A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
slides T conj cels MEC alunos

Pré-visualização | Página 1 de 2

*
Tecido conjuntivo
COMPOSIÇÃO:
Matriz extracelular substância fundamental amorfa 
 fibras
 fluido instersticial
 
Células
 Tecido com inúmeros tipos de células separadas por abundante substância intercelular produzida por elas.
 A variedade do tecido conjuntivo decorre da predominância do tipo celular e das características do material intercelular.
*
Tecidos Conjuntivos Propriamente Ditos
Tecidos Conjuntivos Especializados
Cartilagem
Osso
Sangue
Frouxo
Denso
Modelado / Ordenado
Não modelado / Desordenado
Elástico
Reticular
Mucoso
Embrionário / Mesenquimal
Adiposo Unilocular
 Multilocular
Tecido conjuntivo - Variedades
*
Tecido conjuntivo
Funções Gerais:
Sustentação: Células e fibras reticulares. Tecido ósseo e cartilaginoso
Preenchimento: Preenche espaço entre órgãos, forma cápsulas que revestem órgãos
Defesa: Viscosidade da SF (barreira contra a penetração de microrganismos). Células do sistema imune (defesa).
Nutrição de outros tecidos.
Armazenamento de substâncias: lipídeos, água e eletrólitos, proteínas plasmáticas.
Reparação e regeneração: proliferação do conjuntivo adjacente após lesão. 
*
Estrutura do Tecido Conjuntivo
Fibroblastos
Mastócitos
Macrófagos
Adipócitos
Pericitos
Plasmócitos
Neutrófilos
Eosinófilos
Linfócitos
 Células:
Substância Fundamental Amorfa (SFA)
 Proteoglicanas
Glicosaminoglicanas (GAGs)
Glicoproteínas de adesão
Fibras
Colágenas
Elásticas
Reticulares
Fluido Intersticial
Água, íons, pequenas moléculas e proteínas de baixo peso molecular.
Matriz Extracelular:
*
Origem Embrionária: Mesoderma 
Tecido Conjuntivo - Células
*
Células Residentes / fixas 
Células Transitórias 
Tecido Conjuntivo - Células
Se originam no interior do tecido conjuntivo e aí permanecem.
Originam-se, principalmente, da medula óssea e circulam da corrente sanguínea sendo recrutadas para o conjuntivo
*
 Fibroblasto: intensa atividade de síntese
 Fibrócito: metabolicamente quiescentes
Citoplasma abundante, muitos prolongamentos citoplasmáticos irregulares, núcleo vesiculoso, citoplamasma rico em RER e Complexo de Golgi desenvolvido
Menores, aspecto fusiforme, núcleo denso e alongado
Origem: Células mesenquimais indiferenciadas
Raramente sofrem divisão mitótica
Há dois tipos extremos separados por tipos intermediários
Fibroblastos
*
Fibroblastos
Síntese dos componentes da MEC (fibras colágenas, elásticas e reticulares, e as proteoglicanas e glicoproteínas da matriz extracelular);
Funções: 
Envolvidos no crescimento normal, reparo de lesões e nos processos fisiológicos rotineiros de todos os tecidos do corpo;
Podem regredir na escala de diferenciação e depois se transformarem em outro tipo de célula (adipócito, osteoblasto e condrócito);
Miofibroblastos (intermediários entre fibroblastos e células musculares lisas) participam do fechamento dos ferimentos, contraindo as cicatrizes.
Fibroblastos do tecido conjuntivo intramuscular organizam o processo cicatricial no local das células musculares mortas;
*
Pericitos
Derivados de células mesenquimais indiferenciadas;
Podem se diferenciar em células musculares lisas e endoteliais após lesão;
Circundam parcialmente as células endoteliais de capilares e vênulas, compartilhando a lâmina basal;
Por sua contratilidade, ajudam a regular o fluxo sanguíneo desses vasos.
Origem: célula mensenquimal indiferenciada.
Célula diferenciada com função de síntese e armazenamento de gordura (reserva energética).
Adipócitos
*
Mastócitos
São as maiores células fixas, com contorno ovóide, núcleo esférico e central;
Origem: precursores da medula óssea vão para o sangue e penetram no conjuntivo;
Possuem numerosos grânulos metacromáticos, contendo diversas substâncias, dentre elas, histamina e heparina (papel central na alergia).
metacromasia
Concentram-se em torno de vasos sanguíneos
Já que a desgranulação dos mastócitos é um evento localizado, a resposta inflamatória iniciada é suave e sítio-específica.
Entretanto, em pessoas hiperalérgicas, podem ocorrer reações sistêmicas e imediatas (hipersensibilidade imediata).
*
Mastócitos
*
Macrófagos
Originam-se de precursores da medula óssea, tendo o monócito como intermediário (mesma célula em estágios diferentes de desenvolvimento);
Células irregulares, com prolongamentos de vários tamanhos (pinocitose/fagocitose);
Citoplasma basófilo, com muitos vacúolos pequenos e grânulos densos (lisossomas);
Fagocitam corantes vitais (azul de tripan ou tinta nanquim).
Em outros locais, recebem nomes específicos:
 Célula de Kupfer - fígado
 Célula de poeira - pulmão
 Célula de Langerhans - pele
Sistema mononuclear fagocitário (SMF): células com ancestral comum da medula óssea, lisossomas, capacidade fagocitária:
 Macrófagos, monócitos, osteoclastos e micróglia
*
Fagocitam células velhas, danificadas, mortas e cancerosas, elementos anormais da matriz
Defesa: Fagocitam microorganismos e apresentam antígenos, secretam substâncias relacionadas a ativação celular.
Reparo tecidual (colagenase).
Funções: 
Macrófagos
*
Plasmócitos
Originários de precursores da medula óssea, tendo os linfócitos B como intermediários;
São células grandes, ovóides, citoplasma basófilo; 
Núcleo excêntrico, com heterocromatina se irradiando a partir do centro nuclear (roda de carroça);
Abundante RER, C. Golgi desenvolvido;
Produzem anticorpos.
Pouco numerosos no TC, se concentram em áreas de inflamação crônica e sujeitas à contaminação.
*
Linfócitos
Células arredondadas em suspensão e polimórficas no conjuntivo; 
Citoplasma escasso com poucos grânulos azurófilos.
Núcleo redondo, denso, discretamente indentado e que ocupa quase toda a célula; 
 T: responsável pelo sistema imune celular (reconhecem antígenos na superfície da APC)
 T helper: iniciam e mantêm as respostas imunitárias
 T citotóxico: contatam fisicamente e matam células estranhas
 T supressor: reduz resposta a antígenos próprios ou estranhos
 T da memória imunitária
 B: responsável pelo sistema imune humoral (formam os plasmócitos que produzem os anticorpos)
 B da memória imunitária
*
Estrutura:
Constituídas pela proteína colágeno (única proteína que possui quantidade apreciável de hidroxiprolina – 10%);
São estruturas alongadas, com diâmetro variável;
Possuem estriação transversal característica visível na microscopia eletrônica.
MATRIZ EXTRACELULAR
Fibras colágenas
 Proteína Colágeno:
Proteína mais abundante do corpo, produzida por grande variedade de células;
Existem vários tipos, com composição, morfologia e funções diferentes;
A molécula de colágeno (tropocolágeno) possui 3 cadeias polipetídicas enroladas em hélice.
*
Mais de 15 tipos.
- Colágeno tipo I - O mais comum, forma fibras espessas e resistentes à tensão. Derme, tendões, ligamentos, osso, dentina e cemento.
- Colágeno tipo II - Forma fibras delgadas resistentes à pressão. Matriz das cartilagens
- Colágeno tipo III - Forma fibras reticulares, dando estrutura ao baço, fígado, nódulos linfáticos, músculo liso e tecido adiposo.
Colágeno tipo IV - Não forma fibra mas uma rede emaranhada sustentando a lâmina basal.
Colágeno tipo VII - Forma fibrilas muito delgadas, denominadas fibrilas de ancoragem que dão suporte à lâmina basal.
- Colágeno tipo IX – Ligam fibrilas entre si e outros componentes da MEC. Cartilagem hialina.
Tipos de Colágeno:
MATRIZ EXTRACELULAR
*
Biossíntese do Colágeno
Ribossomos produzem as cadeias polipeptídicas com peptídeos de registro que são lançadas no RER;
As cadeias são hidroxiladas e glicosiladas;
As cadeias se alinham de 3 em 3 devido aos peptídeos de registro e vão para o CG;
Após liberação da célula, enzimas (procolágeno peptidases) retiram os peptídeos de registro e as cadeias formam fibrilas.
*
Estrutura:
Muito delicadas e constituídas de colágeno III;
Formam extensa rede em certos órgãos, apoiando as células;
Não formam grandes feixes e podem ficar dispersas na SFA;
Contêm muitos açúcares (PAS+) e têm