Buscar

Roteiro de Estruturas Anatômicas

Prévia do material em texto

Leiam com atenção!
Esse roteiro de estruturas destina-se a orientação dos alunos de medicina na prática anatômica; servindo como material complementar (não definitivo), único e exclusivamente para a parte de identificação.
A função e origem das estruturas listadas aqui precisam ser conhecidas, não tem significado clínico apenas decorá-las sem saber sua real origem ou aplicação. Em prova prática algumas das funções das mesmas poderão ser revisitadas.
A ausência de estruturas nesse roteiro não impede seu aparecimento em prova, marcações feitas em aula podem acabar não figurando aqui por um pequeno deslize do autor, entretanto, como dito no primeiro parágrafo este roteiro serve:
“como material complementar (não definitivo)”
Abraços
Rim
Córtex Renal – Massa tecidual encontrada ao longo de toda face convexa do rim, está sobre a medula renal.
Medula (ou Pirâmide Renal) – Massa tecidual com o formado piramidal encontrada abaixo do córtex.
Coluna Renal – Massa tecidual que se projeta do córtex em meio as pirâmides renais.
Papila Renal – Ápice da medula renal ao qual faz saliência no cálice menor.
Área Cribiforme – Região da papila renal que apresenta canalículos feitos pelo ducto coletor. Desta região escorre a urina que entra nos cálices menores. 
Cápsula Fibrosa Renal – Película de tecido conjuntivo fibroso que envolve o córtex renal externamente, dando ao rim uma característica brilhosa. Dar forma e impede a hiper distensão do rim.
Hilo Renal – Região côncava que se projeta para dentro do rim. Nela (externamente) podemos ver a entrada e saída de vasos sanguíneos e também saída da pelve renal. Internamente nós encontraremos o sistema coletor.
Seio Gorduroso Renal – Camada de tecido adiposo formada pela cápsula adiposa renal que se projeta para dentro do hilo renal. Mantém os vasos e sistema coletor desta região fixados.
Sistema Coletor
Cálice Menor – Tubo curto que se projeta da papila renal.
Cálice Maior – Tubo formado pela fusão de dois ou mais cálices menores.
Pelve Renal – Tubo longo e largo, que se projeta através do hilo renal, formada pela fusão de dois ou mais cálices maiores.
Histologia do Rim
Cápsula Glomerular (de Bowman) – Cápsula tecidual que envolve o espaço urinário e os capilares glomerulares. Nela vemos a entrada da arteríola aferente e da arteríola eferente através do polo vascular, e formação do túbulo contorcido proximal através do polo urinário. Possui duas faces, uma parietal formada por células pavimentosas em uma organização simples, e uma visceral formada pelos podócitos que cobrem os capilares glomerulares.
Arteríola Aferente – Pequena artéria vista entrando no polo vascular e formando os capilares glomerulares. Apresenta as células justaglomerulares em sua túnica média.
Arteríola Eferente – Pequena artéria, formada pelos capilares glomerulares, vista saindo do polo vascular. Pode apresentar algumas células justaglomerulares.
Capilares Glomerulares – Tufo vascular formado pela arteríola aferente. É um capilar do tipo fenestrado.
Espaço Urinário – Espaço existente entre a face parietal e visceral da cápsula de Bowman. Local que recebe o filtrado glomerular.
Podócitos – Células pavimentosas modificadas durante o desenvolvimento embrionário. Parecem polvos uma vez que apresentam muitos prolongamentos denominados pedicélios. Forma a face visceral da cápsula de Bowman.
Células Justaglomerulares – Células musculares que apresentam propriedades secretivas encontradas na túnica média das arteríolas aferentes. Está envolvida com a secreção de Renina.
Células Mesangiais – Células contráteis encontradas no polo vascular entre as arteríolas aferente e eferente. Estão envolvidas com a regulação da pressão glomerular.
Células da Mácula Densa – Células colunares encontradas no túbulo contorcido distal, especificamente na região que o mesmo toca o polo vascular.
Túbulo Contorcido Proximal – Se origina no polo urinário, por sua proximidade com o glomérulo é chamado de proximal.
Túbulo Contorcido Distal – Se conecta ao ducto coletor. Devido a sua distância do local de origem, é considerado distal.
Alça do Néfron (ou de Henle) – Região tubular no formato de alça que tem uma parte permeável (descendente) e uma parte impermeável a líquidos (ascendente).
Ducto Coletor – Local de encontro para muitos túbulos contorcidos distais. Desemboca na papila renal, formando a área cribiforme.
Vascularização e Drenagem do Rim
(Anexo 2 – Vasos do Rim e Bexiga)
Ureter
Constrições do Ureter:
Abdominal – Encontrada na junção ureter e pelve renal.
Pélvica – Encontrada no cruzamento do ureter com a artéria ilíaca comum.
Intramural – Encontrada na junção ureter e bexiga.
Bexiga
Óstio do Ureter – Pequenas aberturas dentro da bexiga, causada pela entrada dos dois ureteres.
Óstio interno da uretra – Pequena abertura dentro da bexiga causa pela saída da uretra.
Trígono da Bexiga – Região de aspecto liso encontrada entre os ótios dos ureteres e o óstio interno da uretra. Forma uma triangulação muito característica que dá nome a região,
Músculo Detrusor da Bexiga – parede muscular que forma a bexiga.
Ligamento Umbilical Mediano – Ligamento fibroelástico encontrada no ápice da bexiga que se liga na parede abdominal. Vestígio embrionário do Úraco, um ducto embrionário ligado a cicatriz umbilical.
Escavação Vesicouterina – Espaço encontrado entre bexiga e útero (ao qual se encontra fletido sobre a bexiga).
Colo da Bexiga – Região da bexiga que ne conecta com a uretra.
Vascularização e Drenagem da Bexiga
(Anexo 2 – Vasos do Rim e Bexiga)

Continue navegando