Buscar

RELATÓRIO final de extensão universitária de pedagogia

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 13 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 13 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 13 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES EXTENSIONISTAS
ALUNO:
	SIDNEIA PEREIRA DOS SANTOS COELHO
RA:
	20606103899
POLO/UNIDADE:
	AMPLI/PITÁGORAS/ANHANGUERA - EAD
 
CURSO:
	PEDAGOGIA – LICENCIATURA
COMPONENTE CURRICULAR:
	PROJETO DE EXTENSÃO I – PEDAGOGIA
PROGRAMA DE EXTENSÃO:
	TEA e o BULLYING - Enfrentando o Bullying e construindo pontes de Inclusão para pessoas com Espectro Autista (TEA).
FINALIDADE E MOTIVAÇÃO:
	Este projeto de extensão pedagógica “TEA e o Bullying”, com foco na prevenção e no combate a esse tipo de violência contra pessoas com TEA. Através de ações educativas e lúdicas, o projeto busca sensibilizar a comunidade escolar e a sociedade em geral sobre a importância da inclusão respeito à diversidade, criando um ambiente mais acolhedor e seguro para todos.
O projeto está alinhado aos (ODS) da agenda 2030, tem a missão de promover a reflexão crítica e a ação transformadora em prol da Inclusão social, combatendo a exclusão e construindo uma sociedade mais justa e equitativa, de forma coerente e sensibilizadora.
Embasado nas Leis, Lei n° 13.146/2015, Lei Brasileira de Inclusão (LBI), Lei 12.746/2012 (Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno de Espectro Autista) e a Lei 12,257/2016 (Marco Legal da Primeira Infância), Lei 8069/1990 (Artigo 5 ° do Estatuto da criança e Adolescente) tem como objetivo assegurar e promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando à sua inclusão social e cidadania. 
COMPETÊNCIAS:
	I – Dos avanços na área da Políticas Públicas voltadas para o desenvolvimento da primeira infância e das pessoas com TEA e suas famílias;
II – Da melhoria resultante da interação entre Educação, Assistência Social, Saúde, Cultura, Esporte e Lazer.
III – Do impacto das ações do curso na melhoria da Gestão Pública e geração de programas focados na Compliance Inclusivo.
PERFIL DO EGRESSO:
	O perfil do egresso do curso de Pedagogia, idealizado pela IES fruto de um curso de graduação em licenciatura em Pedagogia, assume um papel fundamental na sociedade como profissional da educação. Sua formação abrangente o prepara para atuar em diversos campos da educação, desde a Educação Infantil até o Ensino Médio, passando pela gestão escolar e pela produção de materiais didáticos. A apresentação no Programa de Extensão TEA e o Bullying, busca romper barreiras de conhecimento sobre o tema abordado, compreende a educação como um processo amplo e complexo que vai além da sala de aula, possui conhecimentos em diversas áreas do saber, o que lhe permite trabalhar com diferentes públicos e faixas etárias atua com ética, responsabilidade social e compromisso com a formação de cidadãos conscientes e críticos.
SOFT SKILLS (COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS):
	Comunicação, Empatia e compreensão;
Trabalho em Equipe e Colaboração, Pensamento Crítico e Criatividade;
Responsabilidade e Compromisso, Adaptabilidade e Flexibilidade;
Liderança e Influência Positiva
OBJETIVOS DA APRENDIZAGEM:
	O objetivo de aprendizagem do programa de Extensão em TEA e o Bullying do curso de Pedagogia – Licenciatura visa alcançar a conscientização sobre o TEA e o enfrentamento ao Bullying no ambiente educacional, na comunidade e na sociedade em geral. Sendo um programa com intuito de promover a reflexão crítica e a ação transformadora dentro e fora das escolas, com habilidade e aprimoramento dos conhecimentos multidisciplinares dos egressos.
CONTEÚDOS:
	I - Educação Inclusiva e Valorização da Diversidade;
II – Planejamento, Didática e Avaliação;
III – Garantia de Direitos, Políticas Educacionais e Ensino;
IV – Tecnologias Informativas.
INDICAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS:
	BRASIL. Constituição Federal. Vade Mecum. 20 ed. São Paulo: Saraiva, 2018.
BRASIL, Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Lei/L8069.htm.
BRASIL. Lei n° 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/Lei/L13146.htm.
BRASIL. Decreto n° 7.6412, de novembro de 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Plano Viver sem Limite. Diário Oficial (da) República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2012.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Departamento de Ações programáticas Estratégicas. Linha de Cuidado para Atenção às Pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo e suas Famílias na Rede de Atenção Psicossocial do Sistema Único de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.p.156.
TOMAZELI, Luciene. Educação Inclusiva Aplicada às Deficiências: Visual, Auditiva, Física e Intelectual. São Paulo: Contetus, 2020.
TEIXEIRA, Clarissa Stefani. Educação Fora da Caixa: Tendências Internacionais e á perspectivas sobre a Inovação na Educação: volume 4. São Paulo: Blucher, 2018.
CARVALHO, Marly Monteiro de; JÚNIOR RABECHINI, Roque. Fundamentos em Gestão de Projetos: Construindo Competências para gerenciar projetos, 5 ed. São Paulo: Atlas, 2021.
ALIAS, Gabriela. Diversidade, Currículo Escolar e Projetos Pedagógicos. São Paulo: Cengage Learning Brasil, 2016.
PAULO, Fernanda dos Santos. Concepções de educação: Espaços, Práticas, Metodologias e trabalhadores da Educação não Escolar. Curitiba: Intersaberes.
Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável: [https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/objetivos-de-desarrollo-sostenible/] (https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/objetivos-de-desarrollo-sostenible/).
 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: [https://brasil.un.org/pt-br/sdgs] (https://brasil.un.org/pt-br/sdgs).
Educação para o Desenvolvimento Sustentável: [https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/education/] (https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/education/).
 RELATÓRIO FINAL
I – Introdução
O presente relatório apresenta as atividades desenvolvidas no âmbito do projeto de extensão universitária “TEA e o BULLYING”, realizado no período de ----/----/-------a -----/-----/-------. O projeto, alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 2030, teve como objetivo promover a reflexão crítica e a ação transformadora em prol da inclusão Social, combatendo a exclusão, Bullying e Cyberbullying construindo um convívio escolar, comunidade e sociedade mais justa e equitativa.
O Transtorno do Espectro Autista (TEA) e o bullying se entrelaçam como desafios complexos que exigem ações multifacetadas e o compromisso de toda a sociedade. O Objetivo 10 da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (ODS), que busca reduzir as desigualdades, surge como um norteador fundamental para a construção de um futuro mais justo e inclusivo para pessoas com TEA.
Enfrentar o bullying de forma abrangente e integrada requer:
· Diagnóstico e Intervenção precoce do TEA: O diagnóstico preciso e o acompanhamento adequado desde a infância são essenciais para minimizar os desafios e promover o desenvolvimento das habilidades sociais e emocionais de indivíduos com TEA.
· Treinamento em Habilidades Sociais: Programas individualizados ou em grupo podem auxiliar no desenvolvimento de habilidades de comunicação, interação social e resolução de conflitos, reduzindo o risco de bullying e promovendo a autonomia e a autoestima.
· Conscientização e Sensibilização: Campanhas educativas nas escolas e na comunidade são cruciais para combater o estigma e promover o respeito à neurodiversidade, criando um ambiente mais acolhedor e inclusivo.
· Ambientes Escolares Seguros e Inclusivos: Escolas devem implementar medidas para prevenir e combater o bullying, com profissionais capacitados para identificar situações de risco e intervir de forma eficaz.
· Apoio à Família: Pais e responsáveis precisam estar bem-informados sobre o TEA e o bullying, buscando estratégias para auxiliar seus filhos,criar um ambiente familiar seguro e promover a comunicação aberta e o diálogo.
· Acompanhamento Psicológico Individualizado: O suporte psicológico especializado é fundamental para auxiliar indivíduos com TEA a lidar com os efeitos do bullying, desenvolver mecanismos de enfrentamento, fortalecer a autoestima e promover o bem-estar emocional.
II – Desenvolvimento do Projeto
O Projeto “TEA e o BULLYING” foi estruturado em três etapas, conforme o modelo PDCA (Planejamento, Execução, Verificação e Ação Corretiva):
Etapa 1: Planejamento (P)
1.1. Definição dos Objetivos:
· Exclusão Social: Falta de acesso a Direitos Básicos, Discriminação e Segregação Social etc.
· Impacto na Comunidade: Pobreza, Fome, Falta de Oportunidades, Violência etc.
· Causas do Problema: Fatores socioeconômicos, Políticos, Culturais, Históricos, Contextos Subjetivos Intrínsecos na comunidade local e Sociedade em geral.
1.2. Definição dos Objetivos:
Objetivo Geral: Promover a inclusão Social e Combater a discriminação, construindo uma sociedade mais justa e equitativa.
Objetivos Específicos:
· Mapear os desafios da Inclusão social;
· Identificar as ODS relevantes;
· Analisar Políticas Públicas e iniciativas existentes;
· Propor soluções criativas e inovadoras;
· Sensibilizar e Mobilizar a comunidade;
· Promover a Interdisciplinaridade;
· Contribuir para a cultura de respeito à diversidade.
1.3. Definição das Atividades:
Etapa 1: Mobilização e Planejamento:
· Reunião inicial da equipe;
· Elaboração de Plano de Ação;
· Divulgação do Projeto;
· Captação de recursos.
Etapa 2: Implementação:
· Pesquisa bibliográfica;
· Estudo de caso;
· Dinâmicas e Atividades interativas;
· Produção de materiais digitais informativos.
Etapa 3: Avaliação e Sistematização:
· Coleta de dados;
· Avaliação dos Resultados;
· Sistematização das Experiências;
· Elaboração final;
· Divulgação dos Resultados.
1.4. Definição dos Recursos:
· Humanos: Equipe do projeto, Voluntários, Palestrantes;
· Materiais: Livros, Artigos, Computadores, projetores;
· Financeiros: Recursos próprios da Instituição e parcerias.
1.5. Definição do Cronograma:
· Etapa 1: (Duração)
· Etapa 2: (Duração)
· Etapa 3: (Duração)
Etapa 2: Execução (D)
2.1. implementação das Atividades:
· Reunião inicial da equipe: A equipe do Projeto irá se reunir para definir os papéis e responsabilidades de cada membro, discutir o Plano de Ação e estabelecer um cronograma de atividades.
· Elaboração do Plano de Ação: O plano de ação do projeto será elaborado em conjunto pela equipe, detalhando as atividades a serem realizadas, os recursos necessários, os prazos e os responsáveis.
· Divulgação do Projeto: O projeto será divulgado para a comunidade através de diversos canais, como redes sociais, cartazes, panfletos e palestras.
· Captação de Recursos: A equipe irá buscar recursos financeiros através de parcerias com empresas, Órgãos Públicos e Instituições de Ensino.
· Pesquisa Bibliográfica: Uma extensa pesquisa foi realizada para embasar o projeto e aprofundar o conhecimento sobre a temática do TEA e sobre o Bullying.
· Estudo de Caso: Um estudo aprofundado foi realizado para analisar uma iniciativa de sucesso na promoção da Inclusão social.
· Dinâmicas e Atividade Interativas: Diversas Dinâmicas e Atividade interativas serão realizadas com público-alvo, como debates, rodas de conversa, escuta ativa, oficinas, palestras e campanhas de conscientização.
· Produção de materiais informativos: Serão produzidos diversos materiais informativos sobre a temática, como apresentações em multimídia, vídeos e folhetos descritivos.
2.2. Gerenciamento dos Recursos:
· Os recursos humanos, materiais e financeiros do projeto serão utilizados de forma eficiente e eficaz.
Etapa 3: Verificação (C)
1. Monitoramento e Avaliação:
· Coletar dados sobre o andamento do projeto;
· Avaliar os resultados das atividades;
· Identificar pontos forte e pontos fracos do projeto.
2. Análise dos resultados:
· Comparar os resultados com os objetivos definidos;
· Analisar os fatores que influenciaram os resultados;
· Identificar lições aprendidas.
Etapa 4.: Ação Corretiva (A)
1. Implementação de ações corretivas: 
· Tomar medidas para corrigir os pontos fracos do projeto;
· Aprimorar as atividades do Projeto;
· Ajustar o plano de ação quando necessário.
2. Melhoria contínua:
· Buscar a melhoria contínua do projeto;
· Implementar novas ideias e soluções;
· Adaptar o projeto às novas demandas da comunidade.
LISTA METAS DOS ODS ADERENTES AO SEU PROJETO
	Objetivo 10 da ODS: Busca reduzir as desigualdades dentro e entre outros países a inclusão social, econômica e política de todos. No contexto do TEA e do Bullying, esse objetivo se torna crucial para: 
· Garantir o acesso à educação de qualidade: Assegurar que as crianças e adolescentes com TEA tenham acesso a um ensino inclusivo e de qualidade, com professores capacitados para atender às necessidades.
· Promover a participação na vida social: Criar oportunidades para que pessoas com TEA participem ativamente da vida social, cultural e política, combatendo o estigma e a discriminação.
· Reduzir as desigualdades socioeconômicas: Implementar Política públicas que promovam a inclusão no mercado de trabalho e a geração de renda para pessoas com TEA combatendo a pobreza e a exclusão social.
· Combater o Bullying e a Violência: Fortalecer medidas de prevenção e combate ao bullying e à violência contra pessoas com TEA, promovendo um ambiente seguro e acolhedor para todos.
Objetivo 10.2. Até 2030, emponderar e promover a inclusão social, econômica e política para todos, independentemente idade, gênero, deficiência, raça, etnia, origem, religião, condição econômica ou outra.
Objetivo 10.3. Garantir a igualdade de oportunidades e reduzir as desigualdades de resultados, inclusive por meio da eliminação de leis, políticas e práticas discriminatórias e da promoção de legislação, políticas e ações adequadas a este respeito.
Sensibilização dos alunos sobre a importância dos ODS e da sustentabilidade.
· Desenvolvimento de conhecimentos, habilidades e valores para a tomada de decisões responsáveis.
· Aumento da participação dos alunos em atividades relacionadas à sustentabilidade na escola e na comunidade.
· Fortalecimento da parceria entre a universidade e as escolas públicas.
Sustentabilidade:
· Busca por parcerias com instituições públicas, privadas e da sociedade civil para garantir o financiamento do projeto.
· Elaboração de materiais didáticos de baixo custo e reutilizáveis.
· Capacitação de professores para que possam replicar as atividades em outras escolas.
LOCAL DE REALIZAÇÃO DA ATIVIDADE EXTENSIONISTA:
	EMEF DEPUTADO ROGÊ FERREIRA
DURANTE A AÇÃO:
	Serão realizadas em 3 etapas:
 1 - Mobilização e planejamento,
 2 – Implementação, 
 3 – Avaliação e sistematização. O projeto busca-se tornar sustentável através da captação de recursos de diferentes fontes, como parcerias nas instituições públicas e privadas, realização de eventos beneficentes para a comunidade.
CASO NECESSÁRIO, HOUVE MUDANÇA DE ESTRATÉGIA PARA ALCANÇAR O RESULTADO:
	Planejar uma nova abordagem, enfatizando a importância de compartilhar conhecimentos e experiências com corpo docente da UE. Segundo o levantamento realizado pelo site Terra um representante do MEC no Brasil, cerca de 94% dos professores regentes não têm formação continuada sobre Educação Especial – modalidade da Educação Básica, em uma perspectiva inclusiva, que tem como público pessoas com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação. O dado é referente a 2022, na série histórica desde 2012, é ao ano com melhor índice. 
Na região Sudeste:
· Total de professores no Estado: 535.979
· Total de professores em todo Brasil: 2.355.597
· Professores Regentes: 529.752 (Brasil: 2.315.616), com formação continuada em Educação Especial: 3,6% (Brasil: 5,8%)
· Professores do AEE: 7.113 (Brasil: 51.360), com formação continuada em Educação Especial: 32,9% (Brasil: 44,3%).
Os professores de AEE representam cerca de 1% do total deprofessores na rede de Educação Básica, incluindo a pública e privada. Para Suely Carneiro, conselheira do CNE, o ideal seria que existisse ao menos um profissional de AEE em cada escola. Mas, na realidade, é como se tivesse um professor do tipo para atender cerca de três escolas com matrículas da Educação Especial. Quando o assunto é investimento no atendimento educacional especializado, tanto na formação de professores, esses recursos que promovem acessibilidade também são chamados de “Tecnologia Assistiva”. O termo passou a ser usado no Brasil em 2007, segundo explica o professor Teófilo Alves, que ajudou a implantar o primeiro curso de graduação do País em Engenharia de Tecnologia Assistiva e Acessibilidade, na UFRB. 
Segundo ele, qualquer recurso, feito até a mão, pode ser uma tecnologia assistiva, desde que cumpra a função de ajudar os estudantes a romperem barreiras, no caso de um aluno com dificuldades de coordenação motora. Esses momentos também possibilitam entender como a atuação do professor do AEE impacta na escola, seja pela eliminação de barreiras ou pela observação de como ocorre a articulação do trabalho com o professor da sala regular, com foco na aprendizagem. 
As formações podem contribuir para a mudança de conceitos, o que inclui o combate ao capacitismo, uma vez que oferecem conhecimentos que auxiliam também o docente regente a incluir esse estudante em todas as situações de ensino e aprendizagem. Os dois juntos, professores regentes e do AEE com apoio da coordenação pedagógica, vão observar quais barreiras impedem esse aluno de aprender, e cada um fará sua parte para que elas sejam eliminadas, é um processo difícil, mas os resultados surgirão positivamente.
RESULTADO DA AÇÃO:
	O projeto busca obter resultados positivos, impactando significativamente no ambiente escolar e na comunidade local, com a transmissão de conhecimentos sobre TEA e Bullying, na melhoria da empatia na relação entre alunos, do empoderamento dos alunos com TEA e a sensibilização da comunidade escolar.
CONCLUSÃO:
	Através da união de esforços e da implementação de políticas públicas eficazes, podemos construir um futuro em que o TEA não seja um obstáculo para o desenvolvimento pleno e a participação social de indivíduos com essa condição. 
O Objetivo 10 da ODS nos convida a construir uma sociedade mais justa, inclusiva e acolhedora para todos.
•A neurodiversidade é uma riqueza, e o respeito às diferenças é fundamental para a construção de uma sociedade mais justa e inclusiva.
•O bullying é um problema sério que precisa ser combatido com ações conjuntas e permanentes.
•Juntos, podemos construir um futuro em que todos tenham as mesmas oportunidades e possam viver com dignidade e respeito.
DEPOIMENTOS SE HOUVER:
	
 
RELATE SUA PERCEPÇÃO DAS AÇÕES EXTENSIONISTAS REALIZADAS NO PROGRAMA DESENVOLVIDO:
	O projeto de extensão pedagógica sobre TEA e o bullying demostra o poder da educação para promover a inclusão, o respeito à diversidade e o combate à violência. Através do conhecimento, da sensibilização e da ação conjunta, é possível construir um ambiente escolar mais justo, acolhedor e seguro para todos os alunos, professores, membros da equipe escolar e comunidade, onde as diferenças sejam valorizadas e o Bullying não tenha lugar.
DEPOIMENTO DA INSTITUIÇÃO PARTICIPANTE:
	
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
	BRASIL. Constituição Federal. Vade Mecum. 20 ed. São Paulo: Saraiva, 2018.
BRASIL, Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Lei/L8069.htm.
BRASIL. Lei n° 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/Lei/L13146.htm.
BRASIL. Decreto n° 7.6412, de novembro de 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Plano Viver sem Limite. Diário Oficial (da) República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 2012.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à saúde. Departamento de Ações programáticas Estratégicas. Linha de Cuidado para Atenção às Pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo e suas Famílias na Rede de Atenção Psicossocial do Sistema Único de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.p.156
.
TOMAZELI, Luciene. Educação Inclusiva Aplicada às Deficiências: Visual, Auditiva, Física e Intelectual. São Paulo: Contetus, 2020.
TEIXEIRA, Clarissa Stefani. Educação Fora da Caixa: Tendências Internacionais e á perspectivas sobre a Inovação na Educação: volume 4. São Paulo: Blucher, 2018.
CARVALHO, Marly Monteiro de; JÚNIOR RABECHINI, Roque. Fundamentos em Gestão de Projetos: Construindo Competências para gerenciar projetos, 5 ed. São Paulo: Atlas, 2021.
ALIAS, Gabriela. Diversidade, Currículo Escolar e Projetos Pedagógicos. São Paulo: Cengage Learning Brasil, 2016.
PAULO, Fernanda dos Santos. Concepções de educação: Espaços, Práticas, Metodologias e trabalhadores da Educação não Escolar. Curitiba: Intersaberes.
LOPES NETO, A.A. (2005). Bullying- comportamento agressivo entre os estudantes. Jornal de Pediatra, Rio de Janeiro. 81. novembro, (5 supl.) -164-172.
NETO LOPES, Aramis Antônio. Bullying: saber identificar e como prevenir. São Paulo: Brasiliense, 2011.
FANTE, C.A.Z. (2002). O fenômeno bullying e as suas consequências psicológicas. http://fernandocaiuby.com.br/cms_elvira_files/files/Bullying.pd. Acesso em 18/08/2017. http://www.conteudojuridico.com.br/artigo,programa-de-combate-ao-bullying-a-lei-no1318515,54723.html. Acesso em 18/08/2017.
CAPUCHO, V. A. C, MARINHO, G, C, Cyberbullying: uma nova modalidade de violência escolar. Construir notícias. Recife, ano.7, n.40, p.14-18, maio-jun. 2008.
ANDRADE, Maria Clara. ARAÚJO Beatriz. Fonte: Levantamento organizado pela reportagem do Terra a partir de dados do MEC/Inep disponibilizados na plataforma Diversa, do Instituto Rodrigo Mendes. Dados referentes à 2022.
Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável: [https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/objetivos-de-desarrollo-sostenible/] (https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/objetivos-de-desarrollo-sostenible/).
Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: [https://brasil.un.org/pt-br/sdgs] (https://brasil.un.org/pt-br/sdgs).
Educação para o Desenvolvimento Sustentável: [https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/education/] (https://www.un.org/sustainabledevelopment/es/education/).

Mais conteúdos dessa disciplina