Buscar

Maria mãe de Thiago - TUTELA PROVISÓRIA

Prévia do material em texto

Maria é mãe de Tiago, menino de 6 (seis) meses de idade, que nasceu prematuro e é portador de grave deficiência pulmonar, que evoluiu para broncodisciplasia. Tiago, desde que nasceu, foi incluído no plano de saúde da mãe, a UNIMIL com ampla cobertura. O médico, conforme diagnóstico e laudo escrito receitou o tratamento mediante a administração do medicamento chamado ‘SYNAGIS 100 mg/ml’ injetável de 5 (cinco) doses mensais a subsequência. Esse tratamento deve ser iniciado dentro dos próximos dias, sob pena de um menor vir a falecer. Lamentavelmente, porém, a UNIMIL negou-se a fornecer tratamento sob alegação de que o SYNAGIS era uma vacina e não um tratamento. A mãe está em pânico porque não tem a menor condição financeira para custear esse tratamento. 
Questão: Você, como advogada, redija a medida adequada para solucionar a questão sem a necessidade de um Posterior processo.
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR, JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA _____________
Maria, (nacionalidade), (estado civil), (profissão), (RG), (CPF), (endereço eletrônico), residente e domiciliada na cidade de ____________, (endereço), por sua advogada devidamente constituída pelo instrumento do mandado anexo, que recebe a intimação em seu escritório (endereço), nos termos do artigo 39 do código de Processo Civil, vem a presença de Vossa Excelência, com fundamento no artigo 294, propor a presente AÇÃO TUTELA PROVISÓRIA pelo procedimento comum, 
 Em face da UNIMIL, pessoa jurídica de direito privado, devidamente inscrito no CNPJ/MF sob o nº __________, com sede no endereço _____________, neste ato, representado por seu sócio/gerente, administrador, Sr(a) __________ (nome), (nacionalidade), (estado civil), (profissão), (RG), (CPF), (endereço eletrônico), (qualificação conforme Contrato Social ou Estatuto Social), pelas razões de fato e de direito a seguir expostas:
I - DA JUSTIÇA GRATUITA
 Como expresso no artigo 98 do CPC, a autora faz jus aos benefícios deste artigo, tendo em vista que Maria não tem condições de arcar com as despesas processuais. Sendo assim, venho pedir que Vossa Excelência conceda o benefício.
II - DOS FATOS
 Maria é mãe de Tiago, que tem apenas 6 (seis) meses e já sofre com uma grave doença pulmonar decorrente de seu parto prematuro. Devido à evolução da doença o médico receitou uma injeção de início imediato, pois podia trazer um menino a morte. Porém, a UNIMIL recusou o medicamento, alegando que o medicamento é injetável e não um tratamento.
III - DO DIREITO
 Pela razão dos fatos narrados anteriormente, percebe-se que a autora foi lesada e em total direito a indenização pela e negligência da empresa ré. Pois o plano de saúde da ré, UNIMIL, não quis fornecer os medicamentos injetáveis, colocando em risco a vida do menino, o que viola o artigo 5º da Constituição Federal que todos tem direito à vida. Nos termos do artigo 196 da Constituição Federal, saúde é direito de todos e dever do Estado, já que à mãe não tem condições de arcar com as despesas dos medicamentos e o plano de saúde não quer arcar.
IV - DOS PEDIDOS
 Diante do exposto, Requer-se: 
a) citação do réu pelo correio, disposto no artigo 247, CPC, ou por meio de oficial de justiça, exposto no artigo 249 CPC, ou por citação de edital, artigo 256 para comparecer à audiência. 
b) Seja o réu condenado, nos ônus. Na sucumbência e nos honorários advocatícios a serem atribuídos por Vossa Excelência, nos termos o artigo 85, CPC. 
c) As informações deverão ser encaminhadas ao advogado ____________ no endereço __________, de acordo com o artigo 106, I, CPC.
V- VALOR DA CAUSA
Dá-se à causa o valor de R$ __________ (Conforme previsto no artigo 292, CPC)
Nesses termos, Pede deferimento.
Local e data.
Advogado. OAB.

Continue navegando

Outros materiais