Buscar

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE

Prévia do material em texto

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE
 CURSO DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUÍMICOS 
COMPONENTE CURRICULAR: COMUNICAÇÃO E METODOLOGIA CIENTÍFICA
Tipos de Discursos e Figuras de Linguagem
Rafael Nunes do Nascimento
Anápolis, 19/04/2024
SUMÁRIO
1. Introdução........................................................................................................... 03
2. Objetivos............................................................................................................. 03
2.1. Geral.................................................................................................... 03
2.2. Específicos.......................................................................................... 03
3. Metodologia......................................................................................................... 03
4. Os tipos de discursos.......................................................................................... 04
4.1. Discurso direto..................................................................................... 04
4.2. Discurso indireto.................................................................................. 04
4.3. Discurso indireto livre.......................................................................... 04
5. Figuras de linguagem.......................................................................................... 05
5.1. Metáfora.............................................................................................. 05
5.2. Metonímia............................................................................................ 05
5.3. Ironia.................................................................................................... 06
6. Conclusão........................................................................................................... 06
7. Referências......................................................................................................... 07
1. Introdução 
No âmbito da literatura, os recursos linguísticos desempenham um papel fundamental na construção e na caracterização das obras. Entre esses recursos, os discursos direto, indireto e indireto livre emergem como ferramentas essenciais, conferindo dinamismo e profundidade às narrativas. Cada um desses tipos de discurso possui características distintas, delineando diferentes formas de representação das falas das personagens dentro do texto. Além disso, as figuras de linguagem, como metáforas, metonímias e ironias, entre outras, enriquecem ainda mais a expressão literária, conferindo-lhe nuances e profundidade, tornando a experiência de leitura mais rica e envolvente. Neste contexto, compreender esses diferentes tipos de discurso e as figuras de linguagem utilizadas torna-se essencial para a análise e a apreciação da técnica narrativa empregada nas obras literárias.
2. Objetivos
Geral	
Conhecer sobre os tipos de discursos e algumas figuras de linguagem usados na produção literária.
Específicos
· Conhecer os tipos de discursos: direto, indireto e indireto livre;
· Conhecer 3 tipos de figuras de linguagem: metáfora, metonímias e ironia;
3. Metodologia
Realizou-se um extenso levantamento de fontes online e literatura disponível em livros relevantes relacionados ao tema de interesse. As fontes foram criteriosamente selecionadas com base em sua relevância, autoridade e atualidade. Foram considerados sites de instituições acadêmicas, governamentais, artigos científicos online, bem como livros de renomados autores na área de estudo. Cada fonte foi minuciosamente analisada para extrair informações pertinentes ao tema da pesquisa. Foi realizada uma síntese dos principais achados, destacando as tendências, lacunas e conclusões relevantes. Todas as fontes utilizadas foram devidamente referenciadas de acordo com as normas bibliográficas estabelecidas. A metodologia adotada foi submetida à revisão por pares e aprovada pela equipe de pesquisa. Foram consideradas as críticas e sugestões recebidas para aprimoramento do método, garantindo sua robustez e confiabilidade.
4. Os tipos de discursos
4.1. Discurso direto
No discurso direto, reproduzimos de forma exata tanto as nossas palavras quanto as do nosso interlocutor em um diálogo. Durante a composição desse tipo de discurso, é frequente o emprego de verbos declarativos, como "disse", "respondeu", "afirmou", "ponderou", "sugeriu", "perguntou", "indagou", entre outros.
	No discurso direto, além da reprodução fiel das palavras, também capturamos nuances emocionais, entonações e expressões faciais, o que proporciona uma sensação de imersão maior na interação. Essa forma de discurso é especialmente útil para transmitir diálogos de forma vívida e dinâmica, aproximando o leitor ou ouvinte da experiência comunicativa original.
	Exemplo: Esses dias minha mãe disse: “Vá trabalhar!”
4.2. Discurso Indireto 
No discurso indireto, a fala do interlocutor é incorporada à narrativa do locutor. Nesse tipo de discurso, é frequente o uso de verbos declarativos que introduzem a fala reportada, e as expressões geralmente surgem como orações subordinadas substantivas. Essa técnica permite ao narrador transmitir informações de forma mais objetiva e condensada, além de oferecer a oportunidade de adicionar sua interpretação ou análise pessoal sobre o que foi dito. O discurso indireto também possibilita uma transição suave entre a narrativa e as falas dos personagens, contribuindo para a fluidez da história.
	Exemplo: Perguntou ironicamente se fora a uma reunião regada a álcool.
4.3. Discurso Indireto Livre
No discurso indireto livre, ocorre uma fusão entre o discurso direto e o discurso indireto, permitindo uma proximidade íntima entre o narrador e o personagem sem a distinção clara das falas de ambos. Esta técnica literária possibilita que as vozes dos personagens se entrelacem com as do narrador, resultando em uma narrativa fluida e dinâmica. No discurso indireto livre, conservam-se elementos do discurso direto, como interrogações e exclamações, preservando assim a essência emocional e a vivacidade das falas originais. Essa técnica confere ao texto uma sensação de imersão mais profunda na mente dos personagens, proporcionando ao leitor uma experiência rica e envolvente.
	Exemplo: “A esposa nervosa com as mãos na cintura e os pés batendo no chão aguardava-o em casa. Por que chegou tarde? Apressou-se em respondê-la, disfarçando o hálito alcoólico, dizendo que estivera em reunião com diretoria. Contudo, ela, percebendo sua intenção, replicou-lhe ironicamente se houvera sido uma reunião regada a álcool.”
5. Figuras de Linguagem
5.1. Metáfora
A metáfora, figura de linguagem que estabelece uma comparação implícita, enriquece o discurso ao atribuir novos significados e dimensões aos elementos descritos. Amplamente utilizada na poesia e na prosa, a metáfora confere elegância e profundidade ao texto, transcendendo a mera descrição literal. Por sua íntima relação com o significado das palavras, é classificada como uma figura de palavra ou semântica. Ao estabelecer associações inesperadas entre conceitos, objetos ou sentimentos, a metáfora desencadeia reflexões e emoções no leitor, tornando a experiência de leitura mais rica e cativante.
	Exemplo: Gabriel é um gato. (subentende-se beleza felina)
5.2. Metonímia
A metonímia, uma figura de linguagem poderosa, opera substituindo um termo por outro que mantém uma relação de proximidade ou associação com o original. Um exemplo comum é quando uma parte de algo é usada para se referir ao todo.
	Por exemplo, na frase "Depois de me formar, quero ter meu próprio teto", a palavra "teto", que representa apenas uma parte da casa, é empregada para se referir à ideia completa de "casa". Esse tipo de metonímia, que substitui a parte pelo todo, é bastante frequente na linguagem cotidiana. 
	A palavra "metonímia" deriva do grego "metonymía", composta pelos termos “meta” (mudança) e “onoma” (nome), traduzindo-se literalmente como “mudança de nome”.Essa figura de linguagem é uma ferramenta essencial para a expressão criativa e eficaz, permitindo ao escritor transmitir significados complexos de forma concisa e evocativa.
	Exemplo: Consegui comprar a televisão com o meu suor. (A palavra “suor” se refere à palavra “trabalho”).
5.3. Ironia
A ironia, figura de linguagem que emprega palavras com significado oposto ao pretendido para enfatizar o discurso, é classificada como uma figura de pensamento, já que se baseia na combinação de ideias e pensamentos.
	A palavra "ironia" tem suas raízes no grego antigo (euroneia), significando dissimulação ou fingimento.
	Para compreender melhor esse conceito, consideremos um exemplo: "Doutor, agradeço profundamente sua atenção. Tenho certeza de que esteve bastante atento a tudo o que disse."
	Neste caso, o falante expressa seu desapontamento com um médico que não prestou atenção adequada à sua conversa. Para transmitir essa mensagem, ele utiliza a palavra "atencioso", com o sentido irônico de "desatento", e "atento", com o sentido de "distraído", destacando a discrepância entre a intenção real e a expressão aparente.
6. Conclusão
Em suma, os tipos de discursos, seja o direto, indireto ou indireto livre, oferecem diferentes maneiras de transmitir diálogos e narrativas, cada um com suas características distintas. O discurso direto proporciona uma imersão vívida na interação entre personagens, enquanto o indireto oferece uma abordagem mais objetiva e condensada, permitindo a inclusão da perspectiva do narrador. Já o indireto livre funde elementos dos dois, criando uma narrativa fluida e dinâmica que mergulha nas mentes dos personagens. 
	Além disso, as figuras de linguagem como a metáfora, a metonímia e a ironia enriquecem os discursos, atribuindo-lhes novos significados e dimensões, tornando a experiência de leitura mais profunda e cativante. Em conjunto, esses recursos linguísticos contribuem para a expressão criativa e eficaz, permitindo aos escritores transmitirem nuances emocionais, reflexões e análises sobre a realidade retratada.
7. Referências
Discurso direto, indireto e indireto livre. Disponível em: <https://mundoeducacao.uol.com.br/redacao/tipos-de-discurso-direto-indireto-e-indireto-livre.htm#:~:text=Os%20diferentes%20tipos%20de%20discurso>. Acesso em: 19 abr. 2024.
Ironia. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/ironia/>. Acesso em: 19 abr. 2024.
Metáfora - melhor explicação com exemplos e exercícios. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/metafora/>. Acesso em: 19 abr. 2024.
Metonímia. Disponível em: <https://www.todamateria.com.br/metonimia/>. Acesso em: 19 abr. 2024.
O que é discurso direto, indireto e indireto livre? Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/portugues/o-que-e-discurso-direto-indireto-indireto-livre.htm#:~:text=%C3%89%20aquele%20no%20qual%20reproduzimos>. Acesso em: 19 abr. 2024.
image1.png

Continue navegando