A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
ÁREAS DE ATUAÇÃO DA 2015-1 7° SEMESTRE PAC-PET

Pré-visualização | Página 3 de 6

prejuízos de trimestres anteriores só poderão ser compensados até o limite de 30% do lucro do trimestre atual, podendo ficar sujeito ao pagamento do IR e da CSLL em determinado trimestre, mesmo havendo prejuízos a compensar em trimestres anteriores. A cada trimestre existe a obrigação de encerrar o balanço, e os recolhimentos do IRPJ e da CSLL são considerados definitivos. A opção pelo lucro real trimestral é exercida pelo pagamento da primeira quota, ou quota única relativa ao primeiro trimestre do ano-calendário
Alíquota
O Imposto de renda trimestral será calculado mediante a aplicação da alíquota normal de 15% (quinze por cento) sobre a totalidade da base de calculo, ou seja, 15% do lucro real ao valor encontrado soma-se o adicional que é calculado da mesma forma que no lucro presumido, alíquota adicional de 10% sobre a parcela da base de calculo que exceder o limite de R$60.000,00- limite trimestral, explica Fabretti (2009).
Apuração do lucro real
Segundo Fabretti (2009, p. 215) “Apurado o lucro liquido segundo o conceito do IR (resultado antes do IR (L), ele é transportado para o Lalur e ajustado mediante as adições e exclusões e compensações determinadas por lei, apurando-se o lucro real (lucro líquido + adições – exclusões – compensações= Lucro Real).”
As adições se referem às despesas contabilizadas pela Pessoa Jurídica, mas que são limitadas ou não admitidas pela lei podendo ser segundo Chaves e Muniz (2010):
Despesa que afetam o resultado contábil do período, mas não estão autorizadas pela legislação fiscal como redutoras da base de calculo do imposto de renda.
Receitas que no período anterior tenham sido excluídas do lucro contábil para definir o lucro real, por uma condição de deferimento para ser adicionado em períodos posteriores.
Despesas que em períodos anteriores foram excluídas do resultado contábil para definição do lucro real, em função da antecipação do reconhecimento da despesa fiscal, mas somente agora está sendo contabilizado.
Ainda de acordo com o referido autor as exclusões serão valores que poderão ser subtraídos do lucro liquido para efeito fiscal conforme legislação. Podendo ser em função das seguintes situações (2010, p. 337):
Receitas que afetaram o resultado contábil, mas a legislação define como receita isenta do Imposto de renda. 
Despesas que no período anterior tenham sido adicionadas ao resultado contábil, por uma condição necessária para sua dedutibilidade;
Deduções por incentivos fiscais.
As compensações se referem aos prejuízos fiscais dos períodos anteriores. (FABRETTI, 2009).
O Art. 42 da lei nº 8.981/95 limitou a compensação do prejuízo fiscal em 30% do lucro liquido ajustado:
Art. 42, A partir de 1º de janeiro de 1995, para efeitos de determinação o lucro real, o lucro liquido ajustado pelas adições e exclusões previstas ou autorizadas pela legislação do imposto de renda, poderá ser reduzido em um máximo, trinta por cento.
Parágrafo único. A parcela dos prejuízos fiscais apurados até 31 de dezembro de 1994, não compensada em razão do dispositivo no caput de deste artigo, poderá ser utilizada nos anos-calendários subseqüentes.
Todos os contribuintes que fizerem a opção de apuração do imposto de renda com base no Lucro real estão obrigados a realizar a escrituração do Livro de Apuração do Lucro 14 Real LALUR, sendo este um livro de escrituração de natureza eminentemente fiscal, criado pelo decreto- Lei 1598 de 1977, conforme previsão do § 2 do art. 177 da Lei nº 6404 de 1976. Este livro é destinado a apuração extracontábil do Lucro real sujeito à tributação pelo imposto de real em cada período de apuração, contendo ainda, elementos que poderão afetar os resultados de períodos futuros. É no LALUR onde são realizados os ajustes do lucro liquido do período (adições, exclusões e compensações).
Prazo para pagamento
O Imposto de Renda e a contribuição social a pagar, apurados em cada trimestre, poderão ser pagos em quota única no mês seguinte ai trimestre, sem qualquer acréscimo. O contribuinte tem a opção de pagar em três quotas mensais, com juros pela taxa Selic ate o mês anterior ao do pagamento e de 1% no mês.
LUCRO PRESUMIDO
De acordo com Oliveira et al (2003), lucro presumido é uma forma de tributação simplificada para determinação da base de cálculo do imposto de renda e da Contribuição Social, não poderão fazer a opção pelo Lucro Presumido as pessoas jurídicas que estiverem obrigadas por lei, no ano-calendário, à realizar a apuração do lucro real.
Conforme imposição de regulamentação presente nos artigos 516 a 528 do Regulamento do Imposto de Renda, as pessoas jurídicas poderão optar pela forma de tributação simplificada para determinação da base de cálculo do imposto de renda e da contribuição social, desde que não sejam obrigadas no ano-calendário à apuração do lucro real, usando um valor apurado mediante a aplicação de um determinado percentual sobre a receita bruta como base de cálculo. (DECRETO 3.000, 1999)
Pessoas jurídicas que podem optar pelo lucro presumido
De acordo com Fabretti (2009), somente poderão fazer a opção pelo Lucro Presumido:
Empresas cuja receita bruta total, tenha sido igual ou inferior a R$48.000.000,00 (quarenta e oito milhões de reais), no ano-calendário anterior, ou a R$4.000.000,00 (quatro milhões de reais) multiplicado pelo número de meses em atividade no ano-calendário anterior;
Empresas que não estejam obrigadas à tributação pelo lucro real em função da atividade exercida;
As sociedades civis de profissão regulamentada, as sociedades que explorem atividade rural, as sociedades por ação, as sociedades de capital aberto, as empresas que se dediquem à compra, à venda, ao loteamento, à incorporação ou à construção de imóveis e a execução de obra da construção civil que não são obrigadas a apuração com base no lucro real;
Empresas cujos sócios ou acionistas residem ou domiciliam no exterior;
Empresas cujo capital participe de entidades de administração publica, direta ou indireta, federal, estadual ou municipal;
Empresas que sejam filiais, sucursais, agências ou representação, no país, de pessoas jurídicas com sede no exterior;
Empresas cuja receita seja derivada da venda de bens importados, independente do valor.
A opção pela tributação pelo Lucro Presumido será manifestada com o pagamento da primeira ou única quota do imposto devido correspondente ao primeiro período de apuração de cada ano-calendário, sendo esta manifestação irretratável para todo ano calendário, relatam Chaves e Muniz (2010).
O imposto com base no lucro presumido será determinado por períodos de apuração trimestrais, As empresas tributadas por este regime são obrigadas a apurar as bases de cálculo do Imposto de Renda (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) no encerramento de cada trimestre do ano-calendário. (Lei nº 9.430, de 1996, arts. 1º e 25).
Percentuais de presunção.
Os percentuais de Presunção aplicáveis sobre a receita Bruta serão os seguintes de acordo com Fabretti (2009, p.219):
8% sobre a receita proveniente de vendas de mercadorias (exceto venda de combustível para consumo) ou produtos, transporte de carga e de serviços hospitalares, bem como de outras atividades para as quais não estejam previsto percentual especifico.
1,6% sobre a receita proveniente da revenda, para consumo, de combustível derivado de petróleo, álcool etílico carburante e gás natural;
32 % sobre a receita proveniente das atividades de:
a) prestação de serviços geral (exceto de serviços hospitalares e de transporte e as empresas prestadoras de serviços com receita bruta anual não superior a R$ 120.000,00);
b) intermediação de negócios;
c) administração, locação ou cessão de bens imóveis, móveis e direitos de qualquer natureza;
d) prestação cumulativa e contínua de serviços de assessoria creditícia, mercadológica, gestão de crédito, seleção de riscos, administração de contas a pagar e a receber.
16% sobre a receita proveniente da prestação

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.