A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
127 pág.
2.1.Aula Celula (1)

Pré-visualização | Página 5 de 5

as vesículas secretoras, que 
migram para a membrana plasmática e com ela se 
fundem descarregando o seu conteúdo no meio 
extracelular, o qual irá compor a matriz da parede celular. 
 
As vesículas derivadas do complexo de Golgi podem ser 
incorporadas à membrana plasmática ou ao 
tonoplasto. Assim, ocorre um processo de reciclagem 
entre as membranas plasmática, do vacúolo e do 
complexo de Golgi. 
Mitocôndrias 
São organelas derivadas de bactérias aeróbicas, que 
estabeleceram relações simbióticas com os ancestrais dos 
eucariotos atuais. São organelas que contêm seu próprio 
genoma e se autoduplicam. 
Célula da bainha Kranz 
de folha de Remirea 
maritima . A parede (P) 
reveste externamente a 
membrana plasmática 
(MP). No citoplasma 
observam-se vários 
cloroplastos (Cl), 
mitocôndrias (Mi) e 
vacúolos (V), além do 
retículo endoplasmático 
(RE), do núcleo (N) e 
do nucléolo (Nc). 
32.000 X. 
Estrutura e composição das mitocôndrias 
São organelas menores que os plastídios, geralmente 
apresentam forma ovalada, alongada ou filiforme, podendo, por 
vezes, ser ramificadas. Em média, têm de 0,5 a l μm de 
diâmetro por 1,0 a 10 μm de comprimento. 
Apresenta dois envoltórios de natureza lipoprotéica: membrana externa e 
membrana interna. Esta última forma as cristas, onde se alojam os complexos 
ATPsintases. A matriz está contida pela membrana interna. 
As mitocôndrias possuem envoltório formado por duas 
membranas lipoprotéicas que delimitam a matriz mitocondrial. 
 
A membrana externa é permeável a uma série de íons e 
contém proteínas especializadas, chamadas de porinas, que 
permitem a passagem livre de várias moléculas. 
 
A membrana interna forma projeções voltadas para a matriz, 
denominadas cristas, que se apresentam como dobramentos 
ou túbulos que ampliam a superfície dessa membrana. 
 
A densidade das cristas, que varia de acordo com a planta 
ou o tecido onde estas se encontram, parece estar 
relacionada com a atividade metabólica da célula. 
A membrana interna é seletiva, permitindo a passagem de 
moléculas como piruvato, ADP e ATP, e restritiva para outras 
moléculas e íons, incluindo prótons de hidrogênio. 
 
Na membrana interna estão presentes os complexos ATP-
sintase e os componentes da cadeia transportadora de 
elétrons. 
 
A matriz contém água, íons, fosfatos, coenzimas e enzimas, 
RNA, DNA e ribossomos para transcrição e tradução de algumas 
proteínas. 
 
As mitocôndrias contêm seu próprio genoma e se autoduplicam. 
 
 
Entretanto, a maioria das proteínas é codificada por genes 
nucleares, e o desenvolvimento dessa organela requer 
uma expressão coordenada dos genomas, semelhante 
aos plastídios. 
Contêm uma ou mais cópias idênticas de moléculas de DNA 
circular similar ao de bactérias, e o número de cópias 
depende do tipo de célula e de seu estádio de diferenciação. 
O número de mitocôndrias nas células pode variar muito, de 
dezenas a centenas. 
 
Em células com elevada atividade metabólica há grande número 
de mitocôndrias. 
 
As mitocôndrias podem fundir-se e dividem-se por fissão 
binária, como as bactérias. 
Função das mitocôndrias 
As mitocôndrias são os sítios da respiração aeróbica 
celular. 
 
Juntamente com os cloroplastos e peroxissomos, têm 
papel importante na fotorrespiração. 
 
Principais reações do Ciclo 
Fotorrespiratório 
2.1 Rubisco; 
2.2 Fosfatase do 
fosfoglicolato; 
2.3 Oxidase do glicolato; 
2.4 Catalase; 
2.5 Glioxilato:glutamato 
aminotransferase; 
2.6 Descarboxilase da 
glicina; 
2.7 Hidroximetiltransferase 
da serina; 
2.8 aminotransferase da 
serina; 
2.9 Redutase do 
hidroxipiruvato; 
2.10 Quinase do glicerato. 
Ribossomos 
Estão presentes no citoplasma celular, podendo ou não estar associados 
ao retículo endoplasmático. 
 
São também encontrados em plastídios e mitocôndrias. 
Estrutura e composição dos ribossomos 
Os ribossomos são pequenas partículas com cerca de 17 a 23 
nm de diâmetro. 
 
Compõem-se de proteína e RNA ribossômico (RNAr) e são 
destituídos de membrana. 
 
Cada ribossomo é formado por duas subunidades produzidas 
no núcleo, que se unem no citoplasma. 
 
A subunidade maior contém três sítios, aos quais os RNAs 
transportadores (RNAt) se acoplam 
 
A subunidade menor tem um local para o RNA mensageiro 
(RNAm) alojar-se. 
 
Podem ser encontrados livres no citossol, associados ao retículo 
endoplasmático ou unidos à membrana nuclear externa. 
 
Em células que apresentam atividade metabólica elevada, os 
ribossomos formam agrupamentos denominados polissomos ou 
polirribossomos. 
 
Os ribossomos das mitocôndrias e dos plastídios são menores 
quando comparados aos presentes no citoplasma da célula. 
Detalhe dos ribossomos (*) do retículo endoplasmático 
rugoso de eucalipto ( Eucalyptus urophylla x E. grandis 
). 
Função dos ribossomos 
Responsáveis pela síntese proteica. 
 
Os ribossomos livres ou associados às membranas são 
idênticos entre si, diferindo apenas nas proteínas que 
estão produzindo em dado momento. 
Retículo Endoplasmático 
Está incluso no citoplasma, próximo à membrana plasmática, permeando 
toda a célula, e também junto ao núcleo. Pode ou não se apresentar 
associado aos ribossomos. 
Retículo endoplasmático (setas) de célula de eucalipto ( Eucalyptus 
urophylla x E. grandis ). 
Retículo endoplasmático rugoso (seta) de 
Gomphrena macrocephalla . 35.385 X. 
Estrutura e composição do retículo 
endoplasmático 
É constituído por uma única membrana lipoprotéica, que se 
dobra formando cisternas (sacos achatados) ou túbulos. 
 
Associado aos ribossomos => denominado retículo 
endoplasmático rugoso (RER) 
 
Retículo endoplasmático liso (REL) => sem ribossomos 
 
O RE mostra, ainda, continuidade à membrana externa do 
núcleo. 
A forma e a quantidade de RE dependem do tipo, função e 
desenvolvimento da célula. 
 
Em células com elevada atividade metabólica, como as 
meristemáticas e as que realizam muita síntese protéica, 
geralmente é bem desenvolvido. 
 
O RE é também responsável pela síntese de proteínas 
para o vacúolo. 
Função do retículo endoplasmático 
- sistema de comunicação dentro da célula, possibilitando a 
distribuição das substâncias. 
 
- Quando é contínuo ao envoltório nuclear, torna-se 
importante via de troca de material entre o núcleo e o 
citoplasma de células adjacentes. 
 
O RER, pela presença dos ribossomos, tem papel importante na 
síntese proteica, e o REL, na síntese lipídica. 
RER  Síntese proteica 
 
REL  Síntese lipídios 
Núcleo 
O núcleo é uma das estruturas mais evidentes na célula 
vegetal, encontrando-se imerso no citoplasma. Dentro dele está 
presente o nucléolo, ou nucléolos. 
 
Por conter a maior parte da informação genética da célula, 
desempenha papel fundamental na organização desta. 
O envoltório nuclear é constituído por duas membranas 
com poros. 
 
O envoltório externo é contínuo com o retículo 
endoplasmático; junto à membrana interna localiza-se a 
lâmina nuclear. 
 
Nos tecidos meristemáticos, durante a prófase, o 
núcleo pode ocupar até 75% do volume celular; já em 
uma célula do parênquima paliçádico diferenciada, 
pode representar apenas 5% do volume total da 
célula. 
Apresenta-se envolvido por duas membranas lipoprotéicas 
denominadas, em conjunto, envoltório nuclear. 
 
As dimensões e o volume ocupados pelo núcleo 
variam de acordo com o estádio de 
desenvolvimento da célula e a fase do ciclo 
celular. 
Exercício: 
 
Estrutura da Célula Vegetal 
11 2 
3 
4 
5