A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Psicopatologia Geral 1

Pré-visualização | Página 2 de 3

por conta do alcoolismo; e Alzheimer.
Apática/Abúlica: Por conta da melancolia, depressão.
Delirante: Não presta atenção nas pessoas; se torna agressivo; vivenciam ideias delirantes bem intensas; alienação persecutória; vê coisas...Ex: Esquizofrenia; Trans. Delirante.
Oligofrênica: Julgamento e discernimento falho. Ex: Déficit Intelectual.
Histérica: Desorientação da dissociação; normalmente acompanhada de alterações da identidade pessoal;
Desagregação: Fala sem coerência; pensamento não-linear. Ex: Psicose.
Ritmo Circadiano: Ciclo biológico, de sono, fome, vigília...
Taquipsiquismo (Aceleração das funções cognitivas, motoras): Ecstasy, TAB, LSD, Cocaína;
Bradipsiquismo (Desaceleração das funções): Depressão, Álcool;
Sensopercepção
Pareidolias: Alteração natural da percepção; ver coisas em objetos onde não as há, é uma percepção pessoal. Não é patológico. Ex: Ver rostos em nuvens, imagens em borrões...
Hiperestesia: Percepção aumentada, que pode deformar os estímulos recebidos; comum nos efeitos do LSD.
Hipoestesia: Percepção dos sentidos diminuída. Ex: Depressão.
Analgesia: Representação psíquica onde partes do corpo não têm dor. Ex: Esquizofrenia, TAB, usuários de substâncias.
Parestesia: Sensações leves de coisas que não existem; achar que têm insetos no corpo, sentir formigamentos por exemplo; comum em esquizofrênicos, usuários de substâncias, delirium tremens. Não é necessariamente patológico.
Ilusão: Não é patológico; distorção mínima dos estímulos recebidos, tornando a informação recebida em algo comum ao indivíduo, ou desejado; Insights são presentes.
Alucinose: Meio termo entre a ilusão e a alucinação; não necessariamente precisa de estímulos para perceber; mas há uma crítica ao que é percebido, a pessoa percebe que aquilo não existe. Comum em febre e em transtornos afetivos.
Alucinação: A pessoa realmente acredita no que percebe; não há os estímulos, nunca; ocorre o desespero porque só ela percebe àquelas coisas e gera agressividade; só ocorrem em transtornos neurológicos ou com o uso pesado de drogas, por exemplo na Esquizofrenia e TAB (na parte da mania, euforia).
Auditiva: Alucinação mais frequente nos transtornos mentais; comum a voz ser do gênero oposto; tende a ir de vozes depreciativas a comandos para assassinatos e atos hediondos; na esquizofrenia, são várias vozes conversando e denigrindo a pessoa.
A voz ouvida pelo homem trata de assuntos que o descaracterizam como homem (disfunção eréctil, falta de masculinidade, traição da mulher);
A voz ouvida pela mulher trata de assuntos que agridem sua autoimagem (corpo, peso, roupas...);
A voz robótica ouvida se põe como ‘alguém’ perfeito e põe o ser humano como algo inferior.
Sonorização: Quando os próprios pensamentos são ouvidos pela pessoa, como um eco; uma voz fala com ele.
Publicação: Os pensamentos ‘são ouvidos’ pelos outros, na cabeça da pessoa; como se os pensamentos fossem gritados; comum na esquizofrenia.
Musical: Comumente em pessoas depois de 45 anos, embora seja raro; ouve músicas inteiras, sem o estímulo, que normalmente são compatíveis com o contexto pessoal. Ligada a quadros biológicos.
Visual: Comumente ligada a quadros orgânicos (lesões, má formações cerebrais...).
Tátil: Sensações desorganizadas, que não têm crítica e pode levar a mutilações pelo desconforto; também ligada a quadros biológicos.
Gustativo/Olfativa: Sentir cheiros e gostos, sem estímulos, geralmente de coisas podres, estragadas; quando sozinhos, são alucinações ligadas a quadros biológicos.
Cenestésica: Perceber que as vísceras estão expandindo, se movimentando, apodrecendo...
Cinestésica: Sensação de partes externas do corpo deformando-se.
Sinestésica: Mistura de estímulos, alucinações, sentidos -> ouvir cheiros, ver notas musicais.
*Síndrome de Charles Bonnet = cegos que 
desenvolvem alucinações visuais.
Memória
Quanto ao tempo:
Imediata: De segundos; ‘Memória fotográfica’.
Recente: De até 2 minutos.
Remota: De longo prazo.
Quanto ao tipo:
Declarativa: Lembrança de fatos, eventos e conhecimentos; podem ser declarados verbalmente como foram memorizados.
Não-Declarativa: Ligada a hábitos e capacidades, em geral motores, sensoriais; como nadar, andar de bike, tocar violão...mais difíceis de verbalizar a forma que são lembrados.
Trabalho: Memória de processos; que permite manter e manipular informações novas;
*Lei de Ribot: Esquecer as coisas, das mais atuais para as mais antigas; perder as lembranças e seus conteúdos na ordem e no sentido inverso que os adquiriu.
Hipermnésia: Excesso de memórias, tanto adquiridas quanto armazenadas. Situação estabelecida com drogas, hipnose, em TAB.
Hipomnésia: Esquecimento constante de lembranças, falta de memória geral. Comum em estados depressivos.
Amnésia: Perda de memória, tanto para fixar quanto para manter e fixar conteúdos; comumente neurológica;
Anterógrada: Esquecimento de episódios após algum evento traumático.
Retrógrada: Esquecimento de episódios anteriores a algum evento traumático.
SWK envolve os dois tipos de amnésia.
Fabulações: Oriunda de transtornos mentais, degeneração cerebral ou, a partir de hipnose; criar memórias falsas e acreditar veemente nelas; comum na síndrome de Korsakoff.
Anosognosia: Incapacidade de perceber a situação em que a pessoa está; não admitir que está doente, involuntariamente; não é uma negação.
Prosopagnosia: Não reconhecer rostos de pessoas conhecidas; não atribuir rostos às pessoas que conhecemos; posteriormente, não se reconhece.
Agnosia: Não saber identificar as coisas ao redor; não processar corretamente as informações sentidas. Pode ser auditiva, visual, tátil...
*Capgras: Não reconhecer pessoas conhecidas; vê-las e dizer que são desconhecidos, farsantes; sabem que a pessoa ali parece que alguém conhecido, mas não admitem que seja o próprio.
*Frégoli: Acreditar que pessoas desconhecidas, são próximas e conhecidas.
Afetividade
É geral, envolve afetos, sentimentos, emoções...tanto as ruins quanto as boas.
Humor: Estado de ânimo.
Catatimia: Quando os estados afetivos, influenciam as funções psíquicas.
Paixão x Amor: 
Amor é um prazer e alegria mais estável, não há a catatimia;
Paixão funciona como uma droga para o cérebro, causa dependência e abstinência; caracterizada como uma catatimia intensa; prazer e felicidade intensa.
Reação Afetiva:
Sintonização: Compactuar com a emoção do meio; sintonizar; chorar em velórios, alegrar-se em festas, por exemplo; reagir ao contexto.
Rigidez: Incapacidade de expressar emoções; contrário da sintonização.
Irradiação: Capacidade de irradiar sua afetividade; ser alguém ‘contagiante’; ‘contaminar’ os outros com seu estado afetivo atual.
Alteração do Humor:
Distimia: Alteração do humor.
Hipotimia: Diminuição do humor; ficar mais choroso, desanimado; tendência ao estado depressivo; não tem insight sobre a situação.
Hipertimia: Aumento do humor; euforia, agitação; pode estar ligada a episódios bipolares; não tem insight é costuma ser uma euforia exagerada.
Disforia: Oscilação do humor + muita irritação, agressividade, intolerância.
Moria: Alegria exacerbada, comum em deficientes intelectuais; algo bem infantil/pueril; incompatíveis com o contexto; também não têm insight.
Anedonia: Coisas antes prazerosas, se tornam chatas e desinteressantes; indicativo de depressão.
Apatia: Não conseguir sentir emoções ou afetos, boas ou ruins; tornam-se indiferentes.
Hipomodulação: Redução da expressão afetiva; é episódica.
Inadequação: Não saber expressar o afeto e/ou agir de forma fora de contexto, exagerada; afeto contrário ao esperado; indicativo de transtorno mental.
Distanciamento: Distanciar-se de situações, afim de evitar determinados afetos.
Embotamento: Se fecham em si próprios; não interagem e nem reagem a nada; como um ‘coma emocional’; comum a esquizofrênicos severos.
Labilidade: Oscilação do afeto, entre episódios rápidos.
Indiferença Afetiva: Comum a histeria; agir friamente a algumas situações.
Ambivalência: Sentir vários fenômenos afetivos ao