A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
slides T conj varied alunos

Pré-visualização | Página 1 de 2

*
Introdução
A classificação dos tecidos conjuntivos reflete o componente predominante ou a organização estrutural do tecido:
Tecidos Conjuntivos Propriamente Ditos
Tecidos Conjuntivos Especializados
Cartilagem
Osso
Sangue
Frouxo
Denso
Modelado / Ordenado
Não modelado / Desordenado
Elástico
Reticular
Mucoso
Embrionário/ Mesenquimal
Adiposo Unilocular
 Multilocular
*
Tecido Conjuntivo Frouxo 
Não há predomínio de nenhum componente;
As células mais comuns são fibroblastos e macrófagos;
Consistência delicada, flexível e pouco resistente às trações;
Apoia e nutre células epiteliais.
Caracterização
Localização
Sob os epitélios;
Em torno de vasos sanguíneos;
Entre fibras e feixes musculares;
Circundando o parênquima das glândulas.
*
Tecido Conjuntivo Frouxo 
Contém muitas células transitórias responsáveis por inflamação, alergia e resposta imunológica;
É o primeiro local onde o organismo ataca antígenos, bactérias ou outros invasores.
Correlação Clínica
Tecido Conjuntivo Denso 
Possui mais fibras (predomínio de fibras colágenas) e menos células;
A orientação e arranjo dos feixes de fibras colágenas tornam o tecido conjuntivo denso menos flexível que o frouxo e mais resistente às trações.
Caracterização
*
Tecido Conjuntivo Denso 
Modelado / Ordenado: 
 ­ feixes de fibras colágenas paralelos entre si;
 ­ resistente a trações exercidas numa só direção;
 ­ encontrado em tendões e ligamentos.
Tipos
Não modelado / Desordenado:
 ­ feixes de fibras colágenas em arranjo aleatório;
 ­ resistente a trações em várias direções;
 ­ encontrado na derme, bainha de nervos, cápsulas do baço, ovários, rins, linfonodos etc.
*
Tecido Conjuntivo Elástico 
Composto por feixes paralelos de fibras elásticas;
Os espaços entre as fibras elásticas é ocupado por fibras colágenas e fibroblastos.
Caracterização
Ligamentos amarelos da coluna vertebral;
Ligamento suspensor do pênis;
Parede de vasos sanguíneos de grande calibre.
Localização
*
Tecido Conjuntivo Reticular 
As fibras colágenas (tipo III) formam redes, mescladas com fibroblastos e macrófagos;
Fibroblastos especializados (células reticulares) ajudam a formar o retículo que sustenta as células livres;
Forma o arcabouço de sustentação de órgãos formadores de células do sangue, etc. 
Caracterização
Sinusóides hepáticos;
Tecido adiposo;
Medula óssea e órgãos hematopoéticos;
Músculo liso.
Localização
*
Tecido Conjuntivo Mucoso 
Consistência gelatinosa;
Predomínio de MEC - substância fundamental amorfa (especialmente ácido hialurônico);
Encontrado no cordão umbilical e na polpa dental jovem;
Poucas fibras colágenas e raras fibras elásticas e reticulares.
Caracterização e Localização
Tecido Conjuntivo Mesenquimal 
Muito semelhante ao tecido conjuntivo mucoso, exceto pelo fato de possuir células pluripotentes;
Abundante substância fundamental amorfa e células em constantes divisões mitóticas.
As células tendem a formar grupos (blastemas) a partir dos quais se originam todos os tecidos conjuntivos, de suporte, musculares e órgãos de origem mesodérmica (ex.: parte do rim e córtex da adrenal)
Caracterização
*
Tecido Conjuntivo Adiposo 
As células adiposas podem ficar isoladas ou em pequenos grupos no tecido conjuntivo comum, embora a maioria se agrupe no tecido adiposo espalhado pelo corpo, e se caracterizam por armazenar gorduras neutras.
Caracterização
*
Armazenamento eficiente de energia utilizada entre as refeições: triglicerídeos fornecem 9,4Kcal/g, contra apenas 4,1kcal/g do glicogênio;
Funções: 
Modela a superfície do corpo, sendo em parte responsável pelas diferenças entre o corpo do homem (15-20% de gordura corporal) e da mulher (20-25% de gordura corporal);
Contribui para o isolamento térmico do organismo (mau condutor de calor);
Formação de coxins absorventes de choques, principalmente na planta dos pés e palmas das mãos;
Preenchem espaços entre outros tecidos, ajudando também a manter certos órgãos em suas posições originais;
Os adipócitos multiloculares são especializados em produzir calor, ajudando na termorregulação.
Tecido Conjuntivo Adiposo 
*
Adipócitos
Armazenam triglicerídeos;
Possuem receptores de membrana para diversos mensageiros químicos (neurogênicos e humorais), o que explica seu metabolismo complexo;
Em casos de necessidade, os lipídeos são primeiro retirados dos depósitos subcutâneo, mesentérico e retroperitoneal; os dos coxins das mãos e pés resistem mais tempo.
*
Formam o tecido adiposo unilocular (cor branca ou amarela), abundante no adulto;
Células grandes, esféricas, mas que se tornam poliédricas quando se reúnem no conjuntivo;
Acumulam gordura continuamente em uma única gotícula (sem membrana) que acaba preenchendo quase todo o citoplasma.
Uniloculares: 
Adipócitos 
Formam panículo adiposo sob a pele
*
Armazenamento (lipogênese) e liberação de gordura (lipólise): 
Histofisiologia do tecido adiposo unilocular
90% triglicerídeos colesterol fosfolipídeos proteínas
*
Formam o tecido adiposo multilocular ou pardo, mais frequente no feto e recém-nascido e animais hibernantes
Células menores e mais poligonais, com núcleo esférico e pigmentos carotenóides;
Acumulam gordura em várias gotículas lipídicas.
Multiloculares: 
Adipócitos 
Produção de calor (hibernantes) e termorregulação (humanos)
*
Tecido conjuntivo especializado de consistência rígida (suporte de peso, que mantém certo grau de flexibilidade;
Cartilagem - Características
Não possui vasos sanguíneos, sendo nutrido pelos capilares do conjuntivo adjacente ou através do líquido sinovial nas cavidades articulares (metabolismo baixo);
Não possui vasos linfáticos e nervos.
Superfície lisa (facilita o deslizamento).
Capacidade de crescimento contínuo, mas, lento.
*
Células: CONDRÓCITOS e CONDROBLASTOS (produção e manutenção da matriz)
Constituição
Fibras: COLÁGENAS (I e II)
 COLÁGENAS + ELÁSTICAS
SFA: GLICOSAMINOGLICANAS
 (condroitinsulfato e queratosulfato)
 PROTEOGLICANAS HIDRATADAS
		 (agrecana)
 
MEC
A consistência firme da cartilagem se deve às ligações eletrostáticas entre as GAGs sulfatadas e o colágeno, e à grande quantidade de moléculas de água presas às GAGs (água de solvatação);
*
Compostos de agrecana preenchem o interstício entre os feixes de fibras colágenas;
as cadeias laterais de GAGs das PGs formam pontes eletrostáticas com o colágeno;
A glicoproteína de adesão condronectina conecta os condrócitos à MEC.
MEC da Cartilagem
100 a 200 moléculas de agregana se ligam não covalentemente ao ácido hialurônico;
Histogênese
Células mesenquimais retraem seus prolongamentos e tornam-se arredondadas;
As células multiplicam-se e formam aglomerados de células com citoplasma basófilo, conhecidas como condroblastos;
Inicia-se a síntese de matriz, afastando os condroblastos uns dos outros e aprisionando-os em lacunas dentro da matriz;
As células aprisionadas (condrócitos) ainda se dividem, formando grupos de 2 ou mais células (grupos isógenos).
*
Suporte de tecidos moles;
Funções Gerais
Revestimento de superfícies articulares para absorção de choques e facilitação de deslizamentos;
Participação na formação e crescimento de ossos longos;
Forma o molde inicial de muitos ossos durante o desenvolvimento embrionário.
Tipos de Cartilagem
HIALINA: delicadas fibrilas de colágeno tipo II na MEC (predomínio de SFA);
ELÁSTICA: poucas fibrilas de colágeno II e muitas fibras elásticas e abundante SFA;
FIBROSA: muitas fibras de colágeno I, algumas fibras colágenas II e SFA escassa.
*
A fresco é branco-azulada e translúcida;
Colágeno tipo II
Cartilagem Hialina
É o tipo mais freqüentemente encontrado no corpo:
 - nariz e laringe
 - extremidades ventrais das costelas
 - anéis da traquéia e brônquios
 - discos epifisários de ossos em
 crescimento (crescimento em extensão)
 - superfícies articulares de articulações
	 móveis
- Forma o 1º esqueleto do embrião
 
*
Cartilagem Hialina - células
Condroblasto: célula jovem, achatada ou elíptica.
Condrócito: