Energia potencial gravitacional

@fisica-i UNICERP
#resumo#Física I#exercícios resolvidos#Word

Pré-visualização

energia potencial de uma mola esticada. Suponha que sejam necessárias uma fôrça de 5kg* para esticar uma mola de 15cm uma fôrça de 10kg* para esticá-la de 30cm (Fig. 12-3). Que energia potencial você armazena na mola quando a estica de 30cm? Lembre-se de que a fôrça aumenta à medida que você estica a mola. Você deve usar a fôrça média que exerce, no cálculo do trabalho feito por você. Portanto, o trabalho realizado é vezes 30cm, isto é, 1,5kgm. Esta é também a energia potencial armazenada na mola esticada. 

Fig. 12-3 - Esticando uma mola. O trabalho realizado é igual à força, média, 5 kg*, multiplicada por 30 cm, isto é, 1,5 kgm. 

Física A - Aula 2 
Energia Potencial 
Um corpo possui energia quando é capaz de realizar trabalho. Suponha, então, um corpo situado a uma certa altura acima do solo. Se este corpo for abandonado, chegando ao solo, é fácil perceber que será capaz de realizar um certo trabalho: amassar um objeto, perfurar o solo, etc. Pode-se pois concluir que aquele corpo possuía energia na posição elevada. 
A energia que um corpo possui, em virtude de estar situado a uma certa altura acima da superfície da Terra, é denominada energia potencial gravitacional. Há outras situações, semelhantes a essa, nas quais um corpo também possui energia em virtude da posição que ele ocupa. Por exemplo, um corpo situado na extremidade de uma mola comprimida (ou esticada) possui energia em virtude de sua posição. Se um corpo comprimir uma mola e soltarmos esse corpo, ele será empurrado pela mola e poderá realizar trabalho. Neste caso, a energia que o corpo possui na ponta da mola comprimida ou esticada é denominada energia potencial elástica. 
Energia Potencial Gravitacional 
Para uma massa a uma altura acima do solo, nosso referencial usual de energia zero, podemos definir a energia potencial gravitacional como 



onde é a aceleração da gravidade. No SI, vale aproximadamente . 
Força Elástica 
Chamamos de corpos elásticos aqueles que, ao serem deformados, tendem a retornar à forma inicial. 
	

	Figura 3.1: Robert Hooke (1635-1703)


Uma mola helicoidal, feita geralmente de aço, como característica própria uma constante elástica , que define a proporcionalidade entre a intensidade força aplicada e a respectiva deformação causada na mola. A lei de Hooke relaciona essas quantidades na forma 



Observe que mede a deformação linear da mola a partir do seu tamanho de equilíbrio (sem força). 
Atrvés a equação acima, pode-se ver que a unidade SI da constante elástica deve ser . Na prática, a constante mede a ``dureza´´ da mola: quanto maior o valor de , mais difícil será a sua deformação, ou seja, mais força será necessária para deformá-la uma certa quantidade . 
Energia Potencial Elástica 
Quando aplicamos uma força e deformamos uma mola estamos transferindo a ela uma energia, essa energia fica armazenada na mola. Definimos que a energia armazenada em uma mola comprimida ou distendida é chamada de energia potencial elástica, através de 



Pense um Pouco! 
A energia potencial gravitacional depende da aceleração da gravidade, então em que situações essa energia é positiva, nula ou negativa? 
A força elástica depende da massa da mola? Por quê? 
Se uma mola é comprimida por um objeto de massa grande, quando solto a mola não consegue se mover, o que acontece com a energia potencial elástica? 
Exercícios de Aplicação 

1. Um garoto atira uma pedra para cima com um estilingue. 
a) Qual a forma de energia armazenada no estilingue? 
b) Que forma de energia possui a pedra quando atinge sua altura máxima? 
c) Existe energia no estilingue depois do lançamento? Comente. 

2. Um para-quedista desce com velocidade constante, depois de um certo tempo de queda. 
a) O que acontece com sua energia potencial ? 
b) Sua energia cinética está variando? Comente. 

3. Um indivíduo encontra-se sobre uma balança de mola, pisando sobre ela com seus dois pés. Se ele levantar um dos pés e mantiver o outro apoiado, no interior de um elevador completamente fechado, quando observa que o peso indicado na balança é zero. Então, conclui que: 
a) está descendo com velocidade constante 
b) o elevador está com aceleração igual à da gravidade 
c) a força de atração gravitacional exercida sobre ele é anulada pela reação normal do elevador 
d) a balança está quebrada, visto que isto é impossível. 

4. Duas pedras, sendo uma de e outra de , estão a de altura em relação ao solo. Você diria que: 
a) ambas as pedras têm igual energia potencial; 
b) a pedra de menor massa tem maior energia potencial 
c) nada podemos afirmar com relação à energia potencial das pedras 
d) a pedra de massa menor tem maior capacidade de realizar trabalho 
e) a pedra de maior massa tem maior energia potencial 

5. (UFRN) Uma mola heliciodal, de massa desprezível, está suspensa verticalmente e presa a um suporte horizontal. Quando se pendura um corpo de na extremidade livre dessa mola, ela apresenta deformação de para o sistema em equilíbrio. Se acrescentarmos a essa massa outra de , no ponto de equilíbrio, a nova deformação será de: 
a) 3,0 m 
b) 2,5 cm 
c) 2,0 m 
d) 1,5 cm 
e) 1,0 m 
Exercícios Complementares 

6. Uma mola cuja constate elástica é encontra-se comprimida em . 
a) Determine a enregia potencial elástica armazenada na mola. 
b) Se apenas energia da mola for utilizada integralmente para impulsionar um bloco de , qual é a velocidade máxima adquirida pelo bloco? 

7. Qual o trabalho necessário para se comprimir uma mola, cuja constante elástica é , em ? 

8. Um menino situado no alto de um edifício, segura um corpo de massa a uma altura igual a acima do solo. 
a) Qual a energia potencia gravitacional do corpo naquela posição? 
b) Qual a energia potencia gravitacional do mesmo corpo, quando situado a do chão? 


Próximo: Física A - Aula Acima: Física Anterior: Física A - Aula   Sumário 


Professor Luciano Camargo Martins
Grupo de Dinâmica Não Linear e Sistemas Dinâmicos Não Lineares
Departamento de Física
Joinville-SC, Brasil
e-mail: dfi2lcm@joinville.udesc.br
página pessoal: www.lccmmm.hpg.com.br 

Conversão de Escalas Termométricas

Calor e Temperatura
O Calor é a energia transferida de um corpo para o outro quando existe diferença de temperatura. Já temperatura é a medida de agitação das moléculas.  Por exemplo: ao colocarmos gelo no suco, as moléculas do suco estão mais agitadas do que as do gelo. Por isso dizemos que a temperatura do suco é maior que a do gelo ou que o suco é mais quente que o gelo. Quando colocamos eles em contato ocorre transferência de energia. Consequentemente, o gelo esquenta e o suco esfria.
Como medir a temperatura
Quando dois ou mais corpos atingem a mesma temperatura dizemos que eles estão em equilíbrio térmico. Podemos então comparar estes objetos para fazer medidas. É assim que funciona o termômetro. O líquido dentro dele (geralmente mercúrio) entra em equilíbrio térmico com o que queremos medir e se dilata. Mas, quais serão as unidades de medida?
A Escala Celsius
A água é o elemento mais importante para a vida na terra. A escala Celsius possui o ponto zero na temperatura que a água congela e 100 na temperatura que a água ferve. As medidas então são feitas em graus Celsius (°C).
A Escala Fahrenheit
Daniel Gabriel Fahrenheit escolheu como ponto zero, a temperatura de congelamento de uma mistura de água e sal e o ponto máximo (96) a temperatura de um homem sadio. Desta forma o congelamento da água pura ocorre em 32° Fahrenheit (F) e a ebulição em 212°F.
A Escala Kelvin
William Tomson (conhecido como Lord Kelvin) estudando o comportamento do gases, descobriu a menor temperatura que um corpo poderia atingir, que seria equivalente a -273°C. A partir daí determinou o ponto zero de sua escala. Criou assim o que chamamos de escala absoluta, pois utiliza um fenômeno universal como referência. Nela a água congela em 273 Kelvin (K) e ferve a 373 K – repare que não utilizamos graus, pois esta é a escala absoluta e não uma comparação entre fenômenos como as outras escalas.

Conversão de Escalas
Celsius para Kelvin, Kelvin para Celsius
A diferença