A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Aula 4

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO PREVIDENCIÁRIO: AULA 4 
 
Dependentes 
 
DEPENDENTES são as pessoas que têm acesso a um benefício 
previdenciário em razão do vínculo que mantêm com o SEGURADO. 
 
Sua relação está no artigo 16 da Lei 8.213/91. 
 
Este artigo divide os possíveis dependentes em classes, hierarquizadas, ou 
seja, a existência de um dependente em uma classe prioritária, faz com que 
sejam definitivamente desconsiderados os possíveis dependentes das 
classes seguintes (artigo 16, §1º da Lei 8.213/91). 
 
Dentro de cada classe, o benefício deixado ao dependente deve ser dividido 
em partes iguais. Assim, uma pessoa que morre e deixa esposa e 4 filhos, a 
respectiva pensão deve ser dividida por cinco. Se alguém deixa a condição 
de dependente (por incremento de idade ou por seu próprio óbito), a pensão 
será redividida entre os remanescentes na classe, até que ela se esgote e a 
prestação encerre-se definitivamente. Indispensável lembrar, a condição de 
dependente deve ser demonstrada na data do óbito/prisão do instituidor do 
benefício. 
 
Classe 1: o cônjuge, a companheira, o companheiro e o filho não 
emancipado, de qualquer condição, menor de 21 (vinte e um) anos ou 
inválido ou que tenha deficiência intelectual ou mental que o torne absoluta 
ou relativamente incapaz, assim declarado judicialmente. 
 
Ainda, equiparam-se a filhos os enteados e menores sob guarda ou tutela. 
 
E, desde a decisão do STF que admitiu a união homoafetiva em nosso país, 
incluem-se também os companheiros do mesmo sexo. (ADPF 132, julgada 
em 2011). 
 
Não é possível para fins previdenciários, também segundo a jurisprudência 
do STF, que uma pessoa casada mantenha simultaneamente uma união 
estável (Recurso Extraordinário 397.762-8, julgado em 2008). 
 
Nesta classe a dependência é presumida, não cabendo nenhuma prova ao 
dependente, senão de sua condição pessoal. 
 
Classe 2: os pais. Nesta classe, a dependência deve ser comprovada. 
 
Classe 3: o irmão não emancipado, de qualquer condição, menor de 21 
(vinte e um) anos ou inválido ou que tenha deficiência intelectual ou 
mental que o torne absoluta ou relativamente incapaz, assim declarado 
judicialmente. Também deve ser comprovada a dependência nesta classe. 
 
Mitos sobre dependentes, que devem ser evitados a todo custo: 
a) não há previsão da extensão do benefício para o filho maior de 21 
anos, ainda que seja estudante, nem mesmo estudante universitário. 
 
b) Desde 1995 não há previsão de designação de dependentes que não 
aqueles expressos na lei. 
 
c) Não existe dependência previdenciária entre netos e avós. 
 
Por fim, SEGURADOS E DEPENDENTES formam o conjunto dos 
BENEFICIÁRIOS da Previdência Social. 
 
Questionário: 
1. O que é um dependente, para fins previdenciários? 
2. O que são as classes de dependentes? 
3. Dentro de uma mesma classe, como se divide o benefício deixado 
pelo segurado? Imagine 4 dependentes nesta classe. 
4. Em qual classe, a dependência econômica do segurado é 
presumida? Neste caso, o que cabe ao dependente provar? 
5. O estudante universitário maior de 21 anos é dependente 
previdenciário no RGPS? 
6. O que são beneficiários do RGPS?