Buscar

Prévia do material em texto

AULAS
21 e 22
➢INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES
- PERDAS E DANOS;
- JUROS LEGAIS;
- CLAUSULA PENAL;
- ARRAS OU SINAL.
Conteúdo da AV2
PERDAS E DANOS
|INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES|
DANO
• Em sentido amplo: lesão a qualquer bem jurídico.
• Em sentido estrito: lesão do patrimônio.
✓MORAL
✓MATERIAL
PERDAS E DANOS
NO CÓDIGO CIVIL
Código Civil. Art. 402. Salvo as exceções expressamente previstas
em lei, as perdas e danos devidas ao credor abrangem, além do
que ele efetivamente perdeu, o que razoavelmente deixou de
lucrar.
• Devem cobrir todo o prejuízo experimentado pela vítima.
LUCRO
CESSANTE
DANO 
EMERGENTE
DANO EMERGENTE &
LUCRO CESSANTE
• DANO EMERGENTE: efetivo prejuízo. Diminuição patrimonial
sofrida pela vítima.
Ex: veículo perdido/danificado em acidente.
• LUCROS CESSANTES: É a frustração da expectativa de lucro.
Perda de um ganho esperado.
Ex: Táxi, uber.
PERDAS E DANOS
Indenização completa de todos os prejuízos
sofridos e comprovados.
Há casos em que o valor desta já vem estimado no
contrato, como no caso de cláusula penal
compensatória.
TEORIA DO DANO DIRETO E IMEDIATO
Código Civil. Art. 403. Ainda que a inexecução resulte de dolo do
devedor, as perdas e danos só incluem os prejuízos efetivos e os
lucros cessantes por efeito dela direto e imediato, sem prejuízo do
disposto na lei processual.
* Não é indenizável o dano remoto (indireto);
* Tem que ter ligação direta;
OBRIGAÇÕES COM
PAGAMENTO EM DINHEIRO
Código Civil. Art. 404. As perdas e danos, nas obrigações de pagamento em dinheiro,
serão pagas com atualização monetária segundo índices oficiais regularmente
estabelecidos, abrangendo juros, custas e honorários de advogado, sem prejuízo da
pena convencional.
Parágrafo único. Provado que os juros da mora não cobrem o prejuízo, e não havendo
pena convencional, pode o juiz conceder ao credor indenização suplementar.
• Súmula 562, STF
Na indenização de danos materiais decorrentes de ato ilícito cabe a atualização de
seu valor, utilizando-se, para esse fim, dentre outros critérios, dos índices de correção
monetária.
JUROS LEGAIS
|INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES|
JUROS
•CONCEITO: São os rendimentos do capital. Considerados
frutos civis da coisa.
PODEM SER:
- Compensatório ou Moratório
- Convencionais ou legais
- Simples ou compostos
JUROS COMPENSATÓRIOS E 
MORATÓRIOS
• JUROS COMPENSATÓRIOS (juros bons)
- Também chamados remuneratórios ou juros frutos;
- São devidos como compensação pela utilização de capital pertencente a outrem.
- Deve estar previstos em contrato, não podendo exceder a taxa em vigor (art. 406,
CC).
* JUROS MORATÓRIOS (juros mals / penitenciários)
- São os incidentes em caso de retardamento na sua restituição ou descumprimento
de obrigação.
- Devidos do inadimplemento (constituição da mora);
Vide: art. 407,CC
JUROS CONVENCIONAIS E LEGAIS
• JUROS CONVENCIONAIS
- Ajustados pelas partes de comum acordo;
* JUROS LEGAIS
- Previstos ou impostos por lei;
JUROS SIMPLES E COMPOSTOS
• JUROS SIMPLES
- São sempre calculados sobre o capital inicial.
- Juros não capitalizados.
* JUROS COMPOSTOS
- São capitalizados anualmente, calculando-se juros sobre juros. Ou seja, os
que forem computados, passarão a integrar o capital.
- Juros Capitalizados
- Os juros incidem sob o capital anterior;
REGULAMENTAÇÃO LEGAL
• LEI DA USURA – Dec. nº 22.626/33
- Limita a estipulação da taxa de juros de 1% ao mês;
- Proíbe a cobrança de juros sobre juros (anatocismo)
• LEI 4.595/64 (Lei do Conselho Monetário Nacional)
- Regula o mercado de capitais;
- Instituições financeiras podem praticar juros no limite estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional (Ou seja,
podem cobrar juros acima do estabelecido em lei – acima de 1%).
• Código Civil.
Art. 406. Quando os juros moratórios não forem convencionados, ou o forem sem taxa estipulada, ou quando provierem de determinação
da lei, serão fixados segundo a taxa que estiver em vigor para a mora do pagamento de impostos devidos à Fazenda Nacional.
A fazenda nacional vem adotando a taxa SELIC – Sistema Especial de Liquidação e Custódia: taxa que visa combater a inflação, tendo sida
fixada ultimamente em patamar bem superior que os 12%. No entanto, o STJ tem entendido que essa taxa traz embutida a correção
monetária, não constituindo forma de fixação apenas de juros moratórios, daí porque há uma forte corrente que defende que não é
juridicamente segura a aplicação da taxa Selic como índice de apuração de juros legais (porque encobriria o prévio conhecimento do valor
real dos juros), assim, deveria-se seguir o que diz o Codigo Tributário Nacional, que fixa em 1% ao mês (art. 161 §1º-CTN).
CLAUSULA PENAL
|INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES|
CLÁUSULA PENAL
• CONCEITO
É obrigação acessória, pela qual se estipula pena ou multa
destinada a evitar o inadimplemento da principal ou o
retardamento no seu cumprimento.
É um reforço ao pacto obrigacional.
* Também chamada:
Pena Convencional ou multa contratual
NATUREZA JURÍDICA
•Pacto secundário e acessório, pois sua existência
e eficácia dependem da obrigação principal.
•O acessório segue o principal;
CÓDIGO CIVIL
CÓDIGO CIVIL. Art. 409. A cláusula penal estipulada
conjuntamente com a obrigação, ou em ato
posterior, pode referir-se à inexecução completa da
obrigação, à de alguma cláusula especial ou
simplesmente à mora.
OBJETIVO/FUNÇÃO
•Dupla função:
A) Como meio de coerção para compelir o devedor a
cumprir a obrigação;
B) Como pré-fixação de perdas e danos (ressarcimento
devido em razão do inadimplemento do contrato.
COMPROVAÇÃO DOS PREJUÍZOS
Com a estipulação da cláusula penal, expressam os contratantes a
intenção de livrar-se dos incômodos da comprovação do prejuízos e de sua
liquidação.
➢Basta a comprovação do inadimplemento.
➢Valor: previamente estipulado
Art. 416. Para exigir a pena convencional, não é necessário que o credor alegue prejuízo.
Parágrafo único. Ainda que o prejuízo exceda ao previsto na cláusula penal, não pode o credor exigir
indenização suplementar se assim não foi convencionado. Se o tiver sido, a pena vale como mínimo da
indenização, competindo ao credor provar o prejuízo excedente.
CLÁUSULA 
PENAL
AUTOMÁTICA
(416, CC)
LIMITE
(412, CC)
JUIZ PODE 
AJUSTAR
(413, CC)
Regra:
SUBSTITUI P & D
(416, § ÚNICO CC)
ARRAS (OU SINAL)
|INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES|
ARRAS (OU SINAL)
•CONCEITO
É quantia ou coisa entregue por um dos contraentes ao
outro, como confirmação do acordo de vontades e princípio
de pagamento.
Mecanismo de garantia!
É forma do devedor assegurar que vai cumprir!
NATUREZA JURÍDICA
• Tem cabimento apenas nos contratos bilaterais, dos quais
constitui pacto acessório, pois sua existência e eficácia
dependem da obrigação principal.
• Natureza acessória e caráter real.
ARRAS (OU SINAL)
• Sua principal função é confirmar o contrato, que se torna obrigatório após sua
entrega. Prova o acordo de vontades, não mais sendo lícito a qualquer dos
contratantes rescindi-lo unilateralmente. Quem o fizer, responderá por perdas e
danos, nos termos do art. 418 e 419 do Código Civil.
• As arras representam o mínimo da indenização, podendo ser pleiteado a
reparação integral do prejuízo (art. 419, CC).
• Não havendo nenhuma estipulação em contrário, as arras serão confirmatórias.
(sem direito a arrependimento).
ESPÉCIES
CONFIRMATÓRIA PENITENCIAIS
Contratos sem direito de 
arrependimento
Contratos com direito de 
arrependimento
Se o devedor não cumprir, a arras 
fica retida e mais perdas e danos. 
Art. 418, CC
Não tem credor e devedor, mas 2 contratantes. 
O que se arrepender, devolve em 
dobro. E não tem direito a pleitear 
perdas e danos.
Se o devedor cumprir, ele pega o 
dinheiro de volta ou o abatimento. 
Art. 417, CC
Art. 420, CC
Obs: o sinal constitui, pois, pré-
deteminação das perdas e danos. 
FIM DE 
CONTEUDO!
DÚVIDAS
PRÓXIMA AULA
TRABALHO AV2
EM SALA DE AULA
AO VIVO, BRASIL!!!!!!!!

Mais conteúdos dessa disciplina