MODELO DE MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO
6 pág.

MODELO DE MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO


DisciplinaArquitetura8.853 materiais63.439 seguidores
Pré-visualização2 páginas
MEMORIAL DESCRITIVO 
OBRA	: Edificação Unifamiliar
CLIENTE: Deise Flores
LOCAL: Rua Padre Afonso Corrêa, s/n \u2013 Frederico Westphalen - RS.
OBJETIVO
O presente memorial descritivo tem por objetivo relatar de forma geral a construção de uma edificação unifamiliar localizada na Rua Padre Afonso Corrêa, s/n, em Frederico Westphalen (RS).
GENERALIDADES
Materiais:
Só será permitido o emprego de materiais que estejam de acordo com as especificações e em concordância com as NBRs. Os materiais de construção a serem empregados deverão satisfazer as condições de qualidade e de uso, não sendo admissíveis materiais de qualidade inferior que apresentarem defeitos de qualquer natureza (na vitrificação, medidas, empenamentos, etc). Todos aqueles aqui especificados poderão ser substituídos desde que os materiais empregados tenham o aceite do profissional responsável pela execução. Não serão consideradas propostas verbais para a adoção de materiais diferentes dos especificados. Todo o material que for substituído ou diferir do que estiver especificado neste memorial, deverá ter seu aceite por escrito, antes de ser usado.
Serviços:
Todos os serviços aqui especificados serão fiscalizados por um mestre de obra indicado pelo proprietário, devendo estes serviços serem executados obedecendo sempre os preceitos da boa técnica, critério este que prevalecerá em qualquer caso omisso do projeto ou da proposta suscetível de originar dúvidas em sua interpretação.
Deverão respeitar os códigos municipais, bem como as Normas Brasileiras.
Projetos:
Os arquitetos e engenheiros contratados farão Anotação de Responsabilidade Técnica (ART/CREA-RS) de todos os projetos e cálculos estruturais referentes aos serviços contratados.
A obra será executada em obediência aos projetos apresentados que a definirão nos seus aspectos de arquitetura e instalações.
Modificações que possa haver no decorrer da construção serão acertadas e discutidas previamente entre as partes interessadas.
A locação das construções, dimensões, afastamentos, detalhes construtivos e arquitetônicos deverão estar de acordo com o projeto.
Serviços gerais:
Os serviços gerais, tais como: despesas com pessoal da obra, transportes diversos, consumo de água, luz provisória e outros que se façam necessários ao bom andamento da obra, correrão por conta do proprietário.
Condições de entrega da obra:
A obra será considerada concluída após ter condições de funcionamento, habitabilidade, segurança, após serem testadas e feitas às ligações definitivas de água, luz e telefone, e realizadas as limpezas gerais e acabamentos finais.
1.	Serviços Iniciais
1.1.	Limpeza do Terreno
O terreno deverá estar completamente limpo e livre de entulhos, raízes ou troncos de árvores, de modo a permitir a perfeita circulação de materiais e receber a marcação da obra.
O canteiro de obra deverá ser mantido limpo, removendo-se lixos e entulhos para locais próprios que não causem prejuízos ao andamento da construção.
1.2.	Ligações Provisórias de água e luz
Haverá necessidade de realizarem-se ligações provisórias de água e luz para a execução da obra.
1.3.	Locação da Obra
A locação da obra deverá ser feita após a limpeza e nivelamento do terreno, com aparelhos adequados de modo a corresponder rigorosamente às formas e dimensões registradas no projeto, com uso de guias de madeira.
O nível dos pisos acabado da obra deverá estar conforme projeto.
2.	Serviços Gerais Internos
	
2.1. Instalação de Guinchos
Não há necessidade de guinchos.
2.2. Instalação de Proteções
Não há necessidade de proteções.
3.	Infra-estrutura
	
3.1. Fundações
As fundações serão realizadas em sapata corrida de alvenaria de tijolos maciços, nas profundidades determinadas pelo projeto estrutural. 
3.2. Vigas de Baldrame
Serão em concreto armado, com uso de fôrmas de compensado, perfeitamente estanques e travadas com arames galvanizados. As vigas de baldrame serão devidamente impermeabilizadas e receberão uma camada de 1,5 cm de argamassa de cimento/areia sobre a impermeabilização.
4.	Supra estrutura
4.1. Fôrmas
As fôrmas para execução de vigas e pilares serão de chapa de madeira compensada, obedecendo às dimensões dos elementos estruturais definidos no projeto de fôrmas, deve-se usar nas mesmas desmoldante. As fôrmas devem estar perfeitamente estanques e travadas com arame galvanizados, e as lajes receberão escoramento de madeira roliça.
4.2. Armadura
A armadura para vigas e pilares serão executadas conforme definido no projeto estrutural. Deverão ser usados espaçadores para que no momento da concretagem a armadura não saia do lugar.
4.3 Concreto
O concreto estrutural para vigas e pilares deverá possuir resistência conforme projeto e poderá ser executada \u201cin loco\u201d.
O lançamento e aplicação do concreto na estrutura serão feitos cuidadosamente, de tal forma que não ocorra à segregação dos materiais.
5.	Vedação
As alvenarias serão executadas conforme espessuras definidas no projeto de arquitetura, da seguinte forma:
Alvenarias externas na divisa terão espessura de 20,0 cm e demais externas e internas terão espessura de 15,0 cm e executadas com tijolo cerâmico de 06 furos, nas dimensões 10x15x20 cm, de boa qualidade e homogêneos, assentados a cutelo (1/2vez) nas paredes de espessura acabada de 15 cm e assentado deitado nas paredes com espessura acabada de 20 cm. 
A argamassa de assentamento dos tijolos será mista de cimento, areia e cal hidratada com traço (1:6:1,5) e com o uso de aditivo impermeabilizante nas três primeiras fiadas.
Os tijolos devem ser molhados antes de serem assentados.
Deve-se respeitar rigorosamente o nivelamento, alinhamento, prumo e esquadros.
Sobre os vãos das portas e janelas deve-se utilizar vergas e contra-vergas abaixo de todas as janelas, que serão executadas de concreto armado e devem ultrapassar os vãos, no mínimo, 20 cm para cada lado.
6. Cobertura
Armação com madeira de boa qualidade, exceto pinus.
A cobertura será executada em telhas de fibrocimento \u2013 tipo Brasilit, com espessura de 6 mm, onduladas, com acessórios de fixação e peças de acabamento do mesmo fabricante da telha.
7. Impermeabilização
Todas as superfícies a serem impermeabilizadas serão regularizadas e protegidas mecanicamente com argamassa de cimento, areia e cal, traço (1:3:0,5). Os sistemas de impermeabilização serão os seguintes:
Vigas de baldrame: emulsão asfáltica e fita alcatroada;
8. Forro
Laje de concreto pré-moldada com capa de concreto com espessura final de 10,0cm. 
9. Revestimento de Paredes Internas
Todas as superfícies de paredes internas serão revestidas com chapisco e massa única.
A pintura interna será efetuada com uma demão de selador e duas demãos de tinta látex.
Na cozinha e no banheiro, os revestimentos serão cerâmicos nas paredes frias, em cor e modelo a definir aplicados sobre emboço desempenado com utilização da argamassa colante e rejunte junta larga, em cor a definir.
10. Revestimento de Paredes Externas
As paredes externas serão revestidas por chapisco, emboço e reboco, onde receberão uma demão de selador e duas demãos de tinta látex em cor a definir.
11. Pavimentações
Os pisos internos serão cerâmicos, tipo PEI-4, em cor e modelo e dimensões a definir, aplicados sobre base de piso desempenado.
12. Esquadrias
12.1. Portas
A porta de entrada principal será em madeira, contraplacadas com placas lisas de compensado de cedro, de espessura de 3,50 cm, com medida conforme projeto arquitetônico.
As portas internas serão de madeira tipo semi-oca, contraplacadas com placas lisas de compensado de cedro, de espessura de 3,50 cm, com as medidas conforme projeto arquitetônico, para pintura.
As portas externas dos dormitórios serão com estrutura em alumínio, de correr, com espessura de 2,5 cm, com vidro temperado.
Serão utilizadas três dobradiças de aço cromadas