Buscar

Micro Hepatite_20240330_193823_0000

Prévia do material em texto

Hepatites virais
Hepatite= processo inflamatório no fígado.
Pode ser decorrente de consumo excessivo de álcool/
remédios, doenças e hepatite viral
Os vírus que estão associados a hepatite tem um
tropismo para as células hepáticas/hepatócitos;
Sintomas decorrentes da agressão ao fígado, direta
(pelo vírus) ou indireta (pela resposta imune
inflamatória- resposta mediada pelas células NK e os
linfócitos TCD 8 que são as células de defesa
responsáveis por eliminar as células infectadas pelo
vírus)
HEPATITE A
VHA
Resultam do consumo de água, moluscos ou
outros alimento contaminados
Período de incubação- 2 a 6 semanas, depende da
carga viral e da resposta imune
É uma infecção autolimitante
Não cronifica
CARACTERÍSTICAS:
RNA de fita simples, capsídeo é icosaédrico, vírus
não envelopado. 
O VHA não é citolítico e é liberado por
exocitose(não provoca a lise da célula); 
Infecta hepatócitos e células de
kupffer(macrófagos residentes no fígado).
TRANSMISSÃO:
Oral-fecal: Alimentos contaminados/contato
direto com fezes
 A Transmissão parenteral é possível, porém rara;
O VHA é resistente a pH ácidos, detergente, e
temperatura acima de 60°C e permanecem ativos
por meses em água fresca e salgada. 
PATOGENIA:
Ingestão de um alimento contaminado ou água
contaminada
 ↓ 
O vírus alcança o sangue ao atravessar a
orofaringe(altamente vascularizada) e intestino 
↓
 Chega ao fígado – via porta
 ↓ 
Vai estar presente na Bile → e Fezes
·DIAGNÓSTICO:
• Aspectos clínicos= Ex. Anamnese
 • Diagnóstico laboratorial: Elevação das amino
transferase enzima hepática séricas (quando há uma
lesão no fígado): 
↑ Al(Pesquisa pelo anti-HAV da classe IgM-ELISA
(IgM é um anticorpo de fase aguda, então estará
presente indicando q o paciente esta Infectado pelo
vírus da hepatite A). 
Classe IgG indica uma infecção anterior ou q o
paciente foi vacinado contra hepatite A. 
Sorologia; 
Detecção viral: PCR. 
• Anti-HAV IgM: Positiva-se no início do quadro
clínico, permanece positivo por 6 a 12 meses.
• Anti-HAV IgG: Indica infecção pregressa ou resposta
vacinal
CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS;
→ Assintomática (90% crianças);
 obs: não causa lise nas células. 
→ Sintomática não ictérica; 
→ Sintomática ictérica (70 a 80% dos adultos e 10%
crianças). 
- Não evoluem para a forma crônica da doença; 
- Pode evoluir para a forma fulminante (0,1% a 0,3%); -
recuperação completa: 99%. 
- Doença auto-limitante (não precisa de medicações
ou cuidados mais intensos) com repouso, dieta
equilibrada e hidratação consegue-se um processo de
recuperação bem eficaz. 
Sintomatologia Febre; náusea; perda de apetite;
dor abdominal; acólia fecal (Fezes claras, bege);
urina escura (Bilirrubinemia). Obs.: Sintomas mais
leves que a hepatite B
Icterícia- cor amarelada devido acúmulo de
bilirrubina sob a pele, causada por transtornos do
fígado ou da vesícula biliar. • Os sintomas no período
icterícia são mais leves.
Podem ser eliminado nas fezes 10 a 14 dias antes do
aparecimento de sinais e sintomas. as vezes no 
período de incubação não manifesta sinais e sintomas,
mas já pode estar transmitindo a hepatite p/ outras
pessoas sem saber. 
Interpretação dos resultados sorológicos :
TRATAMENTO:
Dieta live (equilibrada) e repouso relativo
Acompanhamento com dosagem de
aminotransferase e bilirrubina
PREVENÇÃO:
Melhora nas condições de higiene: lavagem das
mãos; Saneamento básico; Fervura da água
utilizada, desinfecção dos alimentos; 
Imunoprofilaxia passiva- injeção da IgA, utilizada
até 2 semanas após a exposição; Vacina -
imunoprofilaxia ativa.
HEPATITE B
CARACTERÍSTICAS VIRAIS- HBV
Família da Hepadnavírus
DNA circular (único que possui ), DNA pequeno, de
filamento parcialmente duplo, possui envelope (que
possuem glicoproteínas e nelas os vírus acham um
receptor específico pra poder infectar), e o capsídeo
icosaédrico.
O ph ácido do estômago destroi o envelope e o vírus
perde a presença de glicoproteínas importantes para
a sua aderência e não consegue mais ter sua
capacidade de infectar.
• Antígeno Superfície AgHBS que está no
envelope(onde irá se ligar). quando o vírus entra
no hospedeiro, ele começa a liberar esse AgHBS q
fica circulando no sangue e pode ser detectado
através de testes sorológicos a presença é do vírus
da hepatite B. É dos primeiros o primeiro
marcadores q indica uma infecção pelo HBV. 
 AgHBc tem também um outro antígeno. É
encontrado na parte mais central, na região de
capsídeo. O vírus ele não vai a gente ser liberado
no sangue do paciente então não se faz solicitação
para detectar AgHBc. porque o vírus ele não libera
esse AgHBc ele não fica circulante no sangue. (se a
gente faz uma biópsia hepática então lá no tecido
a gente vai encontrar a presença do AgHBc mas no
teste sorológico/sangue não.
AgHBe ele é solúvel, ou seja, Ele também vai ser
encontrado circulando, mas ele é liberado quando
o vírus está em processo de replicação. 
Mesmo sendo um vírus envelopado, ele tem uma
certa resistência ao PH mais baixo, congelamento e
aquecimento.
TRANSMISSÃO: 
Parenteral; sexual; perinatal. 
O HBV está presente nas secreções corpóreas
como saliva, sêmen, suor, leite materno...
Obs: precisa ter cuidado com a questão da saliva,
quando o paciente tem um quadro de doença
periodontal (periodontite com sangramento
considerável dessa gengiva) então essa saliva pode
estar misturada com o sangue e a gente viu que a
viremia, a presença de vírus por ml de sangue da
hepatite b, é relativamente alto. Mesmo a saliva pura,
não se tendo essa comprovação, mas se esse paciente
tem um sangramento intenso na boca a gente precisa
estar mais atento e obviamente trabalhar de forma
bem segura usando óculos de proteção. Porque a
conjuntiva é extremamente vascularizada, então é
para reduzir os riscos potenciais durante o nosso
atendimento ao paciente.
CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS:
Tempo de incubação: 1 a 6 meses; 
Sintomática em 25% dos casos; 
Período ictérico (10%); 
Pode cronificam (5 a 10%) – assintomática , evolui p/ a
cirrose, insuficiência hepática e CHC; 
Raramente evolui p/ o tipo fulminante -0,1 a 0,5% 
Doença crônica depende 
↓ 
Idade; nível de replicação viral; resposta imune
(resposta imune mediada por células, linfócitos T cd8).
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL:
Inespecíficos: não define qual tipo de hepatite
Dosagem de aminotransferases ALT (TGP) e AST
(TGO); 
Dosagem da bilirrubina; 
- Específicos:
 Antígenos (AgHBs e AgHBe) e anticorpos (Anti-
HBs, Anti-HBe e Anti-HBc); 
SIGNIFICADO DOS MARCADORES SOROLÓGICOS:
HBsAg: É o primeiro marcador que aparece no
curso da infecção pelo HBV. Na hepatite aguda, ele
declina a niveis indetectáveis em até 24 semanas.
HBeAg= É marcador de replicação viral. Sua
positividade indica alta infecciosidade. 
Anti-HBe= Surge após o desaparecimento do
HBeAg, indica o fim da fase replicativa. 
Anti-HBs= É o único anticorpo que confere
imunidade ao HBV. Está presente no soro após o
desaparecimento do HBsAg, sendo indicador de
cura e imunidade. Está presente isoladamente em
pessoas vacinadas. 
-Nos pacientes que se curam: 
HBsAg fica negativo 
Anti-HBc IgG é positivo
 Anti-HBs é positivo 
Nos pacientes vacinados: positivo apenas anti-
HBs IgG
TRATAMENTO:
Não há tratamento para fase aguda(Dieta
equilibrada, hidratação...); 
Interferon-a, Drogas para HIV e Herpes podem se
mostrar efetivas (fase crônica);
PREVENÇÃO:
IMUNIZAÇÃO ATIVA: VACINA- em 3 séries: 0, 1 e
6 meses;
 IMUNIZAÇÃO PASSIVA: Imunoglobulina (Qnd há
acidentes perfurocortantes e o profissional não é
vacinado ou é parcialmente vacinado). 
BIOSSEGURANÇA
HEPATITE C
CARACTERÍSTICAS VIRAIS:
Família dos Flaviviridae;
 - Genoma RNA – envelopado com glicoproteínas;
Capsídeo; 
OBS.: Proteínas virais inibem a apoptose e a ação do
interferon a – Impede morte da célula hospedeira;
Uma vez infectada a célula vai apresentar ela vai
apresentar moléculas virais para as células CD8 ou NK
para serem eliminadas por estarem sendo
reservatórios virais. Porém, essas proteínas inibem
essa morte celular. 
• Se inicia como quadro agudo silencioso sendo 20%
curados e 80% se cronificam podendoevoluir (40%)
para cirrose ou CHC. 
CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS:
Período de incubação 2 a 4 semanas 
Usualmente subclínica(não manisfesta clássica mente
os sintomas); 
Início insidiosa: O Náuseas e vômitos/ Dores
abdominais/Icterícia (1/4);
TRANSMISSÃO:
Parenteral; Sexual; transplacentária (5%).
Obs: VHC - principal causa da hepatite pós -
transfusional
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL:
MÉTODOS INDIRETOS-PESQUISA DE AC 
▸ ELISA - Anti-HCV; 
 MÉTODO DIRETO-PEQUISA DE ANTÍGENOS 
• RNA viral (PCR); 
o Antígenos da Cerne;
TRATAMENTO:
 Não há vacina! / Interferon-a sozinho ou
associado a ribavirina (50%); 
HEPATITE D
CARACTERÍSTICAS VIRAIS HDV: 
RNA-40% das hepatites fulminantes; 
O HBsAg é essencial p/ a organização do vírus,
pode-se dizer q só há uma infecção pelo vírus da
hepatite D se houver uma infecção pelo vírus da
hepatite B ou ao mesmo tempo (B-D) (coinfecção). 
TRANSMISSÃO:
 Semelhante ao HBV; 
Só se replicam e causam doenças em pessoas com
infecções ativas por HBV; 
Superinfecção: quando previa infecção crônica
pelo HBV – Evolução rápida e mais graves que em
coinfecções; 
Coinfecção= Quando pega ao mesmo tempo os 2
vírus. 
Superinfecção= Qnd já tem um quadro de hepatite
crônica pelo vírus da hepatite B. Então o fígado já
está debilitado e ele vai e pega uma outra infecção.
+ Grave 
PATOGENIA: 
Citotoxicidade e lesão hepática; 
A proteção provável é pela resposta ao AgHBs; 
A lesão hepática ocorre como resultado do efeito
citopatológico. 
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS: Aumenta a gravidade da
infecção pelo HBV; Pode resultar em hepatite
fulminante; - Encefalopatia hepática e necrose
hepática maciça (fatal em 80% dos casos). 
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL: ELISA
TRATAMENTO E PREVENÇÃO: Mesmo para o HBV.
HEPATITE E: HEV é transmitido pela via oral-fecal;
 • Evolução semelhante ao HAV, com maior taxa de
mortalidade; • Particularmente grave em mulheres
grávidas.

Continue navegando

Outros materiais