A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
142 pág.
apostilaAdministracao2013v3

Pré-visualização | Página 10 de 36

b) Indiretos: são aqueles onde se faz necessário qualquer fator de rateio para a 
apropriação. Uso de estimativas. Ex.: ferramentas, trabalhos de apoio, instalações 
auxiliares, administração e manutenção da obra, entre outros. 
c) A tabela 3 mostra alguns exemplos de custos diretos e indiretos. 
Tabela 3: Custos Diretos e Indiretos com relação a um empreendimento. 
Custos Diretos Custos Indiretos ou diretos Custos Indiretos 
Mão-de-obra direta Alguns custos podem ser 
lançados como diretos ou 
indiretos, de acordo com a 
preferência e com as 
informações de que se 
dispõe; Ex.: 
Água Honorários 
Matéria-prima Aluguéis Impressos gráficos 
Aluguel de equipamentos Assistência médica IPTU 
Marketing Combustíveis e 
lubrificantes 
Juros 
Controle tecnológico Vale transporte Conservação e limpeza Livros, jornais e revistas 
Vigilância Refeições na obra Correção monetária Luz 
Almoxarife Equipamentos Correio Manutenção de 
equipamentos 
Taxas e documentações 
(algumas) 
Engenheiro responsável Cursos e treinamento Manutenção de veículos 
Engenheiro responsável 
(só pelo empreendimento 
sendo orçado) 
 Despesas bancárias Material de expediente 
Mestre de obra Despesas de viagem Material de limpeza 
Projetos Donativos e contribuições Multas 
Terrenos Encargos financeiros Pessoal de escritório e 
encargos sociais 
Legalizações Promoções e brindes Engenheiro responsável 
(por todas as obras da 
empresa, por exemplo) 
Demolições Pró-labore SINDUSCON 
ECV 5307 - Administração da construção 
Profa Cristine N. Mutti – UFSC – atualização 2013 
 
 34
 Seguros Taxas/anuidades 
 Impostos Telefones 
 
Como se pode observar, os custos diretos são de fácil determinação e contabilização, enquanto 
que com os custos indiretos ocorre o contrário. Para alocar estes custos indiretos (despesas 
administrativas, etc.) à obra, foi criado o BDI (Benefícios e Despesas Indiretas) que tenta 
através de equações matemáticas encontrar um índice que multiplicado pelo custo direto, 
fornece o preço de venda do imóvel já embutido o lucro desejado. 
2.13 Composição de preços e custos3 
Os preços e custos na construção civil, via de regra, são orçados por serviço e determinados 
segundo a produção de acordo com as composições unitárias. Estas composições, conforme 
os serviços, têm por unidade: m, m2, m3, homens-hora despendidos na execução do serviço, 
horas de máquina, etc. 
2.13.1 Composições de preços3 
Na construção civil, o preço é formado pelos custos diretos da execução, multiplicado por um 
índice, o IBDI (índice de Benefícios e Despesas indiretas), o qual engloba os custos indiretos 
associados a cada serviço (ou aos serviços da empresa). 
 
PREÇO = CD X IBDI 
 
2.13.2 Composição de custos unitários3 
O custo de cada serviço é composto segundo a quantificação e os custos da mão de obra, dos 
insumos, dos equipamentos e dos encargos sociais necessários à sua realização: 
CD = ∑ {MO + MT + EQ + ES} 
Onde: 
MO: valor representativo da mão de obra; 
MT: valor representativo dos insumos; 
EQ: valor representativo dos equipamentos; 
ES: valor representativo dos encargos sociais. 
Estes quantitativos são multiplicados por composições unitárias de serviços para a execução 
destes serviços. A soma dos produtos dos quantitativos por suas composições unitárias resulta 
no custo total do projeto. 
Assim, para a realização do orçamento, é necessário considerar: o quantitativo dos serviços, a 
composição unitária, o preço dos insumos e os encargos sociais (ou leis sociais). 
Para a definição dos custos unitários de produção, é necessário conhecer a produtividade da 
mão de obra e dos equipamentos, bem como a composição de insumos que compõem o 
serviço a ser realizado. 
Os custos unitários, então, são determinados com relação às unidades de serviço (m, m2, 
hectare, pontos elétricos, horas de mão de obra ou equipamentos, etc.). 
ECV 5307 - Administração da construção 
Profa Cristine N. Mutti – UFSC – atualização 2013 
 
 35
A composição de custo unitário geralmente tem os seguintes componentes: 
a) Consumo, índice, ou coeficiente de aplicação de materiais; 
b) índice ou coeficiente de produção ou aplicação de mão de obra; 
c) índice de aplicação de equipamentos com o seu custo horário; 
d) custos unitários de materiais; 
e) custos unitários de mão de obra; 
f) índice de encargos sociais; 
g) Índice de benefícios e despesas indiretas (BDI). 
 
2.13.2.1 Custos unitários de serviços3 
Os custos unitários podem ser relativos à produção (específicos para determinados serviços) 
calculados de acordo com as composições unitárias, ou ainda, representam valores estimativos 
do metro quadrado de construção (figura 15). 
Custo da obra
Orçamentos
Custos unitários de produção
Custo da obra
Estimativas ou avaliações
Custo unitário da construção
Composição
unitária
CUB
SINAPI
Custo Unitário Pini
 
Figura 15: Custos unitários de serviços 
Exemplo: 
Determinar o custo unitário do metro cúbico de concreto estrutural (15,0 Mpa) misturado em 
canteiro. 
Tabela 4a: Exemplo. 
Discriminação Coef. Unid. Custo unitário (R$) Custo dos Custo da 
 
 Mat. M. O. materiais M.O. 
Areia 0,62 m3 53,00 ----- 32,86 ----- 
Brita 1 0,26 m3 56,00 ----- 14,56 ----- 
Brita 2 0,62 m3 55,00 ----- 34,10 ----- 
Cimento 6,8 Sc 20,00 ----- 136,00 ----- 
Servente 6,0 h ----- 3,99 ----- 23,94 
Encargos sociais 167,13 % ----- ----- ----- 40,01 
Custo parcial 217,52 63,95 
Custo do serviço 281,47 
 
2.13.2.2 Composição do custo da mão de obra3 
O custo unitário da mão de obra é calculado em função da produtividade do profissional 
envolvido e do custo horário deste profissional. 
ECV 5307 - Administração da construção 
Profa Cristine N. Mutti – UFSC – atualização 2013 
 
 36
Definindo “ρ” como a produtividade da mão de obra e “p” o custo a ser pago pela mão de obra, 
o custo horário da mão de obra é dado por: 
CU (MO) = ρρρρ X pu 
 
O custo total de mão de obra, por sua vez, é função do custo unitário calculado e da quantidade 
de serviço a realizar. 
Então, sendo “S” a quantidade de serviço a ser realizado e CT (MO) o custo total da mão de 
obra conexa a um dado serviço, tem-se: 
CT (MO) = CU (MO) X S 
Produtividade da mão de obra: é recomendável que cada empresa estabeleça, através de 
acompanhamento estatístico, a própria produtividade para cada serviço. Assim, dispondo de 
índices de produtividade próprios, é possível ter sob controle e domínio seu processo 
orçamentário, e assim conseguir que os desvios entre o custo orçado e o custo real sejam 
mínimos. 
Existem referências para a produtividade de serviços, tais como a TCPO (Tabelas para 
composições de preços para orçamentos - Ed. PINI), mas podem ocorrer diferenças 
substanciais entre os índices ali apresentados e os de cada empresa: os índices de 
produtividades podem variar de empresa para empresa, de região para região. 
A produtividade é a razão entre a quantidade de serviço a ser realizado e o número de horas 
necessário para realizá-lo. 
Assim: ρρρρ = (quantidade de serviço) / horas 
Por exemplo: considere que, depois de acompanhada a execução de 300 m2 de reboco, foi 
registrado que o pedreiro demorou 51 horas para efetuar o serviço. 
A produtividade deste pedreiro, então, é de: 
ρρρρ = (300 m2) / 51 horas = 5,88 m2/hora 
Produtividade Variável (TCPO 2003): vários fatores influenciam os consumos que constam 
das composições unitárias. Se conhecermos algumas condições de trabalho e equipe, 
podemos alterar os coeficientes/consumos de forma que os custos fiquem mais próximos do 
real. 
Claro que isto é uma ferramenta de apoio: o melhor é sempre a empresa conhecer a 
produtividade das equipes que trabalham para ela. 
 
 
 
 
 
 
 
ECV 5307 - Administração da construção 
Profa Cristine N. Mutti – UFSC – atualização 2013 
 
 37
 
Tabela 4b: Fatores para a produtividade variável. 
Preenchimento das juntas verticais
Tipo 1: Alvenaria de tijolo cerâmico furado
Pedreiro (Hh/m2)
Mín = 0,51 Med = 0,67 Máx