A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Resumo sobre o Assédio Moral

Pré-visualização | Página 3 de 3

casos de 
assédio moral. 
3.2. PROPOSTAS DE PREVENÇÃO PARA A INSTITUIÇÃO 
RECURSOS HUMANOS 
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO 
PSICÓLOGO IVAN VILELA DA SILVA JUNIOR 
 
Os efeitos do assédio moral pode ser devastadores para a Receita Federal do Brasil caso 
não seja feito um processo de conscientização. Os auditores são, de forma direta, os mais 
atingidos pelo assédio moral. Com isso, a Receita Federal perde na imagem e na 
eficiência, com possibilidade de aumento de acidentes e doenças no trabalho, reputação e 
até nas relações com a sociedade, que acaba se tornando a grande vítima. 
A Receita Federal do Brasil tomou conhecimento das denúncias efetuadas pelos 
auditores-fiscais durante o seminário realizado. Por isso, é necessário ter atitudes efetivas, 
coletivas e solidárias para prevenir o assédio moral e preservar os direitos humanos. Entre 
as iniciativas, estão planejamento e organização do trabalho, levando em consideração a 
autodeterminação de cada servidor, possibilitando o exercício de sua responsabilidade 
funcional e profissional, dando a ele diversas atribuições, atividades ou tarefas funcionais, 
assegurando ao auditor a oportunidade de contato com seus superiores e outros 
servidores, ligando tarefas individuais de trabalho e oferecendo treinamentos e 
informações sobre exigência do serviço de acordo com suas atribuições legais, garantindo 
assim, sua dignidade. 
4. CONCLUSÃO 
É fundamental que a Receita Federal do Brasil elabore formas de prevenção do assédio 
moral, pois os auditores-fiscais podem ser vítimas dos sistemas que ditam esse 
comportamento. Esta tese poderá auxiliar na regulamentação da Lei Orgânica do Fisco ou 
Legislação Federal que defina o assédio moral como crime no serviço público. A França foi 
o país pioneiro na implantação da pena para o assédio moral, seguida por Noruega, 
Suécia e Austrália. Portugal, Suíça, Bélgica, Itália, Alemanha, Inglaterra, Japão e Estados 
Unidos já têm projetos de lei em discussão para combatê-lo. No Brasil, a primeira lei contra 
o assédio moral foi implantada em Iracemápolis (SP), em 2001. 
A partir daí, a lei contra o assédio moral já foi instituída em algumas regiões do Brasil, 
como nas cidades de São Paulo, Campinas, Americana, Guarulhos, Cascavel e Natal e 
nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. As penalidades para o autor do assédio vão 
desde advertência, suspensão, multa e até exoneração do servidor. 
No Congresso Nacional tramita uma série de projetos de lei sobre o assédio e a coação 
moral. O mais recente é o PL n° 2.369/03, de autori a do ex-deputado Mauro Passos, 
relatado pelo atual deputado Vicentinho (PT). Foi aprovado pela Comissão de Trabalho, de 
Administração e Serviço Público da Câmara, em 28 de abril de 2005. 
 
Enquanto não existir uma lei específica que institua pena para o assédio moral no serviço 
RECURSOS HUMANOS 
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO 
PSICÓLOGO IVAN VILELA DA SILVA JUNIOR 
 
público federal, busca-se resguardo nos princípios existentes no Regime Jurídico Único do 
funcionalismo Público Federal (Lei 8.112/90 - título IV) principalmente nos artigos 116, 
incisos II, IX, XI; V, XV do 117, e da Constituição Federal, que erigiu o trabalho e a 
dignidade humana como pilares do Estado Democrático de Direito (CF/88, art. 1°, inciso III 
e IV) e, na evolução do fenômeno das decisões dos magistrados nos nossos tribunais. O 
que se objetiva também com essa tese, além de subsidiar parâmetros para a pretendida 
Lei Orgânica dos Auditores-Fiscais da Receita Federal, é fazer valer direitos, aprender a 
reagir e a denunciar, não se manter refém do assédio moral, bem como exigir da 
instituição a garantia do bem-estar físico e mental, empenhando-se em coibir todos os 
excessos. 
Portanto, é necessário que a Receita Federal do Brasil reconheça a importância do tema, 
bem como suas conseqüências, evitando assim, o abuso de poder e possíveis 
manipulações perversas na instituição, onde a transparência, respeito ao outro, dignidade, 
ajuda mútua e companheirismo seja a marca fundamental para o fortalecimento da 
autoridade fiscal e seus benefícios para a sociedade. 
5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
BARROS, Alice Monteiro de, Assédio Moral in Júris Síntese n° 52, mar/abril. 2005, edição 
em CD ROM não paginado 
HIRIGOYEN, Marie France. “Assédio Moral: A violência perversa no cotidiano”. Editora 
Ática: São Paulo, 2003. 
SENGE, Peter M. A Quinta Disciplina (16ª edição), Editora Nova Cultural Ltda: São Paulo, 
2004. 
DIMITRIUS, Jô-Ellan Decifrar Pessoas: Decifrar pessoas, 30ª edição, Editora 
Campus/Elsevier, 2003. 
INTERNET 
www.assediomoral.org.br – www.leiaassediomoral.com.br – www.unafisco.org.br 
Folders 
Seminários sobre Assédio Moral, realizados no ano de 2008 pelas Delegacias Sindicais de 
Campinas em Jundiaí/SP, Bauru/SP, Porto Alegre/RS, Limeira em conjunto com a DS 
Piracicaba/SP e Delegacia Sindical do Rio de Janeiro conjunto com a DS/Niterói. 
DVDs 
“Assédio Moral nas Relações do Trabalho” gravado pelas Delegacias Sindicais do 
Unafisco: Campinas/SP em 29/04/2008, Bauru/SP em 10/06/2008 e Limeira/SP, 
30/06/2008. 
RECURSOS HUMANOS 
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO 
PSICÓLOGO IVAN VILELA DA SILVA JUNIOR 
 
Cartilha Assédio Moral é ilegal e imoral 
Recife: Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Bancários de Pernambuco 
Outubro/2005, tiragem 12 mil exemplares. 
Tribunais Regionais do Trabalho 6ª., 9ª., 15ª., e 17ª.