Buscar

atv

Prévia do material em texto

Conforme nosso estudo desta disciplina a base de executar um processo de usinagem está diretamente relacionada à respectiva e remoção de um material por meio da interferência de uma ferramenta e dependendo do modelo de peça a ser usinada, em que, dessa forma, a ferramenta deve ser feita de um material que possua o grau necessário de dureza, assim como a resistência muito superior ao material da peça a ser usinada e para a realização dessa operação, é necessário um movimento relativo entre a peça e a ferramenta a ser usinada. Dito isto, a base dos estudos e avaliações estão relacionadas aos parâmetros de usinagem clássicos, como as variáveis de controle, permitindo a avaliação de seu comportamento em determinados momentos da usinagem.
De acordo com a Norma DIN 8580 (2003), o processo de usinagem está estruturado em variáveis relacionadas ao movimento, direção do movimento, percurso da ferramenta e velocidade. 
Nesse sentido, ainda conforme a Norma DIN 8580 (2003), podemos listar cada uma das variáveis: 
Movimentos Ativos: são os movimentos pelos quais ocorre a retirada de cavacos e que possibilita as operações de usinagem, em que as peças podem se apresentar sob diversas formas, dependendo do tipo de processo considerado. 
Movimento de corte: movimento existente entre a peça e a ferramenta, no qual sem o movimento de avanço, origina uma única retirada do cavaco; 
Movimento de avanço: movimento existente entre a peça e a ferramenta, que juntamente com movimento de corte origina a retirada contínua de cavaco; 
Movimento efetivo de corte: movimento resultante dos movimentos de corte e avanço realizados ao mesmo tempo. 
Movimentos Passivos: são aqueles movimentos que, apesar de serem fundamentais para a realização dos processos de usinagem, não promovem a remoção de material ao ocorrerem. 
Movimento de posicionamento: movimento entre a peça e a ferramenta, com a qual a ferramenta se aproxima da peça antes de haver a usinagem; 
Movimento de profundidade: movimento entre a peça e a ferramenta na qual a espessura da camada de material a ser retirada é determinada de antemão; 
Movimento de ajuste: movimento entre peça e ferramenta com o intuito de uma possível correção, para compensar um possível desgaste da ferramenta; 
Movimento de recuo: o movimento na qual a ferramenta afasta-se da peça, após a realização da usinagem.

Continue navegando

Outros materiais