A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Resumo de Olfato e Gustação - fonte Purves - Biofísica

Pré-visualização | Página 3 de 4

como 
por um número de caminhos centrais que transmitem e processam a informação gustatória. 
- As células gustatórias (os receptores periféricos) são encontradas em botões gustatórios 
distribuídos na superfície dorsal da língua, no palato mole, na faringe e na parte superior do 
esôfago. Essas células estabelecem sinapses sobre axônios primários. 
- Os axônios centrais desses neurônios sensoriais primário nos seus respectivos gânglios 
nervosos craniais projetam-se no núcleo gustatório do complexo tracto solitário. 
• A distribuição desses nervos cranianos e seus ramos na cavidade oral está topograficamente 
representada ao longo do eixo rostrocaudal da porção rostral do núcleo gustatório; 
- As terminações do nervo facial estão mais rostrais, as do glossofaríngeo, mais intermediárias, 
e as do nervo vago, mais caudais no núcleo. A integração do gosto e da informação sensorial 
visceral é presumidamente facilitada por esse arranjo. 
- Vago inerva a epiglote, 
-Glossofaríngeo parte posterior da língua 
-O facial inerva a parte anterior da língua 
Esses 3 nervos vão se dirigir para o bulbo onde vão encontrar o neurônio de 2ª ordem. 
• Os interneurônios que conectam as regiões rostral e caudal do núcleo representam a 
primeira interação entre os estímulos gustatórios e viscerais. E esse circuito pode ser 
considerado como um membro sensorial de um arco reflexo gustativo/visceral. Essa relação de 
proximidade entre a informação gustatório e a visceral faz sentido, considerando-se que o 
animal precisa reconhecer com rapidez se o que ele está comendo pode fazê-lo adoecer, para 
responder de acordo. 
A percepção gustatória em humanos 
• O sistema gustatório codifica a informação sobre a quantidade, bem como a identidade dos 
estímulos. A maioria dos estímulos gustatórios é construída de moléculas não voláteis e 
hidrofólicas solúveis na saliva. 
• Em geral, a intensidade do gosto percebida é diretamente proporcional à concentração do 
estimulo gustatório. Os limiares de concentração para a maioria dos estímulos gustatórios são 
bem altos. 
- Como o corpo requer concentrações elevadas de sal e carboidratos, as células gustatórias 
respondem apenas a concentrações relativamente altas dessas substâncias, de modo a 
promover uma adequada ingestão. 
- Para substâncias potencialmente perigosas: o limiar de concentração para tais estímulos 
gustatórios é relativamente baixo. 
• Estímulos gustatórios são detectados em toda a superfície lingual em especializações 
receptoras denominadas papilas gustatórias, que são protuberâncias cercadas por 
invaginações locais do epitélio lingual que formam trincheira ou vala, para concentrar as 
moléculas estimulantes gustatórias. 
{ A língua tem as papilas, que tem botões -> os botões tem células receptoras.} 
- Os botões gustatórios, os sítios para as células receptoras gustatórias, estão distribuídos ao 
longo da superfície lateral das protuberâncias papilares, bem como das paredes das 
trincheiras. { No botão, várias células gustativas que apresentam microvilosidades e células 
basais tem ciclo bem grande de morte e criação de novas células dentro do dele. A célula 
gustativa não é um neurônio. Ela capta o estímulo e faz uma sinapse com o neurônio}. 
- 3 tipos de papilas: 
_ Fungiformes: 25% dos botões gustatórios 
_Circunvaladas – 50% 
_ Foliadas: 25% 
- As papilas fungiformes são encontradas apenas nos dois terços anteriores da língua; a mais 
alta densidade está na ponta. 
- Os estímulos químicos sobre a língua estimulam primeiro os receptores das papilas 
fungiformes e ,então, os receptores das papilas foliadas e circunvaladas; somente depois são 
estimulados os botões gustatórios espalhados na faringe, na laringe e no esôfago superior. 
 
 
 
 
 
 
• Cinco tipos de estímulos: salgado, azedo (ácido), doce, amargo e umami (glutamato de sódio 
ou outros aminoácidos) 
- Gosto salgado deve-se principalmente ao NaCl, que é necessário para o equilibro eletrolítico; 
aminoácidos são necessários para a síntese para a síntese proteica; açúcares , como a glicose, 
são necessários para a energia; gostos azedos, associados a acidez e , portanto, prótons (H+) 
indicam a palatabilidade de vários alimentos (o ácido cítrico nas laranjas); moléculas que 
provocam gosto amargo, incluindo alcaloides das plantas indicam alimentos que podem ser 
venenosos. 
- Toda língua é capaz de sentir o amargo, azedo/ácido, doce e salgado, porem, regiões 
especificas sentem um estímulo mais intenso com menos estimulantes. 
- Embora todos esses gostos possam ser detectados em toda a superfície da língua, diferentes 
regiões apresentam diferentes limiares aos vários gostos. 
- A ponta da língua é mais responsiva a substancias que causam sensações de doce, umami e 
salgado, os quais produzem sensações prazerosas em concentrações um tanto elevadas. 
Portanto, gostos provocados nessa região ativam comportamentos alimentares como 
movimento da boca, salivação, liberação de insulina e deglutição. 
- A ingestão de alimentos ricos em carboidratos e aminoácidos é benéfica (moderadamente) e, 
portanto, não é surpresa que a maioria das regiões da língua sejam sensíveis a esses estímulos, 
facilitando a ingestão desses alimentos. 
- A sensibilidade aos gostos azedo e amargo é mais baixa na ponta da língua, mais elevada nos 
lados e na parede posterior. A ativação da região posterior da língua, por substâncias de gosto 
amargo, provoca protrusão da língua e outras reações protetoras que dificultam a ingestão. 
- Cada um dos cinco gostos primários representados na superfície da língua corresponde a 
classes diferentes de receptores proteicos expressos em conjuntos de células gustatórias. 
Portanto, as categorias da percepção gustatória e suas representações nos botões gustatórios 
estão intimamente ligadas à biologia molecular da transdução gustatória. 
- O mapeamento das respostas em indivíduos humanos normais mostra que cada um desses 
gostos provoca atividade focal no córtex gustatório, sugerindo que a informação sobre cada 
categoria permanece um tanto isolada em todo o sistema gustatório. 
Botões gustatórios,células gustatórias, receptores e transdução de sinal. 
• A transdução inicial e a codificação da informação gustatória ocorre nos botões gustatórios 
distribuídos pela cavidade oral e pela parte superior do canal alimentar nos humanos. 
Consistem em receptores celulares neuroepiteliais especializados denominados células 
gustatórias, algumas células de suporte e algumas poucas células basais. Encontrados 
principalmente nas papilas gustatórias pela superfície da língua. 
• Como os neurônios receptores olfativos, as células gustatórias tem um tempo de vida em 
torno de duas semanas. Elas aparentemente são regeneradas partir das células basais, as quais 
constituem uma população local de células-tronco que são mantidas na língua madura. 
• Apenas a célula gustatória é especializada para transdução sensorial, e sua estrutura básica e 
sua função são uniformes em todas as classes de papilas e botões gustatórios. 
• A transdução quimiossensorial é iniciada no domínio apical dessas células, e os sinais 
elétricos, vias potenciais gerados em receptores específicos (bem como a secreção de 
neurotransmissores), ocorrem no domínio basal. Os neurotransmissores liberados nas células 
gustatórias permanecem incertos, mas acredita-se que incluem serotonina e ATP. 
• Os gostos salgados e azedos são provocados por estímulos iônicos, como os íons carregados 
positivamente em sais (como o Na+ do NaCl) ou o H+ em ácidos. Portanto, os íons nas 
substâncias salinas e ácidas iniciam a transdução sensorial por meio de canais iônicos 
específicos. 
- Provavelmente um canal de Na+ sensível à amilorida, no caso do gosto salgado. 
- No caso do azedo, um canal catiônico não especifico permeável ao H+, membro da família de 
canais receptores de potencial transitório (TRP). 
- O potencial no receptor gerado pela