Dicionário de logística e operações
60 pág.

Dicionário de logística e operações


DisciplinaDistribuição Física e Transportes16 materiais99 seguidores
Pré-visualização33 páginas
de um componente a ser 
modificado for de 12 semanas entre 
suprimento, produção e entrega, não será fácil 
estimar a data exata para o esgotamento do 
estoque, uma vez que podem ocorrer muitas 
oscilações de demanda dentro desse intervalo 
de tempo. A data alvo deverá ser revisada 
semanalmente, para evitar obsolescência de 
peças ou rupturas de estoques. 
Lead time de Manufatura - Manufacturing Lead Time 
\u2013 O tempo total requerido para se manufaturar 
um item, excluindo o tempo de ressuprimento 
de compras. Quando a empresa adota a 
estratégia Make-To-Order, é o intervalo de 
tempo entre a liberação da Ordem de 
Fabricação e o despacho para o consumidor 
final. Quando a empresa adota a estratégia 
Make-To-Stock, é o intervalo de tempo entre a 
liberação da Ordem de Fabricação e a 
colocação do item acabado no estoque. Para 
ambos os casos, esse intervalo inclui o tempo 
de preparação da Ordem, tempos de fila, de 
preparação de máquina, de execução, 
movimentação, inspeção e estocagem. 
Lead time de finalização - finishing lead time \u2013 
tempo requerido para completar um item, 
considerando a disponibilidade de 
componentes e recursos necessários para 
fazê-lo. 
Leilão Reverso - Reverse Auction \u2013 Um tipo de leilão 
onde fornecedores ofertam para vender 
produtos a um comprador. À medida que as 
ofertas continuam, os preços declinam (em 
oposição a um leilão tradicional, onde os 
compradores estão cotando para comprar os 
produtos). Normalmente em ambientes de 
leilão reverso, os potenciais fornecedores não 
conhecem quem são seus competidores, mas 
conseguem visualizar suas ofertas através da 
internet. O leilão pode se encerrar quando um 
determinado valor definido pelo comprador é 
alcançado ou quando um prazo é atingido. 
Normalmente este valor \u2018alvo\u2019 é desconhecido 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 33
pelos fornecedores, o que cria um ambiente 
de acirrada competição. 
Leitor de Código de Barras - Bar code scanner \u2013 
Um dispositivo óptico que tem capacidade de 
ler códigos de barras e transmitir a informação 
coletada para um computador. Leitores de 
código de barras podem ser unidirecionais ou 
multi-direcionais e possuem diferentes 
alcances de leitura. Alguns leitores vêm 
integrados com computadores portáteis 
(handhelds), os quais podem operar 
remotamente ou em tempo real via rádio 
freqüência. Termos relacionados: Código de 
Barras, WMS. 
Leitura - Scanning - É o processo de aquisição de 
dados codificados, por meio de dispositivo 
ótico ou por rádio freqüência e que serão 
convertidos em dados numéricos e 
alfanuméricos, para uso por uma aplicação 
específica. Termos relacionados: RFID, 
Código de Barras. 
LIFO - Last-in, First Out \u2013 Último que Entra, Primeiro 
que Sai (UEPS) \u2013 Um método de alocação e 
movimentação de estoque, que privilegia a 
retirada do último item estocado antes dos 
anteriores. A aplicação desse método está 
muito associada a características de layout e 
de sistemas de armazenagem. Sistemas 
como Drive-Inn e Blocados impõem essa 
forma de operação, pelas suas características 
operativas (i.e. entrada e saída pelo mesmo 
lado). Para itens pouco perecíveis, essa forma 
de operação é satisfatória, desde que se 
garanta uma rotatividade compatível com a 
vida útil e a integridade dos materiais 
estocados. No contexto contábil, se a baixa 
dos estoques for efetuada através desse 
critério, o custo das vendas será valorizado 
pelo valor do último estoque que entrou. 
Porém, a legislação do Imposto de Renda no 
Brasil permite apenas a utilização do método 
do preço específico, custo médio ou FIFO. 
Termos relacionados: FIFO, FEFO. 
Linha de Montagem \u2013 Assembly Line \u2013 Um espaço 
destinado à montagem de um produto, cujo 
fluxo é composto por um encadeamento de 
postos de trabalho intercalados por sistemas 
de movimentação, os quais podem ser 
contínuos ou por lotes. Quanto mais 
dedicadas a poucos produtos e maiores forem 
os volumes, mais especializados serão os 
equipamentos de produção e movimentação 
na linha. 
Lista de Materiais \u2013Vide Estrutura de Produto. 
Lista de Separação - Picking List - É uma listagem 
dos itens a serem retirados do estoque para o 
atendimento de uma demanda, seja esta para 
fins de fabricação ou para fins de expedição 
de Ordens de Clientes. Uma lista de 
separação normalmente relaciona o código do 
item, sua descrição e a quantidade a ser 
separada. Dependendo do sistema utilizado, a 
lista de separação pode também indicar a 
localização, o nome do funcionário designado 
para a tarefa, o número do pedido e o roteiro 
de separação dentro do armazém. 
LLP - Lead Logistics Provider \u2013 Uma organização que 
gerencia e integra o serviço de outros 
prestadores de serviço de logística (3PL\u2019s). 
Quando empresas demandam um escopo de 
serviços de logística muito amplo, 
normalmente o prestador selecionado (LLP) 
atuará como um integrador de uma rede de 
prestadores menores, especializados nas 
diversas funções contratadas. A alternativa 
seria a empresa contratar individualmente 
cada um dos prestadores de serviços 
especializados (3PL\u2019s). A principal premissa 
para uma empresa buscar um LLP são 
ganhos de sinergia e ter um único prestador 
para gerenciar. Termos relacionados: 3PL, 
4PL. 
Locação Primária de Separação - Pick Face \u2013 A 
locação primária dentro de um armazém na 
qual é feita a separação de uma Ordem de 
Venda, Despacho ou abastecimento. 
Normalmente essa é a locação onde se 
encontram os paletes abertos, que estão 
sendo consumidos para atender as Ordens. A 
área onde essas locações se situam também 
é conhecida como \u2018supermercado\u2019. 
Logística - Logistics \u2013 (1) a ciência que estuda como 
levar itens da produção ao consumo, com o 
menor custo; (2) o projeto e a operação física, 
gerencial e de sistemas de informações 
necessários para permitir que bens 
transponham o tempo e o espaço; (3) 
Logística é parte do Processo de 
Gerenciamento da Cadeia que planeja, 
implementa, controla o eficiente e efetivo fluxo 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 34
e armazenagem de bens, serviços e 
informações associadas desde o ponto de 
origem até o ponto de consumo, com o 
objetivo de atender os requisitos do 
consumidor (CSCMP \u2013 2000). (4) Logística 
envolve o gerenciamento de atividades como 
transporte de suprimentos e distribuição, 
movimentação de materiais, gerenciamento 
de frotas, armazenagem, atendimento de 
pedidos, desenho de redes de suprimento e 
distribuição, gestão de estoques, gestão de 
prestadores de serviço, gestão de atividades 
aduaneiras, planejamento da Cadeia, 
abastecimento de fábricas, atendimento a 
legislações de comércio internacional, 
definição de padrões de comunicação (EDI), 
especificação de padrões de etiquetas (código 
de barras, RFID), desenvolvimento de 
embalagens e quaisquer funções necessárias 
para planejar e controlar o fluxo físico de 
materiais ao longo de uma Cadeia. As 
atividades de logística normalmente requerem 
um estreito relacionamento com funções de 
vendas e marketing, manufatura, finanças, 
controladoria e TI dentro de uma organização. 
Logística de Distribuição - Outbound Logistics \u2013 
Lida com os processos de planejamento, 
transporte (entrega), armazenagem, 
movimentação e ressuprimento de Canais de 
Distribuição, a partir de uma unidade de 
produção ou de um Centro de Distribuição. 
Logística de Suprimentos - Inbound Logistics - Lida 
com os processos de planejamento, 
transporte (coleta), armazenagem, 
movimentação e ressuprimento de uma planta 
fabril ou centro de distribuição, a partir de uma 
Cadeia de Fornecedores. 
Logística Reversa - Reverse Logistics \u2013 (1) O 
processo de planejar, implementar e controlar 
o fluxo de retorno de produtos, com o objetivo 
de conservação, reciclagem, substituição e 
disposição a um