Buscar

POP PASSAGEM DE PLANTÃO

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 5 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

GRUPO: Alan Batista Souza dos Santos - RGM 23235349
Karen Juliana Silva Lima - RGM 26002272
Thauan Stefann da Fonseca Sousa - RGM 23390166
Laura Ribeiro Braz - RGM: 23365692
Ana Bel Barbosa Lima - RGM: 23758775
Adriele Alves Pacheco - RGM: 23152826
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO (POP) 
1.TÍTULO: Procedimento Operacional Padrão (POP) – Passagem de Plantão em Enfermagem.
2. OBJETIVO: Garantir a continuidade da prestação da assistência de cada paciente, tratamentos, intercorrências, pendências e situações referentes a fatos específicos que merecem atenção; diminuir a possibilidade de erros e omissões no decorrer da passagem de plantão; criar uma atividade fundamental para organizar o trabalho; padronizar as informações para o procedimento de passagem de plantão.
3. PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS: Enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares de enfermagem em todos os setores que prestem assistência ao paciente.
4. CRITÉRIOS PARA REALIZAÇÃO: a atividade deve ser realizada pelo enfermeiro assistencial que está encerrando o turno; um técnico ou auxiliar de enfermagem, que está encerrando seu turno de trabalho, permanecerá no posto de enfermagem, ficando responsável por atender os chamados e intercorrências enquanto se realiza a passagem de plantão durante os primeiros 20 minutos da mesma (10 minutos antes do término do plantão e 10 minutos após o início do plantão), que executará a triagem das solicitações que devem ser transmitidas no decorrer da passagem de plantão (paciente com dores sem conduta em prontuário, sinais e sintomas alterados, etc.) e daquelas que podem aguardar seu término (resultados de exames, horário de visita médica, entre outras); realizar a passagem de plantão em sala adequada, com mesa e cadeiras; realizar a transmissão das informações para toda a equipe que chega e iniciará para o seu turno de trabalho; evitar que os profissionais técnicos ou auxiliares de enfermagem realizem a retirada das medicações das prescrições médicas e dos cuidados das prescrições de enfermagem durante a passagem de plantão; realizar as perguntas pertinentes à continuidade da assistência, preferencialmente, durante a passagem de plantão e no momento em que são passadas as informações do paciente; manter na porta da sala onde será realizada a passagem de plantão uma placa que informe o momento da atividade para evitar interrupções desnecessárias.
5. MATERIAIS E RECURSOS NECESSÁRIOS: Folha de observações complementares; plano impresso da transição de cuidados; caneta; comunicação verbal e escrita.
6. PROCEDIMENTOS: 
1. Equipe que deixará o plantão: precisa efetuar três atividades antes do início da passagem de plantão:
- Executar o Fechamento do plantão (trocar informações finais entre enfermeiros e técnicos do mesmo plantão);
- Organizar os prontuários do paciente (prescrições, evolução, etc.);
- Juntar toda a equipe.
Os técnicos de enfermagem deverão passar o plantão no posto de enfermagem, já os enfermeiros deverão passar o plantão na sala da chefia de enfermagem. Pode-se utilizar no procedimento instrumentos básicos: prescrição médica, folha de controles e plano assistencial. O posto de enfermagem deve conter identificação visual do momento de passagem de plantão. Ao passar o plantão, a equipe deve seguir um check-list para facilitar a troca, que deverá contemplar minimamente os seguintes itens:
- Curta/média permanência: nome do paciente, diagnósticos, motivo de internação, exames realizados e pendentes, evolução clínica/cirúrgica e condutas (objetivos), contexto social se julgar importante;
- Crônicos: nome, alterações clínicas e de conduta (objetivos), exames realizados e pendentes, contexto social se importante.
2. Equipe que assumirá o plantão: a elaboração da escala de divisão dos pacientes internados deverá ser realizada pelo enfermeiro de plantão, sendo dividida conforme a gravidade. Entretanto, em casos de necessidade de discussão da escala, esta somente poderá ser realizada ao término da passagem de plantão.
3. Atribuições do Enfermeiro 
3.1. O enfermeiro chefe tem a responsabilidade de conduzir e gerenciar a comunicação eficaz durante a passagem de plantão (PP). 
3.2. O enfermeiro deverá reavaliar os pacientes de sua unidade, para o fechamento da PP. 
3.3. Utilizar o Mapa Diário para Passagem de Plantão da Equipe de Enfermagem, preenchendo-o com as informações pertinentes ao seu turno de trabalho; 
3.4. O Mapa Diário para Passagem de Plantão da Equipe de Enfermagem deverá ser preenchido a cada passagem de plantão pelo enfermeiro responsável, até completar as 24h do dia (contemplando todos os turnos); 
3.5. O enfermeiro do período noturno abrirá um novo Mapa Diário para Passagem de Plantão da Equipe de Enfermagem, atualizando as informações de cada paciente internado na unidade; 
3.6. Na situação de alta hospitalar, transferência ou óbito, registrar a ocorrência no campo correspondente do Mapa Diário para Passagem de Plantão da Equipe de Enfermagem, e caso o leito seja ocupado dentro das 24h, registrar a entrada do novo paciente nos espaços em branco ao final do instrumento; 
3.7. Realizar os registros no Mapa Diário para Passagem de Plantão da Equipe de Enfermagem de maneira clara e sucinta, evitando rasuras; 
3.8. Realizar a transmissão das informações para toda a equipe que chega para o seu turno de trabalho de maneira breve, clara e objetiva, com base nos registros feitos no instrumento; 
3.9. Orientar os profissionais técnicos ou auxiliares de enfermagem a não realizarem a retirada das medicações das prescrições médicas e dos cuidados das prescrições de enfermagem durante a PP; 
3.10. Orientar continuadamente a todos os membros da equipe multiprofissional sobre a importância da PP, evitando-se interrupções e desvalorização da atividade; 
3.11. Arquivar o instrumento utilizado nas últimas 24h em local pré-definido na unidade. 
4. Atribuições dos técnicos e auxiliares de enfermagem 
4.1. Tomar conhecimento dos pacientes que estarão sob seus cuidados no turno que se inicia antes de comparecer à PP; 
4.2. Receber a PP juntamente com o enfermeiro do turno que se inicia; 
4.3. Anotar na Folha de “Cuidados de Enfermagem” informações pertinentes para o cuidado dos pacientes sob sua responsabilidade; 
4.4. Iniciar a retirada de medicamentos da prescrição médica e dos cuidados de enfermagem das respectivas prescrições após o término da realização da PP. 
5. Descrição do Mapa Diário para Passagem de Plantão da Equipe de Enfermagem 
5.1. “SITUAÇÃO/BREVE HISTÓRICO” o nome e último sobrenome do paciente, motivo da internação atual, intervenção cirúrgica atual, presença de comorbidades (HAS, DM, entre outras), tabagismo, sorologias, alcoolismo, alergias e tipo de precaução (contato, isolamento). O pós-operatório deve ser contabilizado até o 9º dia, considerando-se pós-operatório tardio (POT) a partir do 10º dia. Caso o paciente faça hemodiálise, deve constar nesse campo seguido da instituição ao qual dialisa e os dias da hemodiálise (HD). 
5.2. “INTERCORRÊNCIAS/EXAMES” palavras chaves para otimizar o espaço e a comunicação, como exemplos: febre (a temperatura), constipação (número de dias), insônia, PA (o valor da PA), HGT (valor da glicemia), inapetência ou alteração de dieta do paciente. 
5.3. “AVALIAÇÃO” os medicamentos e dispositivos que o paciente está usando ou possui; citar a presença de dispositivos descrevendo o tipo (drenos, acessos venosos, cateteres). Não é necessário citar débitos de cateteres, Balanço hídrico, entre outros, exceto se os valores estiverem alterados, devendo constar no item “INTERCORRÊNCIAS”. 
5.4. “RECOMENDAÇÕES/PENDÊNCIAS” as pendências que ficaram do respectivo turno e que serão resolvidos pelo turno de trabalho seguinte. 
5.5. Após o término da passagem de plantão deve-se: distribuir os pacientes por técnico de enfermagem; trocar informações entre os profissionais enfermeiros e técnicos sobre cada paciente, revisão das prescrições de enfermagem e médica e de seu aprazamento. 
5.6. Assinar e carimbar ao final de cada turno.
7. POSSÍVEIS INTERCORRÊNCIAS E SOLUÇÕES:Impontualidade; Falhas na comunicação: Registros incompletos no prontuário, Informações incompletas durante a passagem de plantão, Falha no processo de comunicação verbal e escrita; Interrupções por diversos fatores, como problemas de hierarquia e conflitos interpessoais que causam ruído na comunicação, brincadeiras fora de hora, tom de voz inadequado para o ambiente de saúde; Ambiente Inadequado; Falta de modelo ou ausência da passagem de plantão. Além de outros fatores que afetem a objetividade na troca de informações. 
Buscando-se evitar essas intercorrências, torna-se necessário a criação de estratégias para reduzir essas ocorrências, sempre mantendo o foco no bem-estar dos pacientes e acompanhantes que necessitam de atendimento ágil e eficaz, como por exemplo: retomar as funções do profissional anterior sem pressa e administrando as informações recebidas; analisar a compreensão das informações recebidas ou passadas, mantendo uma comunicação objetiva e esclarecendo as dúvidas; manter um modelo padrão de passagem de plantão, para que haja objetividade e organização.
8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem – COFEN. Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem, e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7498.htm. Acesso em 11 nov. 2022.
BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem – COFEN. Parecer de Câmara Técnica nº 0001/2021/CTLN/COFEN: Passagem de Plantão aos Profissionais de Nível Médio da Enfermagem. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/parecer-de-camara-tecnica-no-0001-2021-ctln-cofen_87259.html#:~:text=O%20Parecer%20Coren%2FAL%20n%C2%BA,institucional%20para%20a%20passagem%20de. Acesso em 12 nov. 2022.
BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem – COFEN. Resolução COFEN Nº 543/2017: Atualiza e estabelece parâmetros para o Dimensionamento do Quadro de funcionários de Enfermagem nos serviços/locais em que são realizadas atividades de enfermagem. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-5432017_51440.html. Acesso em 12 nov. 2022.
BRASIL. Conselho Federal de Enfermagem – COFEN. Resolução COFEN Nº 564/2017: Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-5642017_59145.html. Acesso em 12 nov. 2022.
CARLOS, A. M. M. Um novo modo de fazer a passagem de plantão da enfermagem. 2014. 153 p. Dissertação (mestrado profissional) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Gestão do Cuidado em Enfermagem, Florianópolis, 2014.
HC-UFTM - EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇO HOSPITALARES (EBSERH)/MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, 2016. Procedimento Operacional Padrão (POP): Passagem de plantão da equipe de enfermagem. Serviço de Educação em Enfermagem. Uberaba: Divisão de Enfermagem, 2016. 14p.
HGV - Hospital Getúlio Vargas. Manual de Procedimentos Operacionais (POP) de Enfermagem. Getúlio Vargas, 2014. 116p.
ROCHA, RG. Reflexão acerca da passagem de plantão: implicações na continuidade da assistência de enfermagem. Revista Enfermagem, Minas Gerais, v. 19, n. 2, p. 191-198, jun. 2016.
SILVA, E.; CAMPOS, LF. Passagem de plantão na enfermagem: revisão da literatura. Cogitare Enferm. Minas Gerais, v. 12, n. 4, p. 502-507, out./dez. 2007. ISSN 2176-9133. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/10077. Acesso em 13 nov. 2022.
 
image1.png

Continue navegando