Teoria Geral dos Contratos

@teoria-geral-dos-contratos UCP

Pré-visualização

atípicos e inominados. 

a) Contratos consensuais são aqueles que se tornam perfeitos pelo simples 
consentimento das partes. 

Consideram-se formados pela simples proposta e aceitação, por exemplo: 
compra e venda, locação, mandato, comissão, etc. 



 
Revista Virtual Direito Brasil – Volume 2 – nº 2 - 2008 
 

5 

Contratos reais são aqueles que só se completam se, além do consentimento 
houver a entrega da coisa que lhe serve de objeto, por exemplo: depósito, doação, 
mútuo, penhor. 

b) Contratos unilaterais são aqueles em que somente uma das partes assume 
a obrigação, por exemplo: comodato, mútuo, doação. 

Contratos bilaterais ou sinalagmáticos são aqueles em que ambas as partes 
assumem obrigações, por exemplo: compra e venda, troca, locação, etc. 

 c) Contratos gratuitos são aqueles onde somente uma das partes é 
beneficiada, por exemplo: doação pura e simples.  

Contratos onerosos são aqueles onde ambas as partes visam as vantagens 
correspondentes às respectivas prestações por exemplo: locação, compra e venda, 
etc. 

d) Contratos comutativos são contratos onerosos em que as prestações de 
ambas as partes são certas. Cada uma das partes recebe, ou entende que recebe, 
uma contraprestação mais ou menos equivalente, por exemplo: compra e venda, 
locação, etc. 

Contratos aleatórios são contratos onerosos nos quais a prestação de uma ou 
de ambas as partes fica na dependência de um caso fortuito, de um risco. As partes 
se arriscam a uma contraprestação inexistente ou desproporcional, por exemplo: 
seguro, jogo, aposta. 

e) De execução imediata e diferida são aqueles de prazo único.  
De execução sucessiva são aqueles cumpridos em etapas periódicas. 
f) Contratos solenes são aqueles para os quais se exigem formalidades 

especiais e que dão ao ato um caráter solene, por exemplo: escrituras de compra e 
venda de imóvel. 

Contratos não solenes são aqueles aos quais a lei não prescreve, para a sua 
celebração, forma especial, por exemplo: agência e distribuição. 

g) Contratos escritos são aqueles que só podem ser contraídos mediante 
escritura pública ou particular, por exemplo: sociedade. 

Contratos verbais são aqueles que podem ser celebrados por simples acordo 
verbal, por exemplo: sociedade em conta de participação, corretagem, comissão. 



 
Revista Virtual Direito Brasil – Volume 2 – nº 2 - 2008 
 

6 

h) Contratos paritários são aqueles em que as partes estão em pé de 
igualdade, escolhendo o contratante e debatendo livremente as cláusulas, por 
exemplo: compra e venda, comissão, distribuição. 

Contratos de adesão são aqueles em que um dos contratantes é obrigado a 
tratar nas condições que lhe são oferecidas e impostas pela outra parte, sem direito 
de discutir ou modificar cláusulas, por exemplo: contratos bancários, seguro. 

i) Contratos principais são aqueles que existem por si só, sem dependência de 
outro. Subsistem de forma independente, por exemplo: locação, mútuo. 

Contratos acessórios são aqueles que acompanham o contrato principal e cuja 
finalidade é a segurança e a garantia da obrigação principal, por exemplo: fiança, 
penhor. 

j) Contratos típicos e nominados são aqueles tipificados na lei, que tem uma 
denominação específica em direito e regulamentação própria, por exemplo: compra e 
venda, troca, doação. 

l) Contratos atípicos e inominados são aqueles resultantes de variadas 
combinações entre as partes, não tem denominação e nem regulamentação própria, 
por exemplo: todo e qualquer contrato desde que seja lícito. 

 

7. Formação e Lugar dos Contratos  
Os contratos consensuais formam-se com a proposta e a aceitação, os reais 

com a entrega da coisa e os formais com a realização da solenidade. 
O proponente ou policitante propõe e o aceitante ou oblato aceita, de modo 

expresso ou tácito. 
Diz-se expressa quando a manifestação da vontade se revela através de 

propósito deliberado de uma das partes, de externar o seu pensamento em 
determinado sentido. Pode se revelar através da palavra escrita ou verbal, por meio 
de gestos, etc. 

Diz-se tácita quando o consentimento provém de ato do agente, incompatíveis 
com a decisão contrária. Correspondem a manifestações indiretas da vontade. 

Contrato entre presentes é aquele em que a proposta ou oferta é feita e a 
aceitação é imediata. 



 
Revista Virtual Direito Brasil – Volume 2 – nº 2 - 2008 
 

7 

Considera-se também entre presentes o contrato celebrado por meio 
telefônico, e os contratos celebrados em salas de Chat, na Internet. 

Contratos entre ausentes é aquele em que a parte a quem é dirigida a 
proposta não manifesta imediatamente a sua vontade, declarando se aceita ou se a 
recusa. 

Na hipótese de formação de contratos entre ausentes, reputa-se constituído o 
contrato no momento em que o oblato (isto é, a parte que recebeu a proposta) 
manifesta através da expedição de correspondência, aceitando o contrato proposto 
sem condição nem reservas.  

O aceitante poderá, após o envio da aceitação, retratar-se, desde que a 
retratação chegue ao proponente antes ou conjuntamente com a aceitação. 

Os contratos celebrados por meio de fax, e-mail ou outro meio similar, são 
contratos celebrados entre ausentes. 

Consenso significa dizer, um acordo entre as partes. 
Dissenso significa dizer, divergências ou não ajuste perfeito entre as partes. 
Contraproposta significa dizer, que o aceitante introduz alterações na 

proposta, fazendo adições ou restrições; neste caso o aceitante passa a ser 
proponente e vice versa. 

Retratação será uma declaração lícita do policitante para obstar os efeitos da 
proposta.  Somente se torna eficaz chegando ao conhecimento do aceitante antes ou 
juntamente com a proposta. 

Ou, será uma declaração lícita do aceitante, para obstar os efeitos da 
aceitação. Somente se torna eficaz chegando ao conhecimento do proponente antes 
ou juntamente com a aceitação. 

A oferta ao público equivale a proposta quando encerra os requisitos 
essenciais ao contrato 

A proposta pode não ser dirigida a uma pessoa determinada, mas sim a toda 
uma coletividade, no sentido de contratar. 

Seria a hipótese de anúncios pagos na televisão, em jornais, em revistas, nos 
sites da Internet, onde o proponente fornece número de telefone para que o pedido 
seja feito ou fornece cupom no próprio anúncio ou oferta na tela do computador. 



 
Revista Virtual Direito Brasil – Volume 2 – nº 2 - 2008 
 

8 

Esse “pedido” tem a natureza jurídica de aceitação à proposta feita por meio do 
anúncio e como tal deve ser tratada. 

Assim, se forem preenchidos os requisitos essenciais ao contrato, isto é, caso 
alguém manifeste sua vontade no sentido de contratar antes da proposta feita ao 
público ser retirada, o proponente ficará vinculado juridicamente aos termos da sua 
proposta. Portanto, se o contrato for consensual, ele estará perfeito no momento em 
que ocorrer a remessa da aceitação. Uma vez formulada a oferta ao público, o 
anunciante fica vinculado à sua proposta. 

Reputar-se-á celebrado o contrato no lugar onde foi proposto. 
 

8. Defeitos na Formação do Contrato 
Nos contratos, o consentimento deve ser voluntário, isto é, desprovido de 

qualquer ato que se venha interpretar de forma negativa como ameaça, medo, 
violência, fraude, dolo, etc. 

Na formação dos contratos podem surgir vícios que o tornem nulo ou anulável. 
Nulo é o contrato que atenta contra norma de ordem pública ou que não tenha 

os pressupostos e requisitos de validade do negócio jurídico, A nulidade pode limitar-
se apenas a uma cláusula se não contaminar as demais. 

Anulável é o contrato celebrado por pessoa relativamente incapaz, ou viciado 
por erro, dolo, coação, estado de perigo, lesão ou fraude contra credores. 

O ato nulo (nulidade absoluta) não pode ser convalidado nem ratificado, 
podendo a nulidade ser argüida a qualquer tempo, por qualquer pessoa. 

O ato anulável (nulidade relativa), ao contrário, pode ser ratificado pelas 
partes. Só os interessados diretos podem alegar a nulidade relativa, enquanto não 
ocorrer

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!