Buscar

TRABALHO DE CONTABILIDADE BÁSICA

Prévia do material em texto

DISCIPLINA: Contabilidade Básica
Profª Marlene Muniz Oliveira Pilenghy
Acadêmico (a): Anna Luiza Martins de Oliveira_________________________________
Trabalho Individual (digitado ou manuscrito), valendo de 0 a 2,0 pontos.
Prazo para entrega: 15 de março de 2023.
Definir (descrever) com clareza e objetividade item a item os dados abaixo negritados e do Plano de Contas conforme orientação da professora em sala de aula.
a) Definição sobre o Plano de Contas
O Plano Contas é o agrupamento das contas registradas que serão movimentadas pela contabilidade, até mesmo contas que serão utilizadas no futuro.
b) Definição de Contas
A forma ao qual a contabilidade representa os elementos patrimoniais iguais ou semelhantes.
c) Definição de Elenco de Contas
Consiste em um cadastro de contas utilizado para registro dos fatos administrativos decorrentes da movimentação do patrimônio da empresa, bem como dos atos administrativos considerados relevantes.
d) Definição de Manual de Contas
|Tem como finalidade mostrar as informaçoes de cada conta, como um guia. Deve conter um codigo numerico, a intitulação, funçao, funcionamento, a natureza e o criterio de avaliação. O manual de contas pode aparecer o ativo circulante, disponibilidades, caixa e bancos conta movimento.
e) Definição de Código de Contas 
Os códigos de conta contábil consistem em vários componentes separados por separadores. Os componentes aos quais não foi atribuído um valor são indicados por caracteres de espaço reservado.
f) Definição sobre Curto e Longo prazo na Contabilidade, tanto para o ativo com para o Passivo, conforme Lei 6.404/76
Curto prazo: 12 meses após o balanço patrimonial realizado após a compra, mais os meses corridos.
Longo prazo: determinado como longo após o segundo balanço patrimonial realizado após a venda.
Ativo e passivo circulante é curto prazo, já o ativo e passivo não circulante é a longo prazo.
g) Descreva fundamentando a diferença entre Contas Patrimoniais e Contas de Resultado
Contas patrimoniais: consta bem, direitos, obrigaçoes e o patrimonio liquido. É divido em ativo e passivo e demonstra o patrimonio de um empresa por meio do balanço patrimonial.
Contas de resultado: dividido entre contas de despesas e contas de reitas. Aparecem durante o esecicio social, encerrando no final dele. Não aparece no balanço patrimonial, mas informa se a empresa teve lucro ou prejuizo.
h) Sobre o Plano de Contas a seguir, descrever cada item apresentado, no formato de um dicionário.
PLANO DE CONTAS
1- Ativo 
Elementos do passivo que são aplicados na empresa como bens e direitos, ou seja, tudo que a empresa tem e que irá receber.
1.1 - Circulante
Dinheiro disponível da empresa e valores que serão convertidos em dinheiro a curto prazo.
1.1.1 - Disponibilidades 
As disponibilidades no balanço, também conhecidas como “equivalentes de caixa”, fazem parte do grupo do ativo circulante, ou seja, estão incluídas no patrimônio da empresa e nos direitos de curto prazo.
1.1.1.1 - Caixa
Conta que registra os recursos financeiros disponíveis para movimento.
1.1.1.2 - Bancos C/ Movimento
Demonstração da movimentação das contas bancarias da empresa.
1.1.1.3 - Aplicações de Liquidez Imediata
É aquele que resgata contribuições e rendimentos em tempo real, ou seja, sem esperar dias ou meses por saques.
1.1.2 - Créditos
Recursos que a empresa possui com instituições financeiras, parceiros e fornecedores para realizar compras ou empréstimos.
1.1.2.1 - Clientes
Os próprios clientes não são considerados ativos circulantes, mas sim contas a receber de clientes – um dos ativos mais importantes de uma empresa. As contas a receber de clientes são os valores associados à venda de bens ou serviços, que constituem a atividade principal de uma empresa.
1.1.2.1.1 - Duplicatas a Receber
As contas ou recebíveis representam direitos ou valores adquiridos pela venda de bens ou serviços relacionados às atividades da empresa, mas ainda não recebidos.
1.1.2.1.2 - Estimativa de perdas no Recebimento de Crédito
Não há uma estimativa de perdas esperadas que podem ocorrer no departamento de recebíveis (ou cobrança). As perdas na aceitação de empréstimos resultantes das atividades de uma pessoa jurídica 
podem ser deduzidas como despesas para determinar o lucro real. Créditos podem ser registrados como perda.
1.1.2.1.3 - Estimativa de Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa
Não existe uma fórmula única para calcular o PDD. Portanto, a empresa precisará analisar o volume de vendas e o histórico de falhas para determinar a provisão. O ideal é analisar pelo menos os últimos três exercícios contábeis e determinar a PDD.
1.1.2.1.4 - Cartões de Crédito a Receber
Cartão de crédito a receber significa venda parcelada. Portanto, existem diferentes formas de contabilização: na venda e no recebimento. Nessa operação, há incidência de ICMS, PIS e COFINS, mas esses tributos não são contabilizados por não serem objeto do artigo.
1.1.2.2 - Títulos a Receber
Os Títulos a Receber são quaisquer valores a serem recebidos de algum devedor pela empresa.
1.1.2.2.1 - Cheques a Receber
Trata-se de um cheque enviado por um cliente de sua empresa para liquidação de contas a receber.
1.1.2.2.2 - Notas Promissórias a Receber
Documentos recebidos do cliente com obrigação de pagar o valor devido após um determinado período de tempo
1.1.2.3 - Adiantamentos
É uma obrigação de pagamento que depende ou não da verificação do direito do credor. Dessa forma, todas as despesas poderão ser realizadas somente com base em compromisso prévio, até o limite das rubricas orçamentárias de cada exercício orçamentário.
1.1.2.3.1 - Adiantamentos a Fornecedores
Um adiantamento de fornecedor surge na contabilidade quando uma empresa efetua o pagamento pela compra de um produto ou serviço antes que o fornecedor emita a fatura de compra relevante para esse produto ou serviço.
1.1.2.3.2 - Adiantamentos a Funcionários
Efetuação adiantada do pagamento ao funcionário.
1.1.2.4 - Tributos a Recuperar
São valores de empréstimos maiores que as dívidas da empresa após a contabilização do balanço, que podem ser utilizados como desconto para pagamento de impostos futuros. Eles existem quando uma empresa paga o mesmo imposto mais de uma vez, criando um saldo que precisa ser recuperado.
1.1.2.5 - Outros Créditos
São reivindicações que não se enquadram nos grupos anteriores
1.1.3 - Investimentos Temporários
Os investimentos temporários têm geralmente uma duração estimada entre três e doze meses. Estes são títulos "seguros" porque não representam muito risco. Por isso, esse tipo de investimento gera retornos não muito altos, mas que podem ser obtidos rapidamente.
1.1.3.1 - Aplicações Financeiras
A compra de um ativo (como uma ação ou título) para gerar renda durante um período de tempo. É possível encontrar diversos tipos de aplicações financeiras no mercado, que podem ser divididas em dois grupos: variáveis ​​e fixas.
1.1.3.1.1 - Aplicações Financeiras 
Um investimento financeiro é a compra de um ativo financeiro na expectativa de que ele gere um retorno financeiro ao longo do tempo.
1.1.3.1.2 - Aplicações em Ouro
Um fundo de ouro é um fundo de investimento que investe principalmente em ouro, um metal precioso que pode ser considerado uma commodity. É por meio dela que um investidor pode facilmente adquirir ativos cujo valor de mercado esteja atrelado ao valor do ouro.
1.1.3.1.3 - Aplicações em Ações de Outras Cias
As ações representam uma fração do capital social da empresa. Ao comprar uma ação, o investidor se torna sócio da empresa, ou seja, do negócio. Ele começa a assumir os riscos desse negócio e a dividir os lucros e prejuízos como qualquer empresário.
1.1.4 - Estoques
Uma conta de ativo que representa ativos tangíveis mantidos para venda que podem ser classificados por setor de acordo com o estágio de conclusão
1.1.4.1 - Estoques Industriais
Espaço de armazenamento para itens que serão futuramente vendidos seja para o consumidor final ou para outra empresa.
1.1.4.1.1 - Matérias PrimasProdutos que ainda não sofreram nenhum tipo de aproveitamento para a produção de novos produtos.
1.1.4.1.2 - Materiais de Embalagens
As embalagens podem ser classificadas de duas formas ou naturezas diferentes. Primeiro como custo de fabricação quando faz parte do produto e existe uma dependência, confundindo produto e embalagem em um só. Ou como despesas onde não exista tal dependência. A necessidade de embalar o produto está apenas associada à venda ou transporte dos produtos até ao seu destino.
1.1.4.1.3 - Produtos em Elaboração
Todos os produtos que ainda estão em fase de produção no fechamento do balanço.
1.1.4.1.4 - Produtos Acabados
Produtos cujo processo de produção foi concluído e já estão em condições de venda.
1.1.4.2 - Estoques Comerciais
As empresas comerciais mantêm estoque para realizar as atividades que projetam.
1.1.4.2.1 - Mercadorias p/ Revenda
Itens adquiridos pela loja para revenda em seus estabelecimentos, seja varejo ou atacado.
1.1.4.3 - Estoques De Materiais De Consumo
Tem como objetivo o registo e controle de bens de consumo comum como gêneros alimentícios pessoais, material de escritório, produtos de higiene, peças de manutenção de edifícios e máquinas e por último, mas não menos importante, artigos diversos.
1.1.4.3.1 - Combustíveis e Lubrificantes
Materiais estocados para ser utilizados nos automóveis da empresa.
1.1.4.3.2 - Materiais de Escritório
Materiais estocado para o uso dos escritórios da empresa.
1.1.4.3.3 - Materiais de Alimentação e Limpeza
Materiais estocados para alimentação e limpeza da empresa. 
1.1.4.3.4 - Outros Materiais
Outros materiais que a empresa estoca sem relação de venda ou os materiais anteriores.
1.1.5 - Despesas Antecipadas
São aquelas pagas ou devidas com antecedência, mas referindo-se a períodos de competência subsequentes.
1.1.5.1 - Despesas Do Exercício Seguinte
Representam despesas pagas antecipadamente que afetarão o resultado dos exercícios seguintes, portanto não serão convertidas em caixa e não poderão ser utilizadas para pagamento de dívidas.
1.1.5.1.1 - Encargos Financeiros a Apropriar
Os honorários financeiros incluem não só os custos com juros, mas todos os custos incrementais (e receitas) decorrentes da operação de financiamento, como honorários e comissões, todos os prêmios recebidos, custos com intermediários financeiros, com consultores financeiros, com a preparação de projetos, auditores.
1.1.5.1.2 - Assinaturas e Anuidades a Apropriar
São títulos por assinatura que a empresa compra por “x” meses ou um ano, seja de jornais, revistas, TV a cabo, etc.
1.1.5.1.3 - Prêmios de Seguros a Apropriar
Quando a empresa celebra um contrato de seguro, a seguradora obriga-se juntamente com o segurado, após o pagamento do prémio do seguro, a indenizá-lo pelos danos resultantes dos riscos futuros especificados no contrato.
1.1.5.1.4 - Aluguéis pagos antecipadamente
Aluguéis pagos antes do prazo, mas referindo-se a períodos de competência subsequentes.
1.2 - Não - Circulante (+ de 12 meses, a contar do Balanço Patrimonial)
Todos os ativos utilizados nos negócios da empresa, desde que por um período superior a 12 meses os ativos não possam ser facilmente convertidos imediatamente em unidades monetárias.
1.2.1 - Realizável A Longo Prazo
Aquele que só se tornará líquido em mais de um ano: ou seja, ativos que já podem ser previstos em orçamentos e planejamentos financeiros, mas que ainda não entraram em circulação.
1.2.1.1 - Créditos de Longo Prazo 
Os financiamentos de longo prazo podem ser caracterizados como dívidas com vencimento superior a um ano. É obtido de uma instituição financeira como um empréstimo a prazo ou por meio da venda de títulos negociáveis ​​que são vendidos a vários credores institucionais e individuais.
1.2.1.2 - Investimentos de Longo Prazo
São investimentos sem prazo de vencimento ou com duração de pelo menos 5 anos. Essa é a principal opção para quem deseja alcançar um objetivo em um futuro mais distante.
			
1.2.2 - Investimentos
São gastos com o objetivo de aumentar a receita no médio ou longo prazo ou melhorar a imagem da organização. Em outras palavras, ações realizadas com a intenção de obter um retorno positivo.
1.2.2.1 - Participações Permanentes em Sociedades
Significam os valores utilizados na aquisição de ações e outros títulos patrimoniais com a intenção de detê-los permanentemente, seja para fins de controle de uma empresa ou interesse econômico.
1.2.2.2 - Outros Investimentos
Outros tipos de investimento que não são citados acima.
1.2.2.2.1 - Obras de Arte
Os gestores de fundos compram e vendem ativos, no caso obras de arte, com a intenção de obter lucro. A participação em um fundo de arte permite que os investidores possuam porções fracionárias de valiosas obras de arte.
1.2.2.2.2 - Imóveis p/ Renda 
O objetivo é adquirir o imóvel e vendê-lo por um preço mais alto no futuro, quando ele se valorizar. Com esse investimento, você também precisa levar em consideração os custos com impostos, cartórios, corretagem imobiliária, manutenção do imóvel, entre outras despesas que podem reduzir a rentabilidade final.
1.2.3 - Imobilizado
É aquele que não pode ser liquidado, pois possui função de constituição física imutável.
1.2.3.1 - Bens Corpóreos/Tangíveis
São bens que possuem existência material, perceptíveis pelos nossos sentidos.
1.2.3.1.1 - Terrenos
 Terrenos de uso da empresa.
1.2.3.1.2 - Veículos
São os carros, motos, camionetes, caminhões, etc. Que são usados para o desenvolvimento da companhia, seja para entrega de produtos, deslocamento dos funcionários e para qualquer outra atividade da empresa.
1.2.3.1.3 - Edificações
São construções de uma forma geral, como por exemplo, casas, prédios, viadutos e indústrias. É uma forma genérica de se referir às construções.
1.2.3.1.4 - Móveis, Utensílios e Instalações
São os móveis e utensílios usados na companhia.
1.2.3.1.5 - Máquinas e Equipamentos
São as máquinas e equipamentos que a empresa usa para desenvolver as suas atividades.
1.2.3.1.6 - Computadores e Periféricos
aquisição de computadores, seus periféricos, denominados "hardware" e programas aplicativos ou aplicativos, também denominados "software", adquiridos externamente ou desenvolvidos internamente.
1.2.3.1.7 - Depreciação Acumulada
Cálculo de quanto tempo um determinado ativo vai durar e o valor das perdas, seja por hora ou por ano.
1.2.4 - Intangível
Este dado intangível é precisamente aquele que não tem existência física.
1.2.4.1 - Bens Incorpóreos
São aqueles que têm uma existência abstrata ou ideal e não podem ser tocados pela pessoa humana.
1.2.4.1.1 - Marcas 
Reconhecimento da identidade da marca, direitos exclusivos de uso, distribuição e produção, reputação da marca, entre outros.
1.2.4.1.2 - Amortização Acumulada
É a perda do valor econômico do capital investido nos 
ativos intangíveis do Ativo, necessário para a manutenção do negócio.
2- Passivo
Todas as obrigações financeiras e dívidas do negócio.
2.1 - Circulante
É aquele que está diretamente relacionado com o funcionamento da empresa.
2.1.1 - Débitos De Funcionamento - Curto Prazo
Significa entrega de bens e outras obrigações resultantes de despesas ou aquisição de bens.
2.1.1.1 - Fornecedores
 Obrigação de pagar os fornecedores.
2.1.1.2 - Impostos a Pagar
Pagamento dos impostos que se referem a saídas de dinheiro pelos gastos e despesas que a empresa teve de fazer.
2.1.1.3 - Encargos Sociais a Pagar
Contribuições de segurança social pagos pelo empregador em benefício indireto do empregado.
2.1.1.4 - Encargos Trabalhistas a Pagar
As obrigações da empresa para com os empregados caracterizam-se como um benefício direto.
2.1.1.4.1 - Salários a Pagar
Pagamento ao trabalhador pelos seus serviços e tempo de trabalho à disposição do empregador.
2.1.1.4.2 - Honorários a Pagar
Remuneração que os advogados recebem pelos serviços que prestam aos clientes, sejam pessoas físicas ou jurídicas.
2.1.1.4.3 - Pró-Labore a Pagar
É a remuneração (semelhante ao salário) dos sócios quetrabalham na empresa e deve ser calculada de 
forma a chegar a uma remuneração justa pelo trabalho dos sócios na empresa.
2.1.1.4.4 - Comissões a Pagar
Um benefício monetário relacionado a uma porcentagem das vendas feitas em um período de tempo predeterminado.
2.1.1.5 - Obrigações Financeiras
Despesas e dívidas, independentemente das datas do seu pagamento ou da sua reincidência.
2.1.1.5.1 - Empréstimos C.P. a Pagar
Refere-se a pagamentos de curto prazo de dívidas com fornecedores. Uma conta a pagar é essencialmente uma nota promissória de curto prazo de uma empresa para outra empresa ou entidade.
2.1.1.5.2 - Duplicatas Descontadas
 Cartas de crédito ou promessas de aceitação de contratos assinados que a empresa utiliza como garantia para obter um empréstimo bancário.
2.1.1.6 - Obrigações C/ Participações
Obrigações do sócio participante ou sócio oculto de contribuir com capital, bens ou serviços em antecipação a um resultado positivo para a participação nos lucros.
2.1.1.7 - Obrigações Provisionadas
 Obrigações que tem probabilidade de ocorrer.
2.1.1.7.1 - Dividendos Propostos
É o valor que será distribuído aos sócios da empresa, pelos lucros.
2.1.1.7.2 - Gratificações e Participações a Empregados
Na forma de reconhecimento ou premiação por serviços prestados pelo empregado ou como recompensa por serviços prestados à empresa.
2.1.1.7.3 - Gratificações e Participações a Administradores
As gratificações e participações no resultado pagas a diretores e administradores, embora sejam uma forma de remuneração variável.
2.1.1.7.4 - Provisão p/ Férias
Estimativa de gastos com as férias dos empregados.
2.1.1.7.5 - Provisão p/ 13º Salário
Forma de preparar, fazer previsão, do que a empresa tem que pagar com férias e 13° salário.
	
2.1.1.7.6 - Provisão p/ Enc. Sociais s/ Férias/13. Salário
Contribuições previdenciárias pagas pelo empregador para benefício indireto do empregado. 
2.1.1.8 - Outras Obrigações
Obrigações que não se encaixam nos outros grupos anteriormente citados.
2.1.1.8.1 - Adiantamentos de Clientes
Recebimentos antecipados por clientes em decorrência da produção de bens ou prestação de serviços futuros.
2.1.1.8.2 - Arrendamento Merc. Operacional a Pagar
Este tipo de contrato não transfere todos os riscos associados à propriedade do determinado ativo. Além disso, o arrendatário não planeja adquirir o ativo ao final do arrendamento. Após o término do contrato, ele deverá devolver a coisa ao locador, enquanto manterá o pagamento mensal pelo período especificado no contrato.
2.1.1.8.3 - Aluguéis a Pagar
Pagamento após o fim de uso ou mensal de um imóvel, sem o objetivo de mantê-lo.
2.2 - Não - Circulante 
As responsabilidades de longo prazo são a soma de todas as responsabilidades que a empresa se comprometeu a assumir perante os seus credores e que têm maturidade de longo prazo.
2.2.1 - Débitos De Funcionamento - Longo Prazo
Referem-se à entrega de bens e outras obrigações decorrentes da despesa ou aquisição de bens, a longo prazo.
2.2.1.1 - Obrigações Financiamento de Longo Prazo
Prazos de até vinte anos. Quando um empréstimo de longo prazo está a um ano do vencimento, a contabilidade transfere a transação de longo prazo para um passivo circulante porque nesse ponto ela se tornou um passivo circulante.
2.3 - Patrimônio Líquido
É definido pela diferença entre ativos e passivos que uma empresa possui em um determinado período.
2.3.1 - Capital Social
Todo valor bruto disponibilizado para abrir uma empresa e mantê-la funcionando até que gere lucros.
2.3.1.1 - Capital Social
O valor que os sócios ou acionistas fixam para sua empresa no momento da abertura.
2.3.1.1.1 - Capital Social Subscrito 
Quantia total assumida por cada sócio para abertura da empresa.
2.3.1.1.2 - Capital a Integralizar 
Processo de incorporar o valor que foi assumido, mas que ainda não foi pago.
2.3.2 - Reservas De Capital
Representa um valor recebido por um negócio que não passa por seu resultado. Não possui nenhuma relação com a entrega de bens e serviços.
2.3.2.1 - Reservas De Capital
Dinheiro extra que algumas companhias possuem.
2.3.2.1.1 - Ágio na Emissão de Ações 
Ação emitida é vendida por um valor superior ao seu valor nominal ou a ela atribuído (no caso de não existir valor nominal), essa diferença é contabilizada em conta separada do capital social, dentro do patrimônio líquido.
2.3.2.1.2 - Produto de Alienação de Partes Beneficiárias e 
Bônus de Subscrição
São valores mobiliários que podem ser alienados, e o produto dessa alienação é contabilizado em reserva de capital específica, exceto se forem emitidos gratuitamente.
2.3.3 - Ajustes De Avaliação Patrimonial
O resultado da avaliação dos ativos em relação ao seu valor justo. 
2.3.3.1 - Ajustes De Avaliação De Ativos e Passivos
Valor justo é o valor pelo qual um ativo pode ser trocado ou um passivo liquidado entre duas partes interessadas e independentes.
2.3.4 - Reservas De Lucros
São as contas de reservas constituídas pela apropriação de lucros da companhia.
2.3.4.1 - Reservas De Lucros
Contas formadas pelos lucros que foram gerados pela empresa, mas que não foram distribuídos aos seus acionistas e sócios. 
2.3.4.1.1 - Reserva Legal
Tem por finalidade suportar eventuais prejuízos ou expandir a empresa.
 
2.3.4.1.2 - Reservas p/ Contingências
Uma conta patrimonial incluída nas demonstrações financeiras, localizada no patrimônio líquido de uma pessoa jurídica.
2.3.4.1.3 - Reservas Estatutárias
Percentual do lucro líquido definido pela própria empresa, com finalidade específica.
2.3.4.1.4 - Reserva para Expansão/Orçamentária
Focado no crescimento da empresa. As ações da empresa definem o valor que irá para essa reserva. O valor não pode afetar o pagamento de dividendos obrigatórios.
2.3.4.1.5 - Reservas de Lucros a Realizar
Correspondem a valores referentes a lucros líquidos que a empresa ainda não auferiu e que serão distribuídos entre os sócios após o recebimento.
2.3.4.1.6 - Reservas de Incentivos Fiscais
A reserva pode ser constituída por isenções ou reduções fiscais previstas como incentivo à implantação ou expansão de negócios. Seus valores não devem compor o lucro operacional do exercício, mas devem ser registrados no patrimônio líquido com notas explicativas.
2.3.4.1.7 - Ações em Tesouraria
Ações detidas pela empresa. É a parcela de ações que as empresas retêm porque nunca foram oferecidas aos investidores ou foram recompradas.
2.3.5 - Prejuízos Acumulados
Representam o saldo negativo de uma empresa que ainda não foi integralmente absorvida pelo lucro, enquanto sua destinação final não está efetivamente determinada.
2.3.5.1 - Prejuízos Acumulados
Representa o prejuízo de um exercício que permanece com o grupo de acionistas até que seja devidamente compensado por 
lucros apurados em exercícios futuros ou amortizados pelos acionistas.
2.3.5.1.1 - Lucros Acumulados
Referem-se ao patrimônio líquido da empresa (PL) após deduzidos os dividendos dos acionistas, cuja 
movimentação depende da demonstração de resultados.
2.3.5.2.2 - Prejuízos Acumulados 
Saldo contábil negativo da empresa antes de este ser assimilado pelo lucro acumulado.
3 e 4 - Contas De Resultado 
São neles que registramos despesas e receitas. Quando representam despesas são chamados de devedores e sempre terão saldo devedor e quando representam receitas são chamados de credores e sempre terão saldo credor.
3- Receitas 
Toda a receita da venda de bens ou prestação de serviços, mas nem toda derivada da venda ou prestação de serviços.
3.1 - Receitas Operacionais
Demonstração de todos os recursos gerados pela empresa em sua atividade principal. Em outras palavras, significa o valor que se recebe pela prestação de serviços ou pela venda de produtos.
3.1.1 - Receita Operacional Bruta
O valor relativo à venda de produtos ou à prestação de serviços registado num determinado período. Ou seja, trata-se da fatura da empresa sem aparência de desconto adicional. A quantia de dinheiro que entra na caixa registradora será, portanto, mostradana quantia bruta de receita.
3.1.1.1 - Vendas De Mercadorias
Custo da Mercadoria Vendida através da baixa dos estoques.
3.1.1.1.1 - Vendas à Vista
Vendas que o valor e pago logo após a compra com o valor integral.
3.1.1.1.2 - Vendas a Prazo
Responsabilidade futura e pode ocorrer em parcelas mensais. O pagamento pode ser feito por cartão de crédito, ordem de pagamento ou outra opção do seu negócio.
3.1.1.1.3 - Vendas a Cartão de Crédito
Um cliente compra um produto com cartão de crédito e o comerciante recebe o pagamento pela transação. O vendedor pode oferecer ao cliente a opção de parcelamento, o que permite que o valor da compra seja pago em parcelas mensais.
3.1.2 - Receita De Serviços
Rendimentos da prestação de serviços comerciais, financeiros, de transportes, de saúde, de comunicação, de armazenagem e de metrologia científica e técnica e outros serviços.
3.1.2.1 - Serviços Prestados
Um contrato em que uma parte se compromete com a outra a fornecer atividade legal, corpórea ou incorpórea, mediante o pagamento de uma taxa.
3.1.2.1.1 - Serviços à Vista
Serviços que o valor é pago logo após a realização, com o valor integral.
3.1.2.1.2 - Serviços a Prazo
Contratos de prestação de serviço não podem ter prazo determinado superior a 4 anos.
3.1.2.1.3 - Serviços a Cartão de Crédito
Um cliente compra um serviço com cartão de crédito e o comerciante recebe o pagamento pela transação. O vendedor pode oferecer ao cliente a opção de parcelamento, o que permite que o valor da compra seja pago em parcelas mensais.
3.1.3 - RCM
Identificar o resultado alcançado com a principal atividade comercial 
3.1.3.1 - Resultado Da Conta Mercadoria
Resultado bruto do exercício de uma empresa comercial.
3.1.3.1.1 - RCM (Lucro Bruto)
Valor total das vendas de mercadorias abatidos dos custos da mercadoria vendida.
3.2 - Receitas Financeiras
Não entram no cálculo do resultado fiscal, pois decorrem de aplicações no mercado financeiro e privatizações, bem como de rolagem e emissão de títulos.
3.2.1 - Resultados Financeiros
Está relacionado ao lucro ou prejuízo existentes entre as atividades não operacionais da organização.
3.2.1.1 - Receitas Financeiras
Direitos que as empresas têm sobre o valor da venda de produtos ou da prestação de serviços
3.2.1.2 - Variações Monetária
A diferença entre o preço de compra e o valor pago devido à valorização ou desvalorização da moeda.
3.3 - Outras Receitas
São aquelas Receitas decorrentes de transações não incluídas nas atividades principais ou acessórias que constituam objeto da empresa.
	
3.3.1 - Receitas C/ Alienação De Ativos Não-Circulantes
Na venda de bens ou direitos incluídos no ativo imobilizado, o impacto do ganho de capital em caso de venda será superior ao valor contábil, o resultado da venda em caso de ganho de capital será adicionado ao ativo imobilizado. O resultado financeiro de uma pessoa jurídica.
3.3.3.1 - Ganhos de Capital
É quando realizamos a venda de um ativo imobilizado e no ato da venda temos o lucro sobre o bem vendido.
 	
4- Deduções, Custos e Despesas
Diferente das despesas, as deduções não representam sacrifícios financeiros para a empresa.
4.1 - Deduções Da Receita Bruta
São receitas de vendas, descontos concedidos nas vendas, impostos que incidem diretamente sobre as vendas como ICMS, ISS etc. E comissão sobre as vendas.
4.1.1 - Deduções De Vendas E Serviços
As deduções de vendas são valores calculados a partir do recebimento bruto de produtos e serviços vendidos pelas empresas. Geralmente são percentuais aplicados sobre a receita bruta, mas também podem ser valores fixos a serem pagos a cada venda realizada.
4.1.1.1 - Deduções De Vendas E Serviços
São as devoluções de vendas, descontos concedidos na Venda, impostos que incidem diretamente sobre a venda.
4.1.1.1.1 - Ajustes a Valor Presente
Comumente usados para manter o valor do dinheiro atualizado ao longo do tempo, sempre levando em 
consideração questões como juros, desvalorização da moeda e inflação.
4.1.1.1.2 - Devoluções de Vendas
Correspondem à anulação de valores registrados como receita bruta no próprio período de apuração. 
4.1.1.1.3 - Quebras e Abatimentos
Um abatimento ou desconto concedido por um vendedor a um cliente, geralmente quando o comprador não cumpre certas condições especificadas, o que reduz o preço dos bens adquiridos. Um desconto por quantidade é um acréscimo determinado pela quantidade ou valor da compra.
4.1.1.1.4 - Descontos Incondicionais ou Comerciais 
Aquele que não depende de nenhuma condição futura específica, por isso mesmo também é chamado de desconto incondicional no mundo dos negócios, portanto, com esse tipo de desconto, o cliente não é obrigado a cumprir nenhuma obrigação de obtê-lo.
4.1.1.1.5 - ICMS s/ Vendas
Esse imposto é cobrado indiretamente, ou seja, seu valor é adicionado ao preço do produto vendido ou do serviço prestado.
4.1.1.1.6 - COFINS s/ Vendas
A Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) é um tributo federal cobrado sobre o faturamento bruto mensal de uma empresa, variando de acordo com a receita de cada empreendimento.
4.1.1.1.7 - PIS s/ Vendas
PIS (Programa de Integracao Social), em síntese, é uma contribuição social, de natureza, pois, evidentemente tributária, incidente sobre a receita bruta da empresa, com fins voltados à seguridade social.
4.1.1.1.8 - ISS
O ISS é um imposto pago por empreendedores que trabalham com prestação de serviços; conforme estabelecido na lei, a alíquota mínima é de 2% e a máxima de 5%.
4.2 - Custos Das Mercadorias e Serviços
Soma de tudo que a empresa gasta para comprar, produzir e estocar seus produtos e mercadorias até que eles sejam comercializados.
4.2.1 - Custos Das Mercadorias 
Indicador que agrupa todos os custos relacionados à produção de um determinado produto.
4.2.1.1 - Custos das Mercadorias Vendidas
Corresponde ao custo que o seu negócio tem na compra de mercadorias para revenda.
4.2.2 - Custos Dos Serviços Prestados
Eles incluem todas as despesas que a empresa tem ao implementar algo para o cliente, isso inclui custos fixos e variáveis.
4.2.2.1 - Custos dos Serviços
Representa o preço pelo qual um serviço deve ser cobrado, de acordo com todos os custos envolvidos na sua execução.
4.3 - Despesas
Gastos que não se identificam com o processo de transformação ou produção dos bens e produtos.  
4.3.1 - Despesas Operacionais
Gastos essenciais para que um negócio consiga operar.
4.3.1.1 - Despesas C/ Vendas
Está relacionado, diretamente, com esforços da empresa em realizar as vendas. 
4.3.1.2 - Despesas C/ Pessoal
Como salário e comissão, são consideradas analíticas, é a informação expressa de forma detalhada, lançamento a lançamento.
4.3.1.3 - Despesas Administrativas
São aquelas que não estão relacionadas diretamente à produção da empresa, ou seja, com o produto/serviço que ela oferece ao cliente final.
4.3.1.4 - Despesas C/ Impostos e Taxas
São valores devidos que se referem a impostos, ou seja, impostos, taxas, contribuições e multas pagos ao governo. Tanto pessoas físicas quanto jurídicas têm obrigações que devem ser cumpridas de acordo com as normas.
4.4 - Despesas Financeiras
São todas aquelas que resultam da obtenção de financiamento ou da propriedade de algum passivo financeiro.
4.4.1 - Resultados Financeiros
Relacionado ao lucro ou prejuízo existentes entre as atividades não operacionais da organização.
4.4.1.1 - Despesas Financeiras
As despesas financeiras são aqueles referentes aos valores de encargos e juros que uma empresa contraiu em empréstimos e financiamentos.
		
4.4.1.2 - Variações Monetárias
As variações monetárias representam receita ou despesa e devem ser contabilizadas pelo regime de competência. Os empréstimos e financiamentos negociados em moeda nacional devem ser atualizados monetariamente com base nos índices especificados nos contratos. No caso dos empréstimos a pagar em moeda estrangeira, estes são retrabalhados com base nas diferenças cambiais entre a data do empréstimo ou do último saldo retrabalhado e adata do balanço.
4.5 - Outras Despesas
Outras despesas correntes são as despesas orçamentais com aquisição de material de consumo, pagamento de ajudas de custo, ajudas de custo, subsídios, subsídio de alimentação, subsídio de transporte, para além de outras despesas da categoria económica “Custos correntes”, que não podem ser classificadas em outras despesas grupos.
4.5.1 - Despesas C/ Alienação De Ativos Não-Circulantes
Inclui despesas empenhadas, mas não efetivamente liquidadas, inscritas em restos a pagar não-processados, consideradas executadas no encerramento do exercício.
4.5.1.1 - Perdas de Capital
Os resultados decorrentes da alienação de ativos classificados nos subgrupos Investimentos, Imobilizado e Intangível do Ativo Não Circulante.
4.6 - Provisões e Participações
4.6.1 - Provisões
Representam expectativas de perdas de ativos ou estimativas de valores a desembolsar que, apesar de financeiramente ainda não efetivadas, derivam de fatos geradores contábeis já ocorridos.
4.6.1.1 - Provisões S/ Lucro Líquido
Terminologia utilizada para definir eventos que Reduzem o Ativo ou aumentam o Passivo, sendo necessários ajustá-los à efetiva realidade patrimonial.
4.6.1.1.1 - Provisão p/ CSLL
Ao final do período de apuração do imposto, a pessoa jurídica tributada pelo regime do lucro real deverá constituir reserva para recolhimento do Imposto de Renda (IRPJ) e da CSLL, inclusive o lucro diferido, do mesmo período.
4.6.1.1.2 - Provisão p/ IRPJ
As pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real devem constituir, ao final de cada exercício contábil, 
reserva para pagamento do imposto de renda devido, apurado no Livro do Lucro Real (e-Lalur).
4.6.2 - Participações
É dado pela soma do passivo exigível com o passivo circulante dividida pelo patrimônio líquido da empresa.
4.6.2.1 - Participações S/ Lucro Líquido
É um tipo de remuneração variável em que os funcionários ganham uma porcentagem calculada de acordo com o lucro líquido da empresa em um período determinado. 
4.6.2.1.1 - Participações de Debêntures
Títulos de capital são títulos que oferecem ao investidor uma participação nos lucros da empresa. Ou seja, para ter acesso a esse tipo de resultado empresarial, os rendimentos são pagos de acordo com as condições estabelecidas no momento da emissão dos títulos.
4.6.2.1.2 - Participações dos Empregados
Participação dos empregados nos lucros da empresa, que direitos tenho? A Participação nos Lucros e Resultados (PLR) é um modelo de bônus em que os empregados terão direito a uma parcela dos lucros gerados pela empresa mediante o cumprimento de metas previamente definidas pelo empregador.
4.6.2.1.3 - Participações aos Administradores
Conselheiros e diretores poderão receber um valor excepcional e contingente, denominado participação nos lucros, limitado a 10% dos lucros do exercício ou à remuneração total dos conselheiros, o que for menor.
4.6.2.1.4 - Participações de Partes Beneficiárias
São títulos negociáveis ​​sem valor nominal e estranhos ao capital social, que conferem ao seu titular um eventual direito de crédito contra a sociedade que consiste numa participação nos lucros anuais.
4.7 - Resultado Do Exercício
É um resumo das receitas e despesas da empresa para o período determinado. Geralmente é usado para analisar o desempenho financeiro anual de uma empresa.
4.7.1 - Resultado Do Exercício
É um relatório contábil que mostra se as operações de uma empresa estão gerando lucro ou prejuízo em relação a um período de tempo específico.
4.7.1.1 - Lucro ou Prejuízo 
Comprar ou vender uma mercadoria pode ser feito com lucro ou prejuízo. Quando o preço de venda é superior ao preço de custo, dizemos que a venda foi realizada com lucro. Quando o preço de venda é inferior ao preço de custo, dizemos que houve prejuízo na operação de venda.
REFERÊNCIAS
· MARION, Carlos, J. Contabilidade Básica. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2018. ISBN 978-85-97-01809-7. Minha Biblioteca.
· PADOVEZE, Luís, C. Manual de Contabilidade Básica - contabilidade introdutória e intermediária.10 ed. São Paulo: Atlas, 2018. ISBN 978-85-970-1008-4. Minha Biblioteca.
· RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade fundamental. 5.ed. São Paulo: Saraiva, 2018. ISBN 978-85-472-2840-8. Minha Biblioteca.
· MARION, Carlos, J. Contabilidade Empresarial, 18. Ed. São Paulo: Atlas, 2018. ISBN 978-85-97-01796-0. Minha Biblioteca.
· IUDÍCIBUS, de, S., MARION, Carlos, J., FARIA, de, A. C. Introdução à Teoria da Contabilidade - Para Graduação, 6.ed. São Paulo: Atlas, 2018. ISBN 978-85-970-1162-3. Minha Biblioteca.
· VICECONTI, Paulo Eduardo Vilchez, Contabilidade básica. 18.ed. São Paulo: Saraiva, 2018. ISBN 978-85-472-2092-1. Minha Biblioteca
· OLIVEIRA, D.D.P.R.D. Teoria geral da Administração: edição compacta, 2.ed. São Paulo: Atlas, 2012. ISBN 978-85-224-7435-6. Minha Biblioteca.
· GRECO, Alvísio Lahorgue. Contabilidade: teoria e prática básicas. 5.ed. São Paulo: Saraiva, 2016. Minha Biblioteca.
image1.png

Mais conteúdos dessa disciplina