgE liga a receptores Fc em mastócitos , basófilos e 
eosinófilos – liberam mediadores inflamatórios
2- As porções Fc quando em um complexo antígeno-anticorpo 
podem se ligar ao complemento e iniciar a cascata do mesmo
→ destruindo diretamente o patógeno ou ativando fagócitos;
3- A porção Fc pode transferir anticorpos para locais em que este não 
poderia alcançar graças ao transporte ativo – onde Fc liga ao receptor 
específico na célula efetora. Ex: circulação fetal pela transferência a partir 
da mãe grávida.
Propriedades Gerais de cada 
Imunoglobulinas
• IgG
– Principal imunoglobulina do soro (75% - 150 kDa); forma monômeros;
predominante na fase crônica das infecções; única a atravessar barreira
placentária em humanos; fixação de complemento – geração de
quimiotaxia de neutrófilos, ampliando a resposta inflamatória; boa
opsonina.
Subclasses % total 
de IgG
Fixação de 
complemento
Passagem 
placentária
IgG1 65 ++ +++
IgG2 23 + +
IgG3 8 +++ ++
IgG4 4 ± ±
• IgM
– Representa 10% das Igs totais;
– Encontrada na superfície de LB, agindo como receptor (para antígenos - T
independentes e T dependentes);
– É a primeira Ig a ser expressa pelas células B virgens quando estimuladas pelo 
antígeno, assim é predominante na fase aguda de infecções;
– Pode ser encontrada na forma monomérica como pentamérica (monômeros 
unidos pela cadeia “J”)→assim é amais eficiente na fixação de complemento;
– Devido ao seu grande tamanho (900 kDa – 180 cd) não é capaz de atravessar a 
placenta;
– Não apresenta região de dobradiça.
• IgA
– Representa 15% do total das Igs;
– maior parte da IgA sérica é monomérica → sintetizada logo abaixo das
membranas basais dos epitélios intestinal e respiratório, glândulas salivares,
lacrimais e mamárias em lactação;
– Para poder sobreviver nas secreções (saliva, leite, lágrima) ocorre a formação
dos dímeros (320 kDa), onde duas moléculas de IgA são unidas pela cadeia J
que por sua vez liga ao componente secretor (SC – 70000 dalton) – IgA-S; a
função desse componente secretor é de proteger a molécula das enzimas
hidrolíticas presentes nas secreções. Portanto tem grande importante na
neutralização de microorganismos nas mucosas e imunidade neonatal.
IgA secretória
Sintetizada nos plasmócitos
abaixo das membranas 
basais
Liga ao receptor Poli-Ig Trasnportado por vesículas
• IgD
– Monomérica (180 kDa); imunoglobulina de superfície dos linfócitos B –
agindo como receptor de antígenos; presente em concentrações muito
baixas no soro; em estudo devido ao desconhecimento preciso de sua
função.
• IgE
– Monomérica (sem regiãodobradiça – 195 kDa); fixa-se principalmente a
basófilos, mastócitos e eosinófilos pelo receptor Fce ; participam das reações
de Hipersensibilidade Tipo I (alergia – liberação de histamina) e importantes
na imunidade contra helmintos (atraindo eosinófilos – liberam mediadores
inflamatórios - recrutar fagócitos)
Reações alérgicas mediadas por IgE
Localização dos Anticorpos
• Superfície dos linfócitos B
• Formas secretadas
- plasma
- secreções mucosas
- fluido intersticial dos tecidos
Podem se aderir a outras células que tenham 
receptores específicos
Funções das Imunoglobulinas
Funções mediadas pelo Fab
– Receptor de antígeno da célula B
– Ligação ao antígeno
Funções das Imunoglobulinas
Funções mediadas pelo Fc
- Opsonização (revestimento do microorganismo para ingestão de
MØ)
- Ativação do Complemento
- Citotoxicidade celular dependente de anticorpo (ADCC)
- Hipersensibilidade imediata mediada por IgE
- Transferência placentária de IgG
• Neutralização: liga a toxina bacteriana impedindo interação com a 
célula hospedeira causando patologias.
• Opsonização: algumas bactérias extracelulares são capazes de 
resistir ao reconhecimento direto dos fagócitos, assim os anticorpos 
ligam a sua superfície facilitam esse reconhecimento.
• Ativação Complemento: ativar um sistema de proteínas plasmáticas 
que pode destruir diretamente as bactérias, mas seu papel principal 
é de revestir a superfície do patógeno (completando a ação dos 
anticorpos) para que este seja fagocitado.
Anticorpos protegem contra patógenos 
extracelulares e seus produtos tóxicos
Funções das Igs: ADCC
ADCC: Citotoxicidade Celular Dependente de Anticorpo
Reações alérgicas mediadas por IgE
BCR, TCR e Imunoglobulinas
1
2

Continue navegando

Outros materiais